Valorização de imóvel e cálculo para venda, como fazer?

Valorização de imóvel e cálculo para venda, como fazer?

Sejamos realistas, a reputação do mercado imobiliário como um investimento seguro e lucrativo é bem conhecida. Isso ocorre porque a valorização imobiliária permite que você venda uma casa ou apartamento por um preço mais alto do que você pode comprar.  

Porém, apesar das inúmeras vantagens de se investir em imóveis, embora o valor de uma casa, terreno ou apartamento geralmente seja bastante alto, muitas pessoas ainda duvidam desse método de compra por medo de perder.  

Com o objetivo de responder as suas dúvidas e ajudá-lo a garantir um futuro melhor investindo em imóveis, explicaremos neste artigo o que é, como funciona e o que afeta a valorização dos imóveis.

O que é a valorização do imóvel?

Com o tempo, devido à influência de diversos fatores, desde a reforma e decoração do imóvel até a segurança do bairro, o preço do imóvel tende a subir, o que leva à valorização do imóvel.  

Mas, em última análise, o que significa essa avaliação de imóvel? Nada mais é do que o aumento dos preços de venda de imóveis, tendência de aumentar regularmente e é acompanhada por todas as áreas do mercado imobiliário. É por isso que muitas vezes se ouve que o mercado imobiliário é um bom investimento.

Isso porque, se feito com cuidado e planejado, o valor do imóvel vendido pode ser muito superior ao valor que você compra, gerando assim lucros para seus proprietários.  

Além disso, uma casa ou apartamento também pode ser usado como fonte de renda se for alugado, e a avaliação do imóvel permite que o preço do aluguel seja ajustado de acordo com a oferta e demanda do mercado e as condições da propriedade.

Como ocorre a valorização de um imóvel?

Reformas, modificações imobiliárias, beneficiações e modernizações de bairros e casas / apartamentos, tendências do mercado imobiliário, tudo isto condiciona a valorização do imóvel e desempenha um papel na determinação do preço de venda.  

Outros fatores que afetam diretamente a avaliação da propriedade incluem: segurança em todo o imóvel e área; a oferta e demanda de propriedades na área; localização; tamanho da propriedade; conservação e condições, como vagas de garagem, número de quartos, banheiros, elevadores, varandas, etc; documentação.  

Portanto, é por meio desses aspectos que se calcula a valorização imobiliária para definir o valor de venda dos imóveis. Alterações e melhorias feitas no imóvel após a aquisição aumentaram o preço, enquanto acidentes e desgastes reduziram o valor.

Estrutura da propriedade  

A estrutura também está incluída no valor do imóvel porque mostra que o local é seguro, construído por profissionais e com bons materiais.

Localização  

A localização é outro ponto que afeta o índice de valorização do mobiliário e é um dos pontos mais importantes.  

A área onde o imóvel está inserido afeta diretamente a qualidade de vida dos residentes e é um fator decisivo na compra de uma moradia. Propriedades localizadas em áreas de maior valor da cidade tendem a ser mais valiosas no mercado imobiliário.  

Uma boa localização permite que os compradores tenham uma melhor qualidade de vida, com fácil acesso a transportes públicos e principais passagens. Além disso, áreas bem localizadas oferecem uma gama mais ampla de negócios e serviços de alta qualidade, permitindo que os residentes encontrem o que precisam sem ter que viajar longas distâncias.  

Os serviços e produtos prestados nas áreas geograficamente superiores podem variar de supermercados e farmácias à rede pública e de saúde.

Acabamento  

A qualidade do acabamento também é um ponto considerado no índice de valorização dos móveis.  

Ou seja, materiais de alta qualidade e bens instalados agregam valor ao imóvel e vice-versa. Portanto, ao construir um imóvel, considere a compra de materiais de marca de melhor qualidade, em vez de apenas avaliar o preço e o custo de construção.  

Portanto, se você planeja construir e vender seu imóvel no futuro, escolha materiais de alta qualidade, bonitos e duráveis ​​para aumentar o valor do imóvel.

Documentação  

Engana-se quem acredita que os documentos não afetarão a valorização do imóvel.  

Além de promover as vendas, um imóvel com a documentação mais recente pode evitar que proprietários e compradores tenham problemas. A prefeitura e o cartório de registro de imóveis exigem muitos desses documentos.  

Com a documentação completa, o imóvel pode ser vendido legalmente, e desde que cumpra as condições, também pode ser financiado. Um dos maiores entraves para a venda de imóveis é a falta de documentação, pois essa é uma exigência das instituições bancárias na hora da emissão de financiamentos, e muitos compradores utilizam o crédito imobiliário para adquirir imóveis.  

Sustentabilidade  

A sustentabilidade está se tornando cada vez mais importante, e tanto as construtoras quanto os compradores precisam investir em propriedades com design sustentável.  

Além de beneficiar o meio ambiente e o uso racional dos recursos, as propriedades de empreendimentos com foco no desenvolvimento sustentável também agregam valor ao imóvel.  

Ações de sustentabilidade que podem fazer parte da propriedade: torneiras com temporizador em áreas públicas e propriedades internas, água de duplo gatilho para controlar o volume de água, instalação de painéis solares para fornecer iluminação para áreas públicas ou específicas do imóvel.

Infraestrutura e conservação

Obviamente, o tamanho da propriedade afeta o valor da estrutura. No entanto, a infraestrutura não pode ser avaliada individualmente.  

Imóveis maiores não são necessariamente mais caros, afinal, esse tipo de modelo de planta baixa geralmente está disponível em edifícios mais antigos. Imóveis compactos e modernos tendem a ser mais caros.  

Esse é um dos motivos pelos quais muitas pessoas investem em anúncios imobiliários. O imóvel na planta baixa tem uma valorização superior porque você compra um imóvel que ainda está em construção, e então poderá negociar a partir da nova estrutura sem desgastes.

Índices de mercado  

Além dos critérios individuais usados ​​para entender como calcular as valorizações imobiliárias, um fator decisivo na definição de preços é a utilização de índices de mercado.  

O principal deles é o índice do FipeZap, que traça o valor médio de mercado considerando diversos fatores econômicos.  

Portanto, se você deseja avaliar a valorização imobiliária anual, um índice é uma boa maneira de obter o valor justo de mercado. Outros índices amplamente utilizados são o índice geral do mercado de imóveis comerciais e o índice geral de preços de imóveis.  

Como calcular a valorização do imóvel?

Agora que você conhece os principais aspectos que promovem os preços dos imóveis, vamos falar sobre como calcular a valorização dos imóveis.  

Embora nenhuma fórmula seja fornecida para o preço exato, alguns recursos reais podem ser usados ​​para determinar o valor.  

Em primeiro lugar, lembre-se de que você não precisa fazer esse trabalho sozinho. Caso tenha dificuldade em determinar o valor justo cobrado pelo imóvel, a assistência de um corretor imobiliário pode ser a melhor forma de negociar o imóvel para obter o melhor valor de mercado que ele merece.  

Os cálculos realizados pelo índice FipeZap fornecem uma visão geral sobre a qual você pode calcular seu tempo faturável e fornecem gráficos gerais do mercado. Isso torna mais fácil avaliar as flutuações de preços e outros fatores em certas áreas.

Índices do mercado imobiliário que implicam na formação de preços e a avaliação da propriedade

Hoje, o FipeZap é o principal índice que monitora efetivamente a forma como os preços são formados e como as avaliações imobiliárias são efetivamente monitoradas no país, como já havíamos citado acima.  

Por meio da extensa coleta de dados de todos os anúncios de vendas e locações no Brasil e, em seguida, da análise e organização adequada dessas informações, derivamos parâmetros confiáveis ​​que têm sido utilizados por consumidores, analistas e profissionais do mercado imobiliário desde 2010.  

Esse movimento é um passo importante para o amadurecimento do mercado imobiliário brasileiro e para o comportamento de todas as partes envolvidas nesse contexto. Isso permite não cair no “palpite” do assunto, o que é muito comum em frases como “quem compra o terreno não comete erros” ou “imóvel é o investimento certo” e outras afirmações que já estão enraizadas na cultura brasileira.

Você pode não saber disso ainda, mas uma extensa análise de como os preços e avaliações imobiliárias do país foram formados de 1979 a 2015 revelou que os preços reais dos imóveis não ultrapassaram a média de 1,23%.  

Isso se deve à falsa impressão de muitos proprietários não profissionais que viram o valor do imóvel aumentar, mas não conseguiram acompanhar o aumento da inflação naquele período.  

Portanto, eles concluem automaticamente que ganharam muito dinheiro com as vendas, mas o fato é que nem sempre é esse o caso. Por exemplo, considere o período de extrema turbulência econômica antes do Plano Real. Os imóveis podem rapidamente se valorizar 10 vezes em um curto período de tempo, enquanto a taxa de inflação aumenta 15 vezes ao mesmo tempo.  

Portanto, o preço em si não diz muito, mas quanto esse valor representa no espectro econômico mais amplo. Estar ciente dessas nuances permite que você realmente determine se fez um bom negócio.

Índice FipeZap  

O FipeZap, índice de preços de imóveis publicitários, foi desenvolvido especialmente pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas e portal Zap Imóveis.  

O índice de avaliação leva em consideração o valor veiculado nos anúncios produzidos no site e em outras fontes na Internet. Seu ciclo é uma vez por mês, e mais de 500.000 cotações são geralmente consideradas para análise.

Método de cálculo de avaliação anual  

A Internet facilita a compreensão do valor da sua propriedade durante o ano. Além do próprio índice FipeZap, existem ferramentas como cálculos de avaliação, que fornecem uma base de referência sólida para acompanhar o mercado, o que sem dúvida encurta o caminho para o aluguel de imóveis para quem quer mais clareza na compra, venda e negociação.  

Os cálculos de avaliação são utilizados em conjunto com os principais índices de mercado, como o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) e o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), para fornecer aos usuários os melhores parâmetros de cálculo.  

De forma muito prática, o próprio visitante insere no site as informações detalhadas sobre o imóvel, como a data da compra, a data prevista de entrega, o valor do imóvel, e o valor pago na entrada, para verificar quanto a propriedade pode apreciar.

Em seguida, basta clicar para calcular, e o site fará o cruzamento dos dados e trará as informações necessárias para esclarecer suas dúvidas. O processo é muito simples e rápido, podendo ser encontrado sem nenhum conhecimento técnico. Obviamente, essa não é a única maneira de você fazer esse cálculo, você também pode verificar as receitas e despesas do imóvel por outros métodos.  

A desvalorização

Há uma crença muito popular de que é natural que uma propriedade seja depreciada à medida que seu valor aumenta, seja residencial, comercial ou outros projetos em desenvolvimento.  

Mas não é exatamente a realidade. Claro, a valorização imobiliária é possível e acontece com frequência, mas o outro lado da moeda é que a propriedade pode até depreciar gradualmente por razões incontáveis. Porém, em termos de desvalorização imobiliária, sabendo-se que ela pode ser evitada, pelo menos parte do motivo é a depreciação do negócio. Mas quais motivos levam a depreciação?

Falta de manutenção  

Não há dúvida de que esse é o primeiro item da desvalorização imobiliária: a falta de manutenção no imóvel.  

Normalmente, a propriedade antes bela e bem preservada desaparece aos poucos, ignore isso completamente e veja ocorrer a depreciação de dentro para fora.  

Para evitar a depreciação do imóvel por falta de proteção, faça reparos, revistas e monitore o estado geral da propriedade, ou peça aos seus clientes que façam, se você é um corretor, esses movimentos. Preste atenção à manutenção e mantenha seus ativos sempre bem cuidados.

Insegurança  

Todos sabemos que a violência, principalmente no Brasil, está aumentando a cada dia. Então, na época em que comprar ou alugar um imóvel, os fatores de segurança são importantes para a maioria das pessoas.  

A insegurança se refere à ocorrência frequente de violação de propriedade em uma comunidade ou área de roubos constantes, mesmo que seja apartamento ou condomínio, a segurança nos prédios podem não ser eficientes.  

Ou uma casa que seja fácil de arrombar, como sem paredes ou grades, janelas danificadas ou as entradas não estão protegidas.  

Quer evitar desvalorização do seu imóvel por falta de segurança? Invista em proteção de para o móvel, instale alarmes, grades, cercas elétricas ou pergunte ao síndico como melhorar os serviços de segurança para edifícios ou apartamentos. Verifique também os atributos para vulnerabilidades, especialmente se eles estiverem localizados em locais com altos índices de criminalidade.

Problema de documentação

Em termos de desvalorização imobiliária, os documentos estarem incompletos, ausentes, ​​ou irregulares, é o principal obstáculo para qualquer potencial comprador ou locatário.  

Problemas de documentação podem ser uma dor de cabeça, ainda mais dada a burocracia do nosso país. Claro, este é um dos principais motivos para a depreciação imobiliária.  

Por outro lado, se você realmente aprecia a propriedade, pode gerar os seguintes fatos: documentos irregulares e sem pagamento, põe sua propriedade e conta em risco. Conheça as questões pendentes relacionadas a documentação com antecedência e feche o acordo mais rapidamente.

Falta de garagem  

A maioria dos compradores ou inquilinos de imóveis prefere essas propriedades com uma garagem que pode estacionar um carro ou outros veículos (às vezes mais de um).  

Afinal, existe uma grande probabilidade de que o possível comprador possua um determinado tipo de veículo, portanto, mesmo na era das aplicações de transporte, as garagens são essenciais. As garagens também merecem atenção. Espaço muito pequeno, muita estreiteza, etc, podem causar depreciação da propriedade.

Claro, alguns compradores ou inquilinos acham que não há problema com a compra, ou, principalmente, imóveis com espaço reduzido para locação. No entanto, na maioria dos casos, entre os potenciais compradores ou inquilinos, os pequenos espaços ainda são um problema. É maior para famílias com crianças e animais de estimação. Quartos pequenos, espaços adjacentes, como sala de estar e cozinha, carecem de lazer e tem muita colaboração na desvalorização patrimonial.

Gostou do texto e quer reformar ou comprar um imóvel novo? Conheça os planos de consórcio da Embracon e invista no seu patrimônio!

Simulação
chat Eva