As principais vantagens do consórcio

As principais vantagens do consórcio

Na hora de comprar um bem, como um carro, casa, moto ou até mesmo adquirir algum tipo de serviço, muitas pessoas pesquisam as melhores formas de fazer esse tipo de investimento.

Nem sempre o pagamento à vista é viável quando o assunto é bens de alto valor. E, como forma de viabilizar a compra, as pessoas geralmente recorrem a duas formas: o financiamento, que permite a aquisição imediata do bem após o pagamento de entrada e consentimento de pagamento de juros (que podem fazer com que o bem custe quase o dobro de seu valor original); e o consórcio, que funciona como o autofinanciamento da compra do bem, revelando-se a forma mais justa de investir em um bem que custa mais de cinco dígitos.

O consórcio é a modalidade de compra perfeita para quem quer planejar a aquisição do próximo bem. Mas, você sabe como o consórcio funciona e como ter uma ótima experiência de compra? A seguir, vamos explicar todos os detalhes do consórcio e explicar por que se trata de uma modalidade vantajosa.

O que é consórcio?

O consórcio é uma modalidade de compra em que o interessado define o bem que deseja comprar e, aos poucos, investe para a aquisição dele. Ao contrário do financiamento, que permite a aquisição imediata com o valor de entrada, não é preciso passar por nenhum tipo de burocracia, nem pagar entrada e, muito menos, juros para dar início à realização do seu sonho.

É você que define o valor do bem que deseja comprar, a partir do valor da carta de crédito. Isso porque, por meio do consórcio, você investe em um bem tendo o valor final como referência - e não o bem em si. Ao ser contemplado, você pode utilizar o valor da sua carta de crédito para a compra do bem que deseja, desde que seja parte da categoria que você selecionou.

Antes de mais nada, é preciso selecionar uma administradora de consórcio que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para operar corretamente. A Embracon, por exemplo, é uma empresa autorizada e possui mais de 30 anos de alta credibilidade com a entrega de cartas de crédito em diferentes segmentos (que iremos explicar mais adiante neste artigo).

Para fazer esse investimento na sua carta de crédito, é preciso selecionar o bem que deseja comprar, escolher o valor da carta e a quantidade de parcelas - tudo isso é possível por meio da simulação de consórcio, que iremos explicar a seguir.

Simulação de consórcio: como funciona

Após selecionar a administradora de consórcio, o primeiro passo é fazer a simulação do consórcio que deseja contratar.  

Primeiramente, selecione o tipo de bem: pode ser a compra de um automóvel, imóvel, moto, veículos pesados ou diferentes tipos de serviços.

Cada categoria tem uma limitação de carta de crédito, que corresponde ao valor final do bem, e de quantidade de parcelas. É possível simular quantas vezes for necessário. O mais importante nesse processo é determinar o valor de consórcio que faz mais sentido para você, levando em consideração sua remuneração mensal, de forma que as parcelas não fiquem pesadas demais.

Para evitar casos de inadimplência, as administradoras não permitem que o valor da parcela seja 30% superior aos rendimentos mensais. Por exemplo, se você e sua família têm à disposição uma renda mensal de R$ 10 mil, só é possível selecionar um valor de parcela de até R$ 3.000.

Após a simulação, um especialista de consórcio entra em contato para explicar como funciona a modalidade e entrega o contrato de adesão. Ao assiná-lo, você consente com todos os direitos e deveres como consorciado e, além das documentações básicas, só precisa entregar a comprovação de renda, utilizada como base para definir o máximo que pode pagar como parcela.

Depois disso, a administradora tem até 90 dias para trabalhar na formação dos grupos de consórcio.

Formação dos grupos

A formação dos grupos é parte da essência do consórcio: é a partir deles que são realizadas as assembleias e as contemplações.

Mas, antes de entrarmos nesse assunto, vale a pena explicar o que consiste um grupo de consórcio. Eles são formados pela própria administradora e reúnem consorciados que investem em bens semelhantes e com prazos semelhantes. Por exemplo, se você estiver investindo em um consórcio de imóveis com carta de crédito de R$ 400 mil, por exemplo, estará em um grupo em que a maioria das pessoas também desejam realizar a compra de um imóvel, com prazo semelhante.

Como a formação dos grupos depende da adesão de novos consorciados, as administradoras têm, por lei, o período de até 90 dias para inseri-los em um grupo após assinatura do contrato. Pode acontecer de o consorciado ingressar em um grupo já em andamento, ou fazer parte de um grupo totalmente novo.

Os grupos são formados por consorciados e têm como representantes pessoas eleitas para se manterem alinhados às regras da administradora e realizarem a gestão do fundo comum, onde são destinados os valores das mensalidades dos consorciados. Por isso que o pagamento da mensalidade na data correta é de extrema importância dentro de um consórcio: além de possibilitar as contemplações, somente com a devida contribuição mensal o consorciado pode participar das assembleias, que acontecem mensalmente nos grupos.

Todo consorciado que paga corretamente suas mensalidades têm o direito de participar das assembleias mensais. Para verificar quando elas acontecem, basta entrar na Área de Clientes e verificar as datas online.  

As assembleias acontecem uma vez por mês e determinam os contemplados do grupo. A contemplação dá o direito de ter acesso à carta de crédito de forma integral. Por isso mesmo, trata-se de um dos momentos mais importantes para o consorciado. Mas, você sabe de quais formas pode ser contemplado por meio do consórcio? Iremos explicar a seguir, confira.

Formas de contemplação no consórcio

Pelo consórcio, é possível ser contemplado de duas formas: sorteio e lance.

O sorteio é a forma mais comum de ser contemplado. A cada mês, um consorciado do grupo é sorteado e, se passar pela análise de crédito, tem acesso ao valor integral da carta de crédito.

O sorteio é baseado na numeração da Loteria Federal, garantindo imparcialidade em todo o processo. Cada numeração equivale à numeração final da cota de cada integrante.  

O felizardo pode prosseguir com a análise de crédito e, se conseguir entregar todas as documentações e comprovações, de acordo com as exigências da administradora, pode ter acesso à carta de crédito.

Mas, se você não quiser esperar pelo sorteio das assembleias, pode tentar o lance, que é um valor a mais que o consorciado pode oferecer com o objetivo de antecipar sua contemplação.  

As administradoras exigem que o valor mínimo de um lance seja de 10% do total da carta de crédito. Se o valor que você ofertar for o maior dentro da assembleia, você é contemplado e o valor quita as últimas mensalidades da sua cota de consórcio. Mas, se outro consorciado oferecer um valor maior, sem problemas: o valor não chega a ser debitado e você pode tentar o lance nos meses seguintes - uma ótima oportunidade para juntar um valor maior e, assim, aumentar as chances de ser contemplado.

A seguir, vamos apresentar os tipos de lance que podem ser ofertados:

  • Lance livre: é a modalidade clássica de lance. O maior valor oferecido define o contemplado. Se você for o vencedor, o seu valor quita as últimas mensalidades do seu consórcio e, assim, você termina de pagar a sua cota com antecedência. Todos os grupos permitem essa oferta de lance.
  • Lance fixo: nesta modalidade, a administradora determina um valor fechado, que corresponde a um percentual da carta de crédito. Se for determinado que este percentual seja de 30%, significa que os clientes que investem em uma carta de consórcio de imóveis de R$ 200 mil, por exemplo, têm que oferecer R$ 60 mil como lance. Como critério de desempate, a administradora pode utilizar o sorteio somente com os consorciados que ofertaram o lance.  
  • Lance embutido: Nessa modalidade de lance, o cliente pode utilizar parte da carta de crédito para oferecer como lance. Por exemplo, se o cliente estiver investindo em uma carta de crédito de R$ 300 mil para consórcio de imóveis, pode tentar o lance embutido para dar R$ 75 mil como lance. Se for contemplado, ele sai com uma carta de crédito de R$ 225 mil.

Análise de crédito

Após o processo de contemplação, seja por sorteio ou por lance, é preciso passar pela análise de crédito.

Diferentemente da primeira etapa de análise, quando o consorciado está prestes a assinar o contrato, neste momento as administradoras são mais rigorosas.  

Antes de tudo, é preciso estar com a documentação em dia para prosseguir com a análise. Fique atento nas datas exigidas para a entrega, para que não perca a oportunidade de ser contemplado.

A administradora faz a checagem do valor da remuneração mensal do consorciado. Caso o valor da mensalidade ultrapasse os 30% dos rendimentos mensais, é solicitada a indicação de um devedor solidário, que deve compartilhar a responsabilidade da dívida do consórcio até que seja totalmente quitada.

Caso esteja com o nome sujo - ou seja, nos órgãos de proteção ao crédito por conta de dívidas em aberto - é preciso regularizar a situação antes de ser contemplado. As administradoras não liberam a carta de crédito para negativados, afinal, o status de bom pagador é de extrema importância para o consorciado que irá desfrutar de seu bem enquanto mantém a dívida de consórcio ainda em aberto.

Quem for reprovado na etapa de análise de crédito deve voltar a participar das assembleias e contar com o sorteio ou a oferta de lance. Por isso, fique atento a tudo que for solicitado nessa análise, para não postergar o acesso à carta de crédito do consórcio.

Reajuste das parcelas

Mas, se a administradora já faz a análise dos rendimentos mensais quando inicio o pagamento do consórcio, por que é preciso verificar novamente meus ganhos antes da contemplação?

Por dois motivos:

  1. Ao longo do tempo, você pode ter mudado de emprego ou conquistado uma nova renda, tido promoção ou até mesmo perda de renda. Por isso, a administradora precisa se certificar de que seus rendimentos se mantêm ou tenham tido uma elevação, afinal, você terá que pagar o restante do valor das parcelas.
  1. A cada aniversário da cota existem os reajustes do consórcio. Por lei, as administradoras precisam fazer esse reajuste para impedir que o consorciado tenha seu poder de compra reduzido por conta da inflação anual.

Cada categoria de consórcio segue uma tabela em específico: o consórcio de imóveis, por exemplo, acompanha as elevações do INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), enquanto o consórcio de automóveis segue o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Esse reajuste é importante, porque garante que o valor que você selecionou como carta de crédito permita a compra do bem que você tanto deseja quando você for contemplado.

O reajuste é aplicado diretamente no valor final da carta de crédito. Ou seja, se o INCC aumentar em torno de 10%, por exemplo, de um ano para outro, esse índice afeta o valor da carta de crédito de imóveis.  

Assim, o valor total para a casa ou apartamento que você gostaria de ter à disposição ao ser contemplado será maior, permitindo a compra mesmo com a elevação dos preços. Portanto, é muito comum o valor final da carta de crédito ser maior que o originalmente contratado pelos consorciados.

Uso da carta de crédito

Após passar por todo o processo de análise de seus documentos e rendimentos, finalmente você tem acesso à sua carta de crédito. Isso significa que você pode realizar a compra do seu bem de forma integral.

A carta de crédito tem poder de compra à vista, o que permite uma boa margem de negociação - principalmente quando se trata de bens com valores de seis dígitos.

Imagine que você esteja investindo em uma casa de R$ 300 mil, por exemplo, e consiga um desconto de 10% por ter o valor à vista. Com isso, você economiza R$ 30 mil, que pode ser utilizado para despesas burocráticas, como transferência de propriedade, escritura e demais idas ao cartório.

No processo de contemplação, é preciso indicar à administradora o proprietário ou empresa responsável pelo bem que deseja comprar. Após entregar alguns documentos, a administradora faz a transferência do valor integral para o proprietário, garantindo a aquisição.

Caso o valor da sua carta de crédito seja maior do que o bem que deseja comprar, é possível usar até 10% do total da carta para despesas relacionadas à aquisição. Se o valor for insuficiente para a compra, a administradora faz a liberação da mesma forma - porém, você precisa negociar com o proprietário ou empresa o pagamento do valor restante.

Mantenha o comprometimento com as mensalidades do consórcio

Quando você mantém a dívida em aberto com a administradora após a contemplação, precisa se comprometer com o pagamento das mensalidades restantes, para não comprometer os demais integrantes do seu grupo e não ser indicado nos órgãos de proteção ao crédito.

Ao realizar a aquisição do bem, a propriedade é dividida entre o dono da cota e a administradora de consórcio. Somente após quitação total da dívida de consórcio o bem fica totalmente no seu nome.

Por conta disso, não é possível vender, alugar ou realizar qualquer alteração do seu bem sem a anuência da administradora de consórcio, que delega essa função aos representantes do seu grupo. Por isso mesmo, mantenha o pagamento em dia de sua cota, para evitar problemas maiores.

Tipos de consórcio

A seguir, vamos apresentar o que você pode comprar com o consórcio.

Consórcio de automóveis

A modalidade mais conhecida e procurada de consórcio permite a compra de modelos zero km e seminovos.

Com o consórcio de automóveis, você conta com cartas de crédito de até R$ 100 mil para a compra de modelos populares ou até mesmo importados. Se tiver um carro usado, pode usá-lo como proposta de lance após avaliação da administradora - uma boa oportunidade para trocar de modelo e colocar na garagem o carro dos seus sonhos.

Consórcio de imóveis

A cota de consórcio de imóveis é a que possui valores de carta de crédito mais elevados: é possível investir em bens de até R$ 500 mil com uma cota de consórcio de imóveis.

Veja o que você pode comprar com a carta de crédito dessa categoria:

  • Casa própria: com o consórcio, você pode realizar o sonho de ter a sua casa própria, que já esteja construída, por exemplo. Procure o melhor bairro para morar e negocie com o proprietário ou imobiliária a compra da sua própria casa com o dinheiro que receber da carta de crédito, quando for contemplado.
  • Apartamento decorado: mas, se você é uma pessoa que prefere investir na compra de um apartamento, também pode contar com o consórcio para essa finalidade. Pesquise bem as opções, faça visitas, se necessário, e aproveite a carta de crédito para comprar o apê dos seus sonhos, sem ter o trabalho de fazer toda a decoração.
  • Apartamento na planta: uma das grandes vantagens de comprar imóveis na planta é que você economiza bem mais na transação. Um apê na planta pode custar até 20% mais barato, sem contar que você decide a melhor forma de decorá-lo do seu jeito.
  • Terreno: quem deseja construir a sua casa ou empreendimento, pode utilizar o valor da carta de crédito para a compra de um terreno. Um terreno pode ter um custo menor do que um imóvel já construído, por exemplo, e dá a liberdade para o comprador em diversos sentidos. Ao avaliar essa opção, porém, pense nos gastos posteriores à compra do terreno, como o custo de mão de obra para a construção, nivelamento do local, acabamento, decoração, entre outros.
  • Empreendimento comercial: nos últimos anos, o Brasil tem se destacado como o país com o maior percentual de empreendedores em todo o mundo, à frente de China e Estados Unidos. Por conta disso, o consórcio pode ser uma ótima oportunidade para que você invista no seu novo local de trabalho - seja comprando um ponto existente, um apartamento para montar um escritório etc.

Consórcio de moto

Quem deseja comprar uma moto também pode contar com a facilidade do consórcio para isso. Com cartas de crédito, você pode investir em modelos para trabalhar, praticar esportes ou até mesmo modelos importados de motocicleta.

Faça uma boa pesquisa nos preços das motocicletas e use o consórcio a seu favor na hora de escolher a sua.

Consórcio de veículos pesados

Recentemente, o consórcio passou a incorporar em seu portfólio a possibilidade de investir em veículos pesados.

Nessa categoria, você pode investir em ônibus, caminhões ou até carretas com o uso da carta de crédito.

Consórcio de serviços

Com cartas de até R$ 30 mil, é possível realizar diversos tipos de serviços com o consórcio. Confira o que você pode adquirir:

  • Viagens: para realizar aquela viagem de férias com a família, mochilão em algum continente ou simplesmente sair da sua rotina conhecendo países estrangeiros ou cidades do Brasil.
  • Estudos: para quem quer investir em cursos de especialização, faculdade ou até mesmo intercâmbio.
  • Reforma: para decoração completa ou construção de diferentes cômodos em seu lar.
  • Cirurgias: para quem quer realizar procedimentos estéticos ou cirúrgicos com a carta de crédito.
  • Festas: para quem deseja realizar o primeiro aniversário do filho, festa de debutante, comemoração da empresa, bar mitzvá ou até mesmo o casamento.

Vantagens do consórcio

Agora que você já conhece como funciona o consórcio como um todo, vamos mostrar algumas de suas vantagens mais importantes.  

O consórcio pode ser uma modalidade complexa para quem não conhece, por isso, temos a preocupação de explicar todos os detalhes de seu funcionamento antes de abordarmos suas vantagens. Confira a seguir.

Não precisa dar valor de entrada

Com o consórcio, você não precisa se preocupar em ter os 20% de entrada exigidos no financiamento, por exemplo. Basta fazer a simulação do bem que deseja comprar, a partir de seus rendimentos mensais, e determinar o valor de mensalidade que faz mais sentido de acordo com a sua realidade financeira.

Não há cobrança de juros

Uma das maiores vantagens do consórcio é não realizar nenhuma cobrança de juros dos consumidores.

Vale lembrar que, por conta do juros, com o financiamento você pode pagar o dobro ou mais do valor original de um determinado bem. O consórcio só faz uma cobrança de taxa de administração. A parcela também inclui o valor de fundo de reserva, que serve como garantia caso o grupo passe por alguma inadimplência de consorciados. Se o valor não for utilizado pelo grupo, você recebe sua parte desse fundo com o término do grupo.

Por isso mesmo, o consórcio é a modalidade em que mais vale a pena investir para a compra de bens de alto valor, afinal, você paga por um valor a prazo mais justo, sem ter que se apertar.

É possível pagar mesmo com o nome sujo

O consórcio não tem a burocracia de outras formas de pagamento ao ser contratado. Caso tenha interesse em investir em um bem, basta fazer a simulação, tirar as suas dúvidas e declarar seus rendimentos mensais, para que tenha o valor de mensalidade condizente com a sua realidade financeira.

Para isso, você pode até mesmo estar com o nome sujo, já que a administradora não consulta seu nome nos órgãos de proteção ao crédito nesta etapa.  

Mas, assim que fechar o seu contrato, se organize para pagar a sua dívida o quanto antes. Isso porque, para a liberação da carta de crédito no momento da contemplação, é preciso estar com sua situação regularizada.

Liberdade para determinar o valor do bem

No momento da simulação, é você que escolhe o valor da carta de crédito e o quanto deseja pagar de mensalidade. Você pode simular o valor quantas vezes quiser, até que encontre o valor que faça mais sentido para você.

As administradoras de consórcio dão essa flexibilidade porque sabem que, com planejamento e autonomia para o consumidor, é possível proporcionar uma experiência de compra positiva para os consorciados.  

Portanto, converse com sua família antes de fechar o contrato e determine, em conjunto, qual seria o valor ideal de pagamento da sua cota, para que não atrapalhe seu planejamento mensal e anual com suas finanças.

Não afeta seu planejamento financeiro

Pela liberdade de escolha do valor final, o consórcio se mostra uma modalidade que pode ser aliada do seu planejamento.

A simulação é justamente o momento em que você pode testar de diversas formas qual seria o valor ideal de parcela, de acordo com a sua realidade.

Além disso, nenhuma administradora permite que as mensalidades ultrapassem os 30% dos seus rendimentos, o que ajuda bastante na hora de selecionar o valor da sua cota. Quanto menor o impacto em seus rendimentos mensais, maiores são as chances de ter uma ótima experiência pagando o consórcio e investindo no bem de sua escolha.

Flexibilidade para ajustar a carta de crédito

Enquanto estiver pagando o seu consórcio, é possível fazer um reajuste para um valor maior ou menor da carta de crédito originalmente contratada.  

Caso esteja passando por alguma dificuldade financeira, você pode conversar com a empresa responsável, para rever algumas opções.

Sempre procure por uma forma de flexibilizar o valor, caso esteja passando por alguma dificuldade dessa natureza. É melhor tentar a negociação do que seguir com a desistência do consórcio que, além de gerar multa, por representar quebra de contrato, só devolve o valor após sorteio nas assembleias (assim como a contemplação dos bens).

Carta de crédito não desvaloriza

Como já explicamos, o reajuste nas parcelas é essencial para que a sua carta de crédito não sofra com uma possível desvalorização da moeda ou com o aumento da inflação.

Para explicar como isso funciona na prática, imagine a seguinte situação: você gostaria de comprar um carro popular e, por isso, selecionou uma carta de R$ 40 mil. Mas, enquanto você paga as suas mensalidades, passaram-se dois anos, e o valor já é insuficiente para a compra do modelo que desejava, por conta da subida de preços.

Justamente para acompanhar essa elevação é que existe o reajuste das parcelas. No exemplo do carro, o índice de referência é o IPCA. Portanto, ao ser contemplado dois anos depois, por exemplo, com a sua cota, você terá à disposição um valor de carta de crédito maior, que permitirá a compra do modelo popular que você havia planejado lá no começo, quando iniciou o pagamento do consórcio.

Valor a prazo mais justo

O consórcio não faz cobrança de juros - somente a cobrança de taxa de administração e fundo de reserva.

Por isso mesmo, o consórcio se apresenta como a modalidade de compra parcelada mais justa para o consumidor. No fim das contas, você paga por um valor a prazo mais justo e ainda conta com um benefício adicional: sua carta de crédito tem poder de compra à vista, que iremos detalhar a seguir.

Poder de compra à vista

Ao ser contemplado com a carta de crédito, você pode negociar diretamente com o proprietário ou a empresa responsável para o pagamento do bem que deseja adquirir.

Como a carta de crédito tem poder de compra à vista, você pode ter uma boa margem de negociação e conseguir pagar um valor ainda menor do que teria que pagar a prazo - como no financiamento, por exemplo. Dependendo da sua negociação, você pode pagar por um valor ainda menor com o uso da carta de crédito, gerando uma ótima economia.

Se sobrar algum valor, é possível utilizá-lo com despesas burocráticas ou até mesmo quitar as últimas mensalidades do seu consórcio.

Novo ou seminovo? Com o consórcio, você escolhe

Caso tenha interesse em comprar um bem já usado - como um veículo seminovo, por exemplo - você pode contar com o consórcio.

Para isso, basta selecionar um carro com até cinco anos de uso, por exemplo.  

Até mesmo uma casa já reformada ou um caminhão usado podem ser adquiridos por meio do consórcio. Para isso, a administradora faz uma avaliação prévia, para identificar se o bem está em boas condições para compra. Dessa forma, você tem liberdade de escolha para a compra do bem que realmente deseja - mesmo que já tenha sido utilizado por outra pessoa.

É possível pagar despesas adicionais com a carta de crédito

No caso de comprar um bem inferior à sua carta de crédito, é possível utilizar o saldo restante para despesas. Quando se compra um bem, é comum ter que desembolsar o valor de transferência de propriedade, escritura, habite-se, entre outras burocracias específicas de determinados bens.

Com o consórcio, você pode reservar até 10% do total da carta de crédito para essa finalidade. Por isso mesmo, é comum que alguns consorciados já determinem um valor de carta de crédito superior ao bem, para não ser pego desprevenido ao ser contemplado e ter que tirar do próprio bolso o valor para essas despesas.

É possível usar o FGTS como lance

Além de ser um benefício liberado para lidar com situações financeiras difíceis, o FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) é a principal referência para investir em habitações no país.

Por isso mesmo, ao investir em um consórcio de imóveis, é possível resgatar o valor do seu FGTS para dar como proposta de lance. Para isso, basta entrar em contato com a Caixa, informar que deseja ter acesso ao seu extrato do FGTS, coletar a assinatura do gerente e tentar a sua proposta.

Se o seu valor for o maior, a administradora realiza todo o procedimento para orientá-lo a sacar o dinheiro e, assim, permitir a contemplação. Caso tenha sido sorteado, você pode usar o seu FGTS para quitar as últimas mensalidades da sua cota de imóveis e, assim, terminar de pagar o seu consórcio com antecedência.

Você pode investir em mais de um consórcio

Cada categoria de consórcio possui suas próprias limitações de carta de crédito. Por exemplo, quem quer investir em consórcio de serviços pode contar com cartas de até R$ 30 mil.

Mas, e quem quiser um valor maior para a utilização da carta de crédito?

Para isso, é possível investir em mais de uma cota de consórcio - seja para a compra de um bem com valor superior ao limite da cota, ou para diferentes bens.  

Para isso, porém, o valor da mensalidade das cotas não pode ultrapassar 30% dos rendimentos mensais. Com isso, você pode fazer diferentes combinações de valor: caso queira o equivalente a R$ 50 mil para consórcio de serviços, por exemplo, pode pagar por duas cotas de R$ 25 mil cada.

Converse com antecedência com a administradora ou com o especialista de consórcio, para entender como você pode pagar por mais de um consórcio. Em muitos casos, é possível inserir as cotas dentro de um mesmo grupo.  

Caso seja contemplado com uma cota, e queira aguardar a contemplação das demais, você pode deixar o valor da carta de crédito no fundo comum do seu grupo, com a vantagem de ter rendimentos de juros a seu favor.

Ótima opção para pessoas jurídicas

Com a possibilidade de investir em mais de uma cota, o consórcio se apresenta como uma ótima forma de pagamento para pessoas jurídicas. É possível, por exemplo, renovar a frota inteira de carros da sua empresa com o consórcio.

Para isso, converse com a administradora para verificar as possibilidades de compra de múltiplos bens com o consórcio. Como uma empresa pode possuir mais recursos para as ofertas de lance, contar com o consórcio pode garantir uma enorme economia, além de ser uma condição de pagamento sem a cobrança de juros ou de entrada.

É possível quitar financiamento com o consórcio

Se você tiver iniciado um financiamento para a compra de um bem, você pode utilizar o valor da carta de crédito do seu consórcio para a quitação total.

Para isso, o financiamento em aberto deve ser do mesmo bem selecionado no consórcio. Por exemplo, se você tiver uma dívida de um carro em uma instituição financeira, precisa investir em um consórcio de automóveis - vale o mesmo para as demais categorias de consórcio.  

Ao ser contemplado, basta indicar a instituição financeira, para que o valor integral da carta de crédito possa quitar sua dívida com o banco. Ao pagar à vista com a carta de crédito, você consegue eliminar um bom percentual de juros do financiamento.

Comece já o seu consórcio

Para dar início ao pagamento do seu consórcio é muito fácil. Comece fazendo uma simulação do bem que deseja e confira, na prática, as facilidades de uma categoria que realiza sonhos das pessoas há mais de 50 anos.

Simulação
chat Eva