As melhores opções de consórcio em tempos de crise

As melhores opções de consórcio em tempos de crise

Será que você conhece todos os tipos de consórcio? Para você que ainda não conhece, vamos explicar desde o começo. O consórcio funciona da seguinte maneira: um grupo de pessoas físicas e jurídicas se unem para formar uma poupança destinada à compra de bens móveis (carro ou moto), imóveis (casa, apartamento, empreendimento) e serviços (educação, festas etc).

Este grupo é formado por meio de uma administradora de consórcios. Ela precisa ser devidamente regulamentada, com fiscalização e autorização do Banco Central do Brasil (Bacen).Para funcionar dentro da lei, a empresa de consórcio deve seguir normatizações específicas da modalidade.

O que é e como o consórcio funciona

A primeira etapa para fazer investimento em consórcio é realizar a simulação. Digamos que você queira comprar um carro popular zero km, por exemplo, no valor de R$50 mil. Você insere este valor e o total de parcelas que desejaria dividir. Para automóveis, por exemplo, você pode selecionar até 100 meses. Após inserir os dados, o simulador de consórcio mostra quanto ficaria o valor das parcelas.

Diferente do financiamento, o consórcio não faz cobrança de juros e nem exige valor de entrada. Cobra somente valores de taxa de administração, para remunerar a empresa de consórcio, e fundos de reserva, para garantir que todos os consorciados serão contemplados.

Para a aprovação, é necessário que o valor da parcela não ultrapasse 30% dos seus rendimentos mensais. Essa é uma forma de garantir que os consorciados não se tornarão inadimplentes com as parcelas.

Após o fechamento do contrato, o consorciado passa a fazer parte de um grupo e acompanha os sorteios mensais. Você pode ser contemplado do primeiro ao último mês - não existe uma regra específica para isso. Caso queira antecipar a compra do bem, pode fazer a oferta de um lance antes da realização dos sorteios.  

Quais são os tipos de consórcio

O consórcio é uma opção segura de parcelamento, porque não apresenta os juros do financiamento e concede poder de negociação aos consorciados no momento da compra.  

Segundo dados apresentados pela ABAC (Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios), as vendas têm batido recordes. Isso mostra o poder de crescimento da modalidade. Só nesse período foram registradas quase 200 mil adesões.

Consórcio de veículos

Considerado o tipo de consórcio mais popular, é possível comprar praticamente qualquer modelo: de carros de passeio a caminhões e tratores. Além disso, é possível dar o seu carro usado como oferta de lance na Embracon, com o benefício exclusivo "Troca de Chaves".  

Melhor forma de comprar um carro em tempos de crise

Em períodos de incerteza, pode ser que os preços aumentem ainda mais ao longo dos meses. Existe uma expectativa muito grande para a retomada do consumo em 2021, especialmente na indústria de automóveis, que foi duramente impactada pela pandemia. Se você quer comprar urgentemente o seu carro, fique atento às condições e priorize o pagamento à vista.

Como muitas pessoas não dispõem de um alto valor, principalmente em um momento como o atual, a melhor forma de investir em seu novo carro - seja novo ou seminovo - é por meio do consórcio.

O consórcio ajuda você a planejar a sua compra e pode te dar uma grande vantagem no momento da transação. Ao ser contemplado pela carta de crédito, você tem poder de compra à vista - o que facilita bastante a negociação, levando em consideração que as concessionárias e revendedoras não dispõem de tanta facilidade de crédito.

O consórcio não exige entrada e nem possui juros - apenas valores de taxa de administração, que remuneram as empresas de consórcio pelo serviço realizado, e fundo de reserva, que garante a entrega dos bens. Estes valores não ultrapassam 20% do total da carta de crédito.

Carro seminovo vale a pena?

Comprar um seminovo tem sido uma grande vantagem — afinal, o zero se desvaloriza assim que sai da concessionária. Isso acontece menos com o seminovo. Além disso, as entradas de um carro novo estão cada vez mais altas para o bolso do brasileiro. Confira a seguir algumas razões para optar por um carro usado!

Possibilita mais itens por um preço menor

O valor dos veículos zero está bastante alto, girando em torno dos R$ 40 mil e sem opcionais. Com essa mesma quantia, você consegue adquirir um carro seminovo mais sofisticado, completo e com motor mais potente.

Lembrando que, para aqueles que não abrem mão do “cheiro de novo”, já existem no mercado produtos que imitam o aroma.

Economia para quem troca sempre de carro

O carro zero quilômetro é mais indicado para quem pretende permanecer com ele por pelo menos três anos, já que o veículo sofre maior desvalorização nos primeiros anos de uso. Se o comprador costuma trocar de carro frequentemente, o seminovo é ideal, afinal, evita a perda desnecessária de dinheiro.

Perfeitos para motoristas iniciantes

Os motoristas que acabaram de receber a sua carteira de habilitação tendem a desgastar mais o veículo por conta da pouca experiência na direção.

Por esse motivo, um carro seminovo é uma escolha acertada, pois evita uma preocupação excessiva com cuidados que podem desanimar o novo motorista.

Com cautela, é bom negócio

Embora seja economicamente mais atrativo do que um carro zero, o seminovo exige atenção. Alguns golpes podem ser aplicados, como duplicidade de motor, adulteração de chassi, documentos roubados etc. Portanto, antes de fechar a compra, é preciso verificar todo o histórico do carro.

Hoje já existem serviços que se encontram disponíveis online e com preços acessíveis que fazem essa verificação.  

Consórcio de imóveis

Outro tipo de consórcio é o de imóveis, que facilita a aquisição da casa própria. É possível comprar imóveis residenciais e comerciais. Para quem quer começar do zero, também pode adquirir novos terrenos.

Tudo com os planos flexíveis e vantajosos da categoria. Comparado ao financiamento, o consórcio prova ser opção mais viável, porque evita que o consumidor gaste altas quantias com juros. Para imóveis, a Embracon oferece planos de até 240 meses, com distribuição média de 2 bens por mês. Além disso, é possível usar o seu FGTS para dar o lance.

Tipos de imóveis para morar

Sobrado

Sobrado é o tipo de casa que conta com dois ou mais pavimentos, com grande área construída, que pode ser utilizada para fins comerciais ou residenciais. Geralmente possuem, cozinha, sala e áreas de lazer no primeiro andar, enquanto os dormitórios ficam no piso superior.

Essa edificação tem o benefício de oferecer uma melhor divisão dos ambientes, garantindo maior conforto. Fora isso, existe mais privacidade, já que os visitantes podem ficar restritos às áreas comuns, localizadas na parte inferior da casa, caso os moradores prefiram assim.

Casa geminada

Nesse modelo de imóvel, um único lote é dividido em duas ou mais casas, de forma igual. Essas casas tendem a ser menores e se unem por uma parede. Geralmente, têm a mesma fachada e estrutura, além de dividirem o mesmo telhado.

Elas são muito comuns em condomínios fechados e uma excelente opção para quem deseja morar próximo a parentes ou ter familiares próximos como vizinhos. Outra vantagem desse tipo de imóvel é a economia financeira, uma vez que estruturas de uso comum reduzem os custos na construção.

Bangalô

Esse tipo de imóvel consiste em casas térreas, ou seja, compostas por apenas um piso. Eles são muito comuns nos países da América do Norte e na Índia, podendo ser feitos de madeira ou de alvenaria. Na maioria das vezes, esse tipo de residência conta com uma varanda no entorno de toda a edificação.

Trata-se de um modelo simples e de fácil locomoção interna, já que não tem outros níveis e escadas, favorecendo maior integração dos ambientes. Fora isso, existe a opção de montar áreas de lazer na varanda.

Apartamento

Apartamento é um tipo de imóvel que oferece áreas de lazer comuns e ambientes privativos aos seus moradores. Os espaços de utilização coletiva podem contar com quadras, academias, salão de festas, salão de jogos, garagem, entre outros.

As unidades residenciais, por sua vez, podem ser divididas em um ou mais edifícios de um condomínio. Cada andar pode ter um ou mais apartamentos, sendo que o acesso aos pavimentos pode ser feito por meio de escadas ou elevadores.

Cada proprietário é responsável pelo pagamento de uma taxa condominial, destinada a cobrir as despesas comuns dos condôminos. Para administrar os gastos e fazer a cobrança é eleito um síndico, que cumpre suas atribuições em mandato temporário, sendo remunerado por isso — em dinheiro ou por meio de desconto na taxa.

Coberturas

Normalmente compostas por dois andares, as coberturas são apartamentos localizados nos últimos pavimentos do edifício. No andar inferior costumam ficar os quartos, cozinha, sala e banheiros; no superior, são instaladas as áreas de lazer.

Esse tipo de imóvel é perfeito para quem quer morar em um prédio, mas precisa de mais espaço. A vantagem da cobertura é ter um espaço externo individual, que garante a privacidade do morador. Ela possibilita usufruir de ambientes a céu aberto, sem precisar recorrer às áreas comuns do prédio.

Porém, exatamente por terem uma área maior e um espaço para uso particular, as coberturas implicam um custo mais alto na hora da compra. Pelos motivos, elas exigem o pagamento de imposto e taxa de condomínio com valores mais elevados.

Edícula

A edícula é uma pequena casa localizada no fundo de um terreno. Normalmente, ela inclui apenas uma sala, banheiro, cozinha, área de serviço e um dormitório. Ela pode ter garagem e entrada próprias, independentes daquelas que atendem a casa principal.

Essa é uma excelente opção para quem deseja dividir o ambiente residencial. Esse tipo de imóvel permite ter familiares (idosos, por exemplo) ou amigos morando próximo de você, em um mesmo terreno, mas sem prejudicar a privacidade de cada um dos moradores.

Kitnet

Kitnet é um apartamento com dimensões reduzidas. Ela é composta por um único quarto integrado aos outros ambientes (como a sala e a cozinha) e, usualmente, conta com apenas um banheiro. Esse modelo de imóvel é ideal para pessoas solteiras ou casais sem filhos.

A vantagem da kitnet é a facilidade de limpeza, tendo em vista a junção dos cômodos em um só ambiente. Outro benefício é a configuração dos espaços, que são adaptados para cumprir as mais diversas funções.

Loft

O loft é uma espécie de kitnet, mas com espaços mais amplos. O pé-direito duplo da edificação costuma ser aproveitado com um mezanino, resumindo, um andar intermediário entre dois pavimentos, com vista para o andar inferior.

Esse é um tipo de residência que atende bem famílias menores ou pessoas que moram sozinhas. Ele oferece, ainda, o diferencial de ter um ambiente separado dos outros, garantindo maior privacidade.

Flat

Os flats são perfeitos para quem quer ter a comodidade de morar em um ambiente compacto, com ambientes integrados. Normalmente, é possível adquiri-los ou alugá-los já montados, com móveis e utensílios para o dia a dia.

Fora isso, você pode contar com a facilidade de um estilo de vida parecido com o de quem vive em um hotel, porém, pagando valores menores. São oferecidos serviços de quarto e de lavanderia, internet e áreas de lazer completas.

Esse modelo de residência é uma ótima opção para moradia provisória ou para quem não passa muito tempo em casa e, por esse motivo, não tem tempo para realizar tarefas domésticas. É muito confortável para um espaço tão pequeno!

Consórcio de serviços

Com o passar dos anos, tem aumentado a contratação de outro tipo de consórcio:  para serviços diversos.  Entre eles, planejar a educação dos filhos, festas de aniversário e casamento, viagens, cirurgias plásticas e estéticas, entre outros.

É possível contratar o consórcio com parcelas de até 30 meses, para obter a carta de crédito com o valor correspondente ao serviço escolhido.  

Quais os tipos de consórcio de serviços que você pode contratar

O consórcio de serviços é bastante flexível no seu uso, assim como os de outras categorias.

Se, em um grupo que tenha como referência um apartamento, o cotista contemplado pode usar o crédito para comprar um terreno, uma casa ou mesmo quitar um financiamento imobiliário. Da mesma forma, o consórcio de serviços atende a uma gama de atividades.

Com um consórcio de serviços é possível, portanto, contratar atividades profissionais diversificadas. Confira abaixo exemplos de algumas das mais requisitadas nos últimos anos no Brasil.

Realização de festas

Muita gente sonha com um casamento perfeito, com decoração de bom gosto, buffet requintado, música ao vivo e atendimento de qualidade aos convidados. Porém, isso custa um bom dinheiro, ainda mais com o aluguel do local, carro para a noiva ou o noivo, entre outros detalhes.

Da mesma forma funciona uma festa de debutante, um bar mitzvá, ou outra comemoração de passagem para os filhos.

Um consórcio de serviços pode ser utilizado para a contratação da organização e realização dessas festas. Outros exemplos são as formaturas, os aniversários e, até mesmo, as comemorações de ano novo.

Passagens ou pacotes de viagem

Quando falamos em uma viagem dos sonhos, logo nos vêm à mente uma lua de mel ou férias inesquecíveis, em lugares paradisíacos e hotéis confortáveis.

E não estamos errados. Uma boa parte das pessoas faz isso mesmo e usa o consórcio para contratar pacotes turísticos nacionais ou internacionais - ou, ainda, cruzeiros em navios luxuosos, para comemorarem o início da vida em casal ou terem as férias inesquecíveis.

Ainda, o consorciado pode presentear alguém, comprando passagens ou pacotes turísticos completos como um incentivo pela formatura de um filho, ou um cruzeiro para os pais curtirem na aposentadoria.

O crédito obtido em um consórcio de serviços cobre todas essas situações citadas e quaisquer outras que envolvam a aquisição de passagens aéreas ou rodoviárias, de roteiros turísticos guiados, hospedagens e traslados nos destinos, por exemplo.

Reformas e serviços para o lar

No Brasil, o fim mais utilizado pelos contemplados nos consórcios de serviços, segundo a ABAC, são as reformas domésticas e outros reparos no lar. Obras como a substituição de redes hidráulica e elétrica antigas, a adequação do imóvel à legislação vigente e a mudança ou construção de cômodos são só alguns exemplos.

Entretanto, também são cobertas por essa categoria outras atividades, como pintura de paredes e tetos, a colocação de gesso, a limpeza de fachadas e janelas de prédios e consertos de telhados e infiltrações. Ainda, o consórcio pode ser utilizado para a contratação de profissionais como marceneiros, serralheiros, arquitetos, engenheiros e decoradores.

Procedimentos estéticos

Os procedimentos de estética são muito comuns no uso dos consórcios de serviços.

Os mais procurados são as cirurgias plásticas, como a implantação de próteses de silicone nos seios, a moldagem de nariz, orelhas e queixo e as reparações de lesões por acidentes, violência ou doenças.

Porém, o consórcio de serviços pode, também, ser usado para fazer apliques nos cabelos, peeling facial, limpeza de pele, bronzeamento artificial e mesmo para contratar um pacote de beleza completo para presentear a noiva no dia do casamento.

Educação: cursos e treinamentos

Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, cursos e treinamentos constantes são essenciais para conseguir uma boa colocação. Para isso, é possível utilizar o consórcio de serviços também, pagando por cursos técnicos, profissionalizantes, de atualização ou de idiomas.

Da mesma forma, pode custear uma pós-graduação, como um MBA (Master of Business Administration), um doutorado ou mestrado. Ainda, pode ser usado para viabilizar idas a congressos ou treinamentos com especialistas de seu ramo de atividade.

Como deu para perceber, o consórcio de serviços é bem flexível e abrange uma variedade grande de possibilidades para seu uso. Porém, essa versatilidade é apenas uma de suas vantagens. Quer saber quais são as outras e como contratá-lo?  

Formas de ingressar em um grupo de consórcio

Existem algumas formas para ingressar em um grupo de consórcio:

  1. grupo em formação;

  1. cota vaga;

  1. cota de transferência.

No caso do grupo em formação, significa que a administradora ainda está reunindo os interessados. E que esse grupo ainda não está ativo, ou seja, ninguém foi contemplado ainda.

Já quando o grupo foi formado e está ativo, você pode ingressar ou por cota vaga, que é disponibilizada para comercialização, ou por cota de transferência. Nesse último caso, você compra diretamente de um dos consorciados, mas deverá ter a anuência da administradora.

Comprando essa cota, você será responsável pelos direitos e pelas obrigações do consorciado que efetuou a venda. Por isso, antes de comprar essa cota, é imprescindível ler atentamente o contrato. É importante também ter garantia de que a oferta da cota é confiável. Existem muitas armadilhas e golpes relacionados a isso, então é importante fazer uma análise minuciosa antes de fechar qualquer negócio desse tipo.

Como escolher o melhor consórcio?

Você tem dúvidas sobre como escolher o melhor consórcio? Então confira aqui tudo o que você precisa levar em conta na hora de fazer a sua escolha.

Contrato

Antes de fechar um negócio, é imprescindível que você leia e conheça todo o contrato. Todas as informações relacionadas ao consórcio devem constar no documento, como prazos, valores das parcelas, taxas que são cobradas e regras.

Então, antes de assinar, tenha ciência do que está sendo oferecido, assim como os seus direitos e deveres.

Prazos

As empresas de consórcios podem oferecer opções de prazos bem diferentes. No momento de escolher o prazo, é importante saber que quanto mais tempo o consórcio durar, menores vão ser as parcelas pagas pelo consorciado. É fundamental que você saiba se tem a necessidade de comprar o bem com certa rapidez.

Taxa de administração

Os consórcios não apresentam taxas de juros, como acontece nos financiamentos. Porém, isso não significa que ele seja totalmente isento de taxas. As empresas de consórcio cobram uma taxa de administração, destinada à gestão do grupo.

O percentual da taxa de administração deve ser informado no momento do contrato. No entanto, é preciso saber que cada administradora pode cobrar o valor que achar melhor. Por isso, antes de assinar e fechar o negócio, pesquise!

Fundo de reserva

Alguns contratos podem prever o pagamento de uma taxa direcionada ao fundo de reserva. Ela é usada para cobrir alguns imprevistos, os quais precisam estar explícitos em contrato. Alguns deles são: desistência de consorciados e a manutenção do grupo em caso de inadimplência.

O valor dessa taxa também pode variar de uma empresa para outra e até mesmo de acordo com as características do contrato, como o prazo para pagamento do consórcio e o número de integrantes.

Lances

Os lances de um consórcio podem ser livres (escolha do consorciado) ou fixos (equivalem a um percentual determinado sobre o valor total do crédito que foi contratado).

Nos livres, a administradora vai determinar apenas um percentual mínimo para o lance que o integrante terá que respeitar. Já nos fixos, os participantes oferecem um valor que pode estar entre o percentual mínimo e o máximo que a empresa determina.

Administradora

Conhecer o contrato e todas as informações é uma medida extremamente relevante para qualquer negócio a ser feito. No entanto, além de compreender o contrato, conhecer a empresa é essencial no momento de contratar um bom consórcio.

Procure optar por administradoras que apresentem um bom histórico e, principalmente, que sejam transparentes em suas relações com os clientes, fornecendo informações bastante claras sobre os seus produtos e serviços.

Você consegue saber se a empresa tem autorização do Banco Central por meio de uma lista que fica disponível na internet, no site do BC.

Gostou e quer fazer um consórcio? Faça uma simulação!

Simulação
chat Eva