As dicas mais valiosas para sair do vermelho

As dicas mais valiosas para sair do vermelho

Depois de um ano desafiador em que muita gente perdeu o emprego, e o custo de vida subiu muito, estamos retomando a economia e esse é o momento ideal de recuperar o tempo perdido para sair do vermelho. De acordo com o Serasa, em 2020 63,2 milhões de brasileiros estão com dívidas atrasadas e CPF negativado, o que representa 40,4% da população adulta do país.

O problema é que ficar devendo pode virar uma bola de neve e é mais comum do que se imagina. Qualquer imprevisto, um gasto mais alto, débitos no cartão de crédito podem virar uma dívida, e o juros vai fazendo com que fique impossível de quitar. Por isso, juntamos algumas dicas para quem quer sair do vermelho, com determinação e planejamento. Confira a seguir:

O seu diagnóstico

O primeiro passo para conseguir sair do vermelho é entender o tamanho da sua dívida. Pode parecer simples, mas muita gente ignora o valor total. O simples ato de colocar tudo em uma planilha para saber o valor total faz com que você tenha mais noção da sua real situação e assim consiga se planejar para sair desse problema. Essa etapa chamamos de diagnóstico.

É interessante, colocar nessa planilha além do valor das suas dívidas, uma  análise de quanto é o seu gasto mensal e qual a porcentagem que você recebe por mês para cobrir essa dívida. A partir disso, calcule todos os seus gastos fixos, incluindo os gastos variáveis, como restaurantes, cuidados pessoais, compras.

A partir disso, você consegue entender exatamente quanto ganha, quanto tem de dívida, e quanto você gasta todo mês. E com isso, é mais fácil entender qual é a possibilidade de pagar essa dívida, sabendo também onde é possível cortar gastos e assim montar um planejamento mais detalhado.

Existem alguns aplicativos que podem te ajudar com essa missão, e alguns bancos já discriminam no seu próprio cartão de crédito qual tipo de gasto você tem mais. Ou seja, se você tem um grande gasto em delivery, por exemplo, você consegue entender que esse é um dos gastos que você deve cortar mais cedo.

Saiba quais são as suas prioridades

Na hora de começar a pagar suas dívidas, priorize as que geram mais juros. Cartão de crédito e cheque especial devem ser a prioridade. Os juros fazem com que essas dívidas dobrem e até tripliquem em poucos meses.

Encontre formas de trocar uma dívida com juros altos por opções que não sejam tão agressivas. Uma ótima forma de liquidar as suas dívidas também é fazendo um consórcio. Você pode pedir uma carta de crédito do tamanho da sua dívida e ir pagando um valor mensal, sem variações.

Uma das maiores dicas para esse caso é a vantagem de contratar um consórcio. Assim, você não tem a cobrança de juros e sabe exatamente o que está pagando até o final do contrato. O que facilita muito o seu controle de gastos e você consegue prever quanto está contribuindo para isso acontecer.

A maior vantagem é que com o consórcio a qualquer momento, você pode ser sorteado, o que faz com que os seus grandes sonhos estejam cada vez mais perto.

Renegocie, renegocie e renegocie

Essa é a palavra da vez para você conseguir sair do buraco. Converse com os seus credores. Quanto mais você abrir com eles sobre a sua situação, mais opções você pode ter, inclusive com menos juros e multas. Também existe a opção de você pagar o valor total da dívida de uma vez só com desconto. Isso inclusive traz opções de diminuição de valores.

Pense no futuro

Essa dica pode parecer óbvia, mas não é. Para não ter mais dívida não faça mais dívidas. Um dos primeiros passos para conseguir se reorganizar é mudando os hábitos que você manteve anteriormente e te fizeram chegar naquela dívida.

Faça o que puder para gastar mais consciente, evite grandes parcelamentos e corte gastos desnecessários. Também evite comprar por impulso, isso fará com que a sua vida financeira seja mais saudável e que o dinheiro sobre no final do mês.

Com dinheiro sobrando você consegue antecipar parcelas das suas dívidas e fazer com que ela desapareça antes do planejado - o que também faz com que você pague menos juros. É muito importante também pensar em uma reserva financeira para que, depois de pagar as suas dívidas, você possa ter um valor guardado para não precisar recorrer novamente a cheque especial e contas de cartão de crédito.

Economize!

Não existe forma de guardar dinheiro sem parar de gastar um pouco. Preste atenção em quais são as compras que você tem feito por impulso e sem necessidade. E, principalmente, nos seus gastos fixos. Nesse caso, um controle financeiro também pode te ajudar muito para entender como gastar na medida certa. Comece a anotar quais são seus gastos para saber o que você está gastando que não deveria. Existem vários aplicativos que também podem te ajudar com isso.

Gostou das nossas dicas? Para ficar mais perto de realizar seus sonhos conte com a Embracon. Faça uma simulação em nosso site e descubra como é fácil tirar os sonhos do papel!
Simulação Consórcio
chat Eva