Consórcio na pandemia: vale a pena?

Consórcio na pandemia: vale a pena?

Desde que a pandemia de Covid-19 pegou o mundo inteiro desprevenido, muitos países têm sofrido com a recessão econômica, a alta do desemprego e com o alto número de mortes, principalmente do grupo mais vulnerável: dos idosos.

Por conta disso, a forma com que nos relacionamos com o consumo mudou no mundo inteiro. A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou o isolamento social como forma de impedir que o coronavírus se espalhe. E, mesmo com a chegada das vacinas, o mundo de hoje já é bem diferente do ano passado: as pessoas continuam usando máscara, praticando o isolamento da forma que podem e realizando compras de forma digital.

Após a dura experiência de viver em uma época de pandemia, aos poucos as pessoas vão retomando suas atividades: os que já estão imunizados, ainda que tenham que se proteger com máscara e álcool em gel, se sentem um pouco mais à vontade de sair de casa e retomar a rotina do passado.

Por conta do isolamento social, as pessoas têm ficado ainda mais interessadas em constituir um patrimônio que aumente sua proteção. Com o isolamento, por exemplo, mais pessoas ficam em casa, elevando o interesse pela compra ou troca do imóvel. De acordo com o índice FipeZap, já no começo do ano passado, quando a pandemia começou a assolar o mundo, o interesse por imóveis já vinha crescendo - algo que se estendeu ao longo de 2021.

Até mesmo quem pretende se locomover prefere investir em um automóvel próprio do que contar com o transporte público ou motoristas de aplicativo. Segundo dados da Federação Nacional das Associações dos Revendedores de Veículos Automotores (Fenauto), as pessoas ficaram mais interessadas, principalmente, em carros seminovos: para se ter uma ideia, abril de 2021 teve um aumento de mais de 400% nas vendas de veículos usados, comparado ao mesmo período do ano anterior.

Para quem não conhece, o consórcio é uma forma de comprar tanto carros quanto imóveis. Como vantagem, permite o início da compra sem cobrar entrada ou juros, além de ter condições bem mais flexíveis para os interessados.

Mas, além dos bens comercializados pelo consórcio se tornarem mais atrativos, o brasileiro também tem prestado atenção em um tema bem sério: a educação financeira. Quem compara a melhor forma de compra acaba escolhendo o consórcio por diversas razões: você pode determinar o valor que vai pagar pelo bem, paga por um valor a prazo mais justo, não vê o seu bem desvalorizar e conta com a segurança de um modelo de compra que é regulado pelo Banco Central do Brasil (Bacen).

Por conta de tudo isso, o consórcio vale a pena, sim, enquanto modalidade de compra mesmo durante a pandemia. Mas, quais são as vantagens? Como posso ter uma boa experiência com o consórcio? Por que vale a pena? Iremos explicar todos os detalhes a seguir.

O que é e como funciona o consórcio?

Antes de entender as vantagens do consórcio, é importante saber como funciona a modalidade.

O primeiro passo antes de fazer um consórcio é escolher o que deseja comprar. Você não precisa saber o bem de imediato que deseja: apenas sabendo a categoria e tendo uma ideia do valor final, já é possível iniciar o processo de simulação.

Com o consórcio você pode investir em:

  • Consórcio de imóveis: para a compra de casa, apartamento decorado ou na planta, terreno ou até empreendimento comercial.
  • Consórcio de veículos pesados: para a compra de caminhões, carretas, ônibus, vans etc.
  • Consórcio de serviços: para quem deseja investir em diferentes experiências, como viagens, reforma, educação (intercâmbio, faculdade, pós-graduação, cursos específicos etc), cirurgias e diferentes festas, incluindo casamento.

Após selecionar uma das categorias, você pode realizar a simulação de consórcio. Escolha uma administradora que tenha autorização do Bacen para funcionar - como a Embracon, por exemplo, que há mais de 30 anos realiza o sonho de milhões de pessoas por meio do consórcio.

No processo de simulação, você precisa inserir o valor total do bem que deseja comprar. Este valor é representado pela carta de crédito. Depois disso, o próximo passo é inserir a quantidade de parcelas que desejaria dividir o valor do bem.

Além da divisão da carta de crédito pela quantidade de mensalidades, o simulador já determina o quanto você deveria pagar de mensalidade, incluindo a taxa de administração, que remunera a empresa de consórcio por todos os serviços realizados, e o fundo de reserva, que serve para cobrir qualquer tipo de inadimplência dos consorciados do grupo.

O consórcio é uma espécie de autofinanciamento: você determina o valor que vai pagar pelo bem e entra em um grupo, com outros consorciados com interesses semelhantes. A contribuição das mensalidades de cada um permite as contemplações, que acontecem por meio de sorteios mensais ou pela oferta de um lance.

O pagamento das mensalidades é extremamente importante: afinal, quando um consorciado deixa de pagar, coloca o grupo inteiro em risco, já que os valores formam o fundo comum, responsável pelas contemplações.

Por isso mesmo, a administradora cobra fundo de reserva e só permite a participação nas assembleias de quem está pagando as mensalidades corretamente.

Ao fechar o contrato de consórcio, a administradora fica responsável por colocá-lo em um grupo. Todos os meses são realizadas as assembleias, que podem ser acompanhadas online pela Área de Clientes. Por mês, pelo menos um consorciado do grupo é contemplado por meio do sorteio. Para isso, a administradora conta com o sistema da Loteria Federal.

Após a contemplação, é realizado um processo de análise de crédito, em que a administradora faz a checagem das informações pessoais, consulta o nome do proprietário da cota nos órgãos de proteção ao crédito e verifica os rendimentos mensais do consorciado.  

Além do sorteio, é possível ser contemplado por meio do lance. Funciona da seguinte forma: até um dia antes da assembleia, todos os consorciados podem determinar um valor a mais que pagariam pela sua cota na Área de Clientes. Para efetivar o lance, é necessário ter pelo menos 10% do valor da carta de crédito. Então, os administradores do grupo analisam as ofertas daquela assembleia: o valor mais alto de lance determina o ganhador.  

Todos os consorciados que estão pagando mensalmente pela cota podem fazer a oferta de um lance quantas vezes quiserem, até ser devidamente contemplado. Somente o lance vencedor tem seu valor debitado pela administradora, quitando as últimas mensalidades da cota.

Mesmo as pessoas contempladas pelo lance passam pelo processo de análise de crédito. Nessa etapa, a administradora costuma ser mais rigorosa porque precisa garantir que todos os consorciados contemplados continuem comprometidos com o pagamento das cotas, sem causar prejuízo aos demais integrantes do grupo.

Após passar pela análise de crédito, o consorciado tem a sua carta de crédito liberada, que pode ser utilizada para a compra do bem. É preciso indicar o proprietário do bem à administradora, para que ela faça o repasse integral do valor.  

A vantagem é que a carta de crédito tem poder de compra à vista, o que dá uma boa margem de negociação na hora da compra. Aproveite para negociar as melhores condições possíveis: você pode ter uma economia considerável.

Por que vale a pena fazer consórcio?

O consórcio é uma modalidade de pagamento que compensa por vários motivos. Antes de tudo, você não precisa ter um alto valor de entrada para começar a pagar por aquilo que deseja. Pelo financiamento, por exemplo, é necessário ter ao menos 10% do valor de entrada do bem.

Outra vantagem é que, com o consórcio, você não paga valor de juros. Ao financiar a sua compra, você pode pagar por mais que o dobro do valor a prazo, sem falar no prejuízo que se tem ao vender ou comercializar o bem após o uso.  

Além disso, você não precisa escolher o bem que deseja no momento em que faz o consórcio. Somente quando for contemplado com a carta de crédito você escolhe o que deseja - o que dá um bom tempo para pesquisa e para aproveitar as melhores oportunidades disponíveis.

É você que determina o valor da carta de crédito, a quantidade de mensalidades e conta com a flexibilidade do consórcio para usar a carta após ser contemplado. Por conta disso, o consórcio é a melhor forma de planejar a compra do seu bem: você paga por um valor mais justo por aquilo que realmente deseja, sem comprometer seus rendimentos pessoais.

A seguir, vamos explicar os detalhes de todas as vantagens do consórcio.

Vantagens do consórcio em época de crise

Agora que você entende muito bem como funciona o consórcio, vamos apresentar alguns motivos que comprovam a vantagem da modalidade em tempos de crise, como a pandemia de coronavírus.

Você pode planejar a sua compra

Com o consórcio, você decide como planejar a compra do seu bem. Além de escolher o valor da carta de crédito e a quantidade de mensalidades, na hora de ser contemplado, o consorciado define como utilizar a carta de crédito da forma que desejar.

Aliás, nem é preciso utilizar o valor completo. Caso tenha investido em um consórcio de imóveis, por exemplo, no valor de R$ 300 mil, tenha sido contemplado, mas queira comprar um imóvel que custe R$ 250 mil, sem problemas. É possível utilizar até 10% deste valor para despesas burocráticas, como transferência de propriedade e idas ao cartório. Com o valor que sobrar, você pode quitar as mensalidades restantes da sua cota.

Mas, caso queira comprar um bem de valor superior à sua carta de crédito, também pode contar com o consórcio. Basta solicitar a transferência por parte da administradora e negociar diretamente com o proprietário a forma de pagar o valor restante.

Confiança em um sistema flexível

Para evitar qualquer tipo de golpe ou fraude, é extremamente importante que você realize o pagamento de sua cota em uma administradora de consórcio que tenha autorização do Banco Central para seu pleno funcionamento.

As administradoras autorizadas têm garantia de que irão entregar o valor da carta de crédito enquanto o consorciado estiver pagando as mensalidades. No contrato de adesão, é possível entender todos os direitos e deveres de um consorciado: pagamento das mensalidades, participação nas assembleias, regras de utilização da carta de crédito.

Sem falar que, por ser uma modalidade que se adequa ao seu planejamento financeiro, o consórcio é bastante flexível: você pode alterar o valor das cartas, tentar o lance quando quiser ser contemplado com antecedência e selecionar o bem que desejar ao receber a carta de crédito.  

Enquanto decide como utilizar a carta, o valor é mantido no fundo comum, que gera um juros positivo a seu favor. Caso mantenha o valor da carta de crédito, após ser contemplado, no fundo comum, a administradora pode fazer a transferência do valor integral diretamente para o dono da cota.

Paga por um valor a prazo mais justo

Com o consórcio você não paga valor de juros. Com isso, o valor a prazo do bem que selecionou fica bem mais em conta, já que se paga apenas taxa de administração e valor de fundo de reserva, que pode até mesmo ser devolvido de forma integral, caso não haja inadimplência no grupo.

Dessa forma, você tem uma economia significativa com a compra do bem que deseja.

Seu bem não desvaloriza

Uma das vantagens do consórcio é que o seu bem não é desvalorizado enquanto você paga pela cota. Por mais que a modalidade tenha a carta de crédito como indexador, com o passar dos anos a inflação pode levar à desvalorização da moeda a longo prazo.

Como o consórcio tem um prazo extenso de pagamento, as administradoras realizam um reajuste no valor da carta de crédito, para que o valor recebido possa ser o suficiente para adquirir o bem que o consorciado tanto deseja.  

Esse reajuste acontece no aniversário anual de cada cota e leva em consideração índices como o INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) para o consórcio de imóveis, por exemplo, e o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) para consórcio de automóveis.

Com o reajuste, o valor da carta de crédito é alterado, preservando o poder de compra do consorciado. Este valor é diluído nas mensalidades, que passam por uma alteração. Por isso mesmo, o consorciado pode pagar por um valor a mais por mês - mas é porque estará investindo em uma carta de crédito com valor superior, ou seja, não se trata de um juros ou uma taxa adicional.

Essa medida permite que o valor originalmente simulado mantenha-se competitivo com o passar dos anos, para que você possa comprar o bem que havia determinado lá no início, quando começou a pagar por sua cota.  

Dicas de como fazer seu consórcio na pandemia

Agora que você já entende o funcionamento e todas as vantagens do consórcio, vamos trazer algumas dicas de como ter uma boa experiência com a modalidade em tempos de pandemia.

Determine o bem que deseja comprar

A primeira coisa a se fazer antes de dar início a um consórcio é escolher o que deseja comprar.  

Para isso, converse bem com a família e estabeleça prioridades. Se a família inteira mora de aluguel e deseja ter a casa própria, vale mais a pena investir em um consórcio de imóveis do que trocar de carro, por exemplo. Mas, se a ideia é organizar uma viagem para que todos possam estar juntos, o consórcio de serviços pode ser uma boa pedida.  

O importante é que todos estejam confortáveis com a decisão e contribuam para que os rendimentos mensais não sejam comprometidos com gastos supérfluos.

Mantenha suas finanças sob controle

Ter uma boa saúde financeira é essencial para que se tenha uma boa experiência com o consórcio.

Essa medida impede que haja qualquer tipo de inadimplência, que pode colocar os integrantes dos grupos em risco. Para isso, a administradora estimula o consorciado a definir um valor de mensalidade que não afete seus rendimentos mensais. Antes de fechar o contrato, o especialista de consórcio tira todas as dúvidas e verifica se o valor selecionado para as parcelas não ultrapassa o limite de 30% dos rendimentos mensais.  

Caso isso aconteça, o especialista indica uma alteração no valor da carta ou na quantidade de parcelas, a fim de viabilizar o pagamento da cota.

Com as contas em dia, o consorciado não corre o risco de ter uma experiência ruim com o consórcio. Afinal, trata-se de uma modalidade de autofinanciamento, em que a colaboração mensal é extremamente importante. A desistência caracteriza quebra de contrato, que pode render prejuízo para o consorciado.

Escolha o melhor valor de pagamento das parcelas

Aproveite o momento de simulação para determinar o valor que faz mais sentido para a sua realidade financeira. Para isso, mantenha a sua planilha financeira atualizada e converse com a família para entender qual seria o melhor valor para uma parcela de consórcio.  

Por ser uma modalidade flexível, quanto menor o impacto do consórcio no seu dia a dia, melhor tende a ser a experiência. Dessa forma, você não fica ansioso em ser contemplado rapidamente e pode ir quitando a sua cota aos poucos.

Sorteio ou lance: escolha a forma com que deseja ser contemplado

Se você não tem muita pressa para ter acesso ao bem que começou a pagar, pode muito bem contar com o sistema de sorteio. Afinal, até a conclusão do pagamento da sua cota, você será contemplado.

Mas, se desejar antecipar a sua contemplação, pode contar com a oferta de um lance. O lance é um valor a mais que todos podem ofertar em uma assembleia. O maior valor define o vencedor.

Nos primeiros meses, é comum que muitos consorciados tentem o lance. O ideal é juntar dinheiro enquanto realiza o pagamento da cota e definir o melhor momento para fazer a sua oferta (o mínimo é de 10% do valor da carta de crédito).

Quando se sentir preparado, você pode fazer a sua proposta na Área de Clientes. Se o seu valor for o maior, você é contemplado e o valor quita as últimas mensalidades da sua cota. Se outro consorciado tiver ofertado um valor maior, sem problemas: seu valor não chega a ser debitado, e você pode tentar nos meses seguintes.

Faça uma boa negociação com a carta de crédito

Ao ser contemplado com a carta de crédito, identifique a melhor oferta para a aquisição do seu bem. Não se esqueça que a carta tem poder de compra à vista, o que garante uma boa margem de negociação no momento da compra.  

Afinal, um desconto de 5% a 10% (ou até mais) em uma compra de cinco ou seis dígitos pode representar uma baita economia, não é verdade?

Portanto, não adie o seu sonho por conta da pandemia. Faça uma simulação e conte com o consórcio para a conquista de seus objetivos.

Simulação
chat Eva