Dicas para escolher o primeiro carro

Dicas para escolher o primeiro carro

Para muitas pessoas, comprar um carro é realizar um sonho. O carro dá mais liberdade de locomoção, além de conforto e melhoria de bem-estar como um todo.

Muitas pessoas romantizam esse tipo de compra porque querem desfrutar dos muitos benefícios de se ter um automóvel. A pandemia de Covid-19 fez com que o desejo por um automóvel aumentasse ainda mais: por conta do isolamento social, muitas pessoas optaram por se locomover com seus automóveis. Quando isso não era possível, o uso de algum aplicativo de carona era a preferência para ir de um local a outro.

Independentemente da sua fase de vida, a compra de um carro tem tudo para facilitá-la. Quem está prestes a completar a maioridade, por exemplo, quer mais liberdade para sair com os amigos ou até mesmo cumprir a rotina de trabalhar e estudar no mesmo dia. Porém, pessoas já inseridas no mercado de trabalho ou até mesmo bem estabelecidas também podem desfrutar do benefício de ter um carro pela primeira vez: elas podem buscar mais conforto para o dia a dia e realizar uma série de atividades que não poderiam caso dependessem do transporte público ou aplicativos de carona.

Se antes as pessoas se esforçavam em busca da compra de um modelo zero km, atualmente existem tantas opções, que os seminovos têm caído cada vez mais no gosto popular. Para se ter uma ideia, os seminovos ficaram tão atrativos, que tiveram maior aumento de preço do que os carros zero nos últimos anos.

Mas, quando se fala em ter o primeiro carro, é importante levar em consideração algumas particularidades: fatores como dinheiro à disposição e objetivo de uso do automóvel são importantes, mas o gosto pessoal também deve ser analisado. Afinal, um carro não é um bem barato e, se não tivermos o mínimo de apreço por ele, provavelmente a experiência não será muito boa.

Diante de tudo isso, como fazer para ter uma escolha efetiva ao comprar o primeiro carro? Confira nossas dicas a seguir.

Determine o valor de compra do veículo

Quando se fala de um carro, estamos falando de um desejo. Porém, o desejo tem um preço, e saber determiná-lo com antecedência facilita bastante o processo de compra do seu primeiro veículo.

Antes mesmo de saber qual o preço para a compra do seu carro, vale a pena fazer uma pesquisa dos modelos que você mais se identifica. A tabela Fipe é uma ótima forma de fazer esse acompanhamento: ao inserir o ano e o modelo que deseja pesquisar, você já sabe o preço médio, que pode servir como referência para a sua compra.

A partir do momento que conseguir definir o valor do carro, você já sabe como se organizar financeiramente para atingir esse objetivo.

Se você utiliza uma planilha ou um aplicativo de finanças pessoais para controlar seus gastos, aproveite para planejar a compra do seu primeiro carro. Assim, você conseguirá estabelecer um valor limite para essa compra, facilitando o seu processo de decisão.

Saiba qual o objetivo de se ter um carro

Como já dissemos, existem muitos motivos para se ter um carro: algumas pessoas querem uma opção mais confortável para se locomover, enquanto outras precisam fazer algum tipo de renda com o veículo, seja realizando serviços como motorista de aplicativo ou trabalhando com aplicativos de entrega.

Porém, você deve ir além ao pensar no objetivo de se ter um carro. Por exemplo: quanto tempo você pretende passar com ele? Se a ideia é passar o maior tempo possível, então vale mais a pena investir em um modelo zero km, em que a manutenção não será feita nem tão cedo, do que um carro usado. Mas, se a ideia é ter um carro por um tempo predeterminado e trocar mais pra frente, um veículo seminovo pode ser uma opção mais viável, por ser mais barato.

Sabemos que a compra de um carro tende a ser bem emocional, principalmente se o desejo de se ter um automóvel é nutrido há bastante tempo. Mas, para a compra do primeiro veículo, vale considerar alguns fatores mais objetivos: se ainda não tem muita experiência com direção, vale a pena apostar em um modelo mais econômico e com manutenção mais barata, para não ter tantas despesas. E aí, quando se sentir mais experiente e à vontade, investir naquele modelo que tanto deseja.

Se a ideia é utilizar o carro todos os dias para trabalhar, aposte em um modelo econômico e, de preferência, que seja flex: por mais que o etanol seja mais barato, ele ‘queima’ mais; a gasolina, por outro lado, é mais cara, mas faz com que o carro perca um pouco de sua potência. Com a variação de preços tão intensa dos combustíveis, ter flexibilidade para escolher entre um e outro pode ajudar a economizar em algumas idas ao posto.

Para definir o objetivo de compra do primeiro carro, converse com todos os integrantes da família, para chegar a um consenso. Leve em conta que o valor à disposição é importante nessa etapa: se você tem, por exemplo, a pretensão de gastar R$ 50 mil em um veículo para rodar bastante, vale mais a pena um carro popular zero km ou um mais luxuoso e potente - que, por mais que seja mais velho, tenha maior consumo de combustível?

Não existe resposta certa para cada uma dessas perguntas, porque envolve gosto pessoal e objetivos de vida de uma família. O importante é que você considere as variáveis para a melhor escolha possível. Para isso, pesquise bastante sobre os modelos, reveja se o valor que pretende gastar é o ideal e converse com outros proprietários de veículos, para que possa tirar suas próprias conclusões antes de efetuar a compra.

Pesquise a melhor opção para você

Ao definir o valor e entender quais os objetivos estão atrelados à compra do seu primeiro carro, seu processo de decisão fica mais simples. Mas, qual o melhor tipo de carro para o que preciso? Vamos facilitar explicando os tipos de carro a seguir.

Hatch

Os carros hatch são muito procurados por sua versatilidade e, principalmente, por seu excelente custo-benefício.

Geralmente são econômicos: seus modelos têm motor entre 1.0 e 1.6, ótima opção para quem costuma se locomover bastante em grandes metrópoles. Alguns modelos de hatch esportivo chegam a ter motores 2.0, que acabam consumindo mais combustível (mas são mais potentes).

Embora sejam compactos, existem modelos de carros hatch 4 portas, que acomodam tranquilamente até 5 pessoas - embora nem todos fiquem extremamente confortáveis.

Os principais modelos são Volkswagen Gol, Ford Ka, Renault Sandero e Chevrolet Onix, o mais vendido da categoria.

Em linhas gerais, o hatch é a opção perfeita para quem mora sozinho e costuma rodar bastante com o carro. Mas, se precisar de mais espaço no porta-malas ou pretende encarar a estrada em alta velocidade, vale a pena considerar outros tipos de carro.

Sedan

Nos últimos anos, houve um grande ‘boom’ de modelos sedan no mercado, ampliando uma oferta que atende a diferentes necessidades. Existem modelos que atendem bem famílias pequenas, ou até os mais luxuosos, com tecnologia de ponta e motores mais turbinados.

Eles são divididos em três subcategorias, que ajudam a diferenciar a amplitude de opções:

  • Sedan compacto: modelos como Nissan Versa, Honda City e Hyundai HB20S são menores comparados a sedans mais ‘clássicos’, mas têm bom espaço de porta-malas e excelente custo-benefício. Uma boa opção para famílias pequenas ou para quem procura o meio-termo entre um bom carro de passeio com economia de combustível.

  • Sedan médio: fazem parte dessa categoria carros como Honda Civic e Toyota Corolla, conhecidos por seu ótimo motor, espaço e, principalmente, conforto. Mesmo com motores 1.8 e 2.0, são considerados moderadamente econômicos por fazer até 10 km por litro.

  • Sedan superior: os mais caros e mais completos da categoria têm como principal vantagem o conforto e design mais arrojado. Modelos como Ford Fusion, Audi A4 e Volkswagen Passat são espaçosos e excelentes carros de passeio para quem pretende investir um pouco mais em um automóvel.

SUV

SUVs são modelos mais robustos e excelentes opções para grandes famílias - ou para aqueles motoristas que gostam de viajar com parentes e vizinhos. Existem modelos que transportam até 7 pessoas, com conforto e bastante espaço no porta-malas, para levar uma boa quantidade de bagagem.

Se você tem um perfil mais esportivo, e gosta de viajar com pranchas de surfe, bicicleta ou até jet-ski, a SUV se apresenta como uma opção adequada, porque permite carregá-los com segurança.

Quando se fala em conforto o SUV se apresenta como melhor opção que o sedan, já que sua suspensão suaviza lombadas e pequenos obstáculos no caminho. Os principais modelos são Jeep Renegade, Volkswagen T-Cross e Honda HRV. Quem prefere modelos mais robustos, pode procurar por opções mais luxuosas (e mais caras), como Audi Q3 e BMW X4.

Caminhonete (ou picape)

A caminhonete é adequada para quem costuma transportar itens pesados, como eletrodomésticos, equipamentos industriais ou grande quantidade de mercadorias. Além disso, é a melhor opção para estradas esburacadas - mesmo carregando cargas pesadas (há modelos que podem carregar até 1 tonelada na caçamba).

O motor e a suspensão são as principais vantagens deste modelo, que hoje conta com boa versatilidade: é possível investir em um mais compacto, como um Fiat Strada, ou um mais robusto, como Ford Ranger. Mas, ao considerar uma caminhonete, leve em consideração que, geralmente, os modelos comportam dois passageiros, e os que comportam mais pessoas não oferecem tanto conforto.

Outros tipos de carro

Se você possui um bom dinheiro à disposição, pode considerar um modelo esportivo, que geralmente é turbinado, possui design arrojado e atinge altas velocidades. Entre os modelos mais conhecidos estão Porsche e Ferrari, mas também é possível encontrar versões ‘mais em conta’, como Mini Cooper, por exemplo.

As vans costumam ser a opção para quem deseja transportar uma grande quantidade de pessoas. Entre outras opções estão os conversíveis, que geralmente são extensões dos esportivos, e as antigas ‘peruas’ ou station wagon, que têm perdido espaço no mercado por conta das SUVs - como Palio Weekend, Volkswagen Parati, entre outras.

Conheça as despesas do carro

Sair com o primeiro carro diretamente para a garagem é tudo de bom, não é verdade?

Mas, antes mesmo de tomar essa decisão, é importante ter ciência de que o carro é um custo fixo. Muito além das mensalidades da sua compra (a não ser que tenha pagado à vista), existem custos fixos e variáveis atrelados a um automóvel, como:

  • Depreciação do veículo: trata-se da perda de valor que o seu carro passa com o tempo. Em média, um automóvel perde 10% de seu valor a cada ano. No caso de compra de um zero km, a depreciação é ainda maior, já que o veículo já perde um bom percentual de seu valor ao sair da concessionária. Por mais que não exista uma ‘cobrança’, a depreciação vai impactar o seu processo de compra no momento em que for vender ou trocar de veículo.

  • Combustível: para o veículo rodar, você terá que pensar no valor do combustível. Se pretende rodar bastante, observe seus índices de consumo: quanto mais um veículo rodar por litro de combustível, mais econômico será.

  • Manutenção: por mais que você não pense nisso durante a compra do primeiro carro, uma hora ou outra você terá que fazer algum tipo de revisão ou lidar com algum tipo de problema com o veículo. Para isso, o custo de manutenção tem um peso enorme: carros importados, por exemplo, demandam peças mais difíceis de serem encontradas, aumentando o preço médio de idas ao mecânico. Considere essa variável antes de comprar seu primeiro carro, para não ter uma baita surpresa quando levar seu carro para arrumar.

  • IPVA: donos de veículos já sabem: quando chega janeiro, é preciso lidar com o pagamento do IPVA. A não ser que você tenha um veículo de mais de 20 anos de utilização, você terá que lidar com esse custo ao comprar um carro. O valor do IPVA é calculado sobre o valor venal do veículo: portanto, quanto mais caro for o veículo, mais caro é o IPVA.

  • Seguro do carro: deixar seu carro segurado é essencial para que consiga trafegar com tranquilidade com o seu veículo. Ele também é calculado sobre o valor venal do veículo e deve ser pago anualmente, seja à vista ou de forma parcelada.

Durante o processo de compra, existem outros gastos que também devem ser considerados, como a documentação do veículo e a vistoria (necessária para contratação do seguro, por exemplo).

Enquanto estiver com o carro outros custos serão frequentes, como troca de óleo (geralmente feita a cada 10 mil km rodados), troca de pneus, lavagem do carro, garagem e até mesmo pintura em casos de algum tipo de colisão ou pequeno acidente.

Portanto, prepare suas finanças com antecedência, para que a compra do carro não gere um impacto tão negativo no seu orçamento.

Compre seu automóvel com o consórcio

Desde que o brasileiro se interessou pela primeira vez para a compra de um automóvel, o consumidor passou por um dilema: como conseguir realizar essa compra, principalmente quando não se tem o valor total para adquirir o veículo?

Para ajudar milhões de pessoas a conquistarem os seus primeiros automóveis, ainda nos anos 1960, foi criado o modelo de consórcio. Funcionários do Banco do Brasil se reuniram pela primeira vez e criaram um grupo, a fim de viabilizar a cada integrante a compra à vista do carro que queriam.

Para determinar quem teria acesso ao valor, mensalmente era feito um sorteio. O modelo deu tão certo, que logo as concessionárias passaram a adotar o modelo de consórcio, que passou a ser regulado e permitiu que milhares de pessoas pudessem adquirir o seu carro.

Até os dias de hoje, o consórcio ainda é bastante associado à compra de um carro. Isso porque seus benefícios são múltiplos: você não precisa pagar valor de entrada, como acontece no financiamento; e as mensalidades não possuem acréscimo de juros.

Pelo consórcio, você determina o valor de compra do seu carro, representado pela carta de crédito, e a quantidade de mensalidades. A partir do momento que você assina o contrato, entra em um grupo de consórcio, composto por pessoas também interessadas na compra de um veículo.

Nos grupos, você pode ser contemplado com a carta de crédito, que deve ser utilizada para a compra do veículo.

Para saber mais detalhes de como o consórcio funciona para a compra do seu carro, confira o nosso passo a passo a seguir.

Passo a passo para o seu consórcio de automóveis

Fazer um consórcio é mais fácil do que você imagina. Antes de tudo, vale a pena pesquisar com antecedência que tipo de carro deseja comprar, para ter uma ideia do valor da carta de crédito.

Uma das vantagens do consórcio é que você não precisa decidir com antecedência que modelo deseja comprar. Você pode escolher o modelo quando for contemplado com a sua carta de crédito, o que dá mais tempo para que você pesquise e defina a melhor compra posteriormente.

O próximo passo é definir uma administradora de consórcio confiável. A melhor forma de identificar isso é saber se a administradora tem autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para o seu pleno funcionamento. A Embracon, por exemplo, tem mais de 30 anos de experiência, ajudando milhares de brasileiros a realizarem seus sonhos por meio do consórcio.

Ao selecionar a administradora, você pode fazer uma simulação de consórcio de automóveis. A primeira informação pedida é o valor de carta de crédito e, em seguida, a quantidade de mensalidades.

Como retorno, você já sabe qual o valor da mensalidade do seu consórcio. Não são cobrados juros nem valor de entrada pela modalidade, somente algumas taxas. As taxas são:

  • Taxa de administração: que remunera a empresa de consórcio por todos os serviços realizados, como formação dos grupos, assembleias, entrega da carta de crédito etc.

  • Fundo de reserva: serve como garantia para o fundo comum, caso um ou mais consorciados deixem de pagar pelo consórcio.

É possível fazer a simulação de consórcio de automóveis quantas vezes quiser, de forma online e gratuita. O mais importante é definir o melhor valor de mensalidade, que caiba em seu planejamento mensal.

O valor da mensalidade não pode ser 30% superior aos seus rendimentos mensais. Para isso, a administradora faz uma breve análise de crédito antes de entregar o contrato de adesão. Tudo isso é feito com a ajuda de um consultor de consórcio, que irá entrar em contato a partir dos dados pessoais fornecidos no processo de simulação.

Pelo consórcio, você pode ser contemplado por meio dos sorteios ou com a oferta de um lance, que é um valor a mais que cada consorciado pode tentar com o objetivo de antecipar sua aquisição.

Cada contemplado precisa passar por uma análise de crédito antes de ter a carta liberada. Após seguir todas as recomendações da administradora, finalmente o consorciado pode utilizar o valor para a compra do carro que tanto deseja. Como a carta tem poder de compra à vista, você economiza muito mais na compra do seu carro com o consórcio.

Viu como é fácil investir na compra do seu primeiro carro? Faça agora mesmo uma simulação de consórcio de automóveis e planeje a realização do seu sonho.

chat Eva