Como realizar o sonho da viagem internacional?

Como realizar o sonho da viagem internacional?

A cada ano que passa, cada vez mais os brasileiros têm se mobilizado para fazer uma viagem internacional. Seja para conhecer novos países, visitar parentes que moram no exterior, fazer um mochilão ou até mesmo a trabalho, as viagens internacionais têm se tornado uma constante em nossa economia.

Embora muitas pessoas incluam a viagem internacional como um dos objetivos a serem atingidos, o brasileiro ainda tem grandes desafios quando o assunto é se deslocar de sua cidade natal.

Um estudo realizado pela Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua Turismo 2019, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em 2020, mostrou que apenas duas em cada dez famílias brasileiras viajam regularmente. O motivo alegado? Para 49% dos que não viajam, o problema é não ter dinheiro.

Entre os que viajam, por outro lado, predominam motivos como visita aos pais e parentes (alegado por 36% deles) ou em busca de algum tipo de lazer (31,5%).

Existem milhões de benefícios em planejar uma viagem: você entra em contato com novas culturas, pode experimentar coisas diferentes e, o melhor de tudo, sair da sua rotina, conhecendo coisas interessantes ou até mesmo visitando pessoas que não vê rotineiramente.

Por conta do isolamento social da Covid-19, muitas pessoas tiveram que abandonar os planos de viajar. Como consequência, setores inteiros de turismo, gastronomia e hotelaria foram amplamente afetados.  

Muitos especialistas têm afirmado que, com a abertura do comércio após o período de ampla vacinação, o setor de turismo provavelmente terá um novo boom. E, como já é sabido, quem planeja com antecedência acaba aproveitando as melhores oportunidades.

Se você ainda tem vontade de conhecer novos países, mas ainda não teve oportunidade, ainda dá tempo de planejar a viagem dos seus sonhos. E, claro, vamos ajudar com isso! A seguir, vamos mostrar o passo a passo de como organizar uma viagem ao exterior de forma organizada.

Passo a passo para organizar a sua viagem internacional

A seguir, vamos apresentar o checklist para que você possa fazer uma viagem ao exterior sem preocupações.

Escolha o destino

Qual lugar você deseja ir? Todos temos nossos destinos favoritos, por isso considere locais em que você considera ter uma ótima experiência, que ficará marcada para sempre.

Caso tenha um sonho, não há problema algum em se organizar para realizá-lo.  

Claro que é importante considerar alguns fatores externos, como o valor do real perante o dólar ou, caso viaje para países da Europa, o valor do euro, por exemplo. A partir do momento que você identifica o valor do real, consegue ter uma ideia do quanto precisaria para ir ao destino que sempre quis.

Converse com pessoas que já viajaram ao exterior, para coletar algumas dicas importantes. Veja quais passeios poderia fazer e pegue recomendações dos melhores locais para se visitar e se hospedar. Informação ajuda bastante na hora de selecionar o local de viagem; aproveite para pesquisar o máximo possível sobre o seu destino antes de tomar a decisão de comprar as passagens.

Defina o orçamento para a viagem

Não se esqueça que, para viajar, não é só pagar a passagem e pronto! Considere gastos com hotéis, alimentação, transporte, passeios, compras… E não se esqueça também de ter uma reserva, caso algum imprevisto aconteça no meio do caminho.

Programe-se para que você não fique sem dinheiro no meio da viagem. Nesse momento, o planejamento é extremamente importante: crie uma planilha somente para os gastos que terá com a viagem. Liste o que será necessário gastar no local, incluindo os itens mencionados e até mesmo considerando custos extras, caso alguma coisa saia do planejado.

Na etapa de orçamento, avalie as melhores opções para levar dinheiro para a viagem: dinheiro em espécie e cartões de crédito internacionais podem ajudar bastante para que você não se sinta inseguro em sua viagem. Caso opte pelo cartão, verifique se a cidade possui ampla aceitação, se é seguro andar com dinheiro em espécie e até mesmo a proximidade de caixas eletrônicos que permitam o saque, quando necessário.

Monte o seu roteiro

Muitas pessoas se divertem na etapa de montar um roteiro para a viagem internacional. Nesse momento, você começa a vislumbrar como será cada passo da sua viagem, pensando nos locais que pode visitar e, assim, ter maior previsibilidade de gastos.

Ao definir a cidade e país que vai viajar, entenda qual a estação do ano no local: não vá arriscar levar um monte de camisetas e shorts para um local quente que, no mês em que for viajar, estará no inverno! Confira as programações do dia ou semana em que decidir viajar e também os valores de cada passeio: você pode contemplar passeios de graça, considerar o transporte público do local (uma ótima oportunidade de conhecer ainda mais e se conectar com as pessoas) e verificar as melhores opções para economizar. Não se esqueça que, dependendo do país, a oscilação de um dólar ou um euro pode ter um grande peso no seu planejamento para a viagem.

Aliás, compre a moeda local com antecedência. Você pode verificar índices de dólar futuro, por exemplo, para identificar um bom preço para compra.

Atenção com a compra de passagens

Depois de ter o seu roteiro muito bem montado e identificar os dias em que vai viajar, é hora de partir para a compra de passagens. É possível utilizar o serviço de sites e aplicativos que avisam quando a viagem para o local que deseja estiver com um preço melhor.

Faça comparativo entre as companhias aéreas e acompanhe o histórico de preços. Caso queira passagens mais em conta, provavelmente terá que considerar a possibilidade de fazer conexão em outros países.

Quanto antes você conseguir se organizar para a compra das passagens, mais conseguirá economizar e aproveitar os melhores alertas.

Reservas de hotel e estadia

Se quiser comprar pacotes de passagem, que incluem hospedagem, alimentação e alguns passeios, vá atrás das melhores promoções para o local que deseja. Existem muitos sites que oferecem pacotes completos, já incluindo hotéis com diferentes opções de refeição e alguns passeios, tudo em um único preço.

Quanto mais tempo você tiver até a viagem, mais poderá pesquisar e, com isso, encontrar preços melhores para organizar a sua viagem. Ao selecionar um albergue ou hotel, considere as avaliações dos usuários e a localidade, para não ficar muito distante dos passeios que deseja fazer. Se conhecer alguma pessoa que tenha viajado ao local, converse com ela e pegue algumas dicas de onde se hospedar.

Um ponto importante: prefira opções de hotéis com cancelamento gratuito, para que você tenha um espaço para procurar outras ofertas até o dia da viagem. Também é possível considerar espaços privados, como o Airbnb: por ele, dá pra encontrar opções mais em conta, que atendem ao que você precisa para a sua viagem.

Documentos: passaporte e visto

O passaporte é documento necessário para quem for viajar para algum país estrangeiro. Embora alguns países da América do Sul dispensem sua obrigatoriedade, é importante se planejar para tirar o passaporte o quanto antes. Afinal, você pode mudar de planos e considerar um país que exija esse tipo de documento para entrada, sem falar nas possíveis adversidades ao solicitá-lo.

A Polícia Federal é a responsável pela emissão do passaporte. Para solicitar, é preciso comparecer a um dos postos com seus principais documentos pessoais: RG, CPF, Certidão de Casamento e, em caso de renovação, o passaporte antigo. A foto é tirada no próprio local e, em seguida, é necessário preencher um formulário pedindo o passaporte.

O próximo passo é fazer o pagamento da taxa, atualmente de R$ 257,25, que pode ser feito pela internet ou na rede bancária. Depois de efetuar o pagamento, o próximo passo é agendar a segunda visita ao posto da Polícia Federal, para retirada do documento. Fique atento porque alguns postos podem ser mais demorados do que outros. Portanto, caso decida viajar em um curto período de tempo, é necessário se apressar com a solicitação do passaporte.

Dependendo do país em que for viajar, é exigido o visto para brasileiros. Isso vale até mesmo para as conexões: caso o seu voo passe pelos Estados Unidos, por exemplo, e você não tenha o visto de entrada no país, não consegue embarcar.

Existem diferentes regras para cada país: alguns exigem o visto apenas pouco antes do embarque, enquanto outros passam por um processo mais rigoroso, que envolve inserção de dados, entrevista no idioma e até mesmo a avaliação do seu patrimônio antes de ceder o documento. Sem falar que existe um custo para emissão do visto: no caso da autorização para os Estados Unidos, por exemplo, você deve gastar em torno de US$ 160.  

Vacinas

Atualmente, o termo vacinas está muito relacionado à pandemia de coronavírus. Portanto, é natural que, em alguns meses, seja exigido tomar as duas doses para entrar em alguns países.

Porém, outras vacinas também devem ser levadas em consideração. A principal delas é contra a febre amarela. Caso o país em que for viajar exija a tomada dessa dose, é solicitado o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP). Pelo site da Anvisa é possível ver o local mais próximo para emissão do CIVP e, assim, tomar as doses exigidas.

Seguro de viagem internacional

O seguro é uma ótima forma de se proteger contra possíveis imprevistos: você pode ter a sua mala extraviada ou passar por algum tipo de adversidade, por exemplo. Dependendo da situação, isso pode comprometer a sua viagem, portanto, procure opções de seguro de viagem que irão garantir a tranquilidade necessária para que você foque em se aventurar e aproveitar o que há de melhor no país de destino.

Alguns países exigem a contratação de seguro internacional para viagens turísticas. Sem falar que, em alguns contratos de seguro, você consegue garantir atendimento médico, acompanhamento em caso de hospitalização, despesas jurídicas e, no caso de algum equívoco com as leis do país em que for visitar, até mesmo empréstimo para fiança.

O que levar no dia da viagem

Agora que você já se preparou para tirar todos os documentos e, finalmente, se aproxima o tão esperado dia da viagem, não se esqueça do checklist necessário para o embarque.

Passaporte e demais documentos

Leve seu passaporte e os documentos necessários para a sua viagem, principalmente RG e CPF. Não se esqueça também de levar o documento que comprova o visto, o certificado internacional de vacina e, caso possua, a licença para dirigir em um país fora do Brasil (no caso, a Permissão Internacional para Dirigir, ou PID). Também é importante levar o documento de reserva do hotel, principalmente se passar pela imigração.

Caso perca um dos documentos antes da viagem, é possível fazer um boletim de ocorrência que ateste o ocorrido no dia da viagem. Porém, é preciso que esse documento seja fornecido dentro de 60 dias antes da data do voo. Caso já tenha solicitado novos documentos, você pode apresentar o comprovante no momento de embarque.

Bagagem

Regra número um: tente levar o menor número de coisas possível em uma viagem. Você pode demorar bastante tempo para ter acesso às malas, sem falar no risco de extravio.

Cuidados com o trâmite do aeroporto à sala de embarque.

Veja quais são as regras aplicadas pela companhia aérea e fique atento para não ultrapassar os limites, do contrário, você terá que arcar com valor adicional. Caso decida fazer compras no exterior, leia as regras da Polícia Federal, para não ter problemas ao retornar ao Brasil.

Para a bagagem de mão, atente-se às proibições, como líquidos acima de 100ml, objetos pontiagudos, cortantes ou de ponta arredondada que possam causar algum tipo de ferimento, além de substâncias inflamáveis (isqueiro) e explosivas, químicas ou tóxicas.

No caso da mala despachada, utilize identificadores e até mesmo cadeados, para evitar que sejam abertas por terceiros. Por conta disso, evite guardar itens sensíveis na mala despachada, como câmeras fotográficas e computadores, por exemplo. Também é recomendado levar dinheiro e documentos pessoais na bagagem de mão.

Atenção às conexões

Caso o seu voo tenha algum tipo de conexão, fique atento sobre a necessidade de passar pela imigração. Caso o avião pouse nos Estados Unidos, por exemplo, a imigração é uma etapa obrigatória. Verifique a necessidade de retirada de mala no país em que fará conexão: dependendo da situação, é preciso fazer o despacho da bagagem novamente no aeroporto.

Ao chegar no país de destino, siga as placas de recomendação e, caso tenha alguma dúvida, procure o balcão de informações.

Como passar pela imigração

Ao passar pela imigração, você será interrogado. Mantenha-se calmo, não minta e responda estritamente o que for necessário, por mais que esteja tenso.

Tenha impresso todos os documentos de viagem, incluindo o comprovante de hotel, seguro viagem e uma comprovação da sua viagem de retorno. Ao receber um formulário de imigração e declaração de bens, preencha e entregue aos agentes de imigração.

Nessa etapa, é questionado se você teria condições de voltar normalmente ao seu país de origem. Apresente seu cartão internacional ou, caso esteja levando dinheiro em espécie, deixe bem claro que esteja condizente com os padrões da viagem.  

Pegando as malas

Após passar pela imigração, é hora de pegar as malas que foram despachadas. Siga as placas e espere até que ela chegue a você.

Depois disso, as malas passam pelo controle alfandegário. Dependendo do país em que for embarcar, os agentes utilizam raio-X em toda a sua mala, para se certificar de que não há nenhum objeto ilegal. Pesquise bem o que pode ser considerado ilegal na entrada do país, incluindo medicamentos. Após passar pela liberação da mala, finalmente você pode curtir a sua viagem!

Viagem de volta

É comum ficarmos empolgados para a viagem ao exterior: ficamos meses traçando planos, conferindo rotas e preocupados com a documentação necessária antes do dia do voo.

Mas, ao voltar para o Brasil, é importante se atentar aos mesmos cuidados. Tenha a documentação separada, chegue ao aeroporto com antecedência e fique atento para não ultrapassar o limite de peso.

A diferença é que, no retorno para a sua cidade, o processo de emigração é menos tenso do que a imigração. Após passar pelos procedimentos de segurança, você poderá dar uma passada no Free Shop, que tem ótimos preços para alguns itens. Em muitos deles existe um limite de compra (geralmente de até US$ 500). Fique atento para não passar tempo demais preocupado com as compras e correr o risco de perder o voo!

Consórcio para viagem: como funciona

Organizar uma viagem é parte do processo para ter uma experiência incrível em outro país. Mas, quando se trata de fazer o pagamento de passagens e hospedagens, nem sempre nos deparamos com opções vantajosas.

Em busca de facilitar para que mais pessoas possam aproveitar os benefícios de curtir uma ótima viagem, foi criada a possibilidade de pagar por todos esses custos com o consórcio.

O consórcio é a melhor forma de investir em um bem ou serviço de alto valor. Após seguir todas as etapas, você tem à disposição a carta de crédito, que possui poder de compra à vista. Com esse valor, você pode bancar passagens e estadia, além de passeios e custos extras com a sua viagem.

Para fazer um consórcio é bem fácil. A primeira etapa é simular o valor da mensalidade e da carta de crédito que deseja. Para isso, simule um consórcio de serviços e selecione o valor necessário para a viagem como carta de crédito. É possível selecionar cartas entre R$ 15 mil e R$ 30 mil, que podem ser divididas em até 30 mensalidades.

O consórcio é uma forma flexível de investir no serviço que deseja, portanto, é você que define o valor da mensalidade a partir da carta de crédito sugerida. Vale lembrar que a mensalidade não pode ultrapassar 30% dos seus rendimentos mensais, para não gerar um risco de inadimplência.

Por ser uma espécie de autofinanciamento, é importante que todos contribuam mensalmente com as parcelas, para participar dos sorteios mensais que são realizados nas assembleias.

Você pode ser contemplado pelo sorteio ou pelo lance, que é um valor a mais ofertado com o objetivo de ter acesso à sua carta de crédito com antecedência. O lance que paga o maior percentual da cota é o contemplado, e o valor oferecido quita as últimas mensalidades do seu consórcio.  

É importante lembrar que nenhuma administradora de consórcio pode garantir quando o consorciado será contemplado: isso pode acontecer tanto nos primeiros meses, quanto nos últimos.  

Ao ser contemplado, a administradora faz uma análise de crédito e uma nova checagem dos seus dados. Se estiver tudo certo, o próximo passo é partir para a entrega da carta de crédito. Caso tenha sido reprovado na análise, você pode ser contemplado pelo sorteio ou oferta de lance nos meses seguintes (no caso de recusa do lance, o valor não chega a ser debitado).

A carta de crédito tem poder de compra à vista, ou seja, você pode negociar um ótimo preço para garantir a sua viagem com o consórcio. É possível negociar pacotes completos ou personalizados, para que tenha uma ótima experiência ao ir para o exterior.  

Caso o valor da sua carta seja maior que o necessário para a viagem, é possível utilizar o valor para ajudar a quitar o saldo restante da cota. Se o saldo for insuficiente, sem problemas: você pode utilizar a carta de crédito mesmo assim e completar com os seus recursos.

O valor da carta de crédito é transferido diretamente para a empresa responsável pelo seu pacote de viagens. Negocie com antecedência, para não ter nenhum tipo de imprevisto ao ser contemplado.

Está esperando o quê para organizar a sua próxima viagem internacional? Faça uma simulação de consórcio de serviços e dê início à realização de um sonho importante em sua vida.
Simulação
chat Eva