Quais são as maneiras de comprar o seu carro?

Quais são as maneiras de comprar o seu carro?

A compra de um automóvel ainda é um dos maiores desejos dos brasileiros. Por conta da pandemia de Covid-19, muitos começaram a repensar a importância de se ter um bom veículo na garagem. Afinal, as medidas do isolamento social exigiram maior segurança por parte dos indivíduos que, embora tenham passado mais tempo em casa, ainda utilizam o carro para sair, seja a lazer, a trabalho ou simplesmente para resolver coisas de casa.

Uma pesquisa da ANFAVEA (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) em parceria com o site Webmotors, publicada em agosto de 2021, revelou que 75% dos brasileiros ainda pretendem trocar ou comprar um carro novo ao longo do ano.

Esse percentual faz todo o sentido quando se vê a mudança da relação do brasileiro com o carro após a pandemia. De acordo com o instituto de pesquisa Vox Populi, o veículo tornou-se o objeto mais desejado do brasileiro, principalmente porque eles evitam qualquer tipo de aglomeração ao se locomover.

Por conta disso, mais e mais brasileiros têm procurado por formas de comprar um veículo novo. Como se trata de um bem de alto valor, é possível contar com diversas opções para realizar esse tipo de compra.

A seguir, vamos explicar um pouco das possibilidades de compra de um veículo.

Compra do carro à vista

Uma das melhores formas de realizar a compra de um novo veículo é por meio da compra à vista. Para isso, é preciso ter o dinheiro total da compra do veículo.

Trata-se de uma das formas mais vantajosas de realizar a compra de um bem, afinal, depois da transação o consumidor não contrai nenhuma dívida adicional - a não ser os custos do próprio carro, como combustível, manutenção, entre outros.

Porém, ter o dinheiro completo para a compra de um veículo - que pode custar mais de R$ 40 mil, caso queira considerar um modelo popular zero km, por exemplo - é preciso ter muita paciência, já que nem todos conseguem ter um valor tão alto à disposição.

Mesmo que você tenha o dinheiro total do valor do carro, vale a pena considerar sua saúde financeira nesse processo. Por exemplo: você já montou a sua reserva de emergência antes de usar todo o dinheiro que teve esforço de juntar para a compra do bem? Está em uma situação confortável com a família?  

É importante fazer esses questionamentos, porque o carro é um ativo que se desvaloriza rapidamente, principalmente quando se trata de um modelo zero km (iremos explicar isso em mais detalhes ainda neste artigo).

Portanto, só considere a compra de um carro à vista caso o dinheiro não deixe você e sua família em situação vulnerável.

Financiamento do carro

O financiamento é uma das formas de pagamento mais procuradas pelos consumidores que querem comprar um carro.

Isso porque não é preciso ter o valor completo do modelo ao selecionar esta modalidade. Porém, é preciso ficar atento a pontos importantes quando se considera a compra por meio do financiamento.

Com o financiamento, o consumidor procura uma instituição financeira, que faz a quitação total do carro e cobra o valor parcelado do interessado, com acréscimo de juros compostos. Para isso, é preciso ter um bom score no banco, ter uma renda que permita contrair a dívida e dar uma entrada para a compra.

Na maioria dos casos, as instituições financeiras exigem de 15% a 20% do total do bem como valor de entrada. É com o valor restante que o financiamento é realizado, já considerando os juros. Quanto maior a quantidade de mensalidades para a quitação, mais você irá pagar juros - afinal, por meio dos juros compostos, estamos falando de juros sobre juros, que podem levar o valor a prazo do seu veículo para mais que o dobro de seu valor original.

Embora o financiamento tenha como vantagem dar direito de acesso ao veículo sem que o consumidor esteja capitalizado, por outro lado cobra um preço altíssimo por isso. Quando se vê, o consumidor pagou por um valor a prazo muito maior do que deveria, resultando em um grande prejuízo.

Consórcio de carro

Se por um lado a possibilidade de compra à vista é praticamente inviável, afinal, nem todos conseguem juntar um valor acima de cinco dígitos sem comprometer seu patrimônio, por outro o financiamento também não se apresenta como uma forma vantajosa de compra, por conta dos juros.

Mas, qual seria uma terceira via para a compra de um automóvel?

Certamente o consórcio se apresenta como a melhor opção. Pelo consórcio, você não precisa se comprometer com valor de entrada e não paga juros com o parcelamento da compra. Trata-se de uma modalidade de autofinanciamento, em que você não sai com o bem na hora, mas pode participar de um grupo, em que são realizados os sorteios.

Para realizar um consórcio, o processo é bem simples: primeiramente, você precisa determinar o valor necessário para a compra do modelo que deseja. Esse valor deve ser preenchido como carta de crédito, que é a referência para a compra do veículo. Diferentemente de outras modalidades, com o consórcio você tem a carta de crédito como referência para a compra do veículo que deseja.

Além de selecionar o valor da carta, é você que define a quantidade de parcelas que deseja pagar pelo bem. Depois disso, você assina o contrato de consórcio e pode ingressar em um grupo de consórcio, que reúne outros consumidores interessados na compra de um veículo.

No grupo são realizados os sorteios das cartas de crédito. Você pode ser contemplado tanto nos primeiros quanto nos últimos meses, afinal, nenhuma administradora de consórcio pode prometer contemplação, de acordo com as regras estipuladas pelo Banco Central do Brasil (Bacen), responsável por regular o setor.

Caso queira antecipar a aquisição do seu veículo, você pode fazer a oferta de um lance, que é um valor a mais que você pode ofertar. Pela modalidade clássica, o valor mais alto de um lance define o vencedor. Assim, ele segue para a análise de crédito e, caso seja aprovado, tem acesso à carta e pode utilizar o valor ofertado para quitar as últimas mensalidades de seu consórcio.

Ao ser contemplado, o consorciado pode escolher o veículo que deseja comprar. A carta de crédito tem poder de compra à vista, o que permite uma boa margem de negociação no momento da compra. Ao selecionar a concessionária ou proprietário, a administradora faz a transferência do valor integral.  

Caso a carta de crédito seja maior que o valor do bem, é possível utilizar até 10% da carta para despesas burocráticas com o veículo, como idas ao cartório, transferência de propriedade, entre outras. E, se o valor for insuficiente para a compra do veículo, sem problemas: você pode ter acesso à carta de crédito e negociar diretamente com o proprietário a forma com que irá pagar o valor restante.

Como escolher o carro

A compra de um carro envolve muitas escolhas pessoais: alguns podem gostar mais de sedãs, enquanto outros não veem a hora de guardar uma SUV dentro da garagem de casa.

A melhor forma de determinar o modelo que deseja é pesquisando seus preços, analisando comparativos, identificando os benefícios e, principalmente, relacionando as características do carro com as suas necessidades e o seu padrão de vida.

Mas, na hora da compra, é preciso escolher pelo menos duas formas: se vai comprar um carro zero km ou decidir por um seminovo. A seguir, vamos explicar as vantagens e desvantagens de cada um deles.

Carro zero km

O carro zero km é aquele que acaba de sair da concessionária: geralmente é um modelo do ano, que não passou por ninguém antes de você. Por conta disso, seu valor tende a ser mais elevado que o seminovo, por exemplo, mas apresenta outras vantagens - que iremos detalhar a seguir.  

Vantagens do zero km

Uma das maiores vantagens de um modelo zero km é que você não precisa se preocupar com a manutenção. Afinal, trata-se de um modelo que acabou de sair da concessionária e está com tudo novinho em folha.  

Além disso, você conta com garantia da montadora e pode personalizar o carro à sua maneira. Muitas marcas vendem o carro com kit básico, mas permitem inserir adicionais, como direção hidráulica, trava, vidros elétricos, banco de couro, entre outros - tudo depende do modelo.

Outra vantagem é que o carro zero km já vem com IPVA pago e certamente irá demorar bastante até a primeira visita ao mecânico.

Desvantagens do zero km

Embora o consumidor tenha um modelo novinho à disposição, o carro zero km custa mais caro e acaba se desvalorizando mais rapidamente. Só para tirar o carro da concessionária e começar a rodar, o consumidor já perdeu quase 15% do valor investido.

Além disso, a burocracia para tirar a documentação do carro é maior, sem falar no preço de seguro e de manutenção de alguns recursos. Por isso mesmo, se você quer economizar e ter um bom modelo, muitos especialistas em finanças pessoais recomendam considerar um modelo seminovo.

Carro seminovo

O carro seminovo é aquele que já foi usado por outra pessoa, mas ainda apresenta boas condições de uso. Não existe uma regra para classificar um modelo considerado seminovo - geralmente, não tem mais que cinco anos de utilização (que, inclusive, é o máximo aceito para comprar com consórcio).

Em termos gerais, o carro seminovo tem um custo menor que o carro zero km. Por conta dessa característica, o seminovo tem sido cada vez mais procurado pelo brasileiro. Só em 2020, ano de início da pandemia, as vendas de usados e seminovos representaram 83% do mercado total de compra de carros, atingindo mais de 11 milhões de unidades.

Mas, vale mais a pena investir em um modelo já usado e seminovo ou partir para um zero km? Vamos analisar as vantagens e desvantagens do seminovo a seguir.

Vantagens do carro seminovo

A maior vantagem do seminovo é que custa menos que um carro zero km. Aliás, com o dinheiro que você pagaria por um que está saindo da concessionária, você tem condições de investir em um modelo mais luxuoso, apenas com pouco uso.

O seminovo tem sido cada vez mais procurado porque dá flexibilidade para o consumidor; é possível aproveitar o período de garantia da montadora, sem falar no montante que você tende a economizar com documentação ou até na compra de peças.

Além disso, com o seminovo o consumidor sofre menos com a desvalorização do bem. Uma vez que o carro já está circulando, seu índice de precificação não altera tanto - a não ser, claro, por conta do desgaste ou de possíveis manutenções que venham a ser realizadas até a venda.

Por conta de tudo isso, o seminovo acaba sendo o tipo de carro mais recomendado para quem está investindo no primeiro veículo.

Desvantagens do carro seminovo

É notório que o consumidor irá economizar com a compra de um seminovo. Porém, precisa ficar atento a detalhes importantes, como as condições do veículo antes da compra.

Caso decida comprar um modelo seminovo, chame um especialista para fazer a avaliação do carro com você, para que possa ter uma escolha inteligente. Podem existir problemas de difícil identificação, que você só irá perceber mais tarde. Analise a pintura, lataria e o motor, para que tenha um bom proveito.  

Sem falar que, por conta de já ter sido usado, o seminovo pode ter uma vida útil menor do que o zero km.  

Troca de carro: o que levar em consideração

Outra forma de investir em um modelo é a partir da troca do seu carro por um novo ou seminovo. Na maioria das situações, o interessado dá o carro como entrada e acerta o valor restante, seja com financiamento, pagamento à vista ou até mesmo com o consórcio.

Pela troca, é comum que o interessado queira comprar um modelo de valor superior ao que possui.  

Isso oferece uma grande vantagem: pelo financiamento, por exemplo, você acaba financiando um valor menor - mas que, ainda assim, terá juros.  

Já com o consórcio, a vantagem chega a ser ainda maior: você pode solicitar à administradora uma avaliação do seu modelo. Caso concorde com o valor que foi definido para o seu veículo, você pode tentar dar o valor como lance. Se você for contemplado, o dinheiro do seu carro quita as últimas mensalidades da sua cota, e você tem a liberdade de usar a carta de crédito para adquirir o seu veículo, seja um zero km ou um seminovo com, no máximo, cinco anos.

Sem a necessidade de entrada ou de pagamento de juros, com o consórcio a possibilidade de trocar de carro gera uma grande economia. E segurança, também. Caso outro lance seja vencedor, você pode tentar a avaliação nos meses seguintes e, assim, tentar o lance novamente.

Por que o consórcio é a melhor opção para comprar seu carro

Agora que você já conhece como funciona o consórcio, vale a pena reiterar alguns pontos para que você considere a compra do seu próximo modelo sem ter que pagar juros ou se preocupar com valor de entrada.

Você define o valor que deseja pagar

O consórcio é uma modalidade extremamente flexível: é você que seleciona o valor que deseja pagar pelo veículo e a quantidade de mensalidades, sempre de acordo com os seus rendimentos mensais.

Faça um planejamento de sua renda antes de iniciar o investimento em um bem de alto valor, como um carro. Com o consórcio, você tem o poder de determinar o quanto deseja pagar, resultando em uma boa experiência. Dessa forma, você não precisa ficar ansioso com o momento de ser contemplado nos sorteios. Afinal, você já está quitando o seu bem aos poucos, da forma que havia planejado desde o início.

Você tem tempo para escolher o modelo que deseja

Pelo fato de estar investindo em uma carta de crédito, você só precisa se preocupar em selecionar o carro que deseja quando for contemplado.

Nesse período de pagamento da sua cota, você pode pesquisar os modelos que têm mais a ver com a sua necessidade. Caso tenha a necessidade de aumentar ou até mesmo diminuir um pouco da sua carta, basta entrar em contato com a administradora, para que ela possa verificar a viabilidade.

Com o tempo a seu favor, certamente você fará uma escolha mais condizente com seu padrão de vida e que não irá comprometer seu planejamento financeiro.

Consórcio não tem entrada nem juros

Além de ter a possibilidade de escolher o valor, com o consórcio você não precisa se preocupar com o valor de entrada ou com o pagamento de juros.

Só é cobrada uma taxa de administração, que serve para remunerar as empresas de consórcio pela formação dos grupos, administração das cartas de crédito e contemplações.  

Você pode tentar o lance

O lance é uma grande vantagem do consórcio porque permite que você seja contemplado mais rápido. Antes mesmo de terminar o pagamento da sua cota, caso você tenha ofertado um lance, você tem acesso à sua carta de crédito.

Outra vantagem é que o lance permite que você termine de pagar sua cota com antecedência ao quitar as últimas mensalidades.

Troca de carro é mais vantajosa

Ao tentar a troca do seu carro por meio do consórcio, você não precisa ‘financiar’ o valor restante para a compra de um novo (ou seminovo).

Como o consórcio tem a carta de crédito como finalidade do seu investimento, a precificação do seu modelo atende à contemplação do valor que você já tinha selecionado.  

Portanto, você pode usar o valor do seu carro como uma proposta de lance. Se o seu valor for o maior, você é contemplado e, de quebra, termina de pagar pelo consórcio de forma antecipada, já que o valor debitado quita as últimas mensalidades da sua cota.

Poder de compra à vista

Com a carta de crédito, você pode decidir a compra do seu veículo como se fosse realizar uma transação à vista. Isso pode gerar uma boa margem de desconto: na maioria das vezes, é possível conseguir um desconto de até 10% dessa forma.  

Portanto, converse com a concessionária ou proprietário e aproveite essa condição vantajosa na hora de comprar o seu próximo carro.

É possível usar a carta de crédito para pagar despesas

Ao ser contemplado, é comum que o consorciado tenha à disposição um valor mais elevado de carta de crédito do que o originalmente contratado. Isso acontece por meio dos reajustes das mensalidades, que acontecem anualmente.

Portanto, caso a sua carta de crédito seja maior que o valor do carro, é possível usar até 10% para despesas burocráticas. E, se ainda sobrar dinheiro, não se preocupe: você pode quitar as últimas mensalidades da sua cota com o valor.

Caso queira comprar um modelo de valor superior à sua carta, você pode negociar diretamente com o proprietário a forma com que irá pagar o valor restante. Ou seja, você não fica impedido de usar a carta de crédito por conta disso.

Faça uma simulação de consórcio de carro

Como deu para perceber, o consórcio é a melhor forma de investir em um carro porque não cobra juros ou entrada, como no financiamento, e ainda dá poder de compra à vista na utilização da carta de crédito.  

Faça uma simulação e veja como é fácil determinar o valor de compra do seu veículo. Você irá economizar mais a longo prazo e contará com a experiência de uma administradora que realiza sonhos dos brasileiros há mais de 30 anos.

Simulação
chat Eva