8 dicas para fazer um consórcio de sucesso

8 dicas para fazer um consórcio de sucesso

Ao considerar a compra de um bem de alto valor, muitas pessoas começam a procurar pelas melhores opções do mercado.  

Embora o brasileiro tenha o costume de realizar compras de forma parcelada mesmo para coisas do dia a dia, manter uma boa saúde financeira é essencial para se conquistar seus objetivos.

Infelizmente, ainda é comum nos depararmos com uma realidade com milhões de famílias que estão endividadas por não tomarem boas decisões com o seu dinheiro. Afinal, o mero hábito de parcelar e jogar tudo para os meses seguintes gera um acúmulo de dívidas que representa um risco para toda a família - risco de diminuir seu poder de compra, de ficar com o nome sujo na praça ou até mesmo de perder qualquer tipo de garantia quando acontecem crises, como a pandemia de Covid-19, por exemplo, que fez com que mais de 60% de todos os brasileiros encolhessem suas economias, de acordo com pesquisa do Instituto Locomotiva.

Embora o sonho de ter a casa própria ou de comprar um novo carro sejam aspirações conhecidas dos brasileiros, é extremamente importante manter as finanças sob controle quando se considera a compra de um bem.

E, como o consórcio serve justamente para a compra de bens com mais de cinco dígitos, é importante ter um processo de educação financeira, para que você consiga ter uma experiência positiva.

Mas, como pensar em se organizar para ter uma boa experiência com o consórcio? Isso é mais simples do que parece. Com uma boa organização e planejamento, você vai conseguir realizar seus sonhos sem ter que comprometer seus rendimentos mensais, se endividar ou diminuir o seu patrimônio.  

A seguir, vamos apresentar 8 dicas para que você possa fazer um consórcio de sucesso.

1. Cuide bem de suas finanças pessoais

Quem já visita o blog da Embracon sabe muito bem o quanto insistimos na questão de se ter as finanças pessoais muito bem organizadas. É possível conferir dicas de como guardar dinheiro, como montar uma planilha para estruturar as suas contas ou até mesmo como dar o primeiro passo em seus investimentos.

Isso porque a forma com que você relaciona com o seu bolso é determinante para se ter uma boa experiência com o consórcio.

Se você deseja comprar um carro, uma casa ou até mesmo realizar algum tipo de serviço com o consórcio, manter a organização do seu dinheiro pode ser mais útil do que você imagina.

O primeiro passo é organizar todas as suas contas. Você pode contar com uma planilha ou até mesmo utilizar um aplicativo de finanças pessoais, como GuiaBolso e Organizze.  

Nesse processo, o importante é listar tudo o que você ganha e o que gasta. Existem modelos prontos de planilha que ajudam bastante na hora de separar por categorias os seus gastos: por exemplo, você pode distinguir o que é alimentação, despesas correntes (gás, energia, água etc), educação (cursos e faculdade), entre outros.

Quando você cria essa distinção, fica mais fácil entender o que realmente está consumindo mais do seu orçamento. Se você costuma utilizar cartão de crédito, o mais indicado é separar cada gasto na planilha - você pode colocar o cartão como forma de pagamento na sua planilha de gastos, por exemplo, mas sem deixar de listar o tipo de pagamento. Assim, você para de culpar o cartão de crédito pela sua situação financeira e compreende o que faz com que você gaste mais.

Mantenha essa prática por um bom tempo e, com a planilha mesmo, estruture o que você deseja conquistar ao longo do tempo. O ideal é separar pelo menos 10% do que ganha para realizar seus objetivos. Mantenha uma conta apartada da sua conta corrente para guardar esse dinheiro. Embora a poupança seja o caminho mais fácil, você pode abrir contas em fintechs que rendem mais de 100% do CDI, por exemplo, ou realizar algum tipo de aplicação de renda fixa, em que se tem maior previsibilidade de ganhos.

O ideal é ter uma boa organização financeira que garanta segurança para você e sua família. Considere a criação de uma reserva de emergência, para não ser duramente impactado em momentos difíceis, e elimine as dívidas que mais comprometem seu orçamento.

Caso esteja com o nome sujo, você pode renegociar. Mas, vale lembrar: diferentemente do financiamento, com o consórcio você pode iniciar o pagamento de sua cota mesmo negativado. Porém, enquanto realiza o pagamento, precisa resolver a sua situação - do contrário, você não consegue ter acesso à carta de crédito, seja por sorteio ou por lance.  

2. Descubra o que deseja comprar

Pode parecer óbvio, mas ter uma ideia do que deseja comprar é fundamental antes de dar início ao consórcio - só que com uma vantagem importante: só de se ter uma ideia do valor necessário para a compra já é o suficiente para que você inicie o pagamento de um consórcio.

Isso porque, com o consórcio, você não precisa saber de imediato o bem que deseja comprar. Funciona da seguinte forma: primeiramente, você precisa selecionar o tipo de bem que quer comprar. Com o consórcio, você pode investir em motos, automóveis, imóveis, veículos pesados ou diferentes tipos de serviços: estudos, reforma, cirurgias, viagens e até festas.

Cada categoria tem seu limite de carta de crédito, que é o valor correspondente para a compra do bem. Caso queira escolher um tipo de serviço, por exemplo, você pode contar com cartas de até R$ 30 mil. Mas, se deseja investir em um imóvel, pode contar com uma carta de até R$ 500 mil para terrenos, casas, apartamentos ou até mesmo um empreendimento.

A partir do momento que você sabe dos limites de carta de crédito (que podem ser aumentados a partir do momento que se investe em mais de um consórcio ao mesmo tempo), fica mais fácil determinar o valor necessário para o pagamento da sua cota. Tudo isso é possível com a simulação.

Para isso, basta entrar em um site de uma administradora que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para operar, como a Embracon, escolher o bem que deseja comprar e fazer a sua simulação. Após selecionar o bem, é possível escolher o valor da carta de crédito e a quantidade de mensalidades que deseja pagar. Você pode testar quantas vezes for necessário.

Leve em consideração os seus rendimentos mensais nessa etapa. Para evitar qualquer tipo de inadimplência, as administradoras não permitem que a mensalidade seja 30% maior do que os rendimentos do consorciado. Por exemplo, se você e sua família contam com rendimentos somados de R$ 10 mil, o valor da parcela não pode ser maior do que R$ 3.333,33.  

Na verdade, o ideal é que a mensalidade tenha o menor impacto possível em seu orçamento, para que não interfira em seu padrão de vida. Antes de selecionar o melhor valor para a sua parcela, converse com todos os integrantes da família e decidam, em conjunto, qual seria a quantidade e o valor ideal para o pagamento do consórcio.

Após o processo de simulação, você é contatado por um representante da administradora, que tira todas as dúvidas e entrega o contrato de adesão. Aproveite para tirar todas as suas dúvidas sobre a modalidade.  

A administradora insere você em um grupo, que reúne outros consorciados com interesses parecidos com o seu. Mensalmente, são realizadas as assembleias, onde você pode ser contemplado de duas formas: por sorteio ou com a oferta de um lance, que iremos explicar com detalhes ao longo do artigo.

3. Considere as opções existentes e compare

Diferente de qualquer outra modalidade de pagamento, o consórcio não tem burocracia para contratação e não realiza cobrança de entrada ou de juros.  

Trata-se da melhor forma de investir em um bem de forma parcelada, porque você paga por um valor a prazo mais justo. Para isso, só é cobrado valores de taxa de administração, que remuneram a empresa de consórcio por todos os serviços realizados, e fundo de reserva, que garante que o fundo comum tenha os valores suficientes para a contemplação de todos os integrantes do consórcio.  

Pelo financiamento, por exemplo, você precisa pagar os juros e dar um valor de entrada. Por mais que você tenha o acesso imediato ao bem, dessa forma você pode pagar por mais que o dobro a prazo do valor original do bem. Sem falar que, até que você conclua o pagamento do bem, ele já terá desvalorizado no período, gerando um prejuízo na transação.

Com o consórcio, você tem poder de compra à vista: ao ser contemplado com o bem e passar pela análise de crédito, você pode escolher o bem que deseja comprar e contar com a transferência imediata da administradora para o proprietário. Isso pode gerar uma boa margem de negociação na hora da compra.

4. Entenda como funciona o consórcio

Como já antecipamos, o consórcio é a melhor forma de planejar a sua compra porque não exige que você esteja altamente capitalizado para dar uma entrada, não cobra juros e permite que você planeje a sua compra.

Para aumentar as chances de fazer um consórcio de sucesso, conhecer bem como funciona esse sistema é imprescindível.  

Após o momento de simulação, você entra em um grupo, que reúne outros consorciados. Por exemplo, se você estiver investindo em um consórcio de automóveis com carta de crédito de R$ 70 mil, muito provavelmente estará em um grupo, com centenas de outros consorciados, que também têm interesse em comprar um carro numa faixa de preço próxima à sua.  

Todos os meses são realizadas as assembleias, onde acontecem os sorteios. Para participar, é preciso fazer o pagamento das mensalidades de forma correta. Afinal, quando um consorciado deixa de pagar pela sua cota, coloca em risco os demais integrantes, uma vez que o valor é destinado para o fundo comum, de onde saem os valores das cartas de crédito.

Ao ser contemplado, seja por lance ou sorteio, você precisa passar pela análise de crédito da administradora. Nesse momento, é feita a checagem dos seus dados pessoais e consulta do seu nome nos órgãos de proteção ao crédito. Além disso, a mensalidade não pode ultrapassar os 30% de seus rendimentos mensais. Caso isso aconteça, é exigida a indicação de um devedor solidário, que irá compartilhar a responsabilidade da dívida.

Todos os anos são realizados os reajustes das mensalidades. O consórcio realiza esse processo para evitar que a sua carta de crédito comprometa o seu poder de compra: quando você realiza a simulação de um valor, muito provavelmente já possui um bem em mente.  

Mas, com o passar dos anos, o mesmo bem pode ficar mais caro, por conta da inflação ou da desvalorização da moeda. Para impedir que isso comprometa seu poder de compra, anualmente a administradora faz o cálculo dos principais índices e repassa para a sua carta de crédito. Se, por um lado, a sua mensalidade é impactada, sua carta de crédito também é: no fim das contas, você tem acesso a uma carta de crédito com valor mais elevado, que vai permitir a compra do bem que tinha desejado lá no início, no processo de simulação.

5. Organize-se para um lance

Caso queira antecipar a sua aquisição do consórcio, você pode fazer a oferta de um lance pelo bem em que está investindo.

O lance é um valor a mais que todos os consorciados têm o direito de oferecer nas assembleias. Para que seja efetivado, o valor deve ser de, no mínimo, 10% da sua carta de crédito. Por exemplo, se estiver investindo em um consórcio de imóveis de R$ 300 mil, o valor mínimo para o lance é de R$ 30 mil.

O maior valor de lance define o contemplado da assembleia.

Você pode tentar o lance quantas vezes quiser. Somente o valor que foi contemplado é debitado para a administradora e quita as últimas mensalidades do seu consórcio.

Portanto, se deseja ser contemplado com antecipação, vale a pena guardar mensalmente um valor dos seus rendimentos mensais exclusivamente para tentar o lance.

Além de terminar de pagar sua cota mais rapidamente, com o lance você tem acesso à sua carta de crédito de forma antecipada e não precisa contar com os sorteios.

Uma boa dica para se organizar para o lance é estipular o valor mínimo que desejaria ofertar. Para isso, basta assinalar em sua planilha o valor mensalmente destinado para o lance em uma conta à parte. Quando tiver o valor suficiente para tentar o lance, você pode fazer a sua oferta pela Área de Clientes.

No caso de consórcio de imóveis, é possível solicitar o saque do seu FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Para isso, basta procurar a Caixa, tirar o extrato da sua conta de FGTS e solicitar a assinatura do gerente. Na Área de Clientes, você pode anexar o extrato. Caso o seu valor seja o maior da assembleia, a administradora orienta o consorciado a fazer o saque e, assim, efetivar o lance com o objetivo de ter a carta à disposição para a compra de um imóvel.

6. Mantenha sua saúde financeira

Para que você tenha uma boa experiência com o consórcio, é imprescindível que mantenha uma boa saúde financeira.

Caso tenha iniciado a sua cota com o nome negativado, por exemplo, trace um plano de ação rápido para resolver a sua situação o quanto antes. Isso porque, para entregar a carta de crédito aos contemplados, a administradora realiza um processo de análise de crédito mais rigoroso.

Ou seja, se você for contemplado, precisa cumprir todos os requisitos exigidos. As administradoras trabalham dessa maneira para garantir que os consorciados contemplados continuem comprometidos com o pagamento da sua cota. Pois, como já dissemos, o valor das mensalidades é essencial para manter o fundo comum do grupo em funcionamento. E, com o processo de análise, a administradora toma as medidas necessárias para evitar a inadimplência.

Para evitar qualquer tipo de problema, manter uma boa saúde financeira é a melhor forma de ter uma experiência positiva do começo ao fim com o consórcio. Isso significa manter o pagamento das mensalidades, estar com as contas em dia e, se possível, com uma boa reserva financeira, para prevenir de quaisquer adversidades.

7. Faça um bom negócio na hora de usar a carta de crédito  

Ao ser contemplado com a carta de crédito, finalmente você pode fazer a compra do bem que escolheu.

Use o tempo a seu favor nesse caso. Ao ser aprovado, você pode ir atrás do melhor negócio para você. Por exemplo, digamos que tenha sido contemplado com a carta de imóveis. Você sabe muito bem o tipo de imóvel que deseja, mas tem tempo para procurar a melhor região e os melhores preços. Com o consórcio, você pode manter a sua carta de crédito no fundo comum do grupo quanto tempo achar necessário. Inclusive, enquanto você não utiliza o valor, o dinheiro rende juros a seu favor no fundo comum.  

As administradoras só podem fazer a liberação integral do valor para a conta do consorciado se não tiver utilizado em até seis meses.  

Enquanto isso, você pode pesquisar o melhor negócio para você. Como a carta de crédito tem poder de compra à vista, você pode negociar diretamente com os proprietários a forma de pagamento. Quem sabe você não consegue um bom desconto dessa forma? Uma transação com 10% de desconto de um imóvel, por exemplo, pode ser bem significativa. Quanto ao pagamento, fique despreocupado: a administradora faz a transferência do valor integral para o proprietário.  

O consorciado tem total liberdade para usar a carta de crédito da forma que desejar. Se o valor da carta for maior que o bem que deseja comprar, pode utilizar até 10% da carta de crédito para despesas burocráticas relacionadas ao bem, como idas ao cartório, transferência de propriedade, entre outros.

Mas, se o valor for insuficiente para a compra, não tem problemas: a administradora não deixa de entregar a carta de crédito. Você pode negociar com o proprietário a forma de pagamento e completar a transação com os seus próprios recursos.

Aproveite essa condição para fazer um bom negócio e comprar o bem que escolheu de forma econômica.  

8. Confie no consórcio

Agora que você já conhece muito bem como funciona a categoria de consórcio, pode muito bem contar com uma forma vantajosa de adquirir o seu bem.

A escolha da administradora é extremamente importante nesse processo. Escolha uma empresa que tenha autorização do Bacen para funcionar e tenha credibilidade - como é o caso da Embracon.

Ao selecionar a carta de crédito, o tipo de consórcio que vai fazer e participar das assembleias, você conta com a certeza de uma empresa séria, que vai entregar a carta de crédito e operar de acordo com a lei.  

Nenhuma administradora pode garantir quando você será contemplado com o consórcio: isso pode acontecer nos primeiros ou nos últimos meses. Mesmo que tenha como fazer a oferta de um lance, pode acontecer de outros consorciados disporem de um valor mais elevado.  

Esteja ciente de como funciona o consórcio e confie em seu modelo. Todos os consorciados têm acesso à carta de crédito enquanto pagam as mensalidades. Caso queira maior previsibilidade para receber sua carta, se organize o quanto antes para ter um bom valor de lance. Com as finanças bem organizadas e muita determinação para atingir seus objetivos, o consórcio se torna um aliado poderoso. Você paga por um valor mais justo do bem, não vê o seu dinheiro se desvalorizar e conta com um sistema íntegro.

Para conferir os benefícios da modalidade, faça uma simulação desde já e antecipe a realização dos seus sonhos e de todos os integrantes da sua família.

Simulação
chat Eva