As perguntas mais frequentes sobre consórcio

As perguntas mais frequentes sobre consórcio

O consórcio já se consolidou no Brasil como a principal forma de parcelar o seu bem de alto valor. Em mais de 50 anos de existência, o consórcio possibilitou que milhões de pessoas pudessem realizar o sonho de comprar um novo carro, uma casa, apartamento ou até bens de menor valor, como eletrodomésticos e moto.

Com o passar dos anos, a categoria se modernizou. Com isso, foi possível realizar diversos serviços por meio da carta de crédito. Pelo consórcio, você não precisa dar entrada ou pagar juros, como acontece no financiamento. É você que determina o bem que deseja comprar, escolhe o valor total da carta de crédito, que representa o valor total do bem, e define até mesmo a quantidade das mensalidades.

Cada vez mais o brasileiro tem escolhido o consórcio como opção de compra do seu bem. Para se ter uma ideia, uma em cada 5 compras de imóveis é feita com o consórcio, segundo levantamento da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC).  

Isso porque, quando se analisa as suas vantagens, fica nítido: o consórcio permite planejar a sua compra, sem fazer com que gaste mais do que o dobro para o pagamento a prazo, como acontece com o financiamento.

Para que você conheça melhor como funciona a categoria, vamos responder as perguntas mais frequentes sobre consórcio. Aproveite para tirar todas as suas dúvidas e já organizar as suas finanças para investir o quanto antes na realização dos seus sonhos.

O que é um consórcio?

O consórcio nada mais é do que uma forma de investir em um bem de alto valor em grupo. Diferentemente de outras modalidades, você não sai com o bem na hora. Ao iniciar um consórcio, você começa a integrar um grupo, que reúne outras pessoas que têm interesse em comprar um bem ou serviço semelhante ao seu.  

Cada integrante é tido como consorciado, afinal, eles estão dentro do sistema do consórcio e contribuem para que possam comprar o seu bem.

Como compromisso, cada consorciado deve pagar a sua mensalidade corretamente. Somente a contribuição de cada um permite que o grupo tenha o valor do fundo comum, que fica responsável pelas contemplações.

Todos os meses, os grupos realizam as assembleias de consórcio, que possibilitam as contemplações. Pelo consórcio, você pode ser contemplado com o seu bem de duas formas: com os sorteios, que podem acontecer tanto nos primeiros quanto nos últimos meses; ou com a oferta de lance, que é um valor a mais que cada consorciado pode tentar, com o objetivo de antecipar sua contemplação. Pelo lance, o maior valor define o vencedor - porém, existem diversos tipos de lance, que iremos explicar com detalhes ainda neste artigo.

Ao ser contemplado, você precisa passar por uma análise de crédito para, então, ter a carta de crédito disponível para a compra do bem que selecionou.

Como fazer um consórcio?

O consórcio se destaca como uma das modalidades mais flexíveis para os consumidores. Por isso mesmo, é muito fácil iniciar o seu consórcio.

Antes de tudo, você precisa escolher uma administradora que tenha credibilidade e, principalmente, autorização do Banco Central do Brasil (Bacen). Pelo site da administradora, é possível fazer a simulação do bem que deseja comprar.

Escolha o que deseja comprar e, depois disso, você precisa selecionar o valor equivalente para esta compra - no caso, a escolha da carta de crédito.  

Isso porque, pelo consórcio, você não investe em um bem em específico, mas no valor necessário para a compra do bem. Somente ao ser contemplado você decidirá que bem quer comprar, contanto que seja da mesma categoria que selecionou. Por exemplo, se você escolher um consórcio de automóveis, só pode usar o dinheiro da carta de crédito para a compra de um carro. Vale o mesmo para as demais categorias.

Cada categoria tem um limite próprio de carta de crédito, que pode ser escolhido no momento da simulação. Depois disso, você precisa inserir a quantidade de mensalidades que deseja pagar pelo bem.

O simulador é um mecanismo bem dinâmico e permite saber o valor da mensalidade, já com acréscimo das taxas de consórcio. Vale lembrar que o consórcio não faz cobrança de entrada ou de juros, mas de taxa de administração, que remunera a empresa de consórcio por todos os serviços realizados, e de fundo de reserva, que serve como uma garantia diante da possível inadimplência de integrantes do seu grupo de consórcio. Caso o valor do fundo de reserva não seja utilizado, com o encerramento do grupo o valor é dividido entre todos os integrantes.

Após passar pelo processo de simulação, é preciso inserir alguns dados pessoais, para que a administradora entre em contato e consiga fechar o contrato de adesão.

Não é cobrado valor de entrada nesse processo. A administradora permite até mesmo fechar o consórcio para quem tem nome sujo, por exemplo. Só fique atento ao valor selecionado de mensalidade. A administradora pede algumas documentações e comprovação de renda: para fechar o contrato, é exigido que o valor da mensalidade do consórcio não ultrapasse 30% dos seus rendimentos mensais. Esta é uma regra estabelecida pelo Bacen, para evitar qualquer tipo de inadimplência.  

Afinal, quando um ou mais consorciados deixam de contribuir com a mensalidade, deixam os demais integrantes do grupo em risco, uma vez que a contribuição mensal das parcelas garante o valor necessário para o fundo comum, de onde saem os recursos para as contemplações.

Ao fechar o contrato com consórcio, você entra em um grupo e pode participar das assembleias, onde são feitas as contemplações.

O que é possível comprar com o consórcio?

O consórcio é a melhor forma de investir em bens de alto valor. A seguir, vamos mostrar os tipos existentes de consórcio e o que é possível comprar quando for contemplado com a carta de crédito.

  • Consórcio de automóveis: é a principal modalidade de consórcio, afinal, foi por possibilitar a compra de um carro que o consórcio se destacou há mais de 50 anos como uma das melhores formas de se ter o primeiro automóvel. Com o consórcio de automóveis, você pode investir no seu primeiro carro ou até mesmo trocar o seu modelo. É possível comprar modelos zero km ou seminovos com até cinco anos de utilização, no máximo.
  • Consórcio de imóveis: se antes era bem difícil ter o valor de entrada para a compra do seu imóvel, agora você não precisa mais se preocupar com isso. Com o consórcio de imóveis, além de ser mais acessível, você pode se organizar melhor para a compra da sua nova casa, apartamento, terreno ou até mesmo empreendimento comercial. Você pode comprar imóveis na planta ou até mesmo já decorado. Se preferir, pode comprar um terreno e construir do zero, para deixar o imóvel com a sua cara. No caso específico de consórcio de imóveis, é possível utilizar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) como oferta de lance.
  • Consórcio de moto: é a categoria com o menor valor de carta de crédito. Com o crescimento da economia colaborativa, tem crescido bastante a demanda por pessoas interessadas em comprar moto, principalmente para trabalhar com aplicativos de entrega. Com o consórcio, você pode investir em uma moto sem ter que comprometer demais o seu orçamento mensal.
  • Consórcio de serviços: por muitos anos o consórcio ficou associado à compra de um bem. Com a chegada do consórcio de serviços, porém, a categoria conseguiu se atualizar para oferecer melhores condições para quem deseja utilizar a carta de crédito para um objetivo diferente. Com o consórcio de serviços é possível investir em estudos (para pagar faculdade, pós-graduação, escola dos filhos etc), viagens (seja por diversas cidades do Brasil ou até mesmo viagens internacionais), reforma (para decorar o seu lar ou reformar completamente seu imóvei), cirurgias (estéticas, ortodônticas etc) ou até mesmo festas (incluindo festas de aniversário e até mesmo casamento).  
  • Consórcio de veículos pesados: para quem deseja investir em maquinários agrícolas ou até mesmo outros tipos de veículos, como ônibus, caminhões e carretas.

Ao selecionar uma das categorias de consórcio, você entra em um grupo com pessoas com interesses parecidos com o seu. Ao ser contemplado, você só pode utilizar o valor da carta de crédito para o tipo de bem que selecionou.  

Somente com a contemplação você utiliza a carta de crédito para o bem que deseja. A vantagem é que você tem poder de compra à vista, o que pode dar uma boa margem de negociação. Já pensou em obter um desconto de 10% em um bem que custa mais de R$ 100 mil?  

O que é uma administradora?

A administradora é a empresa responsável pelo seu consórcio. Por ser um sistema regulado pelo Bacen, é extremamente importante que, antes de fechar contrato, você pesquise sobre a administradora com antecedência. O site do Bacen traz uma listagem das administradoras autorizadas, que podem servir como referência. A Embracon, por exemplo, possui mais de 30 anos de história, ajudando milhões de pessoas a realizarem o seu sonho por meio do consórcio.

Toda administradora precisa seguir uma série de regras estipuladas pelo Bacen. Somente uma administradora autorizada pode garantir a contemplação e entrega das cartas de crédito.

As empresas de consórcio precisam ser transparentes em todo o processo. Desde o começo, deve ficar claro que nenhuma administradora pode garantir quando a contemplação será feita, seja por sorteio ou por oferta de lance. Além disso, elas devem ser regidas pelos grupos, que possuem representantes que falam em nome dos consorciados.  

Cada grupo pode estabelecer algumas regras específicas, como permitir diferentes tipos de lance em cada assembleia. Porém, todos os grupos precisam realizar o processo de sorteios e garantir que o fundo comum tenha o valor suficiente para a entrega das cartas de crédito. E, claro, permitir que cada consorciado possa fazer a sua oferta de lance.

A regulação do Bacen dá segurança aos consorciados que investem em seu bem por meio de administradoras autorizadas. Portanto, escolha muito bem a administradora em que deseja fazer o seu consórcio, para não correr o risco de cair em golpes.

O que é uma carta de crédito?

A carta de crédito é o valor equivalente ao bem que você selecionou. Logo no processo de simulação, é preciso escolher o valor de carta de crédito para adquirir o bem.

Este valor servirá como referência para a sua cota. Somente quando for contemplado você precisará se preocupar com o bem que deseja comprar.

Cada tipo de consórcio possui um valor mínimo e máximo de carta de crédito. Por exemplo, se deseja investir em um consórcio de serviços, pode escolher como valor entre R$ 15 mil e R$ 30 mil de carta. Já para consórcio de imóveis a faixa de valores é maior e pode chegar a até R$ 500 mil.

Ao ser contemplado, você tem acesso ao valor da carta de crédito que selecionou. A vantagem é que a carta possui poder de compra à vista, ou seja, é como se você tivesse com um alto valor em conta para comprar o bem que selecionou. Isso pode dar uma boa margem de negociação.

Pelo consórcio, você não precisa ter o valor certinho da carta de crédito na hora de escolher o bem. Se a sua carta de crédito tiver um valor maior que o bem, você pode utilizar até 10% do total para despesas burocráticas relacionadas ao bem, como transferência de propriedade e idas ao cartório, por exemplo. Mas, se o bem tiver um valor superior à sua carta, não se preocupe: a administradora faz a liberação da carta de crédito, e você pode negociar diretamente com a empresa ou o proprietário como pagar o valor restante.

Vale ressaltar que a carta de crédito não é depositada diretamente na conta corrente do consorciado. É preciso indicar à administradora o proprietário ou empresa responsável pelo bem, para que a administradora faça a transferência. Essa medida é necessária para que a administradora possa alienar o bem até que a cota de consórcio seja totalmente quitada.

Não é preciso ter pressa para utilizar a carta de crédito. Você pode manter o valor da carta no fundo comum da administradora até escolher o bem que deseja comprar.  

É possível que, até ser contemplado, a sua carta passe por algum tipo de reajuste. Iremos explicar como isso funciona a seguir.

Por que existe reajuste nas mensalidades?

A cada ano completado da sua cota de consórcio, a administradora faz um reajuste nas mensalidades. É importante que o consorciado saiba disso de antemão, para não ter uma experiência negativa no pagamento das mensalidades.

Este valor é cobrado para impedir que o valor da carta de crédito seja prejudicado com a inflação anual.  

O reajuste é feito da seguinte maneira: a cada aniversário da sua cota, a administradora aplica o reajuste na sua carta de crédito. Então, o valor é novamente dividido nas mensalidades.

Portanto, com o reajuste, você pode pagar a mais pelas mensalidades a seu favor - e não a favor da administradora.

Por isso mesmo, o valor da carta de crédito, ao ser contemplado, é maior que o valor que foi selecionado quando fez a simulação.

Cada tipo de consórcio segue um indexador. Por exemplo, para o consórcio de imóveis, a referência é o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), enquanto as demais categorias seguem o percentual de aumento do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Esses dois índices ajudam a acompanhar a alta de preços de imóveis e de demais produtos e serviços em toda a economia.  

Em termos práticos, funciona assim: quanto maior o aumento desses índices de um ano para o outro, mais desvalorizado o seu dinheiro pode ficar. Por isso mesmo, a fim de impedir que a carta de crédito que você selecionou fique desvalorizada, o reajuste é aplicado anualmente. Isso garante que, ao ser contemplado, você tenha os recursos suficientes para comprar o bem que havia desejado lá atrás, no momento da simulação.  

Para não ser surpreendido anualmente com os reajustes, o ideal é selecionar um valor de mensalidade já no momento de contemplação que não comprometa seus rendimentos mensais. Dessa forma, você tem uma boa margem para cada reajuste e pode se manter comprometido com as suas parcelas sem afetar seu orçamento familiar.

Como funcionam as contemplações?

As contemplações acontecem nas assembleias do seu grupo. Todos os meses, os grupos fazem sorteios e permitem a contemplação por lance de pelo menos um consorciado mensalmente.

Para participar das assembleias, é preciso estar com o pagamento em dia da sua cota de consórcio. As administradoras não permitem que inadimplentes participem das assembleias, afinal, não é justo com quem paga corretamente as mensalidades ter as mesmas chances de quem está com dívida em aberto com a administradora.

A forma mais comum de ser contemplado é por meio dos sorteios. Nas assembleias, os responsáveis pelo grupo fazem um sorteio usando a Loteria Federal. Pela Área de Clientes, é possível acompanhar as assembleias online e ter acesso ao número da sua cota.

Se não quiser esperar os sorteios, você pode tentar a oferta de lance. A oferta deve ser feita na Área de Clientes. Quanto maior o valor de lance, maiores são as chances de contemplação, afinal, o maior valor define o vencedor com o lance livre.

Se a sua proposta for a maior da assembleia, o valor de lance é debitado pela administradora e você quita as últimas mensalidades da sua cota. Mas, se outro consorciado for contemplado com o lance, sem problemas. Seu valor não é debitado e você pode tentar o lance nos meses seguintes.

Quando serei sorteado?

Nenhuma administradora pode garantir quando os consorciados serão contemplados, seja por meio do sorteio ou com o lance.

Essa regra é estipulada pelo Bacen, para garantir que as administradoras deem as mesmas chances a todos os integrantes do grupo.  

Se você estiver comprometido com as mensalidades, certamente será contemplado até terminar de pagar por sua cota. Isso pode acontecer tanto nos primeiros, quanto nos últimos meses.

Para antecipar a sua contemplação, a melhor forma é tentar o lance - que iremos explicar a seguir como funciona.

Como funciona o lance?

Como já dissemos, o lance é um valor a mais que cada consorciado pode tentar dar em sua cota com o objetivo de ser contemplado com antecedência. Pelo lance livre, que é a modalidade mais comum, o maior valor de lance define o vencedor.

A proposta deve ser feita na Área de Clientes até a data da assembleia. Não é possível ver as ofertas de outros consorciados, portanto, quanto maior o valor da sua oferta, maiores são as suas chances. Ainda assim, nenhuma administradora pode garantir em que momento o consorciado será contemplado, mesmo com a oferta de um lance.

Confira a seguir os tipos de lance do consórcio.

Lance livre

É o tipo mais conhecido de lance. Nele, o consorciado faz uma oferta dentro da Área de Clientes pelo bem que selecionou.  

Este valor deve ser de, no mínimo, 10% do total da carta de crédito. Por exemplo: se o cliente estiver investindo em uma carta de automóveis de R$ 40 mil, precisa ter pelo menos R$ 4 mil de lance. Se este valor for o maior da assembleia em que ele ofertou, ele é contemplado.

Lance fixo

Alguns grupos trabalham com a possibilidade de ofertar lance fixo. Funciona da seguinte maneira: a administradora determina um valor fechado, que corresponde a um percentual da carta de crédito.  

Se for determinado que este percentual seja de 30%, significa que os clientes que investem em uma carta de consórcio de imóveis de R$ 200 mil, por exemplo, têm que oferecer R$ 60 mil como lance.

Como critério de desempate, a administradora pode utilizar o sorteio somente com os consorciados que ofertaram o lance.  

Lance embutido

Pelo lance embutido, o cliente pode utilizar parte da carta de crédito para oferecer como lance.

Por exemplo, se o cliente estiver investindo em uma carta de crédito de R$ 300 mil para consórcio de imóveis, pode tentar o lance embutido para dar R$ 75 mil como lance. Se for contemplado, ele sai com uma carta de crédito de R$ 225 mil.

Essa possibilidade ajuda consorciados que querem ter acesso mais rápido à carta, mas não têm recursos para ofertar o lance.  

Para ter acesso ao lance embutido, porém, é preciso consultar as regras do grupo. Muitos acabam excluindo essa possibilidade para não afetar o fundo comum e prejudicar os demais integrantes.

Posso comprar um bem com valor maior que a minha carta de crédito?

Sim, pode. Ao ser contemplado, você escolhe o bem que deseja comprar - desde que seja da mesma categoria do consórcio que escolheu.

Se o bem tiver um valor superior à carta de crédito, você pode negociar diretamente com o proprietário ou empresa responsável pelo bem como pagar o valor restante, com os seus próprios recursos.

Vale lembrar que a carta de crédito tem poder de compra à vista, o que dá uma boa margem de negociação na hora de escolher o bem que deseja comprar.  

De qualquer forma, a administradora não impede a liberação da carta de crédito se o bem tiver um valor superior. E, mesmo que o valor seja inferior, não tem problemas, porque você pode utilizar até 10% da carta para despesas burocráticas ou até mesmo quitar o saldo restante da sua cota.

Quais os resultados de desistir de um consórcio?

Existem diversos motivos que podem levar uma pessoa a desistir do consórcio. Seja por conta de diminuição de renda ou até mesmo por mudança de objetivos, pode acontecer de um consorciado desistir do seu sonho.

A desistência de consórcio representa uma quebra contratual. Isso porque, para que possa funcionar, o consórcio conta com a colaboração de todos. Somente com as mensalidades devidamente pagas os grupos podem utilizar o fundo comum para prosseguir com as contemplações.

Quando um consorciado desiste de pagar por sua cota, precisa estar ciente de que pagará uma multa à administradora. Esta multa já é subtraída no cálculo do valor de devolução, que também é feito por meio de sorteios nas assembleias.

Da mesma forma que os consorciados precisam participar dos sorteios para receberem a carta de crédito, os desistentes também precisam aguardar os sorteios nas assembleias para receber o valor que contribuíram, já descontada a multa. A diferença é que o sorteio, nesse caso, é feito apenas com os consorciados desistentes. Por isso mesmo, não é possível prever quando o desistente receberá o valor.

Caso você esteja passando por algum tipo de dificuldade financeira enquanto estiver pagando o consórcio, vale a pena ir atrás de alternativas, como:

  • Redução da carta de crédito: entre em contato com a administradora para reduzir o valor da sua carta de crédito. Por consequência, as mensalidades do seu consórcio podem ficar mais em conta.
  • Transferência da cota: se você tiver algum familiar ou amigo que queira assumir a responsabilidade da dívida, pode entrar em contato com a administradora solicitando a transferência de propriedade da sua cota. É cobrado uma multa por essa transferência, porém, você pode negociar o valor com o novo consorciado. Se a cota não tiver sido contemplada, as chances de ser sorteado em um prazo menor do que se tivesse fechado um contrato do zero com o consórcio aumentam bastante.  
  • Disponibilizar a cota no mercado: a administradora também ajuda a disponibilizar a sua cota no mercado, para que seja transferida para algum interessado. Até mesmo cotas contempladas podem ser disponibilizadas, porém, é preciso seguir uma série de regras estipuladas pela administradora e pelo Bacen.

Para evitar qualquer tipo de problema posterior com a sua cota, o recomendado é ter um bom planejamento financeiro. No blog da Embracon, você pode encontrar diversas dicas de como criar uma reserva de emergência ou até mesmo organizar as suas finanças do zero.

Como funciona a devolução de valores?

Se você quiser desistir do consórcio, é preciso pagar uma multa e aguardar a contemplação das assembleias do seu grupo. Assim como existem os sorteios das cartas de crédito, as administradoras também colocam as cotas canceladas em sorteio.

Por conta disso, nenhuma administradora pode garantir ao ex-consorciado quando ele receberá a devolução integral do que investiu.  

Vale lembrar que essa regra foi alterada recentemente pelo Bacen. Antes, era preciso aguardar o encerramento do grupo para receber os valores do consórcio. Atualmente, com a participação nos sorteios, os desistentes têm a possibilidade de receber seus valores enquanto o grupo ainda está em andamento.

Ao ser contemplado com o valor a ser devolvido, a administradora analisa os seus dados e deposita o valor integral na sua conta corrente.

Posso fazer mais de um consórcio ao mesmo tempo?

É possível, sim, fazer mais de um consórcio ao mesmo tempo. Na verdade, trata-se de uma boa opção para quem deseja ter um valor de carta de crédito acima dos limites estipulados por cada categoria no processo de simulação.

Por exemplo, digamos que você queira ter R$ 200 mil para a compra de um carro de luxo. Na simulação de consórcio de automóveis, o limite é de R$ 100 mil. Para conseguir o valor necessário para a compra deste carro, você teria que investir em duas cotas de automóveis, de R$ 100 mil cada. Essa regra também se aplica a outros tipos de consórcio, como imóveis, serviços etc.

Você pode fechar esse tipo de negociação quando um especialista de consórcio entrar em contato, após o processo de simulação e fornecimento dos seus dados pessoais para a administradora.

Nesse momento, o especialista tira todas as dúvidas e pode orientar a administradora a inserir as duas cotas (ou mais) em um mesmo grupo.  

No caso de pessoas jurídicas, que dispõem de mais recursos, não só é possível comprar diferentes cotas pelo consórcio, como até mesmo investir em frotas de veículos ou até mesmo montar uma unidade com diversas cotas de consórcio imobiliário. Converse com os especialistas da Embracon, para identificar as melhores oportunidades de investimento com o consórcio.

Qual o valor ideal da parcela de consórcio?

O consórcio dá ao consumidor a liberdade de escolher o valor de carta de crédito e de mensalidade da sua cota. Por conta disso, muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre qual seria o melhor valor a ser pago pelo bem que deseja investir.

Antes de tomar essa decisão, o ideal é ter um bom planejamento financeiro. Liste todos os seus gastos em uma planilha e organize suas finanças antes de determinar qual seria o melhor valor de mensalidade do seu consórcio.

O ideal é não ter dívidas em aberto e montar a sua reserva de emergência antes de iniciar o consórcio. As administradoras não exigem esse planejamento com antecedência, porém, recomendam: afinal, quanto mais bem financeiramente preparado estiver o consorciado, melhor será sua experiência com o pagamento da sua cota.

Converse com todos os integrantes da sua família e faça a simulação do seu consórcio no site da administradora, para identificar as melhores opções. Você pode simular quantas vezes quiser, portanto, utilize bastante esse mecanismo antes de tomar a decisão do melhor valor a investir.

As administradoras não permitem que o valor da mensalidade ultrapasse 30% dos seus rendimentos mensais. Na verdade, quanto menor o impacto do consórcio no seu orçamento, melhor.

Quando sou contemplado meu bem fica alienado?

Com a liberação da carta de crédito, a administradora só efetua a transferência do valor após se certificar de que o bem ficará alienado. Isso significa que, nesse processo de compra, a propriedade do bem é compartilhada com a empresa de consórcio.

Essa medida é necessária porque, muitas vezes, o contemplado ainda mantém a dívida em aberto com a administradora.

Caso você tenha ofertado um lance e quitado a sua cota durante a contemplação, o bem fica totalmente em seu nome. Mas, se ainda manter a dívida em aberto, só terá o bem totalmente em seu nome ao terminar o pagamento da sua cota.

Por que vale a pena fazer um consórcio?

Como deu para perceber, o consórcio apresenta diversas vantagens quando comparado a outras formas de pagamento, como financiamento ou até mesmo compra à vista. A seguir, vamos destacar suas principais características:

  • Você não paga entrada: não é cobrado valor de entrada quando você inicia o pagamento de uma cota
  • Você não paga juros: diferentemente do financiamento, você não paga juros nas mensalidades. São cobradas apenas algumas taxas, que não ultrapassam 20% do total da carta de crédito.
  • Você determina o valor de mensalidade: no processo de simulação, você determina o valor da carta de crédito e a quantidade de parcelas que deseja pagar pelo bem ou serviço. Cada tipo de consórcio tem suas limitações, mas você pode simular quantas vezes quiser, até identificar o melhor valor de mensalidade que deseja pagar por sua cota.
  • Você tem tempo de planejar a sua compra: não é preciso escolher o bem que deseja comprar assim que fechar o contrato de consórcio. Até ser contemplado, você pode procurar as melhores oportunidades de compra e tomar essa decisão somente quando receber a carta de crédito.

Portanto, não perca mais tempo! Faça desde já uma simulação de consórcio e aproveite as vantagens de uma modalidade que realiza sonhos dos brasileiros há mais de 50 anos.

Simulação
chat Eva