Como funciona a contemplação no consórcio

Como funciona a contemplação no consórcio

O consórcio é a melhor forma de investir em bens de alto valor. Você não sai com o bem na hora, mas tem a possibilidade de autofinanciar o seu sonho, com o valor de parcelas que melhor cabe em seus rendimentos mensais.

Na verdade, com o consórcio é você que determina o valor que irá pagar pelo bem, a quantidade de parcelas e até mesmo como se organizar. Com a contribuição das mensalidades, você entra em um grupo, com outras pessoas que possuem interesse semelhante.  

A contribuição das parcelas de cada consorciado forma o fundo comum do grupo. É de lá que sai o valor necessário para as contemplações, que acontecem mensalmente no consórcio.

Ou seja, para que você consiga comprar o bem que deseja, precisa ser contemplado no consórcio. E isso pode acontecer de duas formas, que iremos explicar adiante no texto.

Mas, antes mesmo de explicarmos os detalhes de como funciona a contemplação, vamos explicar o que é o consórcio.

O que é consórcio?

Organizado por uma administradora, que precisa ter a aprovação do Banco Central do Brasil (Bacen) para seu pleno funcionamento, o consórcio é um tipo de autofinanciamento em que grupos de pessoas se reúnem para a compra de seus bens. Com a contribuição de cada um, o fundo comum possui os recursos suficientes para a contemplação mensal dos bens.

A primeira coisa a se fazer antes de iniciar o consórcio é selecionar o bem que deseja comprar. A Embracon, por exemplo, administradora com mais de 30 anos de história, possui cartas de crédito de:

  • Consórcio de automóveis: para a compra de um carro novo ou seminovo (com até cinco anos de utilização, no máximo)
  • Consórcio de moto: para a compra de motos novas ou seminovas (com até três anos de utilização, no máximo).
  • Consórcio de veículos pesados: para a compra de caminhões, ônibus, vans, carretas ou até maquinários agrícolas.
  • Consórcio de imóveis: para a compra de casa, apartamento decorado, imóvel na planta, terreno ou até mesmo empreendimentos comerciais.
  • Consórcio de serviços: para investir em diferentes tipos de serviços, como estudos, reforma, cirurgias, viagens e até festas (incluindo casamento).

Depois de selecionar o tipo de consórcio em que deseja investir, o próximo passo é fazer a simulação do seu consórcio. Nesse momento, você seleciona o valor da carta de crédito, que corresponde ao bem que você deseja comprar, e a quantidade de mensalidades da carta.

Isso significa que, com o consórcio, você investe em um valor que possibilita a compra do bem selecionado. Porém, uma vez selecionada a categoria de consórcio, não é mais possível trocar para um outro tipo de cota. Por exemplo, se escolher investir em um consórcio de automóveis, não é possível trocar para um consórcio de motos ou de serviços, por exemplo.  

Você pode simular o seu bem quantas vezes for necessário. É importante que você identifique o valor que faz mais sentido para a sua realidade financeira. A fim de evitar possíveis inadimplentes, a administradora permite que o valor da mensalidade seja de, no máximo, 30% do total dos rendimentos mensais.  

No processo de simulação, você já sabe quanto teria que pagar pelo seu consórcio, com o acréscimo das taxas: taxa de administração, que remunera a empresa de consórcio por todos os serviços realizados, como formação dos grupos, entrega das cartas de crédito, entre outros; e o fundo de reserva, valor que serve como garantia para que a inadimplência de nenhum integrante possa comprometer o fundo comum do grupo.  

Vale lembrar que, ao deixar de pagar o consórcio, você deixa os demais integrantes em risco, porque não contribui para o fundo comum. Por isso mesmo, as administradoras não permitem que os inadimplentes participem das assembleias, que são os momentos em que acontecem as contemplações.

Depois de efetuar a simulação e inserir os seus dados pessoais, um especialista de consórcio entra em contato, para tirar todas as dúvidas e entregar o contrato de adesão. É com ele que você irá fechar o valor da sua mensalidade.

Quais são as formas de contemplação

Todas as contemplações acontecem nas assembleias de consórcio. Assim que você fecha o contrato com a administradora, recebe o acesso da sua Área de Clientes, onde pode acompanhar a numeração que corresponde à sua cota, atualizar seus dados cadastrais e verificar os dias em que acontecem as assembleias.  

Assim que o grupo é formado, a administradora determina um dia do mês para realizar as assembleias.  

Existem dois tipos de assembleia: ordinária, em que acontecem as contemplações e todos podem participar; e as extraordinárias, em que os consorciados que respondem pelo grupo se reúnem para determinar as regras específicas do grupo, como formas de contemplação, sempre priorizando a saúde financeira do fundo comum.

As assembleias ordinárias acontecem mensalmente e são transmitidas online, pela Área de Clientes. Todos que pagam mensalmente a sua cota estão elegíveis para serem sorteados. Mas, se quiser ser contemplado mais rapidamente, pode tentar o lance.

A seguir, vamos explicar em detalhes como funcionam as formas de contemplação no consórcio.

Sorteio

Em todas as assembleias ordinárias acontecem os sorteios das cotas. A cota é a numeração da sua dívida de consórcio.

Para realizar os sorteios da forma mais transparente possível, a Embracon conta com o sistema da Loteria Federal.

Os consorciados podem ser sorteados desde os primeiros meses até os últimos meses de pagamento da sua cota. Por conta disso, nenhuma administradora pode garantir quando a contemplação irá acontecer. Caso alguma administradora ou representante de consórcio prometa a data de contemplação, desconfie: você pode estar sendo alvo de uma fraude de consórcio, já que nenhuma empresa está autorizada a dar garantias desse tipo, de acordo com as regras do Bacen.

Caso queira ser contemplado com antecedência, a alternativa é tentar ofertar o lance - que iremos explicar a seguir.

Oferta de lance

Quem já ouviu falar de consórcio muito provavelmente já se deparou com o termo “lance”. Assim como acontece em leilões, por exemplo, em que cada interessado dá o seu lance com o objetivo de conquistar o bem que está sendo leiloado, o lance no consórcio funciona de maneira semelhante: dentro de um grupo, você pode ofertar um valor, com o objetivo de ser contemplado com antecedência.

Só que nenhum consorciado tem conhecimento dos valores que são ofertados com antecedência. Até um dia antes da assembleia, o seu valor de lance pode ser registrado na Área de Clientes.

Se o seu lance for aprovado, você passa pela análise de crédito e tem o valor debitado - que irá quitar as últimas mensalidades da sua cota. Porém, se outro consorciado tiver o lance aprovado, sem problemas: seu valor não chega a ser debitado, e você pode tentar nos meses seguintes.  

Quanto maior o valor de lance, maiores são as chances de ser contemplado.  

Dentro de um grupo pode existir várias formas de fazer a oferta de um lance e aumentar as suas chances de contemplação. Vamos detalhar a seguir os tipos de lance.

Tipos de lance

Lance livre

O lance livre é a modalidade mais comum e utilizada pelos consorciados. Você faz o registro do valor antes da assembleia; se o valor que você ofertar for o maior, você é contemplado.

Essa modalidade está disponível na maioria dos grupos.  

Lance fixo

Nessa modalidade, o consorciado tem condições de prefixar um percentual para o valor do lance. Pode ser 25% ou 50% do total da carta de crédito, dependendo das regras do seu grupo de consorciados.

Nem todos os grupos dão essa possibilidade. Com o lance fixo, acontece o seguinte: a administradora lista todos os consorciados interessados nesse tipo de lance e realiza um sorteio somente entre eles, para definir o vencedor.  

A mecânica do sorteio entre os que ofertam o lance fixo é a mesma do sorteio tradicional: a Embracon, no caso, utiliza a numeração da Loteria Federal, relacionando-a com a numeração da cota dos interessados.  

Lance embutido

Dentro da modalidade de lance fixo, você pode utilizar a própria carta de crédito como oferta de lance. Trata-se do lance embutido.

Se estiver investindo em uma carta de consórcio imobiliário de R$ 300 mil, por exemplo, pode descontar 25% desse montante para fazer a oferta de um lance. Ao ser contemplado dessa forma, você recebe uma carta de crédito de R$ 225 mil - e o valor de R$ 75 mil, utilizado como lance, ajuda a pagar as mensalidades restantes do consórcio.

É uma ótima oportunidade para quem está descapitalizado ou quer abrir mão de parte da sua cota para ser contemplado mais rápido. Porém, é preciso observar as regras do grupo, para ver se existe essa possibilidade.

Lance com FGTS

Essa opção é exclusiva para quem investe em consórcio imobiliário. Você pode utilizar os recursos do FGTS (Fundo de Garantia de Tempo de Serviço) com o objetivo de fazer a oferta de um lance para a conquista da sua casa ou apartamento.

É importante lembrar que a Caixa só libera os recursos do FGTS para essa finalidade quando se trata do primeiro imóvel em seu nome.

Para prosseguir com o lance por FGTS, é necessário fazer a proposta dentro da Área de Clientes com o valor dos recursos que você gostaria de ceder para o lance. É necessário solicitar o extrato do seu FGTS e coletar a assinatura do gerente, para oficializar sua oferta. Converse com o gerente antes da proposta, para se certificar de que poderá utilizar o valor para essa finalidade.

Caso você seja contemplado, a administradora dá toda a orientação para que você possa sacar o dinheiro e utilizá-lo com a finalidade de ofertar o lance para o consórcio imobiliário. É uma excelente alternativa para quem possui um bom dinheiro guardado em seu fundo de garantia e queira acelerar a contemplação do seu sonhado imóvel.

Lance Troca de Chaves

Essa modalidade é específica para troca de veículos. Se você tem interesse em fazer um consórcio de automóveis para a compra de um novo ou seminovo, também pode utilizar o seu veículo usado como oferta de lance.  

Com o lance Troca de Chaves, fica muito mais fácil trocar o seu usado e comprar seu novo veículo por meio do consórcio - que, vale lembrar, sai por um preço muito mais justo que o financiamento, que pode cobrar quase o dobro do valor original a prazo por conta dos juros.

Análise de crédito

Antes de ser contemplado, todos os consorciados passam pela análise de crédito. Seja por lance ou por sorteio, este é um dos momentos mais importantes para a administradora, para que ela possa analisar as condições financeiras e garantir o comprometimento com as mensalidades para que possa prosseguir com a contemplação.  

Na análise de crédito, a administradora faz a confirmação dos dados pessoais - que podem ser atualizados na Área de Clientes - e verifica a situação do consorciado nos órgãos de proteção ao crédito. Caso esteja com o nome sujo, por exemplo, o consorciado pode ter a sua carta de crédito recusada, e ter que passar pelas assembleias novamente.

Por mais que a administradora permita iniciar o pagamento de uma cota mesmo com o nome sujo, é preciso regularizar a situação para ter acesso à carta de crédito. Afinal, os grupos não podem correr o risco de um inadimplente já contemplado deixar de pagar.  

Caso o valor da mensalidade ultrapasse os 30% dos rendimentos mensais do consorciado, é solicitada a indicação de um devedor solidário, que compartilha a responsabilidade da dívida com o consorciado. O devedor solidário deve entregar as mesmas documentações do consorciado, como CPF, nome completo e comprovante de rendimentos mensais.  

Portanto, converse com antecedência com o indicado como devedor solidário, para que tenha ciência da responsabilidade de indicar o nome.

Na contemplação, o bem fica alienado à administradora. Ou seja, se você for contemplado com um consórcio de automóveis, na hora de comprar o carro, o bem terá seu nome compartilhado entre o proprietário e a administradora, até que todas as mensalidades sejam pagas.

Ao ser aprovado na análise de crédito, você finalmente pode usar a sua carta de crédito.

Como utilizar a carta de crédito

Como dissemos, a carta de crédito representa o bem que você investiu. Até a sua devida contemplação, pode acontecer de a carta ter passado por reajustes anuais. Isso acontece para evitar que a desvalorização da moeda e a inflação diminuam o poder de compra do valor que você selecionou lá na etapa de simulação.  

Por isso mesmo, a cada reajuste, o consorciado pode pagar um valor mais elevado na parcela, considerando os índices econômicos. Porém, isso não acontece em benefício da administradora, e sim do próprio consorciado, que terá à disposição um valor maior quando for contemplado.

Você não precisa utilizar a sua carta de crédito assim que for contemplado. Até tomar a decisão de utilizar o valor, você pode aproveitar para pesquisar, em busca de bons negócios. Enquanto isso, o valor é mantido no fundo comum e rende juros positivos a favor do consorciado.

A carta de crédito tem poder de compra à vista, o que permite uma ótima margem de negociação na hora de comprar o bem. Já pensou: um desconto de 10% de um bem que pode custar até 6 dígitos, como um apartamento, por exemplo? Você pode ter um desconto considerável.

Aliás, você também não precisa se preocupar se o valor do bem selecionado bate com o valor da sua carta de crédito. Caso você tenha uma carta de crédito superior ao bem, pode utilizar até 10% para despesas burocráticas, como transferência de propriedade, idas ao cartório etc. E, se ainda sobrar dinheiro, dá pra quitar as últimas mensalidades da sua cota.

E, caso o bem tenha um valor superior à sua carta de crédito, sem problemas. Converse com o proprietário ou empresa responsável pelo bem, para que possa negociar a forma de pagamento. A administradora permite a liberação do valor, e você pode negociar o que falta com o próprio vendedor.

Para utilizar a carta de crédito, é necessário indicar o proprietário ou empresa responsável para a administradora, para que ela realize a transferência. Ou seja, o consorciado não chega a ter acesso ao valor em sua conta - a não ser que queira aguardar mais de 6 meses mantendo o valor no fundo comum.  

Embora pareça complicado, investir em um bem por meio do consórcio gera uma grande economia a médio e longo prazo. Você paga por um valor mais justo, sem ter que comprometer sua estabilidade financeira.  

Que tal começar o quanto antes a investir em seus sonhos? Faça uma simulação do seu consórcio e aproveite as vantagens de uma modalidade que tem tudo para facilitar a sua vida.

Simulação
chat Eva