Como fazer um planejamento financeiro em 2021

Como fazer um planejamento financeiro em 2021

Para conseguir realizar seus sonhos, é necessário ter um planejamento financeiro. O segredo é não esperar o mês terminar para ver quanto sobra, a proposta é organizar as finanças para garantir a conta sempre no azul, a fim de fazer seu dinheiro render e trabalhar por você.

Um dos pontos principais quando se trata de poupar é ter uma reserva financeira. Em primeiro lugar, ela pode ser uma alternativa diante de imprevistos, como perda do emprego, doenças e emergência familiar.

É importante ressaltar que este dinheiro deve estar sempre a parte dos custos mensais recorrentes. Como o próprio nome diz, a reserva de emergência é separada para casos atípicos, como levar o carro ao mecânico caso quebre e não tenha como pagar. Mas não poderá utilizar a quantia para fazer uma minirreforma na casa ou ter que pagar por aquele jantar que foi além do que você havia previsto.

Uma reserva financeira deve ser encarada como um projeto a médio e longo prazo. Dessa forma, você e a sua família conseguem se organizar para que o dinheiro destinado a esse fim não fique em falta no dia a dia.

O que é planejamento financeiro?

O planejamento financeiro é uma maneira de você prever os gastos e os ganhos atuais e futuros para tomar decisões mais assertivas e alcançar suas metas. O objetivo é fazer um diagnóstico da situação atual para pagar todas as contas, passar o mês de forma confortável e ainda conseguir investir.

O resultado é a melhoria da qualidade de vida e da sua educação financeira. Todo processo é ainda mais relevante diante do cenário atual do País, onde a inadimplência atingiu 63,8 milhões de brasileiros em janeiro de 2020, segundo a Serasa Experian.

O Raio-X do Investidor 2019, relatório da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), apresentou informações de que apenas 33% da população guardou dinheiro em 2018. Desse total, 71% alcançaram o objetivo devido ao corte de gastos.

Já em 2020, com o avanço da pandemia e a crise econômica, esses números aumentaram consideravelmente e pessoas que não tinham poupado nenhuma quantia sentiram a crise ainda mais forte.

Com todas essas mudanças acontecendo diariamente, a tendência é que mais pessoas façam seu planejamento no futuro e tenham dinheiro para deixar rendendo em algum tipo de investimento.

Para que serve um planejamento financeiro?

Qualquer forma de planejamento do orçamento pessoal ou familiar tem o objetivo de atingir as metas estabelecidas. Elas podem ir da formação de uma reserva de emergência à compra de um imóvel ou à conquista de uma aposentadoria confortável. Vai depender muito de qual for sua meta.

Para alcançar o seu objetivo, é necessário passar por algumas etapas. Por exemplo, se tiver dívidas, o planejamento financeiro visa à sua quitação em um primeiro momento. Dessa forma, paga-se o débito em aberto com mais rapidez e deixa-se de pagar juros.

Depois disso, chega o momento de formar sua reserva de emergência. Em outras palavras, guardar uma quantia suficiente para se manter, caso você perca a sua renda. Se já tiver passado por esses dois estágios, está na hora de investir.

Por esse motivo, o planejamento das finanças é o primeiro passo para garantir a autonomia e a tão desejada independência financeira. Esse é o único jeito para quem busca ter um futuro mais promissor, ainda que hoje tenha uma quantia limitada para investir.

É possível resumir essa estratégia com a seguinte frase do ex-presidente dos Estados Unidos, Thomas Jefferson: “Nunca gaste seu dinheiro antes de recebê-lo”. Essa é a verdadeira base da educação e do planejamento financeiros.

Qual a importância de um planejamento financeiro?

Pensar sobre as suas finanças permite tomar melhores decisões a longo prazo. Quando você sabe quanto tem a pagar e o montante que vai receber, passa a não  ter dúvidas sobre o impacto que determinada ação terá no seu orçamento.

Também é necessário ter muita disciplina e responsabilidade. Não se deixe levar pelas circunstâncias e realize apenas o que está ao seu alcance. Você vai perceber  que existem muitas vantagens ao realizar o planejamento financeiro. Entre as principais estão as que listamos na sequência.

Melhoria da qualidade de vida e dos hábitos de consumo

Inclua o consumo consciente na sua rotina. Essa é uma maneira de evitar gastos exagerados, viver melhor e guardar seu dinheiro para investir. Também é preciso levar em consideração a necessidade de uma adequação dos hábitos familiares à realidade financeira. Um aprendizado tanto para você quanto para quem está próximo.

Redução das dívidas

Estar endividado é uma realidade para milhões de brasileiros, como já foi mencionado. Mais do que o total de inadimplentes, todas essas pessoas basicamente vivem acreditando que o cartão de crédito é uma extensão de salário e, muitas vezes, afirmam que “limite é renda”.

Essa realidade é extremamente negativa, porque confunde oportunidades de empréstimo e financiamento com o orçamento disponível. Além de tudo, há aplicação de juros nessas condições. O mais recomendado é pagar à vista e manter as contas em dia.

Manutenção dos gastos sob controle

Achar que a renda disponível é pouca para um mês muito longo pode ser um sinal de finanças desequilibradas. Tenha o controle de todos os seus gastos e saiba quanto de dinheiro entra e sai com o passar dos dias. Esse monitoramento é essencial para garantir o equilíbrio do seu orçamento.

Eliminação de gastos desnecessários

Pagar TV a cabo, internet, serviços de streaming, academia, restaurantes e outros pode até parecer fazer sentido para você. Mesmo assim, avalie o que é realmente necessário.

Comece a observar que é supérfluo, quais itens são menos utilizados e se o impacto na sua qualidade de vida será grande. Considere o custo-benefício para tomar decisões inteligentes.

Proteção e construção do seu patrimônio

Tenha um futuro tranquilo fazendo o planejamento financeiro a partir agora. Assim, caso ocorram imprevistos, eles causarão menos impactos. Além disso, cuidar do seu orçamento é também um jeito de tomar conta de si próprio e de sua família, e dessa forma, garantir mais qualidade de vida agora e no futuro.

   • Compra de imóveis e carros;

   • Possibilidade de mudança para outra cidade ou país;

   • Constituição ou aumento de sua família;

   • Realização de viagens;

   • Melhoria do padrão de vida;

   • Realização de cursos;

Esse é um processo de autoconhecimento. Tenha sempre em mente o que é importante para você. Em seguida, faça algumas suposições de custos para poder atingir todas as suas metas. Calcule seus gastos atuais e compare-os.

Nessa etapa, é mais importante começar a fazer previsões do que estar certo. O propósito é ter uma noção da sua realidade financeira para se planejar e se motivar.

Controle seus gastos

Saiba quanto, onde e quando gastou seu dinheiro. Parece exagerado? Mas não é. Caso não tenha essa visão, é impossível fazer um bom planejamento financeiro.

Nesse processo, use uma planilha ou um aplicativo financeiro. Lembre-se de anotar tanto os gastos quanto os ganhos, e realizar previsões para os próximos meses. Funciona da mesma forma que uma empresa: se você realiza estimativas, sabe quando se preocupar e encontrar alternativas.

Caso tenha dívidas, insira todas elas e o total de parcelas restantes. Tenha em mente que, durante esse processo, é normal ter surpresas com a quantia gasta. Conhecer sua situação atual é primordial para melhorar suas finanças.

Elimine ou reduza gastos supérfluos

Mencionamos anteriormente sobre a eliminação de gastos desnecessários. Já notou que eles ocupam uma parcela significativa do orçamento? Esse é o momento para fazer alguns cortes.

Leve em consideração o que é mais importante e faça mudanças na sua rotina. Avalie os serviços que não utiliza e cancele-os. Deixar de pagar, ainda que seja um valor pequeno, contribui para o alcance dos seus objetivos.

Elabore um orçamento

Após refletir sobre todos os seus gastos, chega o momento de estabelecer um orçamento, reveja suas metas e quando será capaz de realizá-las.

Saiba que ter apenas um número e um prazo longo se torna desmotivador. Para aumentar o seu engajamento, divida os objetivos e detalhe-os bem. Uma boa sugestão é usar a metodologia SMART, que prevê metas:

   • (S) Específicas;

   • (M) Mensuráveis;

   • (A) Atingíveis;

   • (R) Relevantes;

   • (T) Temporais.

Sendo assim, se quiser construir sua reserva de emergência, essa é uma opção para começar a se adaptar. Você pode  definir o valor que quer dar início, pode ser 20, 50, 100 reais, mas comece com algo que consiga cumprir.

Comece a poupar

Economizar, poupar e investir parecem iguais, mas são conceitos bem diferentes. O primeiro se refere a gastar menos do que hoje. Mas isso não quer dizer que vai sobrar dinheiro. Caso você tenha dívidas, por exemplo, toda sua renda vai estar comprometida, mesmo que tenha gastado menos.

Poupar já consiste em guardar dinheiro. De toda a sua renda, você paga as contas e outros gastos, e ainda consegue fazer sobrar um dinheiro. Essa etapa é a chave para entrar no mundo financeiro e fazer aplicações, o próximo estágio.

Invista

Essa é a parte que você começa a aplicar e obter rendimentos. Sendo assim, defina uma estratégia. Entenda qual é seu perfil de investidor — conservador, moderado ou arrojado — e sua tolerância a perdas. Como investidor, em qualquer estágio, mas especialmente quando se está no início, vale a pena dar prioridade à proteção do seu dinheiro.

Você irá perceber que existem possibilidades para investir quantias pequenas. O importante é ter acesso a uma grande variedade de produtos e diversificar as formas de investimento. Assim, qualquer barreira é eliminada e seu dinheiro começa a render.

Lembre-se que diversificar a carteira consiste em investir em diferentes produtos, pois isso reduz o risco e aumenta o potencial de rendimento.

Nessa fase, escolha uma instituição que ofereça variedade de produtos e uma plataforma de investimentos estável. Isso aumenta o potencial de retorno.

Invista em um consórcio

A maior parte das pessoas sonha em ter a sua própria casa, principalmente, para ficarem livres do aluguel. Ainda assim, nem todas têm uma disciplina rigorosa para poupar uma quantia fixa de dinheiro todos os meses e conseguir realizar esse sonho.

Além disso, infelizmente, poucos sabem que consórcio é investimento, além de ser um dos caminhos mais eficientes para ajudar na conquista do imóvel.

O consórcio garante um investimento seguro e, além de tudo, consiste em uma das melhores opções do mercado. Atualmente, também é uma das mais procuradas para quem quer atingir essa meta.

Para que você entenda melhor, vamos te apresentar as 8 principais vantagens ao optar pelo consórcio quando pensar em investimento.

1. Você não paga juros

Quando comparado com as demais formas de investimento de bens, como financiamento, por exemplo, o consórcio oferece uma das maiores vantagens, que é poder efetuar o pagamento das parcelas sem juros. Apenas uma taxa de administração é embutida nas parcelas e ela é bem mais baixa do que a taxa dos juros aplicada nas demais modalidades de compra.

Para resumir essa questão, quando comparamos o consórcio com outras formas de pagamento a prazo, o valor que será pago ao final do período de quitação será, sem dúvidas, mais baixo. Tal benefício faz do consórcio uma ótima opção de investimento em longo prazo. Sim, consórcio é investimento!

2. Zero de entrada

Quando um financiamento é feito, existem alguns valores de entrada que são exigidos. No consórcio, esse valor não é solicitado.

Fora isso, é válido ressaltar que não existe a necessidade de fazer comprovação de renda quando se investe em um consórcio. Isso ocorre apenas no momento em que o investidor é contemplado.

3. A educação financeira é trabalhada

Atualmente, a educação financeira tem sido vista como um dos pilares mais relevantes para a realização de um sonho, seja familiar, seja pessoal. A partir dessa realidade, as adesões aos consórcios crescem cada vez mais. Isso não ocorre por acaso. O consórcio possibilita a formação de poupança com os valores que serão destinados para as parcelas todos os meses.

Em outras palavras: propicia ao investidor a programação da compra de um bem com mais segurança e garantia. Além disso, tem sempre o objetivo de concretizar um sonho, ou de ampliar o seu patrimônio empresarial ou pessoal.

Então, nada melhor para educar a disciplina financeira do que investir o seu dinheiro mensalmente, não é mesmo?

Em um consórcio imobiliário, por exemplo, tal investimento é feito por meio do pagamento das parcelas mensais.

4. O seu poder de compra é garantido

O poder de compra do investidor é mantido ao fazer a aquisição do consórcio, uma vez que o valor da carta de crédito é reajustada todos os anos.

O índice de reajuste segue o que foi combinado no contrato e serve de base para as atualizações.

Resumindo, enquanto o investidor não for contemplado, ele vai poder ficar tranquilo, pois saberá que o seu poder de compra está garantido.

Vale lembrar que existem índices utilizados para tais reajustes:

Para imóvel

O valor da carta de crédito acompanha o reajuste das parcelas (INCC – Índice Nacional de Custo da Construção), o que mantém o poder de compra.

‍Para automóvel

Em regra, as administradoras seguem a tabela do fabricante, mas podem também seguir a tabela FIPE (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas).

Essa tabela define o preço médio dos veículos no mercado brasileiro, oferecendo um parâmetro para as transações de carros, caminhões, ônibus e motos.

Caso não exista um automóvel como referencial, a administradora ainda poderá se basear no aumento ou na redução do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) ou do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que corresponde à inflação oficial.

5. Você pode adiantar contemplação graças aos lances

Sabe aquele dinheiro que você vai poupando quando é possível? Você pode utilizá-lo para dar lances todos os meses, até o momento de ser contemplado.

Assim, caso o seu lance seja o vencedor, o imóvel será adquirido antes do prazo previsto. Mas lembre-se de que para ofertar lances, é preciso estar com todas as parcelas em dia, certo? Lembrando que os valores dos lances podem variar conforme as regras do contrato e, claro, conforme as ofertas dos consorciados.

Então, faça sempre uma consulta sobre as estatísticas de lances para analisar as suas chances.

6. Você pode utilizar seu FGTS

O investidor tem a possibilidade de fazer a utilização do seu FGTS para amortizar ou liquidar o saldo devedor, oferta de lances, pagamento de parcelas do consórcio ou até complementação da carta de crédito. Nessa situação, quando o valor do imóvel desejado for maior do que o valor da carta.

Esse tipo de operação pode ser realizado pela própria administradora. A empresa também pode indicar uma instituição financeira para o procedimento, desde que sejam conveniadas.

É importante lembrar que esse recurso é utilizado apenas para o segmento de imóvel. O consorciado tem a possibilidade de usar o saldo do FGTS para dar lance ou aumentar o valor do crédito.

7. Valores atualizados ao fim do consórcio

Outra vantagem desse tipo de investimento é: quando um cotista, que não foi contemplado, termina de pagar o seu consórcio e está pronto para receber a sua carta de crédito, tem os valores investidos atualizados.

Isso significa que a carta de crédito que é recebida ao final da quitação vai levar em consideração a inflação e a variação monetária sofrida em todo o período.

Em outras palavras, o investidor não perderá nada do seu investimento.

8. Os mesmos benefícios de uma compra à vista

A compra de um imóvel ocorre como se o pagamento fosse feito à vista quando você tem em mãos a carta de crédito e é contemplado.

Essa é uma facilidade que vai garantir menos burocracia com as documentações e, ainda, uma negociação bem mais lucrativa.

Enfim, estamos falando de uma excelente opção para aqueles investidores que são disciplinados financeiramente, ou que desejam ser.

Além disso, o consórcio é um ótimo investimento em longo prazo, pois não tem os juros que o financiamento cobra.

É necessário reforçar que o consórcio não é um investimento para aqueles que desejam ter um retorno rápido. Contudo, é possível acelerar a contemplação de algumas maneiras, como por meio dos lances. Nesses casos, o investidor pode adquirir o bem mais rapidamente. Também pode aumentar o patrimônio ou obter lucratividade e renda a partir dele.

Para resumir, pode-se perceber, após tantas vantagens apresentadas, que o consórcio é uma ótima alternativa de investimento para quem deseja ter segurança e acessibilidade na hora de aplicar o seu dinheiro.

Assim, consórcio é investimento do tipo ideal para quem não tem disciplina na hora de economizar. E, também, para quem tem um bom capital em mãos e busca aumentar seu patrimônio a custos baixos.

Então, assim que for fazer o seu consórcio, não deixe de buscar uma administradora que esteja autorizada pelo Banco Central, pois, assim, o seu investimento não vai correr riscos!

O planejamento financeiro pode ser mais simples do que parece. Ainda que tenha várias etapas, vale a pena seguir as dicas para organizar seu orçamento a partir de agora.

E aí, ficou interessado em investir por meio de um consórcio? Então, faça uma simulação agora mesmo e conheça os nossos serviços. Somos uma empresa reconhecida e com tradição no mercado de consórcios!
Simulação Consórcio
chat Eva