Afinal, vale a pena fazer um consórcio para reformar a casa?

Afinal, vale a pena fazer um consórcio para reformar a casa?

Adquirir o imóvel dos sonhos pode ser uma ação distante da realidade de muitos brasileiros. Da mesma forma, nem sempre os proprietários se mostram totalmente satisfeitos em seu lar.

Não tão raramente, estão planejando alguma reforma para trazer mais conforto e beleza ao seu imóvel. Assim, o consórcio para reformar casa se torna uma opção muito interessante.

Diante dos custos que envolvem projetos de reformas, nem sempre é possível ter todo o montante necessário para alcançar o objetivo.

Por isso, buscar alternativas financeiras como o consórcio é uma forma de manterem vivos os seus planos. Além disso, o consorciado tem acesso a uma série de vantagens, especialmente em relação à versatilidade desse tipo de contrato.

Confira, neste post, os principais detalhes sobre o consórcio para reformar a casa. Continue sua leitura e veja como funciona, quando ele é mais indicado e conheça as principais vantagens e desvantagens! Vamos lá?

Por que o consórcio de reformas Embracon é ideal para você?

Como funciona um consórcio para reformas?

O consórcio de serviços é uma modalidade igual a qualquer outra. Após ser contemplado, o cotista deve apresentar uma série de comprovantes para ter acesso ao contrato de execução de obras.

Entre eles, será exigido um cronograma com todos os processos da obra assinado pelo engenheiro responsável. Em seguida, o crédito será liberado conforme o avanço de cada etapa da reforma.

Durante esse processo, todas as fases do projeto, bem como o andamento da obra e a compra de todos os materiais necessários em sua conclusão, devem ser reportadas à administradora do consórcio. A comprovação de uso dos insumos deve ser feita por meio de recibos emitidos pela fornecedora do material, para que o crédito seja liberado sem dificuldades.

Leia também: Entenda como funciona o consórcio de serviços para reforma e decoração.

Regulamento

Ao optar por um consórcio de serviços, os cotistas se comprometem a pagar mensalmente uma parcela correspondente ao seu contrato — que será gerenciado pela administradora de consórcios. Dessa forma, todos os meses um ou mais consorciados são contemplados com o valor estipulado pelo serviço.

Em linhas gerais, o prazo de um consórcio de serviços pode ir até 30 meses, podendo variar de acordo com o contrato.

O preço pago também é outro ponto variável, afinal, ele será estabelecido conforme as necessidades de cada reforma. Entretanto, quanto maior for o prazo de pagamento, menores serão as parcelas mensais.

Para a contemplação com a carta de crédito, é importante salientar que não existe um prazo determinado. O cotista pode ofertar lances ou, ainda, esperar pelo sorteio realizado mensalmente.

Ou seja, a contemplação pode acontecer a qualquer momento em seu ciclo de pagamento. Caso não seja sorteado ou efetue lances, a contemplação acontecerá, impreterivelmente, até o último mês do contrato. Essa é uma modalidade que exige planejamento dos participantes.

Para quem esse tipo de consórcio é indicado?

Por se tratar de uma modalidade de crédito a longo prazo, o consórcio é mais útil para aquelas pessoas que não estão em estado de urgência para realizar suas reformas.

Além disso, é boa opção para quem deseja realizar um investimento seguro e mais barato. Essa é, também, uma excelente maneira de economizar, já que no consórcio não há cobrança de juros.

Quais as vantagens e desvantagens dessa modalidade?

Parcelas acessíveis

Em primeiro lugar, a facilidade de pagamento e os custos com o contrato estão entre as vantagens mais características do consórcio.

Em um investimento a médio e longo prazo, os cotistas conseguem custear suas despesas sem se submeterem a maiores dificuldades financeiras, como em um empréstimo convencional.

Taxas de juros

O consórcio de serviços é uma modalidade de autofinanciamento e, por isso, não existe a cobrança de uma remuneração pelo empréstimo de dinheiro.

O que acontece é cobrança da taxa de administração e, em alguns casos, fundo de reserva e seguro. Entretanto, essa opção ainda se mostra bastante interessante, já que os valores são consideravelmente mais baixos do que um financiamento bancário.

Sem entrada

Outra vantagem dessa modalidade é que se trata de um financiamento integral do valor necessário para a realização das reformas.

Isso significa que, para participar, os consorciados não precisam dar entrada. Contudo, é possível oferecer lances para encurtar o caminho até a contemplação.

Prazo para ser contemplado

Como falamos anteriormente, o consórcio é indicado para quem não tem pressa em iniciar as reformas. Essa modalidade pode ser comparada a um 'jogo de sorte', uma vez que, para serem contemplados, os consorciados precisam ser sorteados para ter acesso ao crédito.

Os lances, embora sejam uma alternativa para acelerar esse processo, também dependem do lance ofertado pelos outros participantes. Caso o cotista não seja contemplado no início do seu ciclo de pagamento, esse período pode durar até o final do contrato.

Porém, ao ser contemplado, o consorciado recebe a carta de crédito no valor integral e pode negociar a compra de materiais e prestação de serviços à vista. Ou seja: dá para pedir desconto.

Risco de inadimplência

Outra desvantagem do consórcio é ter em seus grupos integrantes que, por algum motivo, tornam-se inadimplentes. Enquanto no financiamento esse risco é potencializado pela alta das parcelas em função da taxa de juros, o consórcio não está livre desse desafio.

Por isso, é fundamental pesquisar as empresas que oferecem esse serviço e contar com quem realmente está consolidado no mercado.

Caso aconteça uma gestão inadequada, o consórcio pode acabar afetando diretamente o consorciado que está em dia. Em situações mais graves, por exemplo, a administradora pode entrar em falência, perdendo todo o investimento já empregado pelos demais cotistas.

Nesse cenário, vale acompanhar o montante acumulado pelo grupo para "Fundo de Reserva". Esse valor será utilizado na contemplação quando o fundo comum for comprometido.

Quais os cuidados antes de contratar um consórcio para reformar a casa?

Antes de se decidir pela contratação de um consórcio, é indispensável que seja feita uma análise criteriosa de todos os aspectos envolvidos: administradora, prazos, valores, obrigações, fraudes e muito mais.

Para evitar qualquer tipo de problema, pesquise com cuidado sobre a administradora escolhida. O primeiro passo é verificar o registro junto ao Banco Central do Brasil.

Este é o órgão responsável pela fiscalização de todas as administradoras de consórcio e, por meio dele, é possível observar quais são as principais empresas de acordo com o ranking. Confira as autorizações para funcionamento e a sua reputação diante dos consumidores que adquiriram o serviço anteriormente.

Para concluir, o consórcio para reformar a casa se trata de um investimento como outro qualquer e, por isso, deve ser avaliado com cautela. Após tomar a sua decisão, leia atentamente todas as cláusulas do contrato, especialmente sobre seus direitos e deveres, o prazo e os valores para saldar o seu débito. Por fim, tome sua decisão com base nisso tudo.

Saiba mais: 7 coisas que você precisa saber antes de entrar em um consórcio.

O que achou deste texto? Caso ele tenha sido útil, não deixe de assinar a nossa newsletter. Dessa forma você receberá novos conteúdos como este que te ajudarão a se beneficiar com as diversas possibilidades de um consórcio!

Consórcio de Serviços
Gostou do nosso post? E que tal saber mais sobre as nossas novidades em tempo real? Siga-nos nas redes sociais e veja tudo na sua timeline. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, além de um canal incrível no YouTube.
chat Eva