Guia completo para fazer a sua reforma

Guia completo para fazer a sua reforma

Quando as pessoas pensam na aquisição de uma casa ou apartamento, muito provavelmente já o imaginam reformado.  

Deixar o ambiente do jeito que você deseja: das pinturas à decoração, além dos itens, cores, disposição dos móveis e, o melhor de tudo, com cara de novo, pronto para morar!

A reforma de um lar muitas vezes pode ter um custo mais elevado até mesmo do que o próprio imóvel. É preciso pensar em todos os detalhes antes mesmo de começar os primeiros gastos com a reforma de casa.

O isolamento social, consequência da pandemia de Covid-19, fez com que o brasileiro olhasse para as reformas de uma forma diferente. De acordo com pesquisa realizada pela Archademy, plataforma de arquitetura e design de interiores, houve 88% mais procura por produtos de decoração em 2020, comparado ao ano anterior.

Além disso, 55% das pessoas de maior poder aquisitivo no Brasil realizaram alguma mudança na casa ou no apartamento em que moram no período de quarentena, segundo a Consumoteca, uma consultoria voltada para padrões de consumo. Inclusive, pelo menos 39% dos integrantes da classe C também realizam algum tipo de mudança em seus lares.

Claro que existem diferenças entre uma ‘mexida’ e uma repaginada completa no lar.

Uma boa reforma exige muito mais do que um investimento em uma coisa ou outra, e pode comprometer bastante o seu orçamento.

Por que fazer uma reforma

Existem diversos motivos que fazem com que uma pessoa dê início à reforma do seu lar.

Pode começar pequeno: a compra de um cômodo, para dar um novo ar ao ambiente; ou incluir todos os cômodos de uma só vez, para dar uma repaginada total. Mas o fato é que uma reforma traz inúmeros benefícios. Um dos principais é valorizar ainda mais o seu imóvel - algo que pode ajudar bastante, principalmente para quem deseja ter uma renda extra com o imóvel ou, quem sabe, fazer uma boa venda no futuro.

Outro benefício da reforma é proporcionar melhor bem-estar a todos os integrantes da família. Quando o lar tem uma nova cara, por sinal, as pessoas tendem a fazer coisas mais criativas e até mesmo adquirir novos hábitos. Sem falar que você não precisará pensar em como deixar a casa arrumada por um bom tempo.

Mas, quando se constrói do zero o novo lar, a reforma tem um papel ainda mais crucial. Este é o momento para você deixar o lar do jeito que sempre desejou, por mais que estique um pouco mais a entrega do seu imóvel.

Mas você já sabe o que fazer antes de começar a arregaçar as mangas?  

Sim, porque uma reforma envolve muito trabalho duro, planejamento e uma série de etapas que precisam ser seguidas, para que você tenha um bom resultado final.  

Saiba como conduzir esse processo do começo ao fim neste artigo.

Passo a passo para a sua reforma

Para que a sua reforma dê certo, é preciso ter um bom planejamento. Discuta com a sua família o que realmente deseja fazer com o seu lar: quanto mais participação houver no processo, mais o lar terá a carinha de todos os integrantes, que certamente vão se comprometer com o zelo do local.

Descreva o que deseja fazer

O primeiro passo é realmente colocar no papel o que deseja fazer com a reforma.

É nesse momento que você define os locais em específico em que pretende botar a mão na massa e repaginar por completo - ou mesmo parcialmente.

Vale a pena buscar algumas referências nessa etapa. Algumas plataformas, como Pinterest, por exemplo, possuem uma série de imagens e vídeos inspiradores que podem gerar uma influência positiva em sua reforma.

Seguir decoradores, arquitetos e demais especialistas nas redes sociais também é outra forma de buscar inspiração. Claro que cada ambiente é único e tem as suas particularidades. Mas, quanto mais referências tiver, maior é a chance de fazer escolhas de bom gosto.

Defina o seu orçamento

A partir do momento que você define o que deseja fazer, fica mais fácil determinar um orçamento para a sua reforma.

Se você já tem um dinheiro guardado para essa finalidade, ótimo, já pode começar as obras o quanto antes. Mas, se ainda precisa se organizar para juntar o valor necessário, é importante ter bastante foco e não desistir assim tão fácil.

Uma boa forma de conseguir guardar este valor é destinar uma poupança especificamente para a reforma. Lembre-se que, além de cotar os profissionais, é preciso pensar no material que será utilizado, nos itens que irá comprar, entre diversos outros fatores.

Ao longo do texto, iremos apresentar todas as etapas que compõem um projeto de reforma. Isso pode ajudá-lo na difícil tarefa de determinar o quanto poderá gastar para deixar o lar do jeito que realmente deseja.

Faça a cotação de profissionais

Claro que o trabalho de uma reforma não pode ser feito somente com a ideia de uma pessoa. A contratação de profissionais, nesta etapa, vai muito além de materializar aquilo que você colocou no papel.

Além da mão de obra, é preciso analisar a estrutura, entender se a sua ideia se aplica ao orçamento que tem à disposição, sem falar nos próprios materiais - que podem ser mais caros do que você havia inicialmente orçado.

A seguir, vamos mostrar alguns profissionais imprescindíveis para a evolução da sua reforma.

Arquiteto

A grande maioria dos brasileiros que tenta fazer uma reforma em casa não busca um auxílio profissional. Isso pode gerar algumas inconsistências de elementos ou até mesmo deixar a sua obra mais cara.

A importância de um arquiteto em uma reforma é imensa. Além de ajudar a materializar tudo aquilo que você estava pensando, ele pode trazer novas referências, pesquisar os melhores fornecedores e ficar responsável por conduzir as obras do começo ao fim.

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo define da seguinte maneira a importância de um arquiteto na reforma do seu lar: “Ele tem uma formação única que o habilita a unir técnica, criatividade, funcionalidade e estética, deixando o seu imóvel mais agradável, ambientalmente sustentável e adequado às suas necessidades e ao seu orçamento”.

O valor de contratação de um arquiteto depende do tamanho dos metros quadrados do imóvel que ele irá analisar e ajudar na reforma. Faça uma cotação, pegue referências de pessoas conhecidas e valorize esse processo de reforma do seu lar. Você vai se surpreender com o resultado final.

Engenheiro (ART)

Um engenheiro que trabalha com obras precisa ter a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), para que possa executar seus serviços de engenharia, que inclui tudo aquilo relacionado à construção.  

A documentação ART garante a certificação do profissional, dando mais segurança para a condução da obra do seu lar. Portanto, ao contratar um engenheiro para analisar a planta, certifique-se de que possui essa documentação.

Somente engenheiros com esse tipo de documentação podem emitir o Laudo ART, que libera o imóvel para construção. Esse tipo de laudo é necessário, por exemplo, caso queira aumentar o cômodo de uma casa ou fazer algum tipo de mudança que possa comprometer a estrutura do imóvel. Afinal, trata-se do documento que formaliza o contrato entre o cliente e o profissional, garantindo os direitos e deveres de ambas as partes.

Dependendo do tamanho da reforma, é extremamente importante ter um profissional que faça a emissão de uma ART para o seu imóvel, até mesmo para termos de declaração legal.

Por exemplo, caso haja algum defeito na sua obra, com a emissão do ART o engenheiro se responsabiliza por qualquer tipo de prejuízo que possa ter acontecido.

Empreiteira

A empreiteira pode ser contratada para fornecer toda a mão de obra para a sua construção. Caso tenha contratado um arquiteto para acompanhar do começo ao fim a sua reforma, provavelmente este profissional terá uma boa indicação de empreiteira para dar início à obra.

Mas, se optar por contratar por conta própria, dê uma boa olhada no histórico da empresa antes de dar início aos trabalhos. Pesquise sobre as documentações e licenças com que essa empresa tenha trabalhado - principalmente o ART, que já mencionamos acima.

Entenda se a mão de obra realizada pela empreiteira é de boa qualidade: pode acontecer de terceirizar o serviço, ou ter a própria equipe de mestre de obras e ajudantes para tocar toda a reforma.

E não se esqueça de ler o contrato ao fechar com uma empreiteira: fique atento aos prazos, valores de remuneração, seguro de vida para os profissionais envolvidos e todos os materiais que serão utilizados para a condução da reforma.

Pedreiro e mestre de obras

O mestre de obras é o profissional que está na linha de frente da operação e ajuda a organizar o trabalho dos pedreiros na hora da construção.

Geralmente, é possível contratar o serviço de um pedreiro (ou mestre de obras), que trará alguns funcionários (os famosos serventes de pedreiro) para ajudá-los na hora de botar a mão na massa.

É importante contratar um profissional que seja comprometido e que participe, do início ao fim, da reforma do seu lar. Caso o serviço esteja sob supervisão de um arquiteto, provavelmente ele indicará profissionais de confiança para a tarefa mais importante da reforma: a mão de obra.

Instalações

O trabalho com as instalações é essencial na hora de uma reforma. Claro que, quando se fala em pequenas reformas, pode acontecer de não ter que mexer em nada de elétrica ou hidráulica. Mas, se você pretende dar uma repaginada total no seu lar - seja porque comprou um imóvel já construído ou porque realmente precisa mudar tudo, para dar uma nova cara - é importante ficar atento às instalações da sua casa ou apartamento.

Instalação elétrica

Parte da construção de qualquer residência, a instalação elétrica conecta a eletricidade que vem da concessionária de energia (que depende de cidade ou estado, por exemplo) e todos os eletrônicos da sua casa, incluindo os eletrodomésticos.

Quando se fala em instalação elétrica, precisamos pensar nas tomadas, na voltagem de cada uma delas e tomar muito cuidado com a tensão. Para isso, é preciso contar com um profissional, que leve em conta a norma NBR 5410 da ABNT, que trata sobre as condições mínimas necessárias para instalações elétricas de baixa tensão.

O eletricista deve levar em consideração as seguintes etapas de confecção de energia elétrica:

  • Alimentação e medição, para puxar energia do poste para dentro de casa, por exemplo;
  • Distribuição da energia para os cômodos;
  • Iluminação no ambiente da casa, que precisa estar harmonizado com o projeto de decoração;
  • Tomadas para definir os pontos de energia. É importante que o arquiteto ou decorador tenha um profissional de confiança que saiba muito bem onde puxar cada ponto, para não comprometer os elementos da decoração.

Instalação hidráulica

A instalação hidráulica envolve todo o sistema de abastecimento, distribuição e escoamento da água na sua casa ou apartamento. Trata-se de um sistema complexo e, dependendo da magnitude da obra, precisa ser levada em consideração.

Neste caso, também é necessário o trabalho de um especialista em hidráulica, para cuidar da distribuição de água na casa, conexão com a caixa d’água, redes de distribuição de água quente ou fria e até mesmo na parte de coleta de esgoto.

Um bom trabalho de hidráulica evita entupimento na conexão com o esgoto, além de contar com as caixas de limpeza e inspeção, para evitar qualquer obstrução com a rede.

Compra dos itens de casa

Obras representam a maior parte de um trabalho de decoração, mas, além da compra de materiais, é preciso pensar no que irá compor o seu ambiente.

Dependendo do momento em que você estiver na reforma, você pode se ater primeiramente ao básico ou seguir o projeto completo, que envolve a compra de novos eletrônicos e objetos que irão deixar o ambiente mais harmônico.

Como a ideia deste artigo é funcionar como um guia para quem pretende reformar desde o começo, vamos passar pelos itens básicos e os eletrodomésticos necessários assim que você realiza o processo de mudança.

Itens básicos

Quem está se mudando e precisa de dicas para o que comprar para o novo lar, vale a pena focar no essencial. Isso significa conseguir dormir, comer e realizar as suas necessidades, pelo menos em um primeiro momento.

Confira a lista de itens básicos a se considerar em uma reforma:

  • Colchão: afinal, todos precisam ter um lugar para dormir (e nem precisa ter a cama completa para isso);
  • Guarda-roupa: para não deixar as peças jogadas em um canto da casa;
  • Sofá ou cadeiras: para que todos fiquem confortáveis ou tenham momentos relaxantes no principal cômodo da casa ou apartamento: a sala;
  • TV: entretenimento é importante, e se você gosta de acompanhar a TV aberta ou até mesmo os serviços de streaming, precisa de uma televisão.

A lista ainda segue com panelas, aparelhos de jantar e acessórios diversos, para que você deixe o ambiente minimamente habitável.

Eletrodomésticos

Não adianta: eletrodomésticos são itens essenciais em todos os lares. Embora eletrodomésticos não sejam baratos, é preciso priorizar o que realmente é necessário quando você iniciar a sua reforma.

Muitas pessoas decidem escolher um jogo completo de eletrodomésticos, principalmente se o objetivo for criar um ambiente harmônico, com o mesmo jogo de cores.

Mas, para quem ainda está passando pelo processo de reforma, vale a pena priorizar os seguintes eletrodomésticos:

  • Geladeira: mesmo que você não tenha o hábito de cozinhar em casa, a geladeira é um item essencial para armazenar comidas e bebidas. Do alimento do dia a dia ao happy hour com os amigos, a geladeira é essencial em qualquer lar;
  • Fogão: se você costuma cozinhar, precisa de um fogão de boa qualidade para cocção. Se tiver forno, melhor ainda;
  • Micro-ondas: este eletrodoméstico é especialmente importante se você não tem o hábito de cozinhar bastante - ou costuma congelar seus alimentos, por exemplo, para comer de forma organizada em sua semana. Tem um preço mais em conta que o fogão, por exemplo;
  • Máquina de lavar: atualmente, as máquinas de lavar são itens indispensáveis no lar do brasileiro - a não ser que more em um apartamento que possua lavanderia compartilhada, por exemplo. Portanto, invista em um modelo que tenha a ver com a sua realidade. Não precisa comprar uma máquina que lava 15kg de roupas, por exemplo, se você mora sozinho.

Decoração

A decoração representa um estilo de vida. Portanto, tome bastante cuidado na hora de pensar em como irá deixar o seu novo lar com a reforma. Contar com o trabalho de profissionais, como arquitetos ou decoradores, pode ajudar bastante a encontrar o estilo que realmente deseja para o seu lar.

A seguir, vamos trazer algumas dicas para você deixar o ambiente da forma que realmente deseja para a sua reforma.

Defina seu estilo

A definição de um estilo de decoração pode passar por diversos processos. Afinal, inspiração não falta para que você consiga deixar o ambiente do melhor jeito para você.

Vale a pena acompanhar profissionais especializados, seja pelas redes sociais, revistas ou até mesmo programas de TV, para identificar um estilo que tenha a ver com você, com o seu espaço, que caiba no seu orçamento e, claro, agrade as pessoas que moram no mesmo lar.

Caso tenha dificuldades em encontrar um estilo para seguir, veja as dicas de profissionais e comece a pensar nas possibilidades. A pesquisa é extremamente importante neste momento: veja quais materiais fazem boas combinações, pesquise os preços e veja se cabe no seu orçamento.

A melhor forma de fazer isso é com uma planilha ou algum aplicativo que ajude na organização. Você pode armazenar imagens, criar um histórico de preços e se planejar para comprar os itens na hora certa.

Marcenaria

Definir a marcenaria pode dar um grande up na sua reforma. Para quem não sabe, a marcenaria é realizada por um profissional, o marceneiro, e serve para criar móveis e objetos com a utilização de madeira.

O bom da marcenaria é que você pode personalizar os objetos da forma que realmente deseja.

Para isso, é preciso especificar o que realmente precisa para a sua reforma e solicitar o orçamento com o marceneiro. Você pode personalizar guarda-roupa, mesas de escritório, mesas de cabeceira, armários, entre outros itens, de forma que valorize a decoração.

Pisos

Pode parecer detalhe, mas os pisos ajudam a definir a personalidade do seu lar. Cada tipo tem uma faixa de preço, que é definido por metro quadrado que será preenchido.

A seguir, vamos mostrar os tipos de pisos mais comuns para a reforma de uma casa ou apartamento:

  • Cerâmica: muito utilizado para ambientes internos e externos, é resistente à água, manchas e diferentes tipos de texturas;
  • Porcelanato: com brilho intenso e presença de texturas, o porcelanato costuma ser bastante utilizado na cozinha e no banheiro. Porém, é possível utilizá-lo em todos os cômodos, deixando uma cara mais sofisticada ao ambiente;
  • Cimento queimado: este tipo de piso tem uma aparência de inacabado e combina bastante com ambientes rústicos ou com aparência industrial;
  • Ladrilho hidráulico: é o tipo de piso que combina com variação de estampas e pode até mesmo ser produzido de forma artesanal. É feito de pó de mármore, cimento e corantes. Por conta disso, é um dos tipos mais caros de piso para se utilizar;
  • Mármore: se você deseja proporcionar tranquilidade e limpeza, o mármore pode ser o piso ideal para você. Além disso, ele mantém o ambiente mais refrigerado;
  • Granito: com aparência semelhante ao mármore (e mais barato também), o granito é uma pedra natural que traz a ideia de luxuosidade ao ambiente;
  • Laminado de madeira: o revestimento de madeira de alta densidade é fácil de instalar e deixa o ambiente mais aconchegante, com ar caseiro mesmo. Porém, é preciso tomar cuidado com umidade - algo que inviabiliza seu uso em banheiro ou cozinha, por exemplo;
  • Assoalho de madeira: também uma excelente pedida para quem quer deixar o seu ambiente com cara de caseiro. O assoalho de madeira, porém, é um dos pisos mais caros do mercado por ser feito com madeira de lei. Porém, combina com diversos estilos de decoração;
  • Piso vinílico: produzido a partir de PVC, o vinílico precisa de uma superfície muito bem nivelada antes de sua instalação. A vantagem é que este tipo de material é resistente a umidade e dificilmente pega manchas, tornando-se uma boa opção para cozinhas, por exemplo.

Acabamento

Após escolher todos os itens que são essenciais para a sua reforma, chega o momento de realizar o acabamento, que pode estender mais do que deveria, caso você não tenha montado um planejamento.

Nessa etapa entram o revestimento, as pinturas de parede, a instalação de pisos e azulejos e aplicação dos rejuntes nos pisos.

Vale lembrar que, em cada etapa, é preciso respeitar o tempo de descanso. Quando se tem profissionais realizando esse tipo de serviço em uma obra, a chance de dar certo é muito maior!  

Portanto, não tenha receio de contratar as pessoas certas para realizarem esse procedimento. Logo logo, você terá o seu ambiente decorado, da forma que sempre quis, e sem nenhum tipo de problema!

Conte com o consórcio de serviços para a sua reforma

Em momentos de pandemia de Covid-19, mais e mais pessoas têm procurado novas formas de fazer algum tipo de mudança em casa.

Seja com a adaptação de algum cômodo, ou simplesmente para deixá-lo preparado para quem trabalha no formato home office, por exemplo, não faltam motivos para que as pessoas encontrem novas formas de adaptar o seu lar.

Antes mesmo dessa necessidade existir, o consórcio já era tido como uma modalidade bastante procurada para quem deseja realizar algum tipo de reforma em sua casa, apartamento ou até empreendimento comercial.

Para esse tipo de compra foi criado o consórcio de serviços.

Assim como as modalidades tradicionais de consórcio, como automóveis e imóveis, por exemplo, o consórcio de serviços permite o investimento em uma carta de crédito, que é o valor que corresponde ao bem final. Só que, em vez de se ter um bem material como finalidade, tem-se algum tipo de serviço.

Confira os tipos de serviços que podem ser adquiridos pelo consórcio:

  • Viagens: para quem deseja realizar uma viagem nacional ou internacional fechando com agências de viagens e considerando passagem, hotel, passeios, entre outras possibilidades;
  • Estudos: para pagar faculdade, cursos de idiomas ou até mesmo especializações, como pós-graduação e MBA - seja no Brasil ou em algum país estrangeiro;
  • Decoração e reforma: para quem deseja dar uma repaginada no visual da casa, apartamento ou empreendimento;
  • Cirurgias: para a realização de intervenções cirúrgicas que incluem estética, correções ou diferentes procedimentos que não sejam cobertos por convênio médico, por exemplo;
  • Festas: para grandes comemorações, como primeiro aniversário do filho ou filha, festa de debutante, bar mitzvá ou até mesmo a organização do seu casamento.

Quando você escolhe o pagamento pelo consórcio de serviços, não precisa definir de imediato qual a finalidade. É possível fechar o contrato de um consórcio, por exemplo, e só decidir como utilizará o dinheiro quando for contemplado.

Mas, você sabe como realmente funciona o consórcio? Vamos explicar a seguir.

Passo a passo para fazer um consórcio de serviços

A primeira etapa de um consórcio é a simulação. Para isso, é preciso selecionar a administradora, ou seja, a empresa responsável pelo seu consórcio. Selecione uma empresa séria e que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para operar, como a Embracon, por exemplo, que há mais de 30 anos realiza o sonho de milhões de pessoas.

Após selecionar a administradora, basta selecionar a opção de consórcio de serviços e seguir com a simulação.

Nesse processo, é preciso preencher algumas informações pessoais. Então, você seleciona o valor da carta de crédito, que representa o total que terá disponível para a aquisição do bem ou serviço. Nessa categoria, as cartas vão de R$ 15 mil a R$ 30 mil, que podem ser divididas em até 30 mensalidades.

O simulador é um mecanismo bem dinâmico para determinar o melhor valor da mensalidade. Aproveite esse dinamismo para verificar o melhor valor da parcela, que não comprometa seus rendimentos mensais.

Para evitar qualquer tipo de inadimplência, as administradoras não permitem que o valor da mensalidade ultrapasse 30% dos seus rendimentos. Por exemplo, se você e sua família têm à disposição um valor de R$ 10 mil mensais, o valor da mensalidade não pode ser maior que R$ 3.333,33.  

Ah, e vale lembrar que a mensalidade contém, além da divisão da carta de crédito pela quantidade de parcelas selecionadas, valores como a taxa de administração, que remunera a empresa de consórcio por todos os seus serviços, e fundo de reserva, que impede que a inadimplência de alguns consorciados comprometa o fundo comum, que é responsável pelas contemplações.

Diferentemente de outras modalidades, por meio do consórcio você não sai com o bem ou serviço na hora que contrata. Após a etapa de simulação, um especialista de consórcio entra em contato para tirar todas as dúvidas e entregar o contrato de adesão. Depois disso, você é inserido em um grupo, que contém outros consorciados, e participa das assembleias mensais. Nessas assembleias, você pode ser contemplado com a sua carta de crédito de duas formas: sorteios e oferta de lances. Vamos explicar como funciona a seguir.

Direitos e deveres de um consorciado

A partir do momento que você assina o contrato de um consórcio, você se torna um consorciado.

Enquanto consorciado, você recebe um login para a sua Área de Clientes, que contém informações sobre a sua cota e as datas das assembleias, onde acontecem os sorteios e as contemplações.

Para participar das assembleias, é preciso estar com o pagamento em dia do seu consórcio. Sempre que um consorciado se compromete com as suas parcelas, está contribuindo para o fundo comum, que fica responsável por entregar todas as contemplações nas assembleias.

Geralmente, um consorciado é contemplado por meio do sorteio e um pela oferta de lance.

Todos que iniciam o pagamento de um consórcio e se comprometem com as parcelas estão elegíveis para os sorteios. Porém, nenhuma administradora pode garantir quando eles irão acontecer: pode ser nos primeiros ou até mesmo próximo aos últimos meses de pagamento da sua cota.

Por isso mesmo, caso queira ter acesso antecipado ao valor da sua carta de crédito, é preciso se organizar para fazer a oferta de um lance.

O lance é um valor a mais que você oferta em uma assembleia, com o objetivo de ser contemplado. Pela modalidade clássica, o maior valor define o contemplado.  

Para fazer a sua proposta de lance, é necessário inserir o valor na sua Área de Clientes e seguir todos os passos indicados para efetivar o seu lance. Se o seu valor for o maior, ele é debitado e quita as últimas mensalidades da sua cota. Mas, se outro consorciado for o contemplado por lance, sem problemas: seu valor não chega a ser debitado, e você pode fazer a proposta nos meses seguintes. Pode ser uma boa oportunidade para juntar um valor ainda maior e, quem sabe, ter mais chances nas próximas tentativas.

Fui contemplado, e agora?

Seja via sorteio ou via lance, o próximo passo após a contemplação é a análise de crédito feita pela administradora.

Esse processo costuma ser rigoroso, porque a administradora precisa garantir que o consorciado continuará pagando as mensalidades do consórcio mesmo após ser contemplado com a carta de crédito.

Nesse momento, é importante seguir todas as diretrizes exigidas pela administradora. Primeiramente, é preciso estar com as suas informações atualizadas e fazer uma comprovação de sua renda.

Para impedir que a carta de crédito seja afetada pela possível perda do poder de compra, a cada ano as administradoras fazem um reajuste nas mensalidades. Isso pode fazer com que a parcela fique mais cara e, consequentemente, o valor da carta de crédito seja maior, para que o valor final não seja afetado por conta dos índices inflacionários.

Por isso mesmo, pode acontecer de a mensalidade ultrapassar os 30% minimamente exigidos dos seus rendimentos mensais. Caso isso aconteça, a administradora recomenda a indicação de um devedor solidário antes de entregar a carta de crédito.

O devedor solidário compartilha a responsabilidade da dívida com o proprietário da cota e precisa entregar todas as documentações e comprovações necessárias para a administradora. Portanto, indique alguém de confiança e que esteja ciente dos riscos, caso deixe de pagar alguma mensalidade.

Caso seja aprovado, a administradora segue com todos os trâmites para liberar o uso da carta de crédito para a aquisição do serviço que deseja..

Como utilizar a carta de crédito para reforma

A contemplação é o momento mais importante para o consorciado, porque finalmente pode utilizar o valor da carta de crédito para a compra do serviço que tanto deseja.  

Para o caso de uma reforma, por exemplo, é possível utilizar o valor da carta de crédito para cobrir a maioria dos gastos.  

A carta de crédito é o valor integral selecionado no seu consórcio (ou maior, caso sua cota tenha passado por algum tipo de reajuste anual). Ela possui poder de compra à vista, o que pode facilitar uma boa negociação com fornecedores e profissionais envolvidos em toda a reforma.

Porém, a administradora não faz o repasse do valor para a conta do consorciado. No caso de consórcio para reforma, por exemplo, é preciso indicar todos os fornecedores e profissionais, para que a própria administradora faça as devidas transferências.

Por isso mesmo, para o seu consórcio de reforma, solicite as notas fiscais de todos os custos: com arquitetos e engenheiros, com a loja com a qual fechará a compra dos materiais para a construção ou, se preferir, com uma empresa que fique responsável por toda a execução do serviço, do início ao fim.

Se o valor da sua carta de crédito for maior que a soma de todos os serviços, é possível utilizar o saldo restante para quitar parte do saldo devedor com a administradora.

Mas, se o valor for insuficiente, não tem problema: você pode completar com os seus próprios recursos o que for necessário para a execução de toda a reforma.

Caso o valor da cota seja insuficiente para a reforma que você realmente precisa para a sua casa ou apartamento, você pode investir em mais de um consórcio.  

Mas, como fazer isso?  

Por exemplo, digamos que você tenha feito um orçamento e descobriu que precisaria de R$ 50 mil para deixar o seu lar do jeito que realmente deseja. Nesse caso, basta investir em duas cotas de R$ 25 mil cada. Porém, é preciso ficar atento ao valor das mensalidades: a soma das parcelas das duas cotas não pode ultrapassar 30% dos seus ganhos mensais (incluindo o valor de todos os membros da família).

E aí, ficou interessado em contar com o consórcio para fazer a reforma dos seus sonhos? Faça uma simulação e aproveite os benefícios de uma modalidade que não exige valor de entrada, não cobra juros e, o melhor de tudo, dá liberdade para que o consorciado determine o valor da carta de crédito e a quantidade de parcelas que deseja pagar.

Simulação
chat Eva