Quais as principais dúvidas sobre consórcio?

Quais as principais dúvidas sobre consórcio?

O consórcio é uma modalidade de compra de bens de alto valor que já existe há mais de 50 anos. Foi criado no Brasil, em um momento em que as pessoas tinham dificuldade de acesso ao crédito para a compra de um automóvel.

Com o passar dos anos, as instituições financeiras e as administradoras de consórcio se modernizaram e passaram a permitir a compra de uma série de bens, seja por meio da concessão de crédito, empréstimo ou com o consórcio.

Mas, o que faz o consórcio ser considerado por tantas pessoas na hora de comprar um bem? Bom, essa é uma das muitas dúvidas que as pessoas têm quando o assunto é consórcio.

Em busca de esclarecer cada vez mais este sistema, que tem ajudado milhões de pessoas a realizarem seus sonhos, vamos tirar as principais dúvidas a seguir.

O que é o consórcio?

O consórcio é uma forma de permitir a compra de bens de alto valor de forma parcelada. Você não precisa ter crédito liberado ou valor de entrada para começar o seu consórcio.

Na verdade, trata-se de um modelo de autofinanciamento, em que a contribuição de cada consorciado é essencial para as contemplações. Trata-se de um investimento feito em grupo: ao fechar um contrato de consórcio, a administradora responsável faz a sua integração em um grupo, que reúne outras pessoas com interesses parecidos com o seu. Por exemplo, se você deseja investir na compra de um automóvel, estará em um grupo em que as pessoas muito provavelmente investirão sua carta de crédito para comprar um carro.

Pelo consórcio, você define o valor do bem que deseja comprar: para isso, basta selecionar o valor de carta de crédito de acordo com as limitações de cada bem. Se deseja investir em um consórcio de imóveis, por exemplo, pode selecionar uma carta de crédito de até R$ 500 mil.

Depois do processo de simulação, você fecha o contrato com um especialista, que vai explicar como funciona a categoria. Então, você entra em um grupo e pode ser contemplado por sorteio ou com a oferta de um lance, que é um valor maior que cada consorciado pode tentar nas assembleias com o objetivo de antecipar sua contemplação.

Ao ser contemplado, você tem acesso à carta de crédito, que dá poder de compra à vista para o seu bem. Ou seja, se você for contemplado com a carta de R$ 500 mil para a compra de um imóvel, por exemplo, pode negociar a compra com este valor, como se estivesse pagando à vista. Por conta de tudo isso, o consórcio se apresenta como a forma mais vantajosa de parcelar o valor de um bem, porque você não paga juros e ainda tem o benefício de comprar um bem como se fosse uma compra à vista.

O que é e como funciona a simulação de consórcio?

A simulação é a primeira etapa para iniciar o pagamento de um consórcio. Primeiramente, você deve escolher uma administradora de consórcio - como a Embracon, por exemplo - e selecionar o bem em que deseja investir.

As administradoras possuem um mecanismo chamado simulador de consórcio. Com o simulador, você consegue identificar o valor do bem que deseja comprar, o valor das mensalidades do seu consórcio e a quantidade de mensalidades para quitar a sua cota.

Pela Embracon, o primeiro passo é escolher o bem e selecionar o valor que deseja da carta de crédito. A carta de crédito equivale ao valor a prazo do bem que você deseja comprar. Em seguida, você precisa selecionar a quantidade de mensalidades que deseja dividir.

Automaticamente, você tem o retorno do valor que pagaria de mensalidade, já com a inclusão das taxas de consórcio. Você pode tentar a simulação quantas vezes quiser. Para que você consiga aproveitar melhor esse mecanismo que facilita bastante a aquisição de um consórcio, a administradora pede alguns dados pessoais para que, posteriormente, um especialista de consórcio possa entrar em contato para tirar todas as dúvidas e até mesmo fechar o contrato para a sua cota.

O que é possível comprar com consórcio?

O consórcio é voltado para a compra de bens de alto valor. Com o passar dos anos, a categoria passou a oferecer uma série de produtos - e, inclusive, serviços. A seguir, vamos mostrar as opções do que é possível comprar com o consórcio

Consórcio de automóveis

A opção mais procurada pelas pessoas que querem começar com o consórcio é a possibilidade de comprar um carro.

Com o consórcio, é possível comprar veículos zero km ou até seminovos - contanto que não tenham mais de cinco anos de utilização.

Ao receber a carta de crédito, você pode utilizar o valor como se fosse pagar à vista, o que pode dar um baita desconto na negociação.

Caso tenha interesse em trocar de veículo, você pode contar com a opção Troca de Chaves, em que é possível avaliar o seu usado e dar como lance.

Consórcio de moto

Com o consórcio, você também pode investir em um novo modelo de moto. Seja para passar, para trabalhar ou até mesmo somente para viagens, o consorciado tem total autonomia para usar a carta de crédito na hora em que for contemplado.

Consórcio de imóveis

Um dos maiores sonhos do brasileiro é conseguir comprar a casa própria. E, para isso, o consórcio se apresenta como uma das formas mais vantajosas desse tipo de compra.

Com o consórcio de imóveis, você pode investir em seu novo lar de diferentes formas. Veja como você pode utilizar a carta de crédito ao ser contemplado:

  • Compra de uma nova casa: para quem tem o sonho de ter a casa dos sonhos;
  • Compra de um apartamento decorado: também é possível investir no apê que você sempre quis. Veja qual tem mais a ver com você e realize o seu sonho.
  • Compra de um apartamento na planta: é possível aproveitar boas oportunidades em comprar um apartamento na planta. Vale lembrar que, nesse tipo de compra, você pode ter uma economia de mais de 20% em seu imóvel. Confira as opções disponíveis quando for contemplado, para que faça um bom negócio.
  • Compra de um terreno: para quem deseja construir a casa do zero ou até mesmo um empreendimento comercial, a compra de um terreno pode ser um ótimo investimento.
  • Compra de um empreendimento comercial: uma forma de ampliar seu patrimônio com o consórcio de imóveis é investir em um empreendimento.

Na opção de consórcio de imóveis, você pode utilizar os seus recursos do FGTS para dar o lance. Para isso, basta coletar uma assinatura do gerente da Caixa em seu comprovante e inserir como lance na Área de Clientes.  

Consórcio de serviços

Por muitas décadas o segmento de consórcio ficou conhecido por possibilitar a compra de um bem. A fim de se modernizar e permitir a aquisição de outros tipos de produtos, o segmento passou a trabalhar com o consórcio de serviços.

Os valores de carta de crédito chegam a até R$ 30 mil, permitindo a compra de:

  • Viagens: para quem deseja comprar pacotes de viagem, fazer um mochilão ou agendar com a família toda um passeio pelo Brasil ou para algum país estrangeiro.
  • Estudos: também é possível investir em cursos especializados, faculdade, pós-graduação, mestrado, cursos de idiomas, cursinhos para entrar no vestibular, enfim, qualquer tipo de investimento em educação, seja para conhecer uma habilidade nova ou se aprimorar em sua profissão.
  • Reforma: para dar aquela reforma na sua casa ou apartamento, este tipo de consórcio permite a compra de materiais, pagamento de mão-de-obra, ou seja, tudo para que a sua reforma ou decoração seja feita da melhor maneira possível, da forma que você planejar.
  • Festas: para festas de aniversário, comemorações de resultados da sua companhia ou até mesmo a organização do seu casamento.
  • Cirurgias: para quem deseja fazer qualquer tipo de cirurgia estética, desde tratamentos ortodônticos a procedimentos estéticos.

Você não precisa decidir que tipo de serviço realizar no momento em que seleciona o consórcio de serviços. Somente ao ser contemplado você define como utilizar a carta de crédito. Isso significa que, para qualquer uma das possibilidades acima, basta selecionar o consórcio de serviços; assim, você só se preocupa em utilizar a carta da forma que desejar quando for contemplado.

Consórcio de veículos pesados

Por muito tempo, o consórcio permitiu que pessoas jurídicas pudessem trocar maquinários agrícolas ou até mesmo investir em automóveis mais específicos - quem sabe até mesmo investir em frotas inteiras.

Com a criação do consórcio para veículos pesados, ficou mais fácil comprar caminhão, carreta, ônibus, vans ou até mesmo maquinário agrícola.

Para conseguir comprar esses bens, o limite de carta de crédito é maior que o de um automóvel tradicional. No caso de pessoas jurídicas que tenham interesse em investir em frotas completas para a sua empresa, também é possível a partir do consórcio de veículos pesados: basta conversar com um dos especialistas da Embracon para saber como proceder nestes casos.

O que compõe a parcela de um consórcio?

A partir do momento que você realiza a simulação do seu consórcio, sabe o valor que irá pagar pela mensalidade do seu bem. Independente do tipo de bem que escolher, a parcela do consórcio é composta da seguinte maneira:

  • Divisão do valor da carta de crédito pela quantidade de mensalidades: por ser um bem a prazo, a parcela do consórcio é composta, majoritariamente, por essa divisão, que já é possível saber no momento em que se faz a simulação.
  • Taxa de administração: trata-se de um percentual aplicado diretamente no valor da carta de crédito, que também é dividido pelas parcelas. Só que, diferentemente do financiamento, por exemplo, possui uma lógica diferente dos juros. Quando se trata de juros compostos, comum no financiamento, o cálculo é feito progressivamente, ou seja, trata-se do juros do juros. Já a taxa de administração é fixada na sua carta de crédito e não altera de forma progressiva. Por isso mesmo, o juros, no financiamento, pode fazer com que o bem a prazo custe mais que o dobro de seu valor original. Na taxa de administração, que tem como objetivo remunerar a empresa de consórcio por todos os serviços realizados.
  • Fundo de reserva: serve como garantia em casos de inadimplência em um grupo. Por exemplo, quando você começa a pagar pelo consórcio e entra em um grupo, é necessário que todos os consorciados se comprometam com as mensalidades, para que o fundo comum tenha o valor necessário para as contemplações. Caso um ou mais consorciados deixem de pagar pela mensalidade, o grupo tem como recurso o valor de fundo de reserva para utilizar como cobertura nestes casos. Caso este valor não seja totalmente utilizado, as administradoras somam este valor, dividem entre todos os integrantes e realizam a devolução do fundo de reserva aos consorciados com o término do grupo.

Como funcionam os reajustes nas mensalidades?

Sempre que a sua cota de consórcio completa aniversário, passa por um reajuste. Esse reajuste é necessário para proteger o poder de compra do consorciado, e não em benefício da administradora.

Mas como um valor a mais na parcela pode ser usado como ‘proteção’? Iremos explicar.

Quando você faz uma simulação de consórcio pelo site da administradora, tem como parâmetro de carta de crédito um valor factível para a compra do bem. Por exemplo, se coloco R$ 300 mil como carta para a compra de um imóvel, imagino que este valor seja o suficiente para a compra de uma casa ou apartamento no momento em que fiz a simulação.

Porém, não podemos esquecer que o dinheiro passa por um processo de correção a cada ano. É para isso que existe a inflação, não é verdade? E, para cada tipo de setor, existe um indicador que influencia na subida ou queda de preços a cada ano. No caso do imóvel, por exemplo, o índice mais utilizado é o IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado). Já para os demais bens, o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) é o parâmetro de precificação.

Por isso, a cada aniversário anual da sua cota, ela passa por um reajuste levando esses índices em consideração. O reajuste é aplicado diretamente no valor total da carta de crédito e dividido pelas mensalidades.  

Dessa forma, quando você for contemplado com o valor que era de R$ 300 mil há alguns anos, por exemplo, terá à disposição um valor maior, que vai permitir a compra do imóvel que você tanto queria. Ou seja, você paga mais a cada ano para ter à disposição uma carta de crédito que seja o suficiente para o bem que você tanto quis.

O que é uma administradora?

A administradora nada mais é do que a empresa responsável pelo seu consórcio. Para operar, uma administradora precisa ter autorização do Banco Central do Brasil (Bacen), que é responsável por todo o regulamento e fiscalização do setor.

Caso tenha dúvidas em qual administradora escolher para o seu consórcio, é possível fazer uma consulta no site do Bacen.

Como sei que o consórcio é confiável?

Somente as administradoras com autorização do Bacen possuem a garantia de que você terá uma experiência positiva com o consórcio.  

Portanto, não acredite em pessoas que realizam algum tipo de abordagem por mensagens de aplicativo prometendo contemplação rápida. Nenhuma administradora pode garantir quando o consorciado será contemplado, mesmo que seja por oferta de lance.  

Para que o consórcio funcione plenamente, é preciso que os consorciados se mantenham comprometidos com as mensalidades e participem das assembleias. Caso queira ser contemplado mais rapidamente com a sua cota, o melhor a se fazer é juntar um bom dinheiro para tentar o lance.

Portanto, evite ofertas que parecem ser boas demais e confie somente nas administradoras que possuem autorização do Bacen para o seu funcionamento - como a Embracon, por exemplo, que há mais de 30 anos ajuda as pessoas a realizarem seus sonhos por meio do consórcio.

Preciso dar entrada para fazer o consórcio?

Por ser uma forma parcelada de compra de um bem, muitas pessoas têm dúvidas sobre se o consórcio trabalha com valor de entrada.

A resposta é: não, o consórcio não precisa de valor de entrada. Para iniciar o seu consórcio, o primeiro processo é passar pela simulação, para definir o bem, o valor da carta de crédito, a quantidade de mensalidades e, claro, o valor a ser pago mensalmente por sua cota.

A partir do momento que você fecha o contrato, você já sabe qual o dia do mês terá que pagar suas mensalidades. Ao se comprometer com esse pagamento, você já começa a investir em sua cota.

Caso tenha interesse em dar um valor a mais com o objetivo de ser contemplado mais rapidamente, você pode tentar o lance - que iremos explicar mais pra frente.

Quando serei contemplado?  

De acordo com as regras estipuladas pelo Banco Central, nenhuma administradora pode garantir quando o consorciado será contemplado. Isso pode acontecer tanto nos primeiros meses, quanto nos últimos meses de pagamento de sua cota.

Porém, uma coisa é certa: a partir do momento que você paga o seu consórcio, você será contemplado até a quitação total do seu bem. Portanto, escolha uma administradora de confiança para investir em um consórcio: esta é a única certeza de que você terá uma boa experiência pagando pela sua cota.

Quais são as formas de contemplação?

A contemplação é o momento mais aguardado por todo consorciado. Para isso, é preciso se manter comprometido com o pagamento das mensalidades, para que possa participar das assembleias, que acontecem mensalmente. Pela Área de Clientes, é possível acompanhar as assembleias de forma virtual. É possível ser contemplado de duas formas pelo consórcio.

Sorteios

O sorteio é a forma mais comum de ser contemplada pelo consórcio. Durante a assembleia, os responsáveis pelo grupo se organizam para que pelo menos um consorciado seja contemplado dessa forma.  

Para isso, a Embracon conta com o sistema da Loteria Federal, para garantir isonomia em todo o seu processo.  

Oferta de lance

O lance é um valor a mais que todo consorciado pode tentar, com o objetivo de ser contemplado mais rápido.  

Para isso, é preciso fazer a sua oferta pela Área de Clientes. Basta registrar o valor e a forma de pagamento e torcer para que a sua oferta seja a maior dentro da assembleia.

Quanto maior for a sua oferta, maiores são as suas chances de sair vencedor.

A seguir, vamos mostrar como funciona cada tipo de lance:

  • Lance livre: é a modalidade mais comum do consórcio. O maior valor define o lance vencedor.
  • Lance fixo: a administradora determina um valor fechado, que corresponde a um percentual da carta de crédito. Como critério de desempate, a administradora pode utilizar o sorteio somente com os consorciados que ofertaram o lance.  
  • Lance embutido: por essa modalidade, é possível utilizar parte da carta de crédito como lance. Porém, é preciso observar as regras do seu grupo, para ver se essa possibilidade está em aberto.
  • Lance quitação: é uma forma de pagar todo o restante da sua cota de uma só vez.
  • Lance com FGTS: no caso do consórcio de imóveis, você pode tentar utilizar os seus recursos do FGTS como oferta de lance. Para isso, basta entrar em contato com a Caixa, pegar o seu extrato de FGTS com a assinatura do gerente e seguir as instruções na Área de Clientes para ofertar o seu lance. Se o seu valor for efetivado, a administradora passa todas as recomendações para que você saque o valor do seu fundo de garantia e possa utilizá-lo como lance.
  • Lance Troca de Chaves: para quem deseja utilizar o seu carro como oferta de lance ao investir em um consórcio de automóveis. Assim, ele pode ser utilizado como lance e, se você for o vencedor, pode sair com a carta de crédito para a compra de um modelo zero km ou seminovo com até cinco anos de utilização.

Quando o lance é efetivado, o valor é debitado pela administradora e quita as suas últimas mensalidades de consórcio, sempre da última para a mais recente. Ou seja, com o lance, você tem chances de terminar de pagar seu consórcio antecipadamente.

Caso outro consorciado saia como vencedor, não desanime: você pode tentar quantas vezes quiser. Aproveite para juntar um valor ainda maior e, assim, aumentar as suas chances de ser contemplado.

O que é análise de crédito e como ela é feita?

A análise de crédito é uma etapa que todas as administradoras realizam antes de entregar a carta de crédito ao consorciado. Seja por sorteio ou por lance, todos os contemplados precisam passar por essa análise, afinal, é uma garantia que a administradora busca para que o consorciado se mantenha comprometido com as mensalidades do consórcio mesmo após receber a carta de crédito.

Nesse momento, a administradora solicita toda a documentação e comprovação de renda por parte do consorciado. É preciso que as informações pessoais estejam atualizadas em sua Área de Clientes e entregar uma série de documentos pessoais, como RG, CPF, holerite, entre outros.

As administradoras também consultam a situação do consorciado nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, a fim de identificar status de bom pagador. Caso o contemplado tenha o nome sujo, não pode ter sua carta de crédito liberada.  

Além disso, a administradora analisa novamente o valor das mensalidades e os rendimentos mensais do consorciado. Se, com os reajustes, o valor da parcela tiver ultrapassado os 30% de rendimentos mensais, é solicitada a indicação de um devedor solidário, que irá compartilhar a responsabilidade da dívida com o proprietário da cota. O devedor solidário é uma espécie de avalista, que precisa entregar todas as documentações pessoais e estar ciente de sua responsabilidade, caso haja algum tipo de inadimplência após a contemplação.

Se for aprovado, aí sim, tem direito à sua carta de crédito para comprar o bem que escolheu.

Como faço para utilizar a carta de crédito?

A carta de crédito equivale ao valor total do bem que você comprou. Ou seja, se você investiu em uma carta de R$ 300 mil para um consórcio de imóveis, significa que precisa utilizar este valor para a compra de uma casa, apartamento, terreno ou empreendimento.

Ao passar pela análise de crédito, você pode utilizar a sua carta para a compra do bem que selecionou. Para isso, é preciso indicar à administradora o proprietário ou empresa responsável pelo bem. Isso significa que o consorciado não recebe o valor na sua conta corrente assim que é contemplado.

Por outro lado, não é preciso escolher o bem que deseja comprar assim que for contemplado. Enquanto ainda não seleciona o bem, você pode manter o valor da sua carta de crédito em um fundo comum, que rende juros positivos em favor do consorciado.  

Posso fazer mais de um consórcio ao mesmo tempo?

Sim, é possível. Na verdade, é bem comum que alguns consorciados queiram pagar mais de uma cota. Isso acontece, por exemplo, quando se deseja comprar um bem com um valor maior que o limite da carta de crédito.

Digamos que você queira comprar um imóvel de R$ 1 milhão. Para isso, teria que investir em duas cotas de consórcio de imóveis, de R$ 500 mil cada (que é o limite das cartas de imóveis).  

Para que você consiga fazer mais de um consórcio, a soma de todas as mensalidades não pode ultrapassar 30% de seus rendimentos mensais. Por conta disso, trata-se de uma opção bastante procurada por pessoas jurídicas, que podem investir em frotas inteiras por meio do consórcio.

Posso fazer consórcio com nome sujo?

Sim, você pode iniciar o pagamento de um consórcio mesmo com o nome sujo. Quando você inicia o pagamento do seu consórcio, você passa por uma análise de crédito simplificada, ou seja, não existe burocracia alguma para começar a pagar por sua cota.

Nesse momento inicial, a administradora só precisa se certificar de que a mensalidade não ultrapasse 30% dos rendimentos mensais do consorciado. Nesse momento, não é realizada consulta da situação financeira nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa.

Portanto, você pode iniciar o pagamento da sua cota com o nome sujo. Porém, precisa resolver essa situação enquanto realiza o pagamento da sua cota. Isso porque, na contemplação, a administradora faz uma nova análise de crédito, só que mais rigorosa, para garantir que o contemplado continue pagando por sua cota mesmo com a carta de crédito em mãos.

Nessa etapa, a administradora faz a checagem de sua situação no SPC e Serasa. Caso ainda esteja com o nome sujo, você fica impedido de receber a carta de crédito. Por isso, aproveite o tempo em que está pagando por sua cota para resolver sua situação financeira.

É possível cancelar o consórcio?

Diversos motivos podem levar uma pessoa a cancelar o consórcio. E, sim, é possível seguir com o cancelamento, porém vale a pena considerar as consequências.

Como o consórcio conta com a contribuição coletiva para que todos tenham acesso aos seus respectivos bens, quando uma pessoa solicita o cancelamento, está realizando um rompimento contratual com a administradora. E, por isso, precisa pagar uma multa à administradora.

Para receber os valores que foram pagos, é preciso aguardar os sorteios nas assembleias. Assim como os consorciados precisam aguardar para ter acesso ao valor da carta de crédito, as pessoas que cancelam entram em um mesmo processo - no caso, um sorteio por assembleia somente com cotas canceladas.

O valor a ser recebido já tem a multa descontada. Vale lembrar que o valor a ser devolvido exclui as taxas relacionadas ao consórcio, como taxa de administração e fundo de reserva.

Caso queira evitar os prejuízos de um cancelamento, você pode considerar as alternativas.

Quais são as alternativas ao cancelamento da cota?

A seguir, vamos mostrar algumas alternativas para você que não deseja mais investir na sua cota de consórcio.

  • Transferência de cota: é possível transferir a propriedade de sua cota para uma pessoa conhecida. Para isso, é preciso que o atual proprietário pague uma taxa e seja totalmente transparente com o interessado. Você pode cobrar um valor a mais por essa transferência, se quiser. Afinal, se a cota ainda não tiver sido contemplada, as chances de ser contemplado mais rápido aumentam para o interessado.
  • Venda da cota no mercado: você pode procurar a administradora para colocar a sua cota à venda no mercado.
  • Redução do valor da carta de crédito: caso o valor da mensalidade esteja muito alto, você pode procurar a administradora para diminuir o valor da carta de crédito. Com isso, a sua mensalidade será recalculada e pode ficar mais em conta, para que continue o pagamento de sua cota.

Não tenha mais dúvidas e faça o seu consórcio

Deu para tirar todas as suas dúvidas com o nosso artigo?

Como deu para perceber, o consórcio é uma forma simples de iniciar o pagamento do seu próximo bem. Você escolhe o valor da carta de crédito e a quantidade de mensalidades para o pagamento.  

Faça uma boa organização financeira antes de decidir o valor da sua cota. Afinal, quanto menor for o impacto da mensalidade em seu orçamento, maiores são as chances de se ter uma boa experiência com o consórcio.

Portanto, não espere demais para dar o primeiro passo. Faça uma simulação agora mesmo do bem que deseja comprar e conte com a credibilidade de uma administradora que há mais de 30 anos realiza sonhos dos brasileiros.

Simulação
chat Eva