Guia completo de como comprar uma moto com consórcio

Guia completo de como comprar uma moto com consórcio

Qual a primeira coisa que vem na sua cabeça quando pensa em uma motocicleta? Em finalmente ter a liberdade de viajar com um modelo maior? Em conseguir manter uma rotina mais prática, utilizando-a para o trabalho e para a faculdade? Em ter um modelo para começar seu próprio negócio ou, quem sabe, se juntar a algum aplicativo de entrega para ganhar um dinheiro extra?

Existem diversos motivos que levam uma pessoa a querer comprar uma moto. Comparado ao carro, a moto é muito mais econômica por conta do modelo, prática, gasta menos combustível e, em cidades grandes, por exemplo, transita melhor entre os engarrafamentos.

Muito além de ser um item desejado por quem gosta de aventura e praticidade, hoje em dia a moto se tornou um instrumento de trabalho para inúmeras pessoas.

A crise sanitária da Covid-19, que levou milhões de brasileiros a ficarem em casa, de certa forma potencializou a necessidade de entrega de itens à domicílio. Afinal, muitas pessoas têm optado por receber suas compras de supermercado, entregas de itens comprados no e-commerce ou até mesmo a refeição do dia no conforto do lar, sem ter que sair de casa. Aplicativos como Rappi, iFood, Loggi, entre outros, ajudaram a consolidar um mercado autônomo que se fortaleceu bastante ao longo de 2020.

Dados da consultoria Análise Econômica mostram que houve um aumento de mais de 150% de trabalhadores informais que trabalham para esses aplicativos entre 2019 e junho de 2020.

Considerando apenas quem trabalha com aplicativos de refeição, houve um aumento de 250 mil pessoas para mais de 645 mil, ou seja, quase o triplo de aumento. Em um momento de economia retraída, em que mais pessoas ingressam no mercado autônomo por conta da diminuição da oferta de trabalho no mercado formal, há uma tendência de maior entrada de pessoas que querem ter a moto como instrumento de trabalho. Trata-se de uma possibilidade de adquirir renda e manter a saúde financeira da família mais confortável.

De certa forma, essa nova realidade afetou bastante o mercado de motocicletas. De acordo com a Fenabrave, federação que reúne distribuidores de veículos de todo o Brasil, só no mês de junho de 2020 foram vendidas mais de 85 mil unidades de motos, um aumento de 86% comparado ao mesmo período do ano anterior, quando foram comercializadas 45,8 mil unidades de motos. E, pelo menos por enquanto, esse índice tende muito a continuar crescendo.

Independente de qual seja o seu momento, o consórcio se apresenta como a melhor forma de comprar a sua motocicleta. Seja um modelo zero km ou seminova, é possível investir no seu novo veículo de duas rodas sem ter que pagar entrada e, o que é melhor, sem os juros do financiamento.

Por ser uma modalidade flexível, o consórcio atende tanto quem precisa comprar uma moto para trabalhar, como àqueles que querem um novo modelo para lazer, ou seja, para pegar a estrada e aventurar-se pelas estradas brasileiras. Existem dezenas de opções de moto no mercado, que atendem a todos os gostos e perfis de condutores.

Mas, quais são os passos para começar a investir em uma nova motocicleta com o consórcio? Vamos explicar todos os detalhes a seguir.

Como fazer um consórcio de moto: passo a passo

Diferentemente do financiamento, o consórcio não exige valor de entrada e nem cobra juros. Você não tem acesso ao bem que deseja na hora, como acontece quando você entra em contato com uma financiadora ou um banco. Porém, como vantagem, paga por um valor a prazo muito mais justo, gerando uma economia considerável a prazo. Ah, e quando é contemplado, tem poder de compra à vista, que pode facilitar uma negociação com a concessionária ou proprietário.

Mas, como faço para dar início ao meu consórcio de moto?

O primeiro passo é escolher a administradora, ou seja, a empresa de consórcio que vai garantir o bem que você deseja. O segmento é auditado pelo Banco Central do Brasil (Bacen) para funcionamento. Isso significa que, ao se deparar com uma empresa, faça uma checagem no site do Bacen, para saber se ela tem autorização para operar, entregar as cartas de crédito e se manter compromissada com o consorciado.

Ao fazer essa checagem no site do Bacen, você não corre o risco de cair em alguma fraude de consórcio. Caso você receba o contato de alguma pessoa que fale em nome da Embracon prometendo contemplação imediata ou violando alguma regra do consórcio, desconfie! Sempre passe pelo processo de contratação por meio dos canais oficiais da Embracon, para que você possa dar início a uma compra segura e tenha acesso à sua moto quando for contemplado.

Antes mesmo de você ter o modelo em mente, com o consórcio você começa a investir na carta de crédito, que é o valor equivalente à moto que você deseja. Por exemplo, digamos que você queira um modelo de 150 cc que custa, em média, R$ 15 mil. Neste caso, você pode utilizar este valor como referência para a carta de crédito, ou até um pouco mais. Por meio da Embracon, é possível utilizar até 10% da carta para a customização da sua moto.

Sabendo disso, você já pode utilizar o simulador de consórcio. Para isso, basta acessar o site da administradora e selecionar a opção consórcio de motos. Na Embracon, é possível selecionar cartas de crédito entre R$ 11 mil e R$ 20 mil, que podem ser divididos de 36 meses a 70 meses.

Para prosseguir, basta inserir os dados básicos, como nome, telefone e e-mail, para que um especialista em consórcio entre em contato posteriormente para tirar todas as dúvidas. Esses dados são importantes porque, ao entrar em contato, o especialista já saberá qual o seu interesse e como ajudá-lo de maneira mais prática e efetiva.

Ao inserir os dados, você consegue verificar o retorno dos valores a partir da carta de crédito e quantidade de meses selecionada. O valor das mensalidades é constituído da divisão da carta de crédito pelos meses, com acréscimo da taxa de administração, que serve para remunerar a empresa de consórcio pela gestão dos grupos e entrega das cartas, e fundo de reserva, que garante que todos os integrantes do grupo sejam contemplados.

Aproveite este momento para entender qual o melhor valor de mensalidade para você. Vale lembrar que, na primeira etapa de comprovação antes de fechar o contrato, a administradora pede algumas documentações para entender seus rendimentos mensais.

Nessa etapa, é determinado que o valor da mensalidade não pode ultrapassar 30% dos seus rendimentos mensais. Por exemplo, se você recebe um valor líquido por mês de R$ 4.000, o valor da mensalidade do seu consórcio de moto não pode ultrapassar R$ 1.200. As administradoras mantêm essa regra para impedir que o consorciado se comprometa demais com as parcelas e sofra o risco de ser um possível inadimplente, o que pode prejudicar bastante a saúde financeira dos grupos (que explicaremos em detalhes ainda neste artigo)

Por mais que a etapa de simulação seja importante, é no contato com um especialista de consórcio que você fecha o negócio para a compra da sua moto. Aproveite para tirar todas as suas dúvidas e leia o contrato com atenção, para não ter nenhum tipo de surpresa negativa em relação ao modelo de consórcio, como funcionam os sorteios mensais, o que é necessário se comprometer para participar, além de todos os direitos e deveres do consorciado e da administradora. Somente após essa conversa e a devida leitura do contrato você se torna um consorciado e passa a participar dos sorteios mensais.

Fechado o contrato, você participa de um grupo, que reúne outras pessoas interessadas em bens semelhantes ao seu. A seguir, vamos explicar o funcionamento dos grupos, a forma de ser contemplado por meio dos sorteios e como você pode se programar para ser contemplado de forma antecipada com o lance.

Grupo de consórcio: como funciona

Depois de fechar o contrato, você é inserido em um grupo. Um grupo reúne dezenas ou até centenas de outros consorciados que investem em um bem parecido com o seu, no caso, a motocicleta.

Cada grupo tem algumas regras específicas, que dependem dos bens que serão sorteados, pagamento dos integrantes, valor no fundo comum, entre outras particularidades. É responsabilidade da administradora ajudar na gestão do grupo, para que todos sejam contemplados mensalmente por seus bens.

Como se trata de um modelo de autofinanciamento, ou seja, são os integrantes que pagam pela contemplação dos bens, é necessário contribuir mensalmente com o pagamento da cota. Para garantir que todos estejam honrados com o compromisso, só podem participar dos sorteios mensais quem está com o pagamento em dia.

É nos sorteios mensais que o consorciado tem a possibilidade de ser contemplado com a sua moto. A contemplação pode acontecer do primeiro ao último mês. Nenhuma administradora de consórcio pode garantir quando o consórcio será contemplado por meio do sorteio.

A única forma de ter acesso à sua carta de moto de forma antecipada é fazendo a oferta de um lance. O lance é um valor a mais que você pode oferecer em uma assembleia para ter acesso à sua carta. Pelo modelo mais tradicional, se o seu valor for o maior, você é contemplado, e o valor serve para quitar as últimas mensalidades do seu consórcio.

Mas, como já dissemos, o consórcio é uma modalidade bem dinâmica. Para facilitar para os consorciados, existem diversas formas de fazer a oferta de um lance, para que mais pessoas tenham a chance de ter acesso ao bem de forma antecipada.

Como posso ofertar o lance para a minha moto?

Fazer a oferta de um lance no consórcio é bem simples. Para isso, é preciso pagar as mensalidades normalmente e fazer a oferta na Área de Clientes até 24h antes da próxima assembleia.

Nos primeiros meses, as ofertas pelo lance costumam ser mais competitivas entre os grupos. Em muitos casos, os consorciados já oferecem mais de 70% do total da carta, a fim de ter acesso antecipado à moto. Se este for o seu caso, pode ser uma boa pedida ofertar o lance o quanto antes.

Lembrando que, caso não seja contemplado, não há problema algum: é possível participar dos sorteios dos próximos meses e fazer a oferta quantas vezes considerar necessário, talvez até com um valor maior nos meses seguintes. Aproveite este momento para juntar um valor ainda maior, para aumentar as suas chances de contemplação.

Uma boa forma de se programar para o lance é observar os valores que são contemplados inicialmente. Enquanto isso, você pode se organizar para ir juntando o dinheiro para o lance à medida em que vai pagando as mensalidades do consórcio.

A grande vantagem de tentar o lance é que o valor ofertado serve para pagar as últimas mensalidades do consórcio. Ou seja, quando você é contemplado por lance, já está se adiantando para terminar de pagar por sua cota o quanto antes.

A seguir, confira as opções de fazer a oferta de um lance para a sua moto.

Lance livre

É a modalidade de lance mais clássica do consórcio. Pelo lance livre, você pode fazer a oferta do valor que desejar para ter acesso antecipado ao seu bem. O ideal é considerar, pelo menos, 10% da carta em sua oferta.

A administradora considera o maior valor calculando o percentual que o lance representa. Por exemplo, se você já pagou 10 das 30 mensalidades, o cálculo para entender qual seria o maior valor seria a oferta do lance considerando as 20 mensalidades que faltam. É a partir deste percentual do quanto falta pagar que a administradora considera os maiores valores.

Em caso de empate, a administradora utiliza outros critérios para identificar o ganhador, dependendo do grupo, quantidade de parcelas pagas, entre outros fatores.

Lance fixo

Nessa modalidade, o grupo estabelece um valor fixo, que pode corresponder a um percentual X da carta de crédito.

Ainda utilizando como exemplo a carta de R$ 15 mil, digamos que a administradora tenha estipulado pelo menos 30% da carta para entrar no lance fixo. Neste caso, seria R$ 5 mil.

No lance fixo, é mais comum termos diversos consorciados interessados em participar. Neste caso, a administradora faz um sorteio específico apenas com quem fez oferta de lance fixo. Quem for o sorteado, é contemplado.

Lance embutido

Pelo lance embutido, é possível fazer a oferta de um lance com a sua própria carta de crédito.

Digamos que você tenha investido em uma carta de moto de R$ 20 mil, mas gostaria de ser contemplado mais rapidamente. Nessa modalidade, você poderia extrair, por exemplo, R$ 5 mil da carta para utilizar como lance e, assim, ter chances de ser contemplado por meio do lance.

Se a sua oferta for a maior, o valor é descontado e você sai com uma carta de R$ 15 mil para a compra de uma moto. A modalidade é indicada para quem tem mais pressa na aquisição do bem, mas não tem recursos próprios para o lance e, para isso, considera diminuir o valor da carta.

A disponibilidade de cada tipo de lance depende das regras de cada grupo de consórcio. Pode acontecer de algum grupo estimular a oferta de lance fixo, para dar uma boa abastecida no fundo comum, ou até mesmo facilitar a aquisição via lance embutido. Tudo isso é determinado pela saúde financeira do grupo e pelo devido comprometimento de todos os integrantes.

Quando um consorciado é contemplado por meio do lance, precisa realizar o pagamento em até 5 dias úteis para a administradora, a partir da data da assembleia. Vale lembrar que o pagamento do lance não quita a parcela de consórcio do mês vigente.

Dicas para fazer a oferta de um lance

Ter a possibilidade de ser contemplado de forma antecipada costuma animar bastante os consorciados. Por isso, muitos tendem a se esforçar para fazer a sua própria oferta de lance, e não ficar totalmente dependente dos sorteios mensais.

A seguir, vamos mostrar algumas dicas de como você pode fazer para ser contemplado mais rapidamente.

Juntar dinheiro enquanto paga as mensalidades

Uma boa forma de se organizar para o lance é ir juntando aos poucos o dinheiro para tentar a sua oferta. Por isso, selecione um valor de mensalidade que não comprometa o seu orçamento mensal, para que você tenha possibilidade de juntar um valor a mais e, assim, tentar a contemplação por lance.

Aguardar o melhor momento para o lance

Se você já tiver um bom dinheiro guardado, pode acompanhar os sorteios mensais e verificar qual o percentual que geralmente leva à contemplação. De início, os maiores valores de lance costumam ser contemplados.

Caso tenha um valor significativo, já pode tentar o lance o quanto antes. Se não for contemplado, não tem problemas. Seu valor só é debitado para a administradora com a efetivação do seu lance, ou seja, você não corre o risco de comprometer seu dinheiro a cada tentativa.

Isso significa que, enquanto estiver pagando as mensalidades, você pode fazer a oferta do lance quantas vezes desejar.

Utilizar a moto como oferta de lance

Se você já tem uma moto, pode muito bem pensar em vendê-la e, assim, investir no modelo que tanto deseja.

É possível comprar modelos seminovas também, contanto que não ultrapasse dois anos de utilização.

Ao optar por dar a sua moto como lance, você precisa solicitar à administradora uma análise do seu bem. Nessa etapa, a administradora contrata uma empresa especializada para avaliar o bem e propõe uma oferta.

Se você concordar com o valor, pode tentar utilizar a sua moto como oferta de lance considerando a oferta da administradora. Se o seu valor for o maior daquela assembleia, você é contemplado. Mas, se outro consorciado ofertar um valor maior, você ainda pode tentar outras vezes - lembrando que, sempre que tentar, precisa solicitar uma análise à administradora. Essa análise tem um custo para o consorciado interessado.

Mas, se quiser vender a moto de outra forma para ter acesso ao dinheiro, também não tem problemas. Você pode fazer isso enquanto paga as mensalidades e, quando tiver com o dinheiro em mãos, pode fazer a oferta do lance.

A vantagem dessa opção é que você não fica dependente da administradora para a operação e pode utilizar o valor que conquistou com a venda da moto como bem desejar.

Como utilizar a carta de crédito para moto

Você pode ser contemplado com a sua motocicleta tanto via sorteio ou por meio do lance. Quando você começa a pagar pelo consórcio, isso pode acontecer tanto nos primeiros meses, quanto no último. Importante ressaltar que, sempre até o pagamento da última cota, o consorciado é contemplado com a sua carta de crédito.

No momento da contemplação, a administradora faz um novo processo de análise de crédito.

Primeiramente, é pedida a documentação básica, como Carteira Nacional de Habilitação (CNH), cópias de Cadastro de Pessoa Física (CPF) ou Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), comprovante de residência e comprovante de renda.

Para trabalhadores CLT, basta apresentar a carteira de trabalho com o contracheque dos últimos três meses para comprovação de renda. No caso de profissional autônomo, é preciso apresentar uma cópia da declaração do Imposto de Renda ou do DECORE (Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos) e extrato da conta corrente.

Se o cliente for um aposentado ou pensionista, será necessário apresentar o comprovante do recebimento do benefício. E, no caso do consorciado for uma empresa, deve apresentar a declaração mais recente do Imposto de Renda.

Caso a análise seja aprovada, o consorciado precisa indicar o modelo que deseja comprar com a carta e indicar o proprietário ou fornecedor. O repasse da carta é feito diretamente para a compra da moto, ou seja, não é depositado na conta do consorciado.

Um ponto que favorece bastante a carta de crédito é que ela possui poder de compra à vista. Ou seja, ao receber uma carta de R$ 15 mil, por exemplo, para a compra da moto, o proprietário receberá este valor integral. Isso pode dar uma boa margem de negociação, afinal, você não irá pagar parcelado.

Enquanto o consorciado se compromete com as parcelas, pode acontecer de haver correção nas cartas de crédito. Para impedir que a inflação anual comprometa o poder de compra da carta, as administradoras fazem correção da carta de crédito sempre no aniversário de um ano da cota. Para a moto, é considerado o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), considerado referência para acompanhar as oscilações da inflação. Assim, a carta que você havia contratado de R$ 15 mil pode ser um pouco maior na hora da contemplação.

Com este valor, você pode comprar o modelo que sempre quis. Mas, se o valor da sua moto for menor que a carta, é possível utilizar até 10% da carta para documentações, transferência de propriedade, entre outras burocracias. Porém, se o saldo for insuficiente, ou seja, a moto for mais cara que a sua carta, é possível completar com os seus próprios recursos. Nesse caso, negocie com o proprietário e avalie suas opções.

Vale lembrar que a carta pode ser utilizada em até 180 dias por parte do consorciado. Se, depois desse período, já tiver concluído o pagamento de todas as mensalidades, pode ter acesso ao valor da carta.

E se quiser uma moto mais cara que a carta de crédito?

A carta de crédito equivale ao valor a prazo de um bem que você deseja adquirir. Mas, para cada categoria de consórcio que você deseja investir, há um limite de carta de crédito.

Aliás, é importante lembrar: o valor de cada categoria serve especificamente para a categoria contratada. Se você pagar por consórcio de moto, precisa usar a carta para a compra de uma moto. Mas, se optar por uma carta de consórcio de automóveis, só pode usar este valor para a compra de um carro. Vale o mesmo para o consórcio de serviços e consórcio de imóveis.

Para o consórcio de motos, a Embracon tem como valor máximo de carta de crédito o valor de R$ 20 mil. E se quiser comprar um moto de valor superior a este, como proceder?

Na verdade, a resposta é mais simples do que parece. Para isso, basta comprar mais de uma cota de consórcio. Para cada cota, você tem o valor máximo de R$ 20 mil. Se quiser comprar um modelo de R$ 60 mil, por exemplo, pode investir em até três cotas de consórcio, de R$ 20 mil cada.

Nesse caso, é preciso ficar atento ao valor da mensalidade de todas essas cotas. Utilizando como exemplo as três cotas, que totalizam R$ 60 mil, as mensalidades de todas elas não podem ultrapassar 30% dos seus rendimentos mensais. A administradora faz o cálculo de todas essas cotas antes de fechar o contrato.

O ideal é já contratar a quantidade de cotas que deseja desde o início. Assim, a administradora tenta fazer com que todas elas estejam no mesmo grupo. Dessa forma, fica mais fácil se organizar para ter a contemplação de todas elas. Porém, vale lembrar que a quantidade de cotas por um mesmo consorciado dentro de um grupo não pode ultrapassar 10%, para dar a chance de outros consorciados se integrarem ao grupo e ter chances de adquirir o bem que desejam.

Você pode contar com os sorteios mensais ou também fazer oferta de lance. Se tiver interesse de utilizar as cartas quando tiver com todas as cotas contempladas, pode manter o seu valor no fundo comum da administradora, até chegar ao valor desejado para a compra da moto que tanto deseja.

Caso queira trabalhar com o lance, lembre-se que é preciso considerar uma cota de cada vez. Se quiser tentar o lance por todas as três cotas, precisa dividir o valor para cada uma delas. Nesse caso, o mais indicado é tentar uma de cada vez. Porque aí fica mais fácil ter uma cota contemplada e, assim, você vai mantendo no fundo, que vai rendendo até o momento em que quiser resgatar.

Quando tiver com a contemplação de todas as cotas, você pode indicar à administradora o proprietário ou empresa responsável pela venda e prosseguir com a compra - lembrando, mais uma vez, que o valor total tem poder de compra à vista.

Quais motos posso comprar com minha carta de crédito?

A maior vantagem do consórcio é que você não precisa saber de antemão qual modelo deseja comprar.

Afinal, enquanto você paga as mensalidades, muitas coisas podem mudar: suas necessidades, se deparar com alguma oportunidade de comprar um modelo melhor ou, quem sabe, adquirir uma seminova que tem tudo a ver com você.

Você só precisa chegar a essa decisão quando tiver em mãos a carta de crédito.

Com a carta de crédito, você pode adquirir qualquer modelo zero km. Nesse caso, converse com a concessionária sobre a sua oferta de pagamento com o consórcio. Dependendo da empresa, você pode obter algumas vantagens pagando com a carta, que possui poder de compra à vista.

Mas, se quiser comprar uma moto seminova, precisa acionar a administradora para fazer a avaliação do bem. Nesse caso, a moto só pode ter, no máximo, dois anos desde que foi fabricada e obedecer alguns critérios de avaliação, como estar em boa qualidade e sem nenhuma dívida atrelada.

A administradora faz essa avaliação para impedir que o consorciado utilize a carta de crédito por um modelo desgastado, que possa comprometer a experiência com o consórcio. Por isso, escolha bem o seu modelo!

Fui contemplado com a moto, e agora?

Depois que o consorciado é contemplado com a moto, precisa continuar pagando as mensalidades do consórcio.

O bem contemplado é alienado à administradora como garantia de que as demais mensalidades continuarão sendo pagas e, assim, não irá deixar o grupo em prejuízo. É exatamente por isso que a administradora mantém todo o cuidado de avaliar o bem antes de aprovar a liberação da carta de crédito.

No caso de ser contemplado por meio de um lance, o valor ofertado quita as últimas mensalidades. Ainda assim, o consorciado precisa manter o compromisso de pagar as mensalidades até a quitação total do consórcio.

No caso de contemplação via sorteio, acontece o mesmo. Com o bem alienado, o consorciado precisa se comprometer com o pagamento. Caso ultrapasse dois meses de atraso nas parcelas, a administradora pode entrar com recurso para pegar o bem contemplado de volta.

Após quitar todas as mensalidades de consórcio, a administradora cuida para fazer a transferência total do bem para o contemplado.

Por que vale a pena fazer consórcio de moto

A melhor forma de investir em um bem de alto valor, como uma moto, de forma parcelada, é com o consórcio. Você pode não sair com o bem na hora, como acontece no financiamento, mas você não precisa se preocupar em pagar por juros, fazendo com que o valor a prazo chegue a quase o dobro do que a moto realmente vale.

Com o consórcio, você paga taxa de administração e fundo de reserva, que não ultrapassam 20% do total da carta de crédito.

Além disso, o consórcio é uma modalidade bem menos burocrática. Não é preciso uma aprovação de banco ou de qualquer tipo de financeira para começar a pagar por sua cota. Só é necessário comprovar que o valor que você ganha seja o suficiente para pagar as parcelas de consórcio, ou seja, a mensalidade não pode ultrapassar 30% dos seus rendimentos mensais.

Não é necessário escolher detalhadamente o que precisa para começar a pagar. Você tem tempo de pesquisar a melhor opção para você, sem ter que ficar prestando contas a alguma instituição sobre o modelo que realmente quer adquirir.

Inclusive, você até pode começar a pagar por um consórcio de moto se estiver com o nome sujo, por exemplo. Porém, precisa regularizar a sua situação o quanto antes, para ser elegível para a contemplação. Isso porque, na hora de entregar a carta de crédito, tanto por sorteio como por lance, a administradora faz uma análise de crédito bem minuciosa, para evitar qualquer tipo de inadimplência que possa comprometer a saúde financeira do grupo.

Se você gosta de planejar as suas compras, o consórcio realmente é a melhor opção que existe. Dessa forma, você economiza um bom dinheiro e pode se preparar para fazer a oferta de um lance enquanto paga as mensalidades.

Outra vantagem do consórcio em relação a qualquer outra modalidade é seu poder de compra à vista. Isso pode gerar uma boa margem de negociação no momento da compra. Digamos que você queira comprar um modelo de R$ 22 mil, mas tem à disposição uma carta de R$ 20 mil. Com uma boa conversa, você pode negociar para utilizar a carta para a compra total. Mesmo se não der, é possível completar o valor restante com os seus próprios recursos.

Liberdade e segurança na hora da compra

Motocicletas é para quem tem espírito livre, não é mesmo?

A partir do momento que você é contemplado, você já pode utilizar a moto do jeito que realmente deseja. Porém, só deve ficar atento porque o bem se mantém alienado à administradora até a quitação total da cota. Isso significa que não é possível vender ou alterar o bem nesse período.

De qualquer forma, é o consorciado que escolhe o modelo, a quantidade de parcelas que pode pagar e quando pode utilizar a carta de crédito após ser contemplado.

Como a administradora do contrato apenas vai ficar responsável por guardar o dinheiro, para contratar o serviço basta apenas assinar a documentação de participação no grupo e pagar as prestações.

Enquanto faz o pagamento das mensalidades, também é possível contratar um seguro para as parcelas do consórcio. O seguro é uma ótima forma de se proteger contra algumas eventualidades, como a possível perda de emprego, queda de renda, entre outros fatores enquanto paga pelo consórcio.

Converse com o especialista de consórcio antes de fechar o contrato para prosseguir com a contratação do seguro e garantir o pagamento certinho das mensalidades. Também é possível abranger o seguro para que a carta seja paga em casos de invalidez total ou repassada para algum familiar em casos de óbito.

Como escolher um consórcio de moto ideal?

Após planejar o prazo de compra da sua motocicleta, procure um consórcio que se encaixe nos seus planos. O valor final precisa ser suficiente para realizar a compra da moto, mas as parcelas não podem ser mais altas que a sua capacidade de pagamento.

Para isso, a melhor forma é pesquisar uma administradora com boa reputação. Nessa pesquisa, considere a Embracon, que há mais de 30 anos realiza o sonho de milhões de pessoas que querem comprar a sua moto, carro, casa ou serviço.

Ajuste o prazo do contrato de acordo com o montante que precisa para comprar a motocicleta que deseja. Tudo isso é possível porque o consórcio é uma modalidade flexível, que favorece para que você realmente possa investir na sua moto sem ter que comprometer demais o seu orçamento.

O consórcio é uma maneira interessante de fazer uma compra programada em médio prazo, como é o caso da moto. Para os clientes que preferem fazer uma poupança com um objetivo bem específico, essa modalidade de compra é bastante eficaz, porque você já pode iniciar o pagamento enquanto guarda dinheiro para ofertar o lance.

Escolha o seu consórcio de acordo com as características e o valor da sua motocicleta. Fique atento ao pagamento em dia das parcelas para participar dos sorteios mensais e, quem sabe, você pode adquirir sua moto antes mesmo do prazo planejado!

Agora que você viu como escolher um consórcio de moto, aproveite para fazer uma simulação de consórcio e aproveitar, o quanto antes, a oportunidade de investir no modelo que sempre sonhou!
Simulação Consórcio Moto
chat Eva