Poupar dinheiro com o consórcio? É possível, sim!

Poupar dinheiro com o consórcio? É possível, sim!

Desde criança muitas pessoas ouviram dos pais sobre a importância de poupar dinheiro para o futuro.

Ter um bom montante guardado ajuda a planejar melhor o futuro e se precaver de imprevistos indesejáveis. Sem falar na segurança garantida para toda a família, que pode conquistar bens para um futuro mais próspero.

O problema é que, por mais que o brasileiro saiba da necessidade de guardar dinheiro, manter esse hábito ainda é um desafio. Um levantamento realizado pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) identificou que 66% das pessoas que fazem parte das classes A e B não conseguiram poupar nenhuma parte de seus rendimentos mensais.

Ao abranger as demais classes sociais, esse número fica ainda maior, atingindo um patamar de 70% de não poupadores. Afinal, com menos recursos é bem mais complicado manter o hábito de guardar dinheiro, já que muitos deles precisam se esforçar para deixar as contas em dia.

Mas, por que será que é tão difícil poupar dinheiro aqui no Brasil? A seguir, vamos mostrar alguns fatores importantes que contribuem para isso.

Perfil de consumo do brasileiro

Um estudo da Nielsen publicado em 2019 traçou alguns dos principais perfis dos consumidores brasileiros. A grande maioria deles tem hábitos que acabam favorecendo o comprometimento das despesas mensais no dia a dia.

A seguir vamos explicar um pouco sobre esses perfis:

   • Consciente pragmático: são pessoas que se preocupam com o aumento do custo de vida e com os serviços públicos. Pertencentes às classes C, D e E, buscam uma vida estável e compram de marcas mais em conta, mantendo um comportamento mais prático e tradicional. Geralmente faz compras sozinho e não abre mão de suas escolhas de consumo.

   • Equilibrista: também conhecido como perfil ‘negociante’, busca escolhas inteligentes para conseguir consumir o que deseja. São integrantes da classe C que, mesmo apertados financeiramente, não abrem mão de socializar com os amigos e deixarem-se influenciar pela propaganda. Por conta disso, acabam desembolsando mais que o previsto ao fim do mês.

   • Consciente sonhador: também conhecido como ‘tranquilão’ e saudável, esse perfil é mais encontrado nas classes C, D e E e mantém hábitos mais saudáveis, indo mais ao hortifruti e às feiras ao longo do mês. Geralmente são atentos às listas de compra e está disposto a pagar mais caro por marcas sustentáveis.

   • Conectado: muito provavelmente você já deve ter identificado pessoas com este perfil. São jovens das classes B e C que estão sempre online, não deixam de ir a festas e gostam de imaginar um futuro conectado à evolução profissional. É um perfil que valoriza ações que criem experiência e exclusividade com as marcas, bem mais propenso à compra pela internet.

   • Aspiracional: perfil que compreende pessoas das classes A, B e C e que gosta muito de viajar. Está mudando seus hábitos como forma de contribuir para o bem-estar próprio e do meio ambiente. É um perfil que consome muita informação e gosta de experimentar muitas coisas novas.

Segundo a pesquisa, a maioria dos brasileiros fazem parte do perfil equilibrista (27%), seguido pelos aspiracionais (22%) e os conscientes pragmáticos (21%). Por fim vêm os perfis conectados e conscientes sonhadores, com índice de 15% cada.

É comum que muitos brasileiros reúnam características de mais de um perfil. O que vale é perceber como alguns desses hábitos acabam dificultando a prática de poupar dinheiro.

Por que é tão difícil poupar?

As altas dos preços e a baixa rentabilidade média do brasileiro são fatores que contribuem para uma maior dificuldade de poupar.

Além disso, o brasileiro não aprende na escola como ter uma educação financeira saudável. Por conta disso, acaba adquirindo hábitos de consumo desde cedo e, muitas vezes, mantendo uma relação reativa com o dinheiro: se tem pouco, é se virar com o que tem da melhor forma possível.

Dos poucos que ainda conseguem guardar dinheiro, a imensa maioria ainda recorre à poupança. Isso porque, de acordo com a mencionada pesquisa do SPC, os brasileiros querem se proteger contra imprevisto (identificado por 49% dos entrevistados) e garantir um futuro melhor para a família (40%) de forma acionável com a caderneta.

O problema da poupança

Nos últimos anos cada vez mais especialistas têm endossado que a poupança não deveria mais ser uma opção de juntar dinheiro para o brasileiro.

Tudo isso por conta de uma conta bem simples. Com rendimento médio de 3% ao ano, a poupança rende menos que a inflação ao longo do ano. Isso significa que manter o dinheiro guardado por lá faz com que você diminua o seu poder de compra a médio e longo prazo.

Afinal, a inflação serve como medida de correção do índice geral de preços. Por exemplo, digamos que itens que você costuma comprar de forma rotineira, como a cesta básica, aumentem em torno de 7% de um ano para outro. De certa forma outros produtos e serviços também são corrigidos pela inflação. Isso significa que, ao resgatar o seu dinheiro 1 ano depois, por exemplo, seu poder de compra será menor - já que rendeu cerca de 3% do que você colocou inicialmente.

Se você não quer mais que o seu dinheiro renda menos, precisa avaliar outras formas. Caso já tenha um bem em mente que deseja adquirir, pode muito bem ter o consórcio como aliado para poupar dinheiro. Como? Vamos explicar a seguir.

Consórcio: uma forma de educação financeira

O consórcio permite que você tenha uma relação saudável com o dinheiro por ser uma aplicação a longo prazo.

Quando você escolhe um bem para investir - como um carro, imóvel ou serviço - está garantindo que o seu poder de compra não será afetado no processo.

Além disso, a modalidade garante o investimento em um bem que pode render um bom dinheiro no futuro.

Confira algumas formas de utilizar o consórcio a seu favor para poupar dinheiro.

Concentre seu rendimento onde realmente importa

Conquistar um novo carro ou a própria casa são parte dos sonhos da maioria dos brasileiros.

Aliás, muitas vezes as pessoas juntam dinheiro para garantir melhor bem-estar para a família. Sem falar que um patrimônio pode garantir rentabilidade por muitos anos, estendendo-se a algumas gerações em muitos casos.

Se você quer se planejar a longo prazo, o consórcio pode ser a melhor forma. Você pode investir em um imóvel, por exemplo, sem ter que pagar juros ou entrada. Enquanto isso, pode ir controlando seus rendimentos mensais, com a certeza de que estará investindo em um bem que vai render bons frutos no futuro.

Um ponto importante do consórcio é que o valor da carta de crédito em que você investe tem correção anual dos índices inflacionários.

Ou seja, se você passou a investir em um imóvel de R$ 300 mil hoje significa que, ao ser contemplado, terá à disposição uma carta com o valor corrigido de acordo com o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado). Esse acréscimo é previsto na mensalidade, para garantir que você esteja se concentrando em um bem que não perde seu valor por conta da inflação ou das oscilações econômicas.

Com um alto valor em mãos, você consegue investir no bem que deseja e ir compondo seu patrimônio aos poucos.

Não perca dinheiro com financiamento

Não recorrer ao financiamento também é uma forma de poupar dinheiro.

Pense na compra de um automóvel. Muitas pessoas acabam se empolgando na compra daquele carro que sempre quis ter. E, por conta disso, cedem às exigências das instituições financeiras, que dão possibilidade de parcelar a longo prazo e já sair com o carro na hora.

O grande problema do financiamento, você sabe, são os juros. E quanto menor é o valor de entrada que você dá, maior é o percentual de juros que você irá pagar ao longo dos meses.

É por isso que muitas pessoas acabam associando uma compra relacionado ao bem-estar, como o automóvel, como um prejuízo. E, muitas vezes, porque esquecem de calcular o valor que acabam comprometendo por conta dessa escolha.

Na hora em que você fecha o contrato de financiamento, o banco já realiza o cálculo de juros de forma bem simples: o quanto você pagou versus o quanto falta pagar.

Nesse processo, é comum que o consumidor pague a prazo pelo dobro do valor do bem. Assim, um carro popular de R$ 40 mil pode chegar a R$ 80 mil a prazo.

O consórcio é uma modalidade diferente. Sem ter que pagar juros ou entrada, você investe na carta de crédito, correspondente ao valor do carro, e participa dos sorteios mensais. Se você tiver um bom valor, pode ofertar como lance e antecipar as últimas parcelas.

Seja via sorteio ou lance, o consórcio permite uma economia considerável ao parcelar a compra de um bem de alto valor. Isso porque valores como taxa de administração, que servem para remunerar as empresas de consórcio, e o fundo reserva, que garante que todos receberão seus bens ao se comprometer com as parcelas, não passam de 20% do total do bem. Assim, você poupa bem mais dinheiro na compra a prazo.

Poder de compra à vista com a carta de crédito

Outra vantagem importante do consórcio é a garantia do poder de compra à vista do bem.

Quem costuma negociar sabe: bens de alto valor costumam ter um desconto considerável quando transacionados à vista.

E, sim, o consórcio também acaba sendo um benefício a seu favor na hora da compra.

A carta de crédito é diretamente transferida para o proprietário, em sua totalidade. Ou seja, na hora de efetuar a transação daquele apartamento que você espera há meses, você dará o valor total na compra. Isso pode gerar um desconto de até 10%, dependendo do proprietário.

Imagine que você tenha uma carta de R$ 400 mil à disposição, por exemplo: significa uma economia de R$ 40 mil, caso obtenha o desconto. E este valor pode ser utilizado para outras despesas com documentações e burocracias. Compensa, não é mesmo?

Consórcio: forma de construir patrimônio

Muitas pessoas começam a pagar consórcio para começar a construir seu próprio patrimônio.

São pessoas que estão em uma fase da vida em que podem se planejar melhor para o futuro. Elas já têm sua casa própria e o seu automóvel do dia a dia. Por isso, acabam tendo mais paciência para investir com calma em um bem de alto valor que pode gerar rendimentos extras.

A seguir, vamos mostrar formas de aumentar seu patrimônio com os diferentes produtos do consórcio.

Consórcio de imóveis para poupar dinheiro

Se a ideia é pensar a longo prazo, você não precisa de pressa. Por isso, pode confiar no consórcio de imóveis.

Com cartas de crédito que podem ser divididas em até 240 meses - sempre contando com a correção do INCC, para que você não perca dinheiro com a desvalorização do bem - não faltam opções para aumentar seu patrimônio e poupar um bom dinheiro. Confira algumas delas.

Aluguel de casa ou apartamento

Por muitos anos o brasileiro associou a construção de riquezas à compra de imóveis. E realmente compensa concentrar parte de seus bens nesse segmento, afinal, trata-se de algo a longo prazo que, na maioria das vezes, tende a valorizar (e, mesmo em baixa, pode garantir boa rentabilidade).

É pensando nisso que muitas pessoas investem em consórcio para a compra de uma casa ou apartamento que podem colocar para aluguel. Caso tenha um alto valor à disposição, é possível fazer a oferta de um lance e já sair com o bem praticamente quitado. Assim, o valor que conquistará com o aluguel pode compor parte dos seus rendimentos mensais.

Durante o pagamento, você também pode utilizar o dinheiro arrecadado com a locação para ir quitando aos poucos a mensalidade.

Empreendimento comercial

Também é possível investir em um consórcio de imóveis para um empreendimento comercial. Afinal, quem é proprietário do imóvel possui um custo a menos mês a mês e pode até mesmo vender o imóvel, caso não dê certo.

Muitas pessoas também procuram o consórcio para alugar empreendimentos comerciais. Se você conseguir comprar um bom ponto comercial, consegue facilmente alugar por uma boa quantia para os interessados. Essa é uma boa forma de manter uma rentabilidade mensal à parte e conquistar um montante mais considerável na hora de poupar dinheiro.

Compra de terreno

Existem muitas empresas e empresários interessados na compra de terreno na hora de montar um novo empreendimento ou mesmo uma filial.

Além disso, existem pessoas que querem começar a construir a casa própria do zero, tijolo a tijolo. Dependendo do bairro e do interesse das pessoas por ele, você pode lucrar bastante com a compra e venda de um terreno.

Isso também é possível por meio do consórcio. Assim, você consegue adquirir um bem que pode valorizar bastante ao longo dos anos - e, se quiser, até construir mais um imóvel, para alugar, vender ou até mesmo empreender.

Consórcio de automóveis para poupar dinheiro

Uma ótima forma de utilizar o consórcio a seu favor na hora de comprar um carro é economizar no pagamento a prazo.

Porém, existem formas de poupar dinheiro e até aumentar o seu patrimônio com consórcio de automóveis.

Compra de seminovos

A grande vantagem de carros seminovos é a possibilidade de pagar por um valor mais justo do bem. Se você realmente deseja poupar dinheiro, considere a compra de um seminovo em boas condições para você e para sua família.

Além de pagar mais barato, você pode circular o seminovo sem grandes prejuízos. Ou seja, se quiser comprar um carro este ano, na hora de vender ano que vem não perderá na transação. Inclusive, pode dar o seu usado na oferta de lance do consórcio de automóveis e sair com um mais novo, garantindo uma boa economia.

Como poupar com o consórcio de serviços

Outra modalidade que pode oferecer ótimas vantagens na hora de poupar é o consórcio de serviços.

Com cartas de crédito entre R$ 15 mil e R$ 30 mil, que podem ser divididos em até 30 mensalidades, você pode investir no seu lazer e bem-estar sem se preocupar com seus rendimentos mensais.

Confira algumas dicas para usar o consórcio a seu favor em cada uma das modalidades.

Economize com consórcio de viagem

Os compromissos do dia a dia acabam exigindo mais das nossas economias do que gostaríamos. Assim, fica difícil se preparar para aquela merecida viagem, sozinho ou com a família, para aproveitar e conhecer novos lugares.

Ao optar por um consórcio, você consegue se programar aos poucos para não ter um gasto exorbitante e comprometer o salário adicional que ganha com as férias, por exemplo. Portanto, se organize para pagar aos poucos e garantir uma experiência incrível, que ficará marcada para sempre.

Poupe na hora de organizar festas

Não encare datas importantes, como a festa de 15 anos, primeiro aniversário do filho ou mesmo o casamento como uma despesa. Se você se organizar com o consórcio de festa, pode ir pagando tranquilamente uma mensalidade que não vai pesar no seu bolso.

No fim das contas, quando for contemplado, terá tudo pago e poderá curtir tranquilamente, sem ter que gastar mais dinheiro com despesas adicionais.

Planeje a reforma da sua casa

Você sabia que o consórcio de reforma é a modalidade mais contratada de consórcio de serviços?

Isso porque as pessoas querem deixar seu lar mais aconchegante. Vale lembrar que, além de investir no seu bem-estar, uma boa reforma pode ser imprescindível para seu empreendimento emplacar um preço melhor de locação ou até mesmo despertar mais interesse de compra.

Quem encara reforma como investimento geralmente tem ótimos retornos já a curto e médio prazo. Afinal, quem não deseja morar em um imóvel bem organizado e reformado?

Invista nos seus estudos

Sim, estudo é investimento. E muitas pessoas acabam se assustando com o valor das mensalidades de algumas faculdades. Quem considera fazer intercâmbio muitas vezes sente dificuldade de se preparar financeiramente, ou porque está pagando o valor da universidade, por manter as despesas de casa ou não dispor de um bom salário para investir no sonho.

Nesse caso, pensamento a longo prazo é importante. Com o consórcio de estudos, você pode investir aos poucos na faculdade do seu filho ou até mesmo na melhora do seu próprio currículo.

Para isso, conte com a flexibilidade do consórcio. Comece pagando por uma carta que não vai comprometer seus rendimentos mensais e organize-se aos poucos para investir em você mesmo. Com o consórcio de estudos, é mais fácil vislumbrar um intercâmbio no exterior ou a pós-graduação que você sempre adiou.

Vantagens do consórcio

Deu pra perceber que são inúmeras as vantagens de investir em consórcio, não é mesmo? Você economiza ao comprometer um percentual menor dos seus rendimentos mensais na compra de bens de alto valor e pode até gerar uma renda extra na transação desses bens.

Caso queira facilitar uma conquista a longo prazo, seja investindo na sua capacidade com estudos ou no seu bem-estar com uma bela viagem com a família, o consórcio de serviços acaba sendo uma grande ajuda.

Sem falar que, com o poder de compra à vista garantido pela carta de crédito, aumentam as chances de conseguir um bom desconto nas transações. Tratando-se de bens com valor acima de 5 dígitos, pagar até 10% a menos por uma casa, apartamento, carro, moto ou até mesmo alguns dos produtos do consórcio de serviços representa uma vantagem considerável quando comparado a qualquer outra modalidade de pagamento.

Ajude a preparar um futuro melhor para você com o consórcio. Não deixe de investir em produtos rentáveis olhando a longo prazo, como a previdência ou outras modalidades de renda fixa e variável. Entenda o consórcio como parte do seu portfólio de investimento - com a diferença de que ele pode fazer com que você poupe dinheiro e até mesmo aumente seu patrimônio, já que tem um bem de alto valor envolvido.

O importante é fazer com que seu dinheiro renda mais. Para isso, não dá mais para contar com a poupança, não é mesmo? Se quiser conhecer a fundo as vantagens de se fazer um consórcio, confira nosso passo a passo na hora de investir em seu próximo automóvel, imóvel ou serviço.
Simulação Consórcio

chat Eva