Consórcio: investimento ou despesa?

Consórcio: investimento ou despesa?

Muitas pessoas ainda têm dúvidas quando decidem comprar um bem de alto valor. De que forma pagar por esse bem, uma vez que os métodos convencionais, como pagamento à vista ou em cartão de crédito, se apresentam como inviáveis? 

Por conta disso, muitas delas começam a investigar qual seria a melhor forma de viabilizar esse tipo de compra - a compra de um carro, uma casa, um apartamento ou até mesmo um veículo específico, como um maquinário agrícola, por exemplo. 

Em todos esses casos, é possível contar com o consórcio para facilitar esse tipo de compra. 

Diferentemente do pagamento à vista ou do financiamento, o consórcio tem um modelo específico, mas que é regulado pelo Banco Central do Brasil (Bacen), para seu pleno funcionamento. As administradoras são as responsáveis por conduzir todo o processo do consórcio: da simulação até a entrega da carta de crédito, que é o valor equivalente ao bem que deseja comprar. 

Você não recebe o bem na hora. Ao fechar o contrato, você entra em um grupo, que reúne pessoas com interesses parecidos com o seu, e pode participar das assembleias, que acontecem uma vez por mês. As assembleias são realizadas somente entre os integrantes do grupo e têm o objetivo de definir os contemplados.  

É possível ter acesso à sua carta de crédito de duas formas por meio do consórcio: através dos sorteios ou com a oferta de um lance, que é um valor a mais que cada um pode ofertar, com o objetivo de antecipar sua contemplação. O maior valor de lance em uma assembleia determina o vencedor. 

Mas, o consórcio se apresenta como investimento ou um tipo de despesa? Antes mesmo de elencarmos os pontos, vamos explicar os detalhes sobre como funciona o consórcio

O que é e como funciona o consórcio 

O consórcio é como um autofinanciamento do bem que deseja comprar. Antes de tudo, é preciso selecionar uma administradora que possua autorização do Bacen, para evitar cair em qualquer tipo de fraude. 

Pelas regras do Bacen, nenhuma administradora pode garantir quando cada consorciado será contemplado. Seja por lance ou por sorteio, isso pode acontecer tanto nos primeiros, quanto nos últimos meses. Mas, a partir do momento que você inicia um consórcio com uma administradora autorizada, certamente você terá acesso à sua carta até o término do pagamento da sua cota. 

É possível ver uma lista no site do Bacen das administradoras autorizadas

A Embracon, por exemplo, possui mais de 30 anos de história como administradora independente, entregando milhares de cartas de crédito e ajudando as pessoas a realizarem seus sonhos. 

Depois de escolher a sua administradora, o primeiro passo é fazer uma simulação de consórcio. Antes disso, você precisa definir qual o tipo de bem que deseja comprar. É possível investir em: 

Cada categoria de consórcio tem o seu limite de carta de crédito, que é o valor equivalente para a compra do bem. Isso significa que você não precisa definir de antemão o modelo do carro ou indicar a casa que quer comprar ao iniciar o consórcio. 

Pelo processo de simulação, você determina o valor de carta de crédito e a quantidade de mensalidades em que pretende dividir o valor da sua cota. Como resultado, você já sabe qual o valor que terá que pagar de parcela, incluindo as taxas de consórcio.  

Diferentemente do juros, o consórcio não faz cobrança de entrada ou de juros. Lembrando que o juros do financiamento pode fazer com que o bem custe mais que o dobro de seu valor original. 

A parcela do consórcio inclui o valor de taxa de administração, que remunera a empresa por todos os serviços relativos ao consórcio, e o fundo de reserva, que é uma espécie de garantia adicional que a administradora coleta para evitar que a inadimplência de um ou mais integrantes comprometam os valores do fundo comum do seu grupo. 

É essencial que todos os consorciados contribuam com as mensalidades. Esses valores formam o fundo comum dos grupos, que fica responsável pelas contemplações das cartas de crédito nas assembleias. 

Por isso, quando uma pessoa deixa de pagar pelo consórcio, não pode participar das assembleias, afinal, ela representa um risco para os demais que estão comprometidos com o pagamento de suas mensalidades. 

Como funciona a contemplação do consórcio 

Como já antecipamos, você pode ser contemplado de duas formas pelo consórcio. Iremos explicar a seguir. 

Sorteios 

Todos os consorciados que realizam o pagamento de suas cotas podem ser sorteados. Existem sortudos que são contemplados nos primeiros meses de pagamento, enquanto outros podem ter que aguardar até os meses finais de sua cota para ter acesso à carta de crédito. 

Para que o processo seja conduzido de forma transparente do começo ao fim, a Embracon conta com a Loteria Federal. 

Ao ser contemplado, cada consorciado precisa passar por uma análise de crédito, para que a administradora se certifique de que o contemplado continuará comprometido com as mensalidades restantes. Para isso, é feita análise nos órgãos de proteção ao crédito, checagem de informações, verificação de rendimentos mensais, entre outros procedimentos.  

Lance 

Caso não queira aguardar o processo de sorteio, o consorciado pode contar com o recurso do lance, que é um valor a mais que pode ser ofertado pela Área de Clientes. Nenhum consorciado tem acesso aos valores ofertados pelos demais integrantes do grupo. As ofertas devem ser feitas até 24h antes da assembleia. 

Quando um lance é efetivado, a administradora faz o débito do valor proposto somente após a análise de crédito. Se o seu valor for vencedor, o débito feito quita as últimas mensalidades equivalentes do seu consórcio, sempre da última para a mais recente. Mas, se outro consorciado for o vencedor, sem problemas: o valor não é debitado, e você pode tentar o lance nos meses seguintes - uma ótima oportunidade para juntar um valor ainda maior e, assim, aumentar as chances de contemplação

A seguir, confira os diferentes tipos de lance que podem ser ofertados. 

Lance livre 

É o tipo mais conhecido de lance, em que o maior valor (ou o valor que contribui para quitação do maior percentual de cota) oferecido é o contemplado. Nele, o consorciado faz uma oferta dentro da Área de Clientes pelo bem que selecionou.  

Lance fixo 

Alguns grupos trabalham com a possibilidade de ofertar lance fixo, em que a administradora determina um valor fechado que corresponde a um percentual da carta de crédito.  

Se for determinado que este percentual seja de 30%, significa que os clientes que investem em uma carta de consórcio de imóveis de R$ 200 mil, por exemplo, têm que oferecer R$ 60 mil como lance. 

Como critério de desempate, a administradora realiza o sorteio somente com os consorciados que ofertaram o lance fixo.  

Lance embutido 

Nessa modalidade, o cliente pode utilizar parte da carta de crédito para oferecer como lance

Por exemplo, se o cliente estiver investindo em uma carta de crédito de R$ 300 mil para consórcio de imóveis, pode tentar o lance embutido para dar R$ 75 mil como lance. Se for contemplado, ele sai com uma carta de crédito de R$ 225 mil. 

Essa possibilidade ajuda consorciados que querem ter acesso mais rápido à carta de crédito, mas não têm recursos para ofertar o lance.  

Para ter acesso ao lance embutido, porém, é preciso consultar as regras do grupo. 

O que acontece após ser contemplado 

Seja por sorteio ou lance, é preciso passar pela análise de crédito. Com a devida aprovação da administradora, você finalmente pode utilizar a carta de crédito para a aquisição do bem selecionado. 

Você precisa escolher o bem que deseja comprar e indicar o proprietário à administradora. Como a carta de crédito tem poder de compra à vista, aproveite para negociar com os proprietários. Você pode obter um desconto relevante em compras desse tipo. 

Não é preciso se preocupar em utilizar o valor certinho da carta de crédito. Caso o bem tenha um valor inferior à sua carta, é possível utilizar até 10% do total da carta de crédito para despesas burocráticas, como transferência de propriedade, idas ao cartório etc. E, se o bem tiver um valor superior à sua carta, também não se preocupe: a administradora ainda faz a liberação da carta de crédito, e você pode negociar o valor restante com o proprietário, utilizando seus próprios recursos. 

Por que o consórcio é um tipo de investimento? 

Agora que você já conhece os detalhes de como funciona o consórcio, vamos apresentar todos os motivos para você encará-lo como investimento e extrair todo o seu potencial na compra do seu próximo bem. 

Você define o valor da carta de crédito 

Ter a liberdade de escolha é um dos maiores benefícios do consórcio. Já no momento da simulação, você pode selecionar o melhor valor para a carta de crédito. Se deseja comprar um carro, por exemplo, mas ainda não tem o modelo em mente, sem problemas. Certifique-se apenas de qual seria o valor necessário para ter esse bem, e você já pode iniciar todo o processo de simulação do consórcio. 

Cada categoria tem um valor mínimo e máximo de carta de crédito. Caso tenha interesse em comprar um bem superior a esses valores, você pode investir em mais de uma cota

Porém, fique atento ao impacto em seus rendimentos mensais. As administradoras não permitem que a soma das mensalidades de todas as cotas (uma ou mais) ultrapasse 30% dos rendimentos mensais do consorciado. Essa medida é auditada pelo Bacen, com o objetivo de evitar casos de inadimplência

Aproveite o dinamismo do simulador de consórcio e defina o valor mais propício para o bem que deseja comprar. 

Você define a quantidade de mensalidades 

Ainda na etapa de simulação, é você que estipula a quantidade de mensalidades do seu consórcio. Em relação ao consórcio, não é preciso se preocupar com a quantidade. Sem a cobrança de juros, você pode dividir em quantas mensalidades desejar, sempre de acordo com os seus rendimentos mensais. 

Pelo financiamento, a maior quantidade de mensalidades faz com que o bem fique mais caro, ou seja, tenha mais juros sobre juros.  

Fique despreocupado: o consórcio não tem juros e permite que você divida até o limite de cada categoria. 

Pode ajustar a compra do bem ao seu orçamento 

Por conta da facilidade da simulação, você pode fazer com que a compra do seu bem, pelo consórcio, se ajuste ao seu orçamento mensal.  

Antes mesmo de fazer o consórcio, mantenha o controle de suas finanças pessoais. Você pode utilizar uma planilha como controle, que registre todo o valor que gasta e o valor que recebe mensalmente. 

O acompanhamento das finanças por uma planilha é importante porque dá maior previsibilidade de gastos. Assim, você consegue definir qual seria o valor ideal de mensalidade, para que possua uma experiência positiva pagando por sua cota. 

Aproveite a liberdade de definir o valor da sua cota e priorize a sua saúde financeira, mesmo pagando por um consórcio. 

Pode se organizar para dar o seu lance 

Caso não queira aguardar a contemplação por sorteio, você tem tempo para organizar o valor de lance

Embora a simples oferta de lance não garanta a contemplação, vale a pena juntar dinheiro e tentar a antecipação do seu bem. Os benefícios são múltiplos: além de ser contemplado com a carta de crédito antes do previsto, você termina de pagar o seu consórcio com antecedência e, assim, o bem já fica totalmente em seu nome. 

Se outro consorciado for contemplado, não desanime: é possível tentar nos meses seguintes, dando um estímulo a mais para juntar um valor mais elevado. 

Possui poder de compra à vista 

O consórcio é a única modalidade de compra que reúne o que há de melhor na compra parcelada e à vista. Você pode dividir a sua cota em quantas mensalidades desejar e, quando for contemplado com o seu bem, tem poder de compra à vista. Isso pode gerar um desconto substancial na compra do que você realmente deseja.  

Aproveite para pesquisar bastante e converse com os proprietários do bem que deseja comprar. Uma compra à vista pode gerar até 10% de desconto em seu valor integral. Lembre-se que, com o dinheiro que sobrar da carta, é possível quitar algumas despesas burocráticas ou até mesmo pagar parte da dívida restante do consórcio

Seu bem não desvaloriza 

Quando você compra um bem pelo financiamento, por exemplo, precisa passar por um período de aprovação e entregar uma série de documentos para a liberação do valor. Então, a instituição financeira quita o bem que você deseja comprar, e define um valor para que o consumidor compre de forma parcelada.  

Portanto, ao efetivar a compra pelo financiamento, ele já sai com o bem - mesmo comprometido em dezenas de mensalidades para pagar. 

Ao terminar de pagar pelo seu bem com o financiamento, provavelmente ele já terá desvalorizado bastante

Com o consórcio, a lógica é diferente: você determina o valor necessário para a compra, e esta carta de crédito é protegida pelos reajustes anuais na mensalidade. Digamos que você queira investir em um apartamento e realiza um consórcio de imóveis. Na etapa de simulação, você imagina que o valor de R$ 300 mil, por exemplo, seja suficiente para a compra do apê que tanto deseja comprar. 

Só que, como o consórcio é um investimento a longo prazo, pode demorar até que a contemplação realmente aconteça. Com o passar dos anos, a inflação certamente irá corroer o poder de compra daqueles R$ 300 mil e, anos depois, ele pode ser insuficiente para a compra do bem que você havia imaginado. 

Para proteger o poder de compra do consorciado, as administradoras aplicam, anualmente, os reajustes nas mensalidades, levando em conta a inflação de cada setor. No caso do imóvel, por exemplo, o índice utilizado como base é o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), enquanto os demais seguem o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). 

Com o reajuste aplicado, o consorciado conta com uma carta de crédito sempre corrigida anualmente. Então, ao ser contemplado, o valor que havia pensado em R$ 300 mil, lá atrás, pode ser maior - mas equivalente para a compra do bem que tanto sonhou. 

Vale lembrar que o reajuste é aplicado em benefício do próprio consorciado, para que seu poder de compra se mantenha preservado com o passar dos anos. Ele é feito sempre no aniversário de um ano da sua cota, considerando a inflação. 

Isso significa que, não importa o momento em que for contemplado, seu poder de compra estará protegido. Assim, você não tem prejuízo algum com a aquisição do bem. 

Você não precisa ter pressa para nada 

Sem a pressão de escolher o tipo de carro, tipo de apartamento ou até o tipo de serviço em que deseja investir, você pode realizar o pagamento da sua cota tranquilamente. E, caso não tenha pressa de ser contemplado, pode até mesmo ignorar a oferta de lance. 

De forma tranquila, você investe no bem que deseja sem afetar seus rendimentos mensais. Fique atento apenas aos reajustes feitos anualmente, para prever o impacto em suas finanças. No fim, você será contemplado com a sua carta de crédito e certamente fará um excelente negócio na aquisição do bem. 

E então, está convencido de como o consórcio pode ajudar na realização de seus sonhos? Faça uma simulação agora mesmo e aproveite suas inúmeras vantagens. 

chat Eva