O consórcio é investimento! Saiba o porquê

O consórcio é investimento! Saiba o porquê

Por mais que o consórcio tenha ajudado milhões de brasileiros a realizarem os seus sonhos em mais de 50 anos de história, muitas pessoas ainda têm dúvidas ao considerar a modalidade para a compra de bens.

Diferentemente do financiamento, em que você pode efetuar a compra de um bem e ter acesso imediato a ele, gerando uma dívida com o banco com alto valor de juros, o consórcio é bem mais flexível e funciona como um investimento para a compra de casas, carros, motos, veículos pesados e até mesmo diferentes tipos de serviços.

Porém, não se trata de um tipo de investimento que se encontra em bancos e corretoras. O consórcio sempre tem um bem como finalidade: você se organiza e paga por um valor a prazo que não prejudica os seus rendimentos mensais. Trata-se de uma transação muito vantajosa, porque você precisa se planejar do começo ao fim para ter uma experiência positiva.

Para saber melhor como funciona essa modalidade, e por que o consórcio é uma excelente forma de investimento, confira os detalhes a seguir.

Modalidade facilita seu planejamento financeiro

A primeira coisa a se saber é que o consórcio facilita bastante o seu planejamento financeiro. É você que determina o valor que deseja pagar pelo seu bem e até mesmo a quantidade de parcelas.

Antes de fechar o contrato de consórcio, é preciso passar por um processo de simulação, para entender o bem que deseja comprar e a quantidade que será cobrada nas mensalidades.

Ao dar ao consumidor a liberdade de determinar o valor que deseja pagar, o consórcio torna-se um aliado potencial dos seus rendimentos mensais. Você pode planejar, por exemplo, qual seria o valor ideal para pagar em uma mensalidade de consórcio e até mesmo o prazo máximo de contemplação.

Por mais que o consórcio não possa prometer quando a contemplação deva acontecer, a quantidade de mensalidades é uma forma de saber o prazo máximo que você terá acesso à carta de crédito. Mas, claro, as chances de ser contemplado com antecedência são enormes, seja por sorteio ou pela oferta de um lance.

Portanto, dê uma boa olhada na sua planilha com os rendimentos mensais e determine, junto com todos os integrantes da família, qual seria o valor ideal e o prazo máximo para pagar pela sua cota de consórcio.  

Consórcio é um autofinanciamento

Diferentemente de outras modalidades de pagamento, com o consórcio você não tem acesso ao bem escolhido de forma imediata. Para isso, é preciso fazer a simulação do bem, escolher o valor que deseja pagar e contribuir mensalmente com todas as parcelas, para que possa ser contemplado nas assembleias.

Esse sistema funciona como uma espécie de autofinanciamento porque, ao contribuir com as mensalidades, você permite não apenas que você tenha acesso à carta de crédito, mas também aos integrantes do grupo de consórcio.

Mas, o que acontece se alguém deixar de pagar pela mensalidade? Todos são prejudicados?

Na verdade, não. Para impedir que isso aconteça, as administradoras cobram nas mensalidades o valor do fundo de reserva que, geralmente, chega a 3% do valor da carta de crédito. Este valor serve como garantia para cobrir possíveis inadimplências que possam acontecer nos grupos.

Por isso, é extremamente importante que todos contribuam com as parcelas. Caso alguém se torne inadimplente, fica impedido de participar das assembleias e ser contemplado de qualquer forma. Essa medida é tomada para que somente as pessoas que contribuam normalmente com o consórcio tenham chances de ser contempladas.

Ao término do grupo, caso não tenha sido utilizado o fundo de reserva para cobrir gastos com inadimplentes, o valor é devolvido de forma igualitária para todos os consorciados.  

Ou seja, com esse tipo de prevenção, o consórcio garante a contemplação de todas as cartas de crédito dentro dos grupos.

Você não paga juros nem entrada

Uma das maiores vantagens do consórcio é que, para dar início à realização do seu sonho, não necessariamente você precisa estar bem capitalizado.

Com as contas bem organizadas, você pode destinar um percentual dos seus rendimentos para definir o valor da parcela de consórcio da forma que preferir.

E, para isso, você não precisa se comprometer com valor de entrada - algo que é exigido no financiamento, por exemplo, que pode chegar a 20% do valor do bem.  

O melhor de tudo é que o consórcio não tem nenhuma cobrança de juros. Ao definir o valor da mensalidade, você tem a certeza que pagará este valor até o reajuste, que tem uma lógica bem diferente das práticas comuns do financiamento.

O reajuste existe para garantir o poder de compra da sua carta de crédito. Ou seja, se a parcela aumentar no período de um ano para o outro, significa que, ao ser contemplado, você terá um valor mais elevado de carta de crédito. Nenhum percentual do reajuste vai para a administradora ou para o grupo, ou seja, é em benefício do próprio consorciado.

As mensalidades do consórcio possuem taxas fixas desde o começo: taxa de administração, que remunera a administradora por todos os serviços prestados, como criação dos grupos, entrega das cartas de crédito etc, e o fundo de reserva, para impedir que a inadimplência de alguns integrantes impacte no valor do fundo comum.  

Seu bem não desvaloriza

Outra vantagem do consórcio é que o seu bem não desvaloriza. Isso acontece por diversos motivos.

Primeiramente, o valor da sua carta de crédito é corrigido anualmente, impedindo que a inflação ou a desvalorização da moeda comprometa seu poder de compra.  

Digamos que, ao fazer a simulação de um consórcio de imóveis, você tenha colocado como valor de crédito R$ 300 mil. Para que possa pagar as parcelas, você dividiu em mais de 120 meses, que dá 10 anos no total. Até que você tenha sido contemplado, pode ter passado cinco anos. O valor que você havia simulado lá no início, cinco anos depois, pode não ser o suficiente para a compra do imóvel que você desejaria quando realizou a simulação no passado.

Com os reajustes anuais, o valor final da sua carta de crédito tende a aumentar, acompanhando os índices inflacionários - no caso do consórcio de imóveis, o INCC (Índice Nacional da Construção Civil). Assim, quando for contemplado, o valor que seria de R$ 300 mil é corrigido para que você consiga comprar o mesmo bem (ou outro semelhante) de quando havia simulado pela primeira vez, sem ser prejudicado com a desvalorização da moeda ou o aumento dos preços do setor de imóveis.

Por conta disso, o consórcio acaba se tornando uma modalidade de compra vantajosa: ao ser contemplado, você tem a garantia de que terá o valor suficiente para a conquista que realmente deseja.

Assim como a correção acontece para imóveis, também se aplica às demais categorias, como automóveis, motos, serviços e veículos pesados.

Carta de crédito tem poder de compra à vista

Ao ser contemplado com a carta de crédito, você pode utilizá-la como se estivesse com o dinheiro à vista.

Para isso, é preciso indicar à administradora o proprietário ou empresa responsável pela venda do bem ou serviço que você investiu com o consórcio. Após passar pela análise, a administradora transfere o valor integral da carta de crédito do contemplado.

Este valor funciona como um dinheiro à vista, o que pode gerar uma boa margem de negociação na hora da compra.

Por exemplo, se você estiver investindo em um automóvel zero km, com o pagamento à vista pode conseguir de 5% a 10% de desconto no valor final.  

Tudo bem, mas o que é possível fazer com o saldo restante da cota? Neste caso, você pode destinar parte do valor para despesas burocráticas, como transferência de propriedade do automóvel, idas ao cartório, entre outros custos. É possível utilizar até 10% da sua carta de crédito para esses tipos de despesa.

Você tem liberdade para usar sua carta

Além de ter poder de compra à vista, o consorciado conta com a flexibilidade para utilizar a carta de crédito da forma mais vantajosa possível.

Quando se escolhe uma categoria de consórcio, você só pode utilizar a carta de crédito para aquela finalidade. Por exemplo, ao selecionar consórcio de serviços, a carta só pode ser usada para a escolha de um dos possíveis serviços: viagens, reforma, estudos, cirurgias e festas.  

Vale o mesmo para as demais categorias: por exemplo, com consórcio de imóveis é possível investir em terreno, casa, apartamento decorado, apartamento na planta ou até mesmo um empreendimento. Por isso, a avaliação inicial da administradora antes de liberar a carta de crédito é importante.

Mas, ao receber a carta de crédito, você tem a flexibilidade de usar o valor total. É possível usar o valor inteiro para a aquisição do bem, se desejar. Se, mesmo assim, sobrar dinheiro, é possível quitar as últimas mensalidades da sua cota. Assim, você termina de pagar o consórcio com antecedência.

Se o saldo da sua carta de crédito for insuficiente para a compra, não tem nenhum problema. A administradora não bloqueia o uso por conta disso. Você pode negociar diretamente com o proprietário a forma como irá pagar o valor restante e completar com os seus próprios recursos.

Enquanto estiver pagando pela cota de consórcio, é possível aumentar ou diminuir o valor da carta em até 10%, para que se adeque às suas necessidades. Conte com a flexibilidade e a transparência do consórcio para ter a melhor experiência de compra possível. Você irá se beneficiar bastante ao perceber que pagará por um valor a prazo mais justo, sem ter que comprometer seus rendimentos mensais.

Agora que você já compreende por que o consórcio é investimento, vamos explicar todos os detalhes de como a categoria funciona, para que você não tenha dúvidas na hora de escolher como investir em seu próximo sonho.

Como funciona o consórcio

Embora seja uma modalidade conhecida há bastante tempo do brasileiro, muitas pessoas têm dúvidas sobre o funcionamento do consórcio.

Agora que você já sabe das vantagens da modalidade, e por que se trata de um investimento vantajoso para o seu bem, vamos explicar o que é e como fazer o seu consórcio.

Simulação

O primeiro passo para fazer o consórcio é passar pelo processo de simulação.

Antes de tudo, é preciso escolher uma administradora que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen), responsável por regular o setor. Somente uma administradora autorizada pode garantir o funcionamento de ponta a ponta do sistema de consórcio, com a formação dos grupos, realização dos sorteios, entrega das cartas de crédito etc.

A Embracon, por exemplo, tem mais de 30 anos de história realizando sonhos por meio do consórcio.

Ao entrar no site, basta selecionar o tipo de bem que deseja investir. É possível investir em:

  • Consórcio de imóveis: para a compra de casa, apartamento decorado ou na planta, terreno ou até empreendimento comercial.
  • Consórcio de veículos pesados: para a compra de caminhões, carretas, ônibus, vans etc.
  • Consórcio de serviços: para quem deseja investir em diferentes experiências, como viagens, reforma, educação (intercâmbio, faculdade, pós-graduação, cursos específicos etc), cirurgias e diferentes festas, incluindo casamento.

Cada categoria tem suas próprias limitações de valor de carta de crédito e quantidade de parcelas. O consórcio de serviços, por exemplo, tem cartas de até R$ 30 mil que podem ser divididas em até 30 mensalidades. Já o consórcio de imóveis, por se tratar de bens de valores mais altos, tem cartas de até R$ 500 mil, que podem ser divididas em até 100 mensalidades.

Caso o valor da carta de crédito seja suficiente para o bem que deseja comprar, é possível investir em mais de uma cota de consórcio, com a soma de valores que você definir.

Na simulação, você define o valor da carta e a quantidade de parcelas. Você pode simular quantas vezes quiser: basta fornecer alguns dados pessoais para, depois do processo de simulação, um especialista de consórcio entrar em contato para tirar todas as suas dúvidas, fechar o valor da sua cota e entregar o contrato de adesão.

Definição das mensalidades

Na simulação, você já tem uma ideia do quanto precisa pagar para fazer o consórcio.  

Além da divisão do valor da carta de crédito pela quantidade de mensalidades, o simulador já retorna com as taxas do consórcio, como taxa de administração, que remunera a empresa por todos os serviços prestados, e o fundo de reserva, que serve como garantia para que o fundo comum, responsável pelas contemplações, não fique em déficit caso algum consorciado do grupo se torne inadimplente.

Depois de definir o valor da mensalidade junto ao especialista de consórcio, o próximo passo é ser inserido em um grupo - obrigação da administradora, que tem até 90 dias para realizar esse processo.

Inserção nos grupos

Os grupos de consórcio são a base de seu funcionamento: ele reúne pessoas que têm interesses semelhantes. Por exemplo, se você estiver investindo em um consórcio de automóveis, muito provavelmente estará em um grupo em que a maioria dos consorciados também queiram ser contemplados com a carta de crédito para a compra de um carro.

Para participar dos grupos, é preciso estar com o pagamento em dia da sua cota de consórcio. Nenhuma administradora permite a participação de inadimplentes, afinal, não é justo que as pessoas que pagam as mensalidades ‘concorram’ com os inadimplentes na hora do sorteio.

A contribuição da mensalidade de cada um ajuda a formar o valor do fundo comum, que possibilita as contemplações.

Realização das assembleias

Dentro dos grupos são realizadas as assembleias ordinárias, que definem os contemplados do consórcio. As assembleias são organizadas pelos administradores dos grupos, que respondem pelos integrantes perante à empresa de consórcio. Eles são responsáveis por garantir que o fundo comum tenha o valor suficiente para as contemplações e definem algumas regras específicas para o grupo - como, por exemplo, a possibilidade de ofertar tipos diferentes de lance, como lance embutido, que permite a utilização da própria carta de crédito como oferta de lance.

Os sorteios e propostas de lance são realizados nas assembleias ordinárias. Para definição de regras, votações e outros assuntos administrativos são realizadas as assembleias extraordinárias. É possível acompanhar tudo isso pela Área de Clientes.

Formas de contemplação

É possível ser contemplado de duas formas pelo consórcio: pelos sorteios ou com lance. Independente da forma, nenhuma administradora pode garantir quando o consorciado será contemplado: depende das variáveis de cada uma dessas formas, que iremos explicar a seguir.

Sorteio

Todos os consorciados que pagam corretamente as suas mensalidades estão elegíveis para os sorteios que acontecem nas assembleias. Por esse sistema, a Embracon conta com o apoio da Loteria Federal.

Lance

O lance é um valor a mais que qualquer consorciado pode ofertar com o objetivo de ser contemplado com antecedência. Pela modalidade de lance livre, o maior valor ofertado define o vencedor. Confira a seguir os tipos de lance:

  • Lance livre: em que o maior valor de lance define o contemplado da assembleia;
  • Lance fixo: é fixado um valor de lance: caso haja mais de um interessado, o grupo faz um sorteio somente entre eles para definir o contemplado.
  • Lance embutido: é possível usar parte da carta de crédito para fazer a sua oferta de lance. Consulte as regras do seu grupo para entender se isso é possível.

Para que você possa dar um lance, é necessário que o valor seja de, no mínimo, 10% do total da carta de crédito. Exclusivamente no caso de consórcio de imóveis, é possível utilizar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) para dar o seu lance.

Análise de crédito

Independente da forma de contemplação, todos os consorciados precisam passar pela análise de crédito. Neste momento, a administradora faz a checagem dos dados pessoais, situação financeira e consulta aos órgãos de proteção ao crédito.

Pode ser que a administradora exija a indicação de um devedor solidário, que irá compartilhar a responsabilidade de dívida do consórcio. Indique uma pessoa próxima e explique os riscos envolvidos, afinal, ele também terá que entregar uma série de documentos e comprovações.

Ao passar pela análise de crédito, finalmente você terá acesso à sua carta de crédito.

Uso da carta de crédito

Com a carta de crédito, você finalmente pode realizar o sonho de comprar o bem que tanto sonhou.

A carta de crédito tem poder de compra à vista, o que dá uma boa margem de negociação com o proprietário ou empresa responsável pelo bem.  

Após escolher o bem que deseja, é necessário indicar o proprietário ou empresa para a administradora de consórcio, que irá fazer a transferência do valor integral para eles. Se o valor da carta de crédito for maior que o bem, você pode utilizar até 10% para despesas burocráticas ou quitar as últimas mensalidades da sua cota. Mas, se a sua carta for insuficiente, é possível negociar com o proprietário ou empresa responsável.

Deu pra perceber que são muitos os motivos que comprovam que o consórcio é investimento, não é mesmo? Portanto, faça agora uma simulação e comece o quanto antes a investir nos seus sonhos.

Simulação
chat Eva