Dicas para ter uma boa experiência com o consórcio

Dicas para ter uma boa experiência com o consórcio

O consórcio é uma modalidade de compra que favorece o planejamento a longo prazo. Por meio do consórcio, você pode conquistar um bem de alto valor, como um carro, uma casa, uma moto ou até mesmo um tipo de serviço, como reforma, viagem, intercâmbio, entre outros. 

Tudo isso é possível porque o consórcio funciona como um tipo de autofinanciamento, possibilitado pela criação de seus grupos. A partir do momento que você se torna um consorciado, você entra em um grupo e contribui normalmente com as suas mensalidades. A contribuição de cada consorciado do grupo forma o valor do fundo comum, que é utilizado para as contemplações. 

Para participar de um grupo, é preciso estar com o pagamento em dia das suas mensalidades. Nenhuma administradora permite que inadimplentes participem, afinal, não é justo que uma pessoa que não paga corretamente as mensalidades tenha a mesma chance de alguém que se mantém comprometido com a sua cota. 

Pelo consórcio, você tem acesso ao bem por meio dos sorteios ou com a oferta dos lances, que acontecem nas assembleias.  

Os sorteios podem acontecer tanto nos primeiros, quanto nos últimos meses de pagamento da sua cota. Nenhuma administradora pode prometer quando os consorciados serão contemplados. Mas, se você se comprometer com o pagamento das mensalidades, fique tranquilo: até o último mês de pagamento você será contemplado.  

Para auxiliar as pessoas que desejam acelerar o processo de contemplação, as administradoras trabalham com a proposta de lance. Isso significa que, a cada assembleia, cada consorciado pode fazer a sua oferta. Pelo lance livre, que é a modalidade mais comum, o maior valor ofertado define o vencedor.  

Caso outro consorciado seja contemplado, você pode tentar nos próximos meses e seu valor não é debitado. Mas, se o seu valor for o maior, você passa pela análise de crédito e, com tudo certo, o valor proposto quita as últimas mensalidades da sua cota, sempre da última para a mais recente. Por isso mesmo, o lance é uma forma de terminar o pagamento da sua cota com antecedência. 

Para se tornar um consorciado o procedimento é bem simples. Antes de tudo, você precisa escolher uma administradora que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para seu pleno funcionamento - como a Embracon, que tem mais de 30 anos de história ajudando as pessoas a realizarem seus sonhos por meio do consórcio. 

Depois disso, basta escolher o bem em que deseja investir. Com o consórcio, você pode comprar: 

  • Automóveis: para a compra do seu modelo zero km ou seminovo, desde que tenha, no máximo, cinco anos de utilização.  

  • Moto: para quem deseja ter a moto dos sonhos ou até mesmo um modelo para trabalhar ou lidar com o dia a dia. 

  • Imóveis: para a compra da casa própria, apartamento decorado, apartamento na planta, terreno ou até mesmo empreendimentos comerciais. 

  • Serviços: com cartas de crédito de até R$ 30 mil, você pode investir na reforma da sua casa, viagens, intercâmbio, cirurgias estéticas, festas e até mesmo o casamento dos seus sonhos. 

  • Veículos pesados: para quem quer planejar a compra de uma van, caminhão, carreta, ônibus ou até maquinários agrícolas. 

Após escolher o que deseja comprar, você pode partir para a simulação de consórcio

É preciso inserir seus dados pessoais, para que um consultor de consórcio entre em contato posteriormente para fechar o contrato.  

A primeira informação pedida é o valor de carta de crédito. Cada categoria tem um limite de valor: por exemplo, uma cota de imóveis pode ter valor de até R$ 500 mil, enquanto a cota de serviços vai até R$ 30 mil. Se o valor máximo for insuficiente, você pode investir em mais de uma cota

Depois disso, você pode inserir a quantidade de parcelas, e já tem como resultado a mensalidade, com acréscimo das taxas de consórcio, como taxa de administração, que remunera a empresa de consórcio pela formação dos grupos, entrega das cartas de crédito e demais serviços, e fundo de reserva, que é uma espécie de garantia para os grupos caso um ou mais consorciados se tornem inadimplentes durante o pagamento de suas cotas. Além disso, se o valor arrecadado de fundo de reserva não for totalmente utilizado, ele é devolvido para os integrantes com o encerramento do grupo. 

Você pode simular a compra do bem quantas vezes quiser. Depois disso, o consultor entra em contato, para tirar todas as dúvidas sobre o consórcio e entregar o contrato de adesão.  

E, enquanto consorciado, você pode participar das assembleias e ser contemplado por meio dos sorteios ou com a oferta de um lance. 

Mas, como ter uma boa experiência enquanto realiza o pagamento da sua cota? Confira nossas dicas a seguir. 

Tenha uma boa organização financeira 

Para que você consiga ter uma boa experiência com o consórcio, é importante ter uma boa organização financeira. Isso é mais simples do que você possa imaginar. 

A partir do momento que você consegue controlar seus ganhos e gastos por meio de uma planilha - ou até mesmo com a ajuda de um aplicativo de finanças pessoais, por exemplo - você terá dimensão de quanto pode dedicar de seus rendimentos mensais para o consórcio. 

Aos poucos, você pode organizar suas contas. Com uma planilha, você consegue identificar quais são os gastos supérfluos que podem ser diminuídos ou cortados de vez. Além disso, consegue projetar o seu futuro, direcionando o valor necessário para a compra de um bem ou até mesmo para seus investimentos. 

O ideal é também ter uma reserva de emergência, que consiste em pelo menos seis vezes os seus rendimentos mensais. Este valor deve ficar em uma conta apartada da sua conta corrente e só deve ser utilizado em casos como perda de renda, doenças graves ou alguma situação bem específica. 

Portanto, organize suas finanças, para que consiga determinar o melhor valor para pagar no seu consórcio e, assim, ter uma boa experiência de investimento no bem que tanto deseja. 

Defina o valor de sua mensalidade com inteligência 

Com o consórcio, você fica responsável por definir o valor de carta de crédito e a quantidade de parcelas que deseja pagar. 

Pelo simulador de consórcio, você pode verificar quantas vezes for necessário qual o valor ideal para a sua compra

Com um planejamento financeiro bem estruturado, você saberá identificar o melhor valor para a sua cota. 

Para evitar casos de inadimplência, as administradoras não permitem que o valor das mensalidades seja 30% maior que os seus rendimentos mensais.  

Para que tenha uma boa experiência pagando o seu consórcio, defina um valor de mensalidade que não ficará pesado em seu orçamento. Cada tipo de consórcio possui um limite em específico: veja se é possível encaixar em seu planejamento antes de fechar o contrato. 

Caso tenha interesse em investir em um bem com carta de crédito superior ao limite da administradora, é possível pagar por mais de uma cota. As mensalidades das cotas somadas, entretanto, não podem ultrapassar o limite de 30% dos seus rendimentos mensais. Essa medida é tomada por todas as administradoras, para diminuir os riscos de inadimplência, que podem colocar os demais integrantes do grupo em risco. 

Faça os pagamentos da sua cota 

Como o consórcio conta com a colaboração de cada um para ter valor o suficiente no fundo comum dos grupos, é essencial que os pagamentos sejam feitos na data correta.  

Por isso mesmo, é importante definir um valor que não afete seus rendimentos mensais. Além do mais, quando se tem uma reserva de emergência, o risco de deixar de pagar por sua cota diminui bastante. 

Quando um consorciado deixa de pagar por sua cota, fica impedido de participar das assembleias, onde são realizadas as contemplações. Afinal, é injusto para as pessoas que pagam corretamente ‘disputar’ os sorteios com quem deixou de pagar. 

Portanto, organize-se para pagar corretamente suas mensalidades. Com planejamento e paciência, você será contemplado no momento certo com o bem que tanto deseja. 

Você pode contratar um seguro para o seu consórcio 

A pandemia de Covid-19 infelizmente desestabilizou o mercado de trabalho: muitas áreas tiveram que lidar com perda de renda, deixando muitas pessoas sem emprego. 

Em relação ao consórcio, a melhor forma de se blindar dessa surpresa negativa é com a contratação de um seguro de consórcio. No momento em que fechar o contrato, você pode verificar as opções de valores, sempre de acordo com o valor final da carta de crédito e do tipo de bem que deseja comprar. 

Com o seguro de consórcio, você pode ter cobertura em momentos de perda de emprego. 

Considere o seguro para que não se sinta vulnerável pagando por sua cota. Converse com o consultor de consórcio e veja qual opção melhor se encaixa com a sua necessidade. 

Fique atento aos reajustes na mensalidade 

A cada aniversário da sua cota, é realizado um reajuste na mensalidade dos consorciados. Trata-se de uma medida para proteger o poder de compra de quem investe em um bem ou serviço por meio do consórcio. 

A cada ano, a moeda passa por um processo de desvalorização (ou, em raras ocasiões, até mesmo de valorização). Tudo isso é acompanhado por índices inflacionários, que determinam o poder de compra das pessoas. Quanto maior o índice de inflação, mais desvalorizada fica a moeda

Para realizar este cálculo, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) acompanha os preços de todos os bens que circulam a nossa economia: de carros, motos e serviços a itens da cesta básica, incluindo frutas, arroz, legumes, carne etc.  

O índice que serve como base da inflação no nosso país é o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). É a partir dele que o cálculo da inflação é feito. 

De certa forma, o reajuste na mensalidade do consórcio vem para acompanhar os índices inflacionários. Quando você realiza a simulação de um bem pelo consórcio, imagina que a carta de crédito possibilite a compra do bem naquele momento. Peguemos a compra de um carro, por exemplo. Se você tivesse feito a simulação há cerca de dois anos, o valor de R$ 50 mil certamente seria suficiente para a compra de um zero km. Mas, com a subida dos preços, incluindo a inflação, este valor, atualmente, seria insuficiente para esse tipo de compra. 

Então, para proteger o poder de compra do consorciado, as administradoras realizam o reajuste nas mensalidades a cada aniversário. No caso do consórcio de veículos, por exemplo, é considerado o índice de IPCA. O valor da carta de crédito é reajustado e, em seguida, é feito um recálculo das mensalidades. 

No caso específico de consórcio de imóveis, é levado em consideração o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção), que acompanha os preços de todos os materiais relacionados à construção. 

Portanto, quando você tem um reajuste na sua mensalidade, é porque está investindo em um bem com valor de carta de crédito superior ao que havia simulado previamente. Fique atento a esses reajustes, para não ter uma surpresa negativa sempre que sua cota completar mais um ano de aniversário. 

Organize-se para a oferta de um lance 

Se você deseja ser contemplado com antecedência, precisa se organizar para a oferta de um lance. Por mais que existam casos de pessoas contempladas por sorteio nos primeiros meses de pagamento da cota, somente o lance pode dar uma espécie de ‘controle’ para que possa ser contemplado com antecedência. 

Ainda assim, a simples oferta de um valor não garante a contemplação. Como o processo é feito às cegas, ou seja, não dá para saber qual será a oferta dos demais consorciados, o ideal é juntar o maior valor possível para fazer a sua proposta

Cada proposta deve ser efetivada até 24h antes da realização da assembleia. O valor só é debitado pelo consorciado que for contemplado. Ou seja, se você fez a sua oferta, mas outro consorciado sair como vencedor, seu valor não chega a ser debitado pela administradora. 

Antes de fazer a sua proposta, vale ficar atento a algumas dicas. Nos primeiros meses de formação do grupo, os valores tendem a ser mais competitivos: ou seja, a tendência é que os valores mais altos de oferta sejam feitos nesse início.  

Enquanto isso, você pode juntar um dinheiro em uma conta apartada de sua conta corrente para dar o seu lance. Quando perceber que o seu momento chegou, basta fazer a oferta na Área de Clientes. Caso outro consorciado seja contemplado, não desanime: você pode fazer a oferta nos meses seguintes - uma oportunidade para juntar um valor ainda mais elevado e, assim, aumentar suas chances de contemplação

Antes de um lance ser efetivado, é preciso passar pela análise de crédito (que iremos detalhar em seguida).  

Caso esteja investindo em um consórcio de imóveis, você pode utilizar os seus recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) na Área de Clientes. Só não esqueça de conferir as regras com a administradora.  

Atenção para a análise de crédito 

Antes de fazer a liberação da carta de crédito, a administradora precisa avaliar se o consorciado tem condições de continuar o pagamento de sua cota. Afinal, a carta de crédito dá o direito de utilizar o valor para a compra do bem ou serviço. E, caso essa pessoa deixe de continuar o pagamento de sua cota, irá comprometer os demais integrantes do grupo, que ainda contam com o valor do fundo comum para suas contemplações. 

Seja por sorteio ou por lance, todos os consorciados contemplados precisam passar pela análise de crédito

Nesse momento, a administradora avalia os rendimentos mensais do consorciado, para verificar se a mensalidade não ultrapassa os 30%, como no processo inicial antes do contrato. Além disso, os dados pessoais são verificados e é realizada uma consulta nos órgãos de proteção ao crédito, como SPC e Serasa, para identificar se o contemplado possui status de bom pagador. 

Caso a administradora identifique alguma necessidade, é solicitada a indicação de um devedor solidário, que compartilha a responsabilidade da dívida com o consorciado. 

Se o consorciado for reprovado na análise de crédito, precisa acompanhar as assembleias nos meses seguintes até ser sorteado ou realizar a oferta de lance novamente. Caso isso aconteça, é preciso entender os motivos que levaram à sua reprovação, para que possa se reorganizar e resolver sua situação antes de passar por uma nova análise de crédito. 

Mas, se tudo der certo, finalmente você tem acesso à sua carta de crédito, que possibilita a compra do bem que selecionou. Vale lembrar que, até terminar o pagamento da sua cota, o bem fica alienado à administradora - o que significa que você não pode vender ou alugar sem o consentimento da empresa de consórcio até quitar sua cota. 

Utilize a carta de crédito a seu favor 

Ao ser contemplado, finalmente você pode utilizar a carta de crédito para a compra do bem

Pesquise com antecedência o que deseja comprar.  

Ao encontrar o bem que deseja, negocie o melhor valor de compra. Como a carta de crédito possui poder de compra à vista, aproveite para obter algum tipo de desconto na transação.  

Se a sua carta de crédito for maior que o valor do bem, você pode utilizar até 10% do valor para lidar com despesas burocráticas, como idas ao cartório e transferência de propriedade. Mas, se o bem ou serviço tiver um valor maior que a sua carta, não se preocupe: a administradora ainda faz a liberação da carta de crédito, e você pode negociar a compra com os seus próprios recursos. 

Como deu para perceber, o consórcio é a melhor forma de investir em um bem ou serviço a longo prazo. Com planejamento e organização, as chances de ter uma boa experiência só tendem a aumentar. Faça agora mesmo uma simulação de consórcio e invista na realização do seu sonho. 

chat Eva