Quanto preciso pagar para fazer um consórcio?

Quanto preciso pagar para fazer um consórcio?

Quando se depara com o valor de uma casa ou de um automóvel, ou até mesmo alguns serviços, como cirurgia, universidades, etc, muitas pessoas ficam assustadas. Não por conta do alto valor à vista, mas devido às condições oferecidas para adquirir o bem que deseja.

Vamos supor que você considere comprar o carro dos sonhos. Ele custa cerca de R$ 50 mil, mas, quando você tenta comprá-lo de forma viável, percebe que o total, a prazo, pode chegar a mais de R$ 80 mil.

Isso parece surreal, não é verdade?

Muitas instituições financeiras lucram com as necessidades dos clientes. Afinal, poucos dispõem de um valor tão elevado, quanto R$ 50 mil.

Por isso, essas instituições oferecem o financiamento como possibilidade de compra. Para isso, pedem um valor mínimo de entrada e parcelam o restante, com juros em cima de juros.

Não é difícil encontrar consumidores arrependidos que dizem que comprado um carro pelo preço de dois. Ou se ver mais de 15 anos em dívida por financiar uma casa, sabendo que vai pagar mais que o dobro de seu valor de oferta.

Felizmente, existe uma alternativa para parcelar bens de alto valor. É o consórcio. Saiba como funciona.

Como o consórcio ajuda na compra do bem

Vamos utilizar o mesmo exemplo do automóvel de R$ 50 mil. Em um financiamento, provavelmente a instituição pediria, no mínimo, uma entrada de R$ 5 mil, ou seja, que corresponde a 10% do bem. Com o acréscimo de juros, as parcelas restantes seriam calculadas de acordo com o seu rendimento mensal.  

Se você tem uma renda de cerca de R$ 5 mil, teria que pagar parcelas de, no máximo, R$ 1.500, ou seja, 30% do total.

É a partir daí que a instituição calcula os juros. Além das cobranças mensais, a instituição cobra taxas anuais de juros, entre outras cobranças variáveis. Quanto maior o número de parcelas, maior o percentual de taxas.

O consórcio, por outro lado, não cobra juros. Ele permite que você simule o valor de acordo com as suas necessidades.

É você que escolhe o total de parcelas e até mesmo o valor da carta de crédito, que corresponde ao valor do bem – neste caso, R$ 50 mil.

Por que o consórcio é mais vantajoso

O consórcio também não exige valor de entrada para sua adesão. Após fazer uma simulação, você começa a pagar as mensalidades e entra em um grupo de consorciados.

Todos os meses são realizadas assembleias, que sorteiam os bens aos integrantes do grupo. Pelo sorteio, todos têm as mesmas chances: você pode ser contemplado no 1º ou no último mês!

Mas, se quiser antecipar a sua compra, você pode fazer a oferta de um lance. Se você oferecer o maior valor, o lance abate as parcelas seguintes e você fica com o bem.

Quanto custa o consórcio?

Em outras palavras, o consórcio custa o quanto você deseja investir. Ao contrário do financiamento, ele não cobra juros, parcelas intermediárias ou entrada. A única cobrança é da taxa de administração, que corresponde a 15% do bem, aproximadamente.

Portanto, se você corre o risco de pagar mais de R$ 80 mil por um automóvel de R$ 50 mil por meio do financiamento, pelo consórcio este mesmo carro custaria cerca de R$ 57.500, tirando os reajustes anuais, devido à inflação e índices como o IPCA.

Entenda na prática como funciona os benefícios de investir em um consórcio. Faça uma simulação e conte com uma das empresas mais admiradas do segmento.

Imagem Consorcio Embracon CTA

Gostou do nosso post? E que tal saber mais sobre as nossas novidades em tempo real? Siga-nos nas redes sociais e veja tudo na sua timeline. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, além de um canal incrível no YouTube.

chat Eva