Cartão de crédito ou cartão de débito: suas diferenças e qual usar

Cartão de crédito ou cartão de débito: suas diferenças e qual usar

Quando se pensa em cartão de crédito ou de débito, a primeira coisa que vem na mente de muitas pessoas é: qual costumo utilizar mais quando vou fazer algum tipo de compra?

E isso é perfeitamente normal. O dinheiro em espécie tem sido cada vez menos utilizado pelos brasileiros por conta de sua simplicidade e praticidade - isso não significa, porém, que as pessoas deixaram o dinheiro totalmente de lado. Uma pesquisa do Banco Central (Bacen) de 2018 identificou que 52% das compras em lojas físicas ainda eram pagas com dinheiro em espécie.

Muito da relação que temos com o dinheiro vem da forma com que o recebemos. Nessa pesquisa do Bacen foi identificado que 29% dos brasileiros ganham o salário com dinheiro em espécie - enquanto 48% costuma receber em forma de depósito em conta corrente, poupança ou salário.

Claro que, de 2018 para cá, muita coisa aconteceu. Tivemos a pandemia de Covid-19, que acelerou bastante a transformação digital, fazendo com que os brasileiros utilizassem cada vez mais os meios digitais de pagamento.

Os primeiros sinais já vieram no segundo semestre de 2020, ajudado pela queda das taxas de máquinas de cartão. Atualmente, existem mais de 123 milhões de unidades de cartões de crédito e 132 milhões de cartões de débito em operação. E esse número só tende a crescer daqui pra frente.

Mas, você sabe como funciona cada um desses tipos de cartões? Quais são suas vantagens e desvantagens? Vamos explicar todos os detalhes a seguir.

O que é e como funciona o cartão de débito

O cartão de débito é uma forma de ter acesso à sua conta no banco sem precisar fazer o saque do seu dinheiro. Em posse do cartão, basta utilizá-lo onde vai comprar e inserir uma senha de acesso. Pronto, você conseguiu efetuar seu pagamento!

Quando você cria a conta em um banco - seja de forma física ou digital - você recebe um cartão, que dá acesso à sua conta nos caixas eletrônicos e, na maioria dos casos, pode ser utilizado com a função de débito.

O cartão de débito nada mais é do que a utilização do valor da sua conta. Por isso mesmo, antes de passar a compra em um local, esteja assegurado de que possui dinheiro suficiente na sua conta. Do contrário, pode acontecer duas coisas:

  • Você não conseguirá passar a sua compra, e terá que escolher outra modalidade de pagamento;
  • Você poderá consumir o saldo de cheque especial da sua conta - um tipo de serviço que o banco oferece para cobrir um valor que você não tem e cobra juros por sua utilização.  

Para consultar os valores que possui em seu cartão de crédito, você pode acessar o aplicativo do seu banco (seja por celular ou computador) ou ir até um caixa eletrônico e solicitar o extrato - uma prática cada vez menos recomendada, devido ao isolamento social. Pelo telefone da sua instituição, você também pode saber quanto possui na sua conta.

Como solicitar cartão de débito

Na maioria dos casos, o cartão de débito já é entregue quando você abre uma conta no banco. De início, pode acontecer de receber um provisório, que já possui a função de débito habilitada.

Ao utilizar a sua conta, certifique-se de que o cartão de débito dá acesso à sua conta corrente. Também é possível ter cartões específicos para conta poupança e conta salário, que é um tipo de produto em que os encargos da instituição bancária são arcados pela empresa que faz o pagamento do seu salário.

Utilize o cartão de débito para suas compras diárias, mas sempre fique atento à quantidade gasta, para não estourar todos os seus recursos. Sua função é basicamente para pagamento à vista, que tem lá suas vantagens e desvantagens - como mostraremos a seguir.

Cartão de débito: vantagens

As vantagens de utilizar o cartão de crédito, como dissemos, são praticamente as mesmas de se pagar à vista.

Ao utilizar o cartão de débito, você não precisa contar com o dinheiro em espécie, o que facilita bastante na hora da transação. Esqueça ter que ficar contando o troco ou garantir a quantidade certa na hora de comprar por alguma coisa: com cartão de crédito, o operador digita o valor necessário a ser pago, e pronto, você já realiza o pagamento.  

Isso evita também o risco de sair com dinheiro em espécie e passar por algum tipo de imprevisto (como furto ou roubo). Aliás, caso algo aconteça com o seu cartão de débito, basta ligar para a instituição financeira e solicitar seu rápido cancelamento.

O desconto da sua conta corrente é feito na hora. Se você consultar o seu saldo antes de uma compra, e quiser verificar o quanto foi gasto, basta fazer a consulta novamente, e já verá o valor devidamente descontado.

Com acesso direto à sua conta, fica muito mais fácil realizar qualquer tipo de compra, sem ter a preocupação de manipular dinheiro em espécie. E, como o cartão de débito tem sido amplamente aceito na imensa maioria dos estabelecimentos, você não precisa mais se sentir tão inseguro de andar com pouco dinheiro.  

Cartão de débito: desvantagens

Para quem pretende fazer as compras à vista, realmente o cartão de crédito se apresenta como uma das melhores opções. Porém, é preciso ficar atento às suas desvantagens.

Uma delas é que você sempre precisa estar atento ao valor que possui na sua conta. Diferentemente do dinheiro em espécie, em que fica muito claro o valor que possui, que ajuda bastante na hora de se organizar para os seus gastos, o cartão de débito pode levar ao descontrole de utilização de sua conta, caso não acompanhe os seus gastos.

Caso tenha cheque especial habilitado na sua conta, tome atenção redobrada. O cartão de débito pode consumir esse valor automaticamente assim que seus recursos acabarem. Você pode pedir para o banco tirar essa opção, se preferir.

Além disso, é preciso tomar muito cuidado com a senha do seu cartão. Caso você tenha esquecido a numeração, você não conseguirá utilizar o seu saldo. Ao tentar inserir a senha, você só pode errar três vezes a numeração. Quando o limite de tentativas acontece, seu cartão é automaticamente bloqueado, e você precisa entrar em contato com a sua instituição financeira para lidar com a situação - que pode ser mais burocrática do que você imagina.

O que é e como funciona o cartão de crédito

Considerado uma das melhores formas de pagamento por alguns - e para a maioria dos brasileiros um vilão para se ficar de olho - o cartão de crédito cada vez mais passa a fazer parte do dia a dia das pessoas.

Sua adesão cresceu bastante nos anos 1990 e 2000, momento em que o brasileiro passou a comprar mais a prazo.

Apesar de muita gente saber como funciona, é importante resgatar o significado do cartão de crédito. Diferentemente da função de débito, o cartão de crédito não depende do valor que se tem na sua conta corrente. Você pode utilizá-lo sem ter dinheiro algum na conta.

Ao fazer a compra com o cartão de crédito, o valor passado compõe o que é conhecido como fatura. A fatura é um compromisso mensal, em que são listadas todas as suas compras em um período de um mês.  

Sempre que se realiza uma compra de cartão de crédito, é preciso observar quando essa compra será faturada. Para isso, as instituições determinam um período de vencimento - e, quando acontece a virada para o próximo ciclo, é comum que você seja comunicado como “o melhor dia para fazer compra”.

Na prática, funciona assim: digamos que você tenha recebido o seu cartão de crédito, com vencimento para todo dia 5 de cada mês. Isso significa que o dia 5 de cada mês é o prazo máximo para pagamento da sua fatura.

Essa fatura é fechada dentro de um ciclo. Na maioria dos casos, as instituições financeiras fazem o fechamento da fatura 10 dias antes do vencimento. Ainda no exemplo do cartão com fatura para vencimento no dia 5, digamos que o “melhor dia para compra” seja no dia 25. Caso o consumidor precise fazer o pagamento da fatura no dia 5 de maio, o período faturado é do dia 25 de março a 24 de abril. Isso significa que, caso queira usar o seu cartão de crédito no dia 25 de abril (o que pode ser considerado “melhor dia de compra”), fique tranquilo: o valor dessa compra só será faturado no ciclo seguinte, ou seja, 5 de junho.

Não existe uma regra para determinar qual seria o “melhor dia de compra” para o seu cartão. As instituições financeiras levam em consideração uma série de fatores, incluindo score e relacionamento com o banco.

Outro fator que deve ser considerado na utilização do cartão de crédito é o limite. Por mais que o cartão possa levar as pessoas ao descontrole, as instituições colocam um ‘teto’ do quanto você pode gastar utilizando o cartão.

Digamos que você tenha recebido um cartão com limite de R$ 5.000. Este valor deve ser considerado tanto para as compras à vista, quanto para compras parceladas.  

Digamos que sua fatura tenha ficado em R$ 3.000. Nessa fatura, existem duas compras parceladas: uma de R$ 1.000, dividida em 10 parcelas (que ficaria R$ 100 no primeiro pagamento) e outra de R$ 400, que você optou por dividir em 2x (sendo R$ 200 a ser pago na próxima fatura).

Sempre que se paga por uma fatura existe a liberação do limite. Isso significa que, ao confirmar o pagamento de R$ 3.000, você terá mais R$ 3.000 de limite liberados, que serão considerados para as próximas faturas

Mas, e quanto aos valores parcelados, como funciona? Bom, quando você parcela um valor, precisa contar com o limite integral do seu cartão. Se você tiver pago a fatura de R$ 3.000, considerando as primeiras parcelas das duas compras (parcela 1 de 10, em que pagou R$ 100; e parcela 1 de 2, em que foi pago R$ 200), a instituição financeira mantém seu limite considerando o restante a pagar das duas faturas.  

Como faltam 9 parcelas de R$ 100 (que totalizaria R$ 900) e uma parcela de R$ 200, significa que você teria um total de R$ 1.100 comprometidos do seu limite. Ainda utilizando o exemplo do limite de R$ 5.000, nesse caso significa que, para utilização, você teria R$ 3.900 de limite disponível para todo o tipo de compra com o seu cartão de crédito para os meses seguintes. Portanto, cada compra, seja à vista ou parcelado, consome do seu limite. E, quando você paga a sua fatura, obtém o valor pago como limite de volta para utilização.  

Para determinar o limite, a instituição financeira leva em consideração seu relacionamento com o banco, pagamento de outras contas e score.  

Caso o valor da sua fatura seja muito alto, você pode optar pelo pagamento mínimo ou até mesmo parcelar as suas faturas. Mas, tome cuidado com essa opção: ao optar pelo não pagamento integral da fatura, você deve se comprometer com um valor de juros que levará o valor original da fatura lá pra cima.  

Agora que você conhece bem como funciona o cartão de crédito, vamos abordar suas vantagens e desvantagens.

Cartão de crédito: vantagens

Apesar do cartão de crédito ser tido como vilão por algumas pessoas, com bastante organização e disciplina, ele pode ser um aliado importante nas suas compras.

A opção de compra parcelada pode ajudar bastante quando se deseja comprar itens de alto valor. Digamos que a geladeira da sua casa quebrou, por exemplo. A compra de uma nova pode comprometer bastante o seu orçamento. Uma boa alternativa é a utilização do cartão de crédito, em que você pode parcelar o valor da geladeira sem ter que gastar parte considerável do seu salário para isso.

Só fique atento aos parcelamentos das compras. Você pode fazer parcelamentos sem juros na maioria das vezes, o que representa um benefício importante, para que você dilua o valor da compra em diversos meses.

Quando se tem um bom limite, você consegue se organizar para realizar compras importantes de forma planejada. Sem falar que você não corre o risco de sair com um montante de dinheiro em mãos, já que se trata de um valor que será faturado, ou seja, para ser pago posteriormente.  

Quem utiliza programas de milhagens também aproveita os benefícios de utilização do cartão de crédito para organizar suas próximas viagens. Nesses programas, quanto mais você utiliza o seu cartão, mais pontos acumula. Esses pontos podem ser trocados por diferentes produtos ou até mesmo passagens de avião. Ao considerar esses programas, leia com atenção o regulamento.

A utilização do cartão ajuda bastante na facilidade de compras online. Ao inserir os dados em lojas confiáveis, fica fácil conduzir as suas compras e remanejar os parcelamentos. Em tempos de pandemia, em que as pessoas têm aderido cada vez mais ao e-commerce, o cartão de crédito pode ser um importante aliado nas suas compras.

Outra vantagem do cartão de crédito é ajudar a lidar com imprevistos, principalmente quando você está descapitalizado. Além do exemplo da geladeira, pense em outras situações que possam pegá-lo de surpresa: o computador importante para o trabalho que quebrou, algum eletrodoméstico, enfim, para tudo isso o cartão de crédito pode ser uma boa mão na roda.

Além disso, o cartão de crédito pode ser utilizado como instrumento para sua organização financeira. Caso opte por fazer todas as compras através de sua utilização, você pode criar seu próprio ciclo, jogando mais pra frente ou até mesmo parcelando as compras de maior valor.

Cartão de crédito: desvantagens

Apesar das facilidades, o cartão de crédito pode ser um vilão. Para se ter uma ideia, ele é o principal motivo do endividamento de quase 70% de todos os brasileiros, de acordo com pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

Atualmente, quase 80% das famílias brasileiras utilizam o cartão de crédito e, considerando suas desvantagens, isso pode ser um perigo para o planejamento orçamentário.  

Afinal, é muito fácil utilizar o cartão, sempre pensando em jogar a dívida mais pra frente. Isso porque o cartão de crédito dá a falsa sensação de que temos o dinheiro no momento da compra - antes mesmo de avaliar se, para a próxima fatura, o valor não ficará pesado demais.

Por conta dessa falsa sensação, muitos consumidores caem na tentação de comprar por impulso, principalmente quando esperam que a compra supra algum tipo de carência ou necessidade. Não é à toa que, infelizmente, o cartão de crédito é o tipo de pagamento mais utilizado em compras por impulsão.

Além disso, o cartão de crédito possui outras taxas que podem passar imperceptíveis por alguns consumidores. Um deles é a taxa de anuidade: algumas instituições condicionam a gratuidade dessa taxa pelo uso contínuo do cartão, o que pode gerar uma bola de neve financeira.

Deve-se levar em consideração também o cuidado ao utilizar o cartão de crédito, que pode estar passível a diversos tipos de fraudes. Caso você tenha o costume de fazer compras online, por exemplo, opte sempre pelo cartão digital. Afinal, compras desse tipo não precisam da senha, o que ajuda bastante os fraudadores. Portanto, seja guardião de todos os dados do seu cartão de crédito, para não passar por nenhum tipo de dor de cabeça.

Dicas importantes para lidar com cartões de crédito e de débito

Em comum, os cartões de débito e de crédito possuem a facilidade de utilização. Não é mais preciso ficar andando com dinheiro em espécie e, em caso de roubo, perda ou extravio, é bem simples solicitar seu prévio cancelamento junto à instituição financeira.

Por mais que seja de simples utilização, os dois tipos de cartões exigem diversos cuidados, principalmente quando o assunto é planejamento financeiro.

Para lidar com esses dois cartões, é importante sempre ter uma planilha de gastos ou utilizar algum aplicativo que ajude no controle das finanças pessoais. Por conta de sua praticidade, é muito fácil se perder nas contas. Quando se der conta, poderá ter gastado mais do que deveria em uma simples saída de casa, por exemplo.

Mantenha sempre o controle das suas finanças, independente do cartão que costuma utilizar. Se for necessário abrir a sua planilha de gastos diversas vezes ao dia, não tem problema, contanto que você acompanhe sempre a forma com que lida com os seus gastos.

É importante que você sempre mantenha o controle dos seus gastos, para não se tornar refém da facilidade de utilização desses meios de pagamento.

Com controle e muita disciplina, tanto o cartão de crédito quanto de débito podem ajudar a lidar com as compras do dia a dia. Caso precise fazer compras online - algo cada vez mais comum no dia a dia do brasileiro - opte sempre por sites confiáveis e utilize a opção de utilizar o cartão digital, função cada vez mais adotada pelas instituições financeiras.

Segurança é sempre um ponto importante e, por mais que você consiga entrar em contato para não se sair prejudicado em casos de fraude ou clonagem, pode acontecer de você não conseguir utilizar o seu cartão no momento em que mais precisa.

Evite a acumulação de diversos cartões de crédito. Embora muitas pessoas tracem essa estratégia a fim de obter mais limite, isso acaba facilitando para que você perca o controle das dívidas, gerando uma bola de neve difícil de lidar. Caso seja inevitável a utilização de mais de um cartão, redobre o cuidado: anote cada gasto, fique atento ao vencimento de cada fatura e se organize para evitar o pagamento de juros desnecessários por atraso ou por ser forçado a fazer algum parcelamento de fatura.

Agora que você aprendeu dicas importantes sobre como utilizar as funções de débito e crédito do seu cartão, que tal começar o seu planejamento financeiro para conseguir atingir seus objetivos? Confira as dicas para você começar desde já os seus investimentos.

Simulação Consórcio
chat Eva