Guia completo de como reformar a sua casa inteira com o consórcio

Guia completo de como reformar a sua casa inteira com o consórcio

Ter a casa própria é o sonho que move muitos brasileiros. Já imaginou conseguir deixá-la do jeito que sempre quis, acomodando toda a sua família e sem a preocupação de ter que se comprometer com o aluguel?

Claro que, para realizar esse sonho, é preciso planejar a longo prazo e manter-se focado. Afinal, estamos falando de um bem de altíssimo valor, que pode chegar aos sete dígitos - dependendo do tamanho do seu sonho, é claro.

Nos últimos anos, muitos brasileiros têm procurado novas formas de começar a investir na casa própria. Embora exista a opção do financiamento, são poucos os que conseguem crédito ou que se mantêm dispostos a pagar por um alto valor de juros. Sem falar no valor de entrada para o financiamento, que muitas vezes supera 20% do total do bem.

Quando falamos do lar em que queremos passar a maior parte de nossas vidas, planejamento é essencial. E ele deve começar antes mesmo de ter o bem. Por isso mesmo, o consórcio pode ser seu principal aliado na hora de comprar a sua casa. Para isso, você pode contar com o consórcio imobiliário. Com ele, é possível comprar terrenos, casa pronta, apartamento ou até imóvel na planta.

Se você tem o sonho de construir do zero e deixá-la reformada, pode contar com uma modalidade que é totalmente flexível. Isso porque, além da possibilidade de comprar uma casa, você também pode contar com o consórcio de reforma, para deixá-la do jeito que realmente deseja.

Quer saber como funciona essa modalidade? Confira nossas dicas a seguir.

Consórcio de reforma: um serviço muito procurado

Durante muitos anos, o consórcio ficou associado à compra de bens de alto valor, como carro, moto e até mesmo casa ou apartamento.

Sempre atento às novas formas de consumo, o consórcio também se atualizou ao possibilitar a oferta de serviços com a carta de crédito. Isso significa que, da mesma forma que você pode entrar em um grupo e participar dos sorteios para ser contemplado com um bem, com o consórcio você também pode investir em um tipo de serviço de alto valor.

Diferentemente das cartas tradicionais, a carta de crédito de consórcio de serviços vai de R$ 15 mil a R$ 30 mil, que podem ser divididos em até 30 mensalidades. Com ela, você pode investir em viagens, estudos, festas, cirurgias e também reformas.

Desde que o consórcio de serviços passou a  fazer parte do portfólio da categoria, a modalidade de consórcio de reformas tem sido, de longe, a mais procurada pelas pessoas. Segundo levantamento realizado em 2020 pela Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC), 7 em cada 10 contemplados das categorias de serviços utilizam a carta para a realização de reformas.

Por mais que o ano passado tenha sido marcado pela pandemia do coronavírus, o consórcio de reforma já lidera o ranking entre as cartas de serviço há bastante tempo. Isso porque as pessoas têm se preocupado cada vez mais em manter o lar confortável - algo que certamente se acentuou com o isolamento social para evitar contato com a Covid-19.

Além disso, a flexibilidade do consórcio permite que muitas pessoas comecem a investir na reforma sem ter que comprometer demais o seu orçamento mensal. Afinal, o consórcio permite que você escolha a mensalidade que deseja pagar, sem a pressa de ser contemplado.

Outro fator que fortalece a preferência pelo consórcio de reforma tem a ver com a não essencialidade do serviço. É mais fácil investir a longo prazo em algo importante como uma reforma, por exemplo, do que um serviço que você possa precisar imediatamente.

O que é consórcio de reforma?

Existem diversos motivos que podem levar uma pessoa a realizar uma reforma dentro de casa: a chegada de um filho, uma nova etapa profissional ou simplesmente o fato de a própria casa não atender mais ao que a família precisa.

Estamos mudando o tempo todo, e a necessidade de reforma, em muitos casos, faz parte do processo de mudança. Comprar uma nova casa ou mudar-se para outro local têm sido opções cada vez menos consideradas pelos brasileiros. Se existe a possibilidade de deixar o nosso ambiente mais aconchegante, por que não fazer isso?

É por isso que o consórcio de reforma tem sido uma opção cada vez mais considerada pelos brasileiros. Mas, como fazer para iniciar esse tipo de consórcio?

Antes de tudo, é preciso entender o que você realmente deseja fazer no seu lar. A ideia é construir um novo cômodo? Mudar toda a pintura da casa? Alterar toda a decoração interior, para ter uma nova cara? Ou, quem sabe, construir uma piscina no quintal?

A partir do momento que você sabe o que quer fazer, fica mais fácil ter uma ideia de quanto você realmente precisaria para conduzir essa reforma.

Uma das grandes vantagens do consórcio é que você não precisa saber exatamente o valor que irá gastar. A partir do momento que se tem uma ideia, já pode começar a fazer a simulação e começar a investir na carta de crédito para a sua reforma. Vamos explicar o passo a passo para você fazer isso.

Como contratar um consórcio de reforma

Assim como qualquer modalidade de consórcio, a primeira etapa consiste em fazer a simulação do bem que deseja adquirir. Para fazer uma reforma com a sua carta, é preciso visitar o site da administradora de consórcio - como a Embracon - e selecionar o consórcio de serviços.

Depois de identificar o valor que precisa, selecione-o como opção de carta de crédito. Para consórcio de serviços, você pode escolher entre R$ 15 mil e R$ 30 mil. Depois disso, você seleciona a quantidade de parcelas. Após informar os dados básicos de contato, você tem um retorno do valor que ficaria a parcela.

Este é o valor que você terá como referência ao começar a pagar pelo consórcio. Esta mensalidade não pode ultrapassar 30% dos seus rendimentos mensais. As administradoras mantêm essa política para evitar qualquer tipo de inadimplência, que possa prejudicar os grupos de consórcio.

Após selecionar o melhor valor para pagar pelo consórcio, um especialista deve entrar em contato para explicar como funciona o consórcio, tirar todas as suas dúvidas e enviar o contrato para assinatura.

Para o fechamento de consórcio de serviços, você não escolhe de primeira a finalidade da carta de crédito. Isso significa que você investe em serviços como um todo para, ao ser contemplado, selecionar como quer utilizar a sua carta.

Depois de fechar o contrato, a administradora tem até 60 dias para inseri-lo em um grupo de consórcio.

Como funcionam os grupos de consórcio?

Um grupo de consórcio reúne diversos outros consorciados que estão investindo em um bem semelhante ao seu. No caso de consórcio de reforma, por exemplo, muito provavelmente você estará em um grupo com outras pessoas que também estão investindo a carta de crédito em serviços.

Quando você entra em um consórcio, pode receber a sua carta de crédito de duas formas: pelos sorteios, que acontecem mensalmente nas assembleias; ou a partir da oferta de um lance.

O lance é um valor a mais que você pode dar em um sorteio mensal com o objetivo de ter acesso à sua carta de forma antecipada. Geralmente você quita um total de mensalidades com o lance. Se o seu valor for o maior dentro da assembleia, você é contemplado e tem acesso à carta de crédito após passar por mais uma etapa de análise de crédito pela administradora. Assim, o dinheiro que você utilizou como lance quita as últimas mensalidades do consórcio. Uma ótima forma de antecipar, também, o pagamento da sua cota.

Mas, se outro consorciado ofertar um valor superior ao seu, fique tranquilo: o seu valor não chega a ser debitado e você tem a chance de fazer a oferta em outras oportunidades.

Para conseguir fazer a oferta do lance e participar dos sorteios, é importante pagar as mensalidades na data correta. As mensalidades garantem a saúde financeira dos grupos de consórcio, já que financiam os valores que servem para a contemplação das cartas.

Fui contemplado. E agora?

A contemplação é o momento em que você finalmente tem acesso à carta de crédito. No caso do consórcio de serviços, você pode utilizar para qualquer uma das opções mencionadas, que inclui as reformas.

Ao ser contemplado, a administradora faz uma nova análise de crédito, para garantir que o pagamento das próximas mensalidades do consórcio será efetuado e não comprometa a saúde financeira dos grupos.

Por isso, a parcela não pode ultrapassar 30% dos seus rendimentos. Além disso, você precisa estar com a situação regularizada junto aos órgãos de proteção ao crédito.

Caso a mensalidade ultrapasse os 30%, é necessário indicar um devedor solidário, que vai somar à sua renda como comprovação e compartilhar o compromisso com a dívida.

Após toda a etapa de comprovação, a administradora pede que você indique quem serão os fornecedores ou empresas responsáveis pelo serviço de reforma. A transferência é feita diretamente aos fornecedores, ou seja, não é repassada para o consorciado.

Mas, como escolher quem irá executar o serviço de reforma da sua casa ou apartamento? Vamos explicar a seguir as opções que se tem ao investir em um consórcio de reforma.

O que posso fazer com o consórcio de reforma?

Como explicamos acima, existem diversos motivos que levam alguém a querer reformar o lar.

Com a pandemia do coronavírus, as pessoas têm encarado novas formas de lidar com o lar. Afinal, passamos mais tempo dentro deles - inclusive, algumas pessoas aproveitaram para deixar a casa ou apartamento mais preparado para trabalhar de casa.

Segundo pesquisa do Grupo Consumoteca, consultoria especializada em mudanças, nesse período 55% das pessoas de classe A e 39% de pessoas da classe C realizaram algum tipo de mudança na decoração ao longo de 2020.

O fato é que, antes de uma reforma, é preciso entender em que fase da vida você está.

Reforma totalmente do zero

Se você acabou de se mudar, ou seja, comprou uma casa ou apartamento, e está em dúvidas de como começar toda a parte de decoração, o consórcio de reforma é perfeito para você.

Você pode contar com o apoio de um arquiteto ou decorador para todo esse processo. Eles podem materializar da melhor forma possível seus gostos pessoais e traduzir isso em um ambiente extremamente aconchegante para você e toda a sua família.

Agora, se você já sabe muito bem o que deseja fazer, quais móveis colocar e como utilizar melhor o espaço de cada cômodo, sem problemas. Você pode fechar a compra dos materiais com algum fornecedor em específico e dar início à reforma.

Reforma do seu lar

Mas, se você já tem a sua casa ou apartamento, e quer dar uma repaginada, avalie muito bem o que deseja fazer.

Uma reforma pode significar muitas coisas: trocar a pintura da parede, construir um novo cômodo, ampliar algum espaço, enfim, depende da sua fase de vida. Um momento propício, por exemplo, é quando o casal está à espera de um filho, e quer deixar o quarto mais aconchegante possível para a chegada da criança.

Quem teve que adaptar sua rotina ao home office também começou a encarar o lar de uma outra forma. É possível adaptar um cômodo para deixá-lo com a cara de um escritório também.

Outras opções com o consórcio de reforma

Existem muitas possibilidades de utilizar a sua carta de consórcio de serviços para reforma. Confira algumas dicas a seguir.

   • Ampliar um cômodo da casa: muitas vezes as pessoas têm vontade de aumentar a cozinha, arranjar um espaço para a sala de jantar ou até mesmo transformar o espaço do quarto em uma suíte - que exigiria a construção de um banheiro, por exemplo. Os motivos são diversos: por necessidade de espaço, pelo aumento da família ou simplesmente porque querem mudar o design do lar.

   • Construir um novo cômodo: e se a família tiver mais um filho que não foi previsto e tiver dúvidas de como montar o quarto? Nessa hora, o consórcio de reformas pode ajudar na construção de um novo cômodo, para que ele tenha um espaço só dele para crescer e se desenvolver.

   • Colocar uma churrasqueira: quem não gostaria de ter um espaço para receber os amigos e fazer aquele churrasco aos fins de semana? O consórcio de reforma pode ajudar a organizar o novo canto preferido da casa.

   • Colocar uma piscina: o sonho de consumo de muitos brasileiros é criar um espaço com piscina, para relaxar nas tardes dos finais de semana e, quem sabe, chamar os familiares e amigos para curtir. Os custos de perfuração, encanamento e de implantação costumam ser altos. Por isso, também estão cobertos pelo consórcio de reforma.

   • Espaço para uma garagem: muitas vezes, é preciso redesenhar a planta da casa para aumentar ou simplesmente criar o espaço para guardar um ou mais carros utilizados pela família.

   • Alterar a instalação elétrica e hidráulica: ao comprar uma casa que já foi de outro proprietário, infelizmente é comum se deparar com problemas com a instalação elétrica e hidráulica da casa. O serviço para realizar a troca inteira de todo esse sistema em uma casa antiga é mais caro do que se imagina. Paredes precisam ser quebradas, deve-se trocar dezenas de metros de fiação e, às vezes, mexer até no encanamento de esgoto. Quando o problema está nos canos, então, o valor pode ficar mais ‘salgado’. Por isso, o consórcio de serviços pode ajudar na reestruturação de toda essa parte, sem complicações.

   • Renovar a pintura: pintar uma casa ou apartamento requer cuidado de um profissional, e o uso de materiais mais sofisticados - como tintas laváveis, por exemplo - ajudam o seu lar a recuperar a cara de ‘novo’ e passar por um novo processo de decoração.

   • Trocar os pisos: alguns cômodos da casa ou apartamento, como banheiro e cozinha, tendem a sofrer maior desgaste com pisos. Esse tipo de serviço também pode ser coberto pelo consórcio de reforma.

   • Acabamento: algumas pessoas que começaram a construir a casa própria podem passar por dificuldades na hora do acabamento. As obras podem extrapolar os gastos e, com o orçamento enxuto, o acabamento acaba sendo prejudicado. Por isso mesmo, muitas famílias acabam se mudando para a nova casa antes mesmo de ter tudo pronto e bonitinho, como sempre sonhou. Se você contratar uma cota de reformas enquanto constrói, pode evitar esse tipo de frustração e investir para que a casa seja entregue do jeito que você e sua família sempre quiseram - sem se preocupar em gastar mais com o fim das obras.

   • Decoração: para uma casa ou apartamento ter o ar personalizado que você tanto busca, a decoração é extremamente importante. Ao comprar um imóvel, o consumidor sabe muito bem que terá que arcar com os custos de decoração ao receber as chaves. Nesse momento, contratar o consórcio de reformas já garante uma boa verba para realizar especificamente esse serviço. Enquanto paga as mensalidades, você tem tempo para pensar na melhor forma de deixar o ambiente com a sua cara.

   • Reformar o empreendimento: também é possível dar aquele upgrade no escritório, loja ou empreendimento por meio do consórcio de reforma, para deixar com aspecto renovado e, assim, estimular os demais funcionários a ter melhor desempenho em um ambiente mais agradável.

   • Criar um jardim: algumas pessoas têm um amplo espaço em seu terreno ou na planta que acaba sendo mal aproveitado. Afinal, não é preciso tantos metros quadrados para uma garagem. Por isso, alguns consumidores têm mostrado interesse em ajardinar o entorno da casa. Em uma área de 100 m², por exemplo, a construção de um jardim pode custar R$ 20 mil.

Para conseguir melhor proveito do seu consórcio de reforma, consulte um especialista e faça uma boa avaliação do seu lar. Às vezes o seu imóvel pode não comportar a mudança que você realmente deseja fazer. Por isso, converse bastante também com todos os integrantes da família e conduza a reforma para que todos se sintam mais aconchegantes na renovação do lar.

Como utilizar a carta de crédito de consórcio de reformas

Fizemos questão de mostrar a variedade de coisas que se pode adquirir com um consórcio de reformas porque sabemos que, sempre que vamos mexer em algo relacionado à construção, existem muitos detalhes que passam despercebidos.

Por exemplo, além de ter que comprar todos os materiais, é preciso levar em consideração o valor da mão de obra. E isso pode variar bastante, dependendo do tipo de serviço, da experiência do profissional e da complexidade do que será feito.

A partir do momento que você identifica o que precisa ser feito, procure um especialista que realmente irá ajudar a deixar o seu lar do jeito que você realmente deseja.

A carta de crédito pode ser utilizada para o pagamento dos profissionais responsáveis por realizar a reforma, além dos materiais que serão necessários. Na maioria dos casos, isso significa a indicação de um ou mais fornecedores à administradora.

A melhor forma de facilitar esse processo é fazer a cotação com os especialistas, o levantamento dos materiais necessários e indicar à administradora quando for contemplado.

Caso o valor total seja inferior à sua carta, você pode utilizar o valor remanescente para quitar as últimas mensalidades do consórcio. Mas, se o saldo for insuficiente, fique tranquilo: você pode completar com os seus próprios recursos.

A principal vantagem da carta de crédito é seu poder de compra à vista. Isso pode gerar uma boa margem de negociação quando for comprar os materiais ou até mesmo fechar os serviços com especialistas.

Posso adquirir mais de uma carta de crédito para reforma?

Cada cota de consórcio de serviços tem um limite de R$ 30 mil. Porém, existem casos em que uma reforma pode custar bem mais do que isso.

Se você quiser fazer uma reforma de ponta a ponta na sua casa ou apartamento, pode investir em mais de uma cota de serviços.

O recomendado é fazer uma cotação inicial de quanto ficaria a totalidade dos serviços, incluindo contratação de especialistas e compra de materiais. Se você identificar, por exemplo, que o valor chega a R$ 60 mil, pode investir em duas cotas de consórcio de reformas no valor de R$ 30 mil cada.

Nesses casos, a administradora pode inserir as suas cotas dentro de um mesmo grupo. É possível que você tenha uma cota contemplada antes da outra - a não ser que organize os lances para as duas.

Nesses casos, você tem duas opções: manter a carta de crédito junto à administradora, até que seja contemplado com as duas cotas (a vantagem é que o valor fica em um fundo comum, que vai rendendo juros a seu favor); ou pode utilizar cada cota assim que for contemplado. No segundo caso, a vantagem é que você já adianta o início da reforma com antecedência e pode continuar quando for contemplado com a segunda cota, por exemplo.

Tudo depende do ritmo que você quer impor à reforma: se tem pressa, pode dar início assim que tiver a primeira cota. Mas, se quer acertar tudo de uma vez, pode esperar um pouco mais para utilizar as cartas das duas cotas. Se o valor da reforma for ainda mais elevado, você pode investir em quantas cotas achar necessário para o seu consórcio de reforma.

Agora que você já sabe como utilizar a carta de crédito, vamos explicar o passo a passo do que é necessário entender para a reforma total da sua casa ou apartamento.

Etapas de uma reforma: do planejamento ao acabamento

Muitas reformas começam assim: você olha para um cômodo, e percebe que ele pode ficar melhor. E aí, quando começam as obras, você começa a enxergar que outro cômodo também poderia ser repaginado, e assim sucessivamente. Quando você vê, acabou pilotando a reforma da casa inteira.

Isso acontece quando não há planejamento. Se realmente há a necessidade de dar uma nova cara para o seu lar, não poupe esforços. Busque profissionais qualificados: caso precise de um arquiteto, certifique-se de que possua a documentação do CREA.

Confira, a seguir, as etapas de uma reforma.

Planejamento

Para essa etapa, é importante ter o apoio de um profissional. É o momento em que você vai analisar toda a planta da sua casa ou apartamento: cada alteração estrutural, revestimento ou pintura que precisa ser feito, para que o lar fique do jeito que você realmente deseja.

Se você mora em condomínio, precisa ficar atento às regras de início e finalização de obra a cada dia, para não incomodar os vizinhos.

Na etapa de planejamento, defina também por onde começar cada obra e quais os materiais necessários.

Proteção

Antes de começar a colocar a mão na massa, tome todo o cuidado necessário para proteger pisos, paredes, móveis, vidros e até mesmo a estrutura do seu imóvel. Isso pode ser feito de maneira simples, com jornais, plásticos bolha, papelão, entre outros materiais.

O ideal é que você consiga esses materiais antes mesmo do início das obras, para não perder tempo. Sempre que possível, acompanhe o trabalho que será feito e esteja pronto para tirar todas as dúvidas que surgirem. O acompanhamento de um profissional como um arquiteto ou decorador pode ser crucial para que todos os cuidados sejam tomados.

Demolição

Se você mora em um apartamento e quer ampliar um cômodo, precisa ter muito cuidado com a estrutura do prédio. Você não pode correr o risco de destruir uma viga ou um pilar do edifício, para não comprometer sua estrutura.

Mas, se mora em uma casa, dê uma boa olhada na planta: verifique qual parte da estrutura pode ser demolida sem causar nenhum tipo de prejuízo ao seu lar.

Atenção aos entulhos

Dependendo do local em que se mora, é preciso fazer uma locação de caçambas para jogar o entulho. Caso more em um apartamento, converse com o seu síndico para entender quais são as alternativas.

Reconstrução

Toda demolição tem um propósito e, quando falamos em reforma, trata-se de ter uma nova construção. Veja que material precisa para o que será reconstruído e fique atento às mudanças que serão feitas nesse novo espaço.

Por exemplo, digamos que você tenha ampliado a cozinha, para ter mais espaço, e quer deixá-la com o formato americano. Nesse caso, é preciso identificar o material necessário para a bancada, por exemplo, e ter muito bem planejado em que locais os eletrodomésticos irão ficar. Se você tiver tudo isso desenhado, com o apoio de um decorador, fica mais fácil para quem está executando a obra.

Instalações

Sempre que for realizar uma obra, é preciso levar em consideração a parte elétrica e hidráulica do seu imóvel. Fiação pode ser um problema de imóveis antigos. Em muitos casos, as pessoas ignoram a necessidade de fazer essas mudanças.

Nos últimos anos, nossos hábitos de consumo têm levado à necessidade de alterações nos mecanismos elétricos e hidráulicos, por conta das diferentes capacidades dos eletrodomésticos que utilizamos no dia a dia. Geralmente, essas mudanças são realizadas com mais frequência em casas; apartamentos, por outro lado, muitas vezes possuem uma estrutura própria que não pode ser alterada pelos moradores.

Quanto antes você prever essas mudanças, melhor. Já pensou ter feito todo o acabamento em um cômodo para, depois, descobrir que terá que demolir tudo de novo para refazer as instalações elétricas e hidráulicas?

Não poupe esforços para mudar canos, conduítes, quadros de distribuição, tomadas e até mesmo a automação de toda a parte elétrica.

Gesso e acabamento

Se você está prevendo a mudança do visual da sua casa, e que terá uso de gesso, prepare-se para a bagunça.

Colocar gesso em um cômodo pode gerar muito pó. Por um momento, parece que seu cômodo será totalmente destruído. Mas, é uma atividade que vale a pena. Existem profissionais específicos para isso, os gesseiros, que fazem as sancas (aquele ornamento que faz a transição das paredes com o plano do teto, por exemplo) ou os cortineiros, que dão o efeito de fazer com que o tecido da sua cortina pareça estar saindo do teto.

Instalação de bancadas

Ainda antes do acabamento, os profissionais precisam ter pleno entendimento de onde instalar as bancadas, cubas, pias, enfim, os materiais que vão compor a sua nova decoração.

Na maioria dos casos, essas peças são chumbadas e requerem um grande esforço para serem carregadas e trazidas ao cômodo. Mais uma vez, fica o reforço de ter tudo muito bem planejado antes de realizar as instalações, para não correr o risco de ter que tirar uma bancada do lugar, por exemplo, o que pode comprometer a qualidade da sua reforma.

Bons profissionais tomam cuidados adicionais com a segurança nessa etapa. Por isso, cuidam para que tudo fique muito bem encaixado, para que você desfrute da melhor forma quando tudo ficar pronto.

Pintura e revestimento

Com tudo no lugar, chega a hora de fazer a pintura de todos os cômodos. É nessa hora que tudo começa a se transformar: o que antes parecia ser uma bagunça logo começa a tomar forma, ficar com a cor que você deseja, enfim,  que você começa a perceber o quanto realmente valeu a pena investir na reforma do seu lar.

Geralmente a primeira mão da pintura é feita antes de colocar o revestimento, como pisos, azulejos, porcelanato etc. É preciso ter cuidado nessa etapa, principalmente com o nivelamento do piso, a forma de colocar o revestimento e o seu acabamento.

Depois disso, é feita a segunda mão da pintura, que vai deixar o ambiente com a carinha de novo e reformado.

Luminárias

Virou uma tendência em decoração a instalação de diferentes tipos de luminárias. Elas ajudam a reafirmar o clima do estilo que foi seguido e podem gerar até um contraste interessante com os elementos que compõem o cômodo.

Existem diversas opções no mercado que podem dar uma nova cara ao seu ambiente. Dependendo do modelo, a complexidade de instalação pode ser grande ou pequena - mas nada que complique tanto, como cuidar de todo o revestimento, por exemplo.

Marcenaria

De que adianta ter tudo novinho se os móveis não combinam, não é verdade?

Embora existam muitas opções de compra em lojas especializadas, na maioria dos casos o ideal é ter um marceneiro que irá montar os móveis sob medida para o seu ambiente.

Em muitos casos, o arquiteto ou decorador sugere um profissional de confiança. No processo de escolha, converse com os clientes, veja se o acabamento feito agrada e cuide bem para que cada móvel combine com o cômodo.

Curta a decoração da sua casa ou apartamento

Quando você se empenha para fazer a reforma da sua casa ou apartamento, podem acontecer alguns imprevistos.

Como dissemos, em muitos casos a parte elétrica e hidráulica pode gerar custos adicionais que não estavam no orçamento inicial. Por isso, o ideal é fazer uma cotação com antecedência e ter uma boa ‘gordura’ para lidar com essas situações.

São muitas etapas e, para quem vai fazer a reforma do começo ao fim, há muitos profissionais envolvidos para que tudo saia conforme você planejou. Por isso, é importante fazer o acompanhamento do início ao fim, com a ajuda de um profissional que vai auxiliar na escolha de fornecedores e na orientação de todo o trabalho que precisa ser feito.

Quando se trata de um imóvel que você ainda está preparando para a moradia, o processo tende a ser menos doloroso. Afinal, não é preciso lidar com a bagunça de uma reforma enquanto se faz as responsabilidades do dia a dia.

Porém, são muitos os casos em que as pessoas iniciam uma reforma mesmo morando no imóvel. Isso acontece quando você quer dar uma repaginada e precisa continuar na sua moradia. Nesses casos, o melhor a se fazer é cuidar de um cômodo de cada vez, para que você não fique incomodado demais com o acúmulo de entulhos, poeira, enfim, toda a bagunça inevitavelmente gerada com uma reforma.

Portanto, depois de todo o trabalhão de realizar uma reforma do começo ao fim - que pode demorar mais que o planejado, é verdade - aproveite para curtir bem o novo espaço. Afinal, houve um grande esforço de dinheiro, planejamento, trabalho e acompanhamento para deixar o seu lar com uma nova cara. Não deixe de curtir o momento!

Por que vale a pena fazer uma reforma

Vale lembrar que uma reforma traz muitos benefícios aos moradores. Além de elevar a qualidade de vida e o bem-estar, muitas pessoas conduzem reformas com o objetivo de deixar o imóvel mais valorizado.

Para se ter uma ideia, uma propriedade pode valer entre 15% a 20% a mais com uma reforma bem feita. Isso pode ser repassado tanto na venda, como no aluguel da sua casa ou apartamento.

Isso porque a compra de bens assim costumam mexer bastante com o emocional das pessoas. Embora o preço possa estar acima do mercado, é muito mais fácil vender ou alugar um imóvel que esteja bem reformado do que um que está com muitas pendências a serem resolvidas.

Em outras palavras, uma reforma significa um investimento importante no seu patrimônio. Você deixa o seu imóvel com uma cara mais vendável e pode repassar os seus custos na venda ou aluguel.

Nesses casos, além do perfeito estado da sua casa ou apartamento, reformas estruturais tendem a ser valorizadas no mercado imobiliário. Isso porque, quem busca a compra ou aluguel não quer ter preocupações ou despesas adicionais com hidráulica, elétrica ou com pequenas reformas.

Portanto, se teve que gastar R$ 30 mil em uma reforma, por exemplo, você pode aumentar em até R$ 50 mil o preço do seu imóvel na hora da venda. No caso do aluguel, faça o cálculo do percentual que o valor da reforma representa diante do valor final do imóvel. Por exemplo, se você tem um imóvel de R$ 300 mil, e fez uma reforma de R$ 30 mil, significa que pode aumentar acima de 10% o preço do aluguel. Em algumas situações, pode aumentar até mais, para ter um retorno mais rápido.

Como você já percebeu, existem diversas formas e justificativas para você dar início à repaginada do seu lar, seja para promover o seu bem-estar e da sua família ou para venda e aluguel.

Faça uma simulação de consórcio de reforma e aproveite as múltiplas vantagens de uma modalidade flexível e sem complicações.
Simulação Consórcio

chat Eva