Como pagar a sua próxima viagem?

Como pagar a sua próxima viagem?

Ter a possibilidade de viajar pelo menos uma vez por ano é um dos maiores sonhos de todos os brasileiros. Porém, segundo uma pesquisa da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua Turismo 2019, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), somente duas em cada 10 famílias conseguem viajar. O maior motivo alegado para não viajar é a falta de dinheiro (apontado por 49% das pessoas que participaram da pesquisa).

De fato, quando falamos em viajar, lugares não faltam para visitar: é possível ir para o litoral mais próximo, passear pela Amazônia, conhecer cidades diferentes do país ou até mesmo ir para o estrangeiro.

Independente do roteiro, a organização e o planejamento são essenciais quando se pensa em uma nova viagem.  

Por exemplo, se você deseja aproveitar uma emenda de feriado, precisa entender qual o lugar que gostaria de ir, separar os custos necessários para a viagem e, se possível, quitar com antecedência o valor da hospedagem, por exemplo.

Mas, se deseja fazer um mochilão, o ideal é ter alguns meses de preparo, tirar passaporte, verificar os vistos e se organizar com os custos com antecedência, afinal, trata-se de uma viagem mais longa e que vai exigir um valor maior em relação aos custos.

Mas, como se organizar para pagar a próxima viagem? Vamos dar dicas gerais para que você consiga conhecer mais o estado, país ou até mesmo o mundo.

Como criar um roteiro de viagem

Para que você consiga viajar, o primeiro passo é organizá-la. Isso vale tanto para viagens à curta distância - como ir para a praia, por exemplo - até mesmo viagens mais longas, para outro país.

Claro que cada etapa tem custos específicos. Por exemplo, uma viagem de carro exige um tipo de planejamento diferente da viagem de avião. Mas, se você for alugar um automóvel para passear no local, vale a pena quitar este pagamento com antecedência, para que você consiga aproveitar o máximo no local sem ter algum tipo de pendência financeira.

A seguir, vamos apresentar nossas dicas para que você consiga organizar a sua próxima viagem.

Decida o local para onde vai viajar

Antes mesmo de começar a pagar a sua viagem, é importante definir o local em que irá viajar. Para isso, converse com todos os integrantes da família e veja qual seria um bom local para passar as férias.  

Caso decida viajar sozinho, vale a pena pesquisar bastante os locais com os quais mais se identifica.  

A pesquisa prévia é importante não apenas para saber o gasto de ir até o local. É preciso entender se o local oferece o que você procura, se atende às suas expectativas - e às expectativas da família - ver se o clima está bom no período em que for viajar, entre outros quesitos.

O mais importante neste momento é:

  • Identificar o local para onde quer viajar;
  • Verificar os principais custos;
  • Identificar em que mês e ano pretende viajar;
  • Verificar os custos básicos, como valor de passagem, hospedagem etc.

Após ter uma ideia de onde pretende viajar, já pode prosseguir para o próximo passo.

Quantidade de pessoas

Saber quantas pessoas terá em uma viagem é importante, principalmente se você for o responsável pelos custos.

Por exemplo: digamos que você queira planejar a viagem com todo mundo da família. É preciso pensar na quantidade de passagens que vai comprar, tipo de casa ou quarto para hospedagem e até mesmo gastos do dia a dia, seja com comida, passeios e diferentes tipos de lazer durante a viagem.

Portanto, avalie com antecedência a quantidade de pessoas que irá na viagem contigo, para que tenha uma boa noção de custos.

Decida a forma que irá viajar

Nem toda viagem é igual, não é verdade? Portanto, decida com antecedência de que forma irá viajar, para que consiga ter maior previsibilidade.

  • Viagem de carro: neste caso, é importante checar se o seu automóvel está em boas condições, programar o valor necessário para o pagamento de combustível e verificar os preços de pedágio na estrada.
  • Viagem de moto: se você deseja se aventurar sozinho, ou com apenas mais uma pessoa na garupa, ou até mesmo com um grupo de colegas motoqueiros, precisa pensar nos mesmos custos de um automóvel: revisão, combustível, pedágio e, claro, as roupas necessárias para a viagem.
  • Viagem de ônibus: quem procura economizar ou tem medo de viajar de avião em longas distâncias, acaba optando pela viagem de ônibus. Leve em consideração o preço da passagem e tenha o dinheiro necessário para o trajeto: dependendo da distância, você pode passar dias na estrada, tendo que se alimentar em paradas específicas. Fique atento aos custos necessários e tenha dinheiro em espécie, afinal, nunca se sabe quando você estará em locais que não aceitam outros meios de pagamento.
  • Viagem de avião: além de ter que comprar a passagem com antecedência, é preciso se preparar para chegar no horário correto antes de pegar o voo e verificar os custos adicionais. Se você pretende alugar carro no local de destino, pode verificar estes custos já na compra da passagem - o que pode gerar até mesmo um desconto.

Lide com os custos com antecedência

A partir do momento que você souber o meio de transporte com que fará a viagem, já pode começar a pagar alguns custos com antecedência.

Para passagens de avião, por exemplo, o ideal é checar os preços com bastante antecedência. Para isso, você pode utilizar aplicativos e serviços como Skyscanner e Google Flights, por exemplo, que permitem criar um alerta de preços de passagem, revelando se o preço é considerado bom ou ruim de forma constantemente atualizada.

Inclusive, vale a pena já identificar a hospedagem com antecedência: serviços como Booking e Airbnb, por exemplo, permitem a escolha de casas, hotéis, hostels e pousadas com antecedência, oferecendo diversas formas de pagamento.  

Quanto antes você conseguir lidar com estes custos, melhor. Assim, conseguirá concentrar os custos da viagem no dia que finalmente colocar o pé na estrada ou pegar o avião, sem ter que se preocupar com algo que tenha ficado pendente.

Vai de carro? Faça uma revisão

Quem pretende viajar de carro para curtir o litoral ou mesmo passar por diversas cidades, precisa que o carro esteja em ótimas condições de viagem.

Para isso, é essencial que o motorista faça uma revisão do carro antes de prosseguir com a viagem. No processo de revisão, o mecânico checa se os freios e a embreagem estão funcionando bem, avaliam o motor e as condições dos pneus, entre outros detalhes importantes, para que você consiga realizar a viagem com segurança.

A revisão deve ser feita até uma semana antes da viagem, para que você possa lidar com os custos, caso o automóvel apresente alguma novidade indesejável.  

Vai de avião? Pague a passagem com antecedência

A compra de passagens com antecedência pode ser determinante para conseguir bons preços para os voos.  

Faça uma boa pesquisa nas companhias aéreas ou, se preferir, procure pacotes de viagem que atendam à sua necessidade. Quanto antes você conseguir pagar pelas passagens, melhor, para que possa concentrar os gastos apenas na viagem quando o dia chegar.

Considere um seguro viagem

Se você pretende viajar por um longo período de tempo para algum lugar fora do Brasil, vale a pena considerar um seguro viagem, que dê cobertura para todas as pessoas da sua família.

Ele funciona como um plano de saúde temporário que garante a indenização em diversas situações, como:

  • Atendimento médico e odontológico 24h;
  • Seguro no caso de interrupção ou cancelamento da viagem, em caso de emergência médica;
  • Visita ao segurado hospitalizado;
  • Acompanhante em caso de hospitalização prolongada;
  • Despesas farmacêuticas;
  • Hospedagem após alta hospitalar;
  • Remarcação de passagem para regresso;
  • Repatriação médica e funerária, que garante o retorno do viajante ao Brasil tanto em caso de doença e acidente quanto em caso de falecimento;
  • Assistência funeral;
  • Indenização no caso de morte;
  • Indenização no caso de invalidez permanente ou total;
  • Localização de bagagem extraviada;
  • Indenização no caso de extravio de bagagem;
  • Despesas jurídicas;
  • Pagamento antecipado de fiança.

É preciso que o seguro viagem tenha, pelo menos, a mesma duração da viagem que pretende fazer. Você pode contratar por meio da bandeira do seu cartão de crédito ou por empresas especializadas no assunto. Pesquise com antecedência, para checar os valores e verificar se atende ao que você realmente precisa.

Organize os gastos no local

Depois de ter organizado todos os custos preparatórios para a viagem, você já pode começar a pensar em planejar os gastos da viagem em si.  

Por mais que uma viagem represente diversas aventuras e novidades, quanto mais previsibilidade você tiver, mais conseguirá economizar e, assim, retornar para casa sem ter que se preocupar com pendências.

A seguir, vamos mostrar como você pode lidar com os gastos no dia em que for viajar.

Separe um valor para gastar por dia

A melhor forma de evitar exageros durante a viagem é separar um valor a ser gasto por dia. Não é tarefa fácil, mas pode ajudar bastante entender o que você quer fazer durante a viagem e já pensar nesses gastos.

Por exemplo, por dia você precisa fazer pelo menos três refeições: inclua o valor delas, incluindo café, almoço e janta. Pesquise com antecedência os locais em que desejaria ir, para ser mais assertivo ao listar os gastos.

Ao definir um valor médio a gastar por dia, você consegue se controlar mais, para evitar gastos supérfluos. Não precisa ser tão estrito ao valor definido - mas, se conseguir se aproximar ao máximo de um teto, melhor. Assim, você não gasta mais do que deveria em sua viagem.

Limite de cartão de crédito

Se você possui cartão de crédito, estar atento ao limite do valor pode ser uma boa alternativa para evitar qualquer tipo de imprevisto.

O ideal é gastar o valor à vista mas, se você tem o costume de listar todos os gastos em fatura, fique atento ao limite da sua conta. Se achar necessário, converse com o gerente do seu banco, para que possa aumentar seu limite e, assim, ter uma margem maior de valor caso se depare com algum imprevisto na viagem.  

Guarde um valor a mais para a viagem

Independente do tipo de viagem que for fazer, é importante ter uma reserva para gastar a mais na viagem. Por mais que você monte um bom planejamento, pode acontecer de ter que lidar com imprevistos ou acabar se empolgando e gastando mais do que o necessário.

Portanto, ao se preparar para a viagem, separe uma reserva para essa finalidade. Se você tiver uma reserva de emergência guardada, ela pode ser acionada em casos extremos. Porém, certifique-se de que você possa ter acesso fácil a este dinheiro, em uma conta que tenha rendimentos do CDI, por exemplo.

Se quiser montar uma poupança à parte para a viagem, também é uma boa ideia. O importante é ter recursos para lidar com algumas adversidades que possam acontecer no meio do caminho.

Cuidado com gastos excessivos

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Cornell identificou que, quanto mais longe viajamos, maior é o sentimento de satisfação ou felicidade. E, quando isso acontece, podemos acabar nos empolgando, correndo o risco de algumas atitudes impensadas, como a compra excessiva de coisas desnecessárias, por exemplo.

Afinal, sair para as compras também ativa uma parte do nosso cérebro ligada ao prazer. Portanto, tenha cuidado com isso e se mantenha firme em seu planejamento inicial. Comprar uma lembrancinha ou outra, ou até mesmo jantar em um local inusitado, tudo bem. Mas, se você optar por gastar demais em sua viagem, pode passar por maus bocados na volta.  

Por mais que a viagem seja um momento extremamente prazeroso, não podemos esquecer que as contas mensais continuarão chegando, sem falar nos objetivos a médio e longo prazo que devem ser conquistados quando se tem um bom planejamento financeiro. Portanto, curta a viagem, mas não esqueça dos dias futuros.  

Tenha dinheiro para a volta

Pode parecer óbvio, mas ter em mente que você precisa voltar é importante. Anote tudo que gastar em sua viagem e não se esqueça que, além de pagar por algumas despesas posteriormente, você ainda precisa lidar com as contas do dia a dia.

Para evitar que isso comprometa seu bem-estar, estipule um valor máximo para gastar em sua viagem como um todo. Evite o uso excessivo de cartão de crédito, para não ter que lidar com uma fatura imensa nos meses seguintes.

Formas de pagar uma viagem

Agora que você já sabe como planejar a sua viagem e os cuidados necessários para fazer com que ela aconteça, vamos apresentar as formas de pagamento da sua viagem. Confira.

Pagamento à vista

A vantagem de pagar à vista é que você não prolonga a dívida e pode muito bem se preparar para as próximas etapas. É possível dar o dinheiro vivo para o pagamento de uma viagem, fazer uma transferência via Pix para a agência de viagens ou até mesmo utilizar o cartão de débito.  

Certifique-se de que não irá comprometer seus rendimentos financeiros ao considerar essa opção.

Compra de pacotes de viagem

A compra de um pacote de viagens é interessante para quem procura agilidade e não quer se preocupar com a organização do passeio. Em muitos casos, as agências dão todo o suporte para quem adquire seus pacotes.

Dependendo da agência e do destino, os valores são caros e as quantidades de parcelas permitidas são reduzidas. Vale a pena investir um tempo pesquisando as melhores opções ou encontrar formas alternativas de pagar por seus serviços.

Parcelamento no cartão de crédito

O brasileiro é um usuário contumaz do cartão de crédito - tanto que se trata da modalidade mais usada para o pagamento de uma viagem, seja pelo país ou para o estrangeiro. É possível comprar as passagens, alugar um carro, fazer reservas, tudo de uma só vez.

Para isso, porém, é preciso ter um limite alto para lidar com os altos custos de uma viagem, especialmente se for uma viagem internacional.

Empréstimo

Na verdade, o que algumas instituições bancárias chamam de crédito viagem, nada mais é do que um CDC (Crédito Direto ao Consumidor). Assim, são cobrados juros, taxas e impostos que podem dobrar o valor emprestado no término dos pagamentos. Isso se o seu crédito for aprovado, claro. Para isso, é feita uma análise extensa do seu histórico de pagamento, dados pessoais, entre outras informações que a instituição julgar relevantes.

A vantagem dessa modalidade é o dinheiro rápido para quem tem pressa, não se planejou direito e, mesmo assim, quer viajar. Porém, existe o ônus do juros, que pode deixar a viagem bem mais cara do que se fosse planejada.

Consórcio para viagens

Você sabia que também pode contar com o consórcio para o planejamento de uma viagem? Isso é possível por conta do consórcio de serviços.  

Assim como acontece para a compra de bens, como imóveis e automóveis, com o consórcio você pode selecionar um valor de carta de crédito para a compra de um pacote de viagens. Vamos explicar em detalhes como funciona.

Como funciona

O consórcio funciona como uma espécie de autofinanciamento: você seleciona um valor para a carta de crédito e define a quantidade de parcelas que deseja pagar por esta carta.

O primeiro passo é realizar a simulação do seu consórcio. Antes de tudo, é preciso escolher uma administradora de consórcio que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen), como a Embracon, que tem mais de 30 anos de credibilidade.

Na simulação de consórcio de serviços, você pode selecionar cartas de crédito entre R$ 15 mil e R$ 30 mil, que podem ser utilizados para a compra de uma viagem.

Depois da simulação, você é contatado por um especialista de consórcio, que vai tirar todas as dúvidas da modalidade e entregar o contrato de adesão.

É preciso pagar as mensalidades corretamente para participar das assembleias mensais, onde ocorrem as contemplações das cartas de crédito.

É possível ser contemplado de duas formas: pelos sorteios, a partir de um sistema da Loteria Federal, ou com a oferta de um lance, que é um valor a mais que o consorciado pode oferecer com o objetivo de ser contemplado com antecedência. O maior valor ofertado de lance em uma assembleia define o contemplado.  

Após a contemplação, o consorciado passa por uma análise de crédito para, então, ter a carta de crédito liberada. O valor da carta de crédito pode ser utilizado para a compra de um pacote de viagem: basta indicar a empresa à administradora, fechar o negócio diretamente com a empresa para, então, o valor ser transferido para a empresa.

Uma das maiores vantagens da carta de crédito é seu poder de compra à vista, o que permite uma boa margem de negociação.  

Quais são as vantagens?

  • Tempo para planejar: com o consórcio, você consegue planejar sua viagem do começo ao fim, sem ter a pressa de ser contemplado rapidamente.
  • Você define o valor e a quantidade de mensalidades: o consórcio é uma modalidade flexível que dá ao consorciado a autonomia para definir o valor da carta de crédito e a quantidade de mensalidades. Isso permite que o interessado defina um valor que não comprometa seus rendimentos mensais.
  • Poder de compra à vista: com a carta de crédito, você tem uma boa margem para negociar e conseguir um bom desconto na hora de fechar o seu pacote de viagens.
  • Liberdade para usar como preferir: você pode pagar pelas passagens, hospedagens, parte dos custos da viagem ou a viagem completa com a sua carta de crédito.

Organize a sua viagem desde já

Deu pra perceber que o consórcio de serviços é a melhor forma de planejar a sua próxima viagem, não é mesmo?  

Portanto, faça uma simulação na Embracon e comece desde já a pagar por um momento incrível com todos da sua família, seja pelo Brasil ou em algum país estrangeiro.

Simulação
chat Eva