Importância do seguro do carro

Importância do seguro do carro

O seguro tornou-se algo tão relacionado ao carro, que muitas pessoas já se organizam para comprar o seu veículo com o contrato já assinado junto à seguradora. Afinal, muitas pessoas querem evitar o risco de ter que lidar com algum tipo de imprevisto em um dos momentos mais importantes de sua vida. 

Na verdade, bens de alto valor possuem opção de seguro justamente para evitar um alto prejuízo diante da possibilidade de roubo, furto ou até alguns tipos de avaria (comumente chamado de sinistro). 

Porém, ainda tem muita gente que acaba se arriscando com o seu veículo e opta pela não contratação de um seguro. Existem diversos fatores para isso: o valor das mensalidades ou simplesmente o fato de não considerarem a ocorrência de qualquer tipo de sinistro com elas - o que pode levar a um grande arrependimento diante de um roubo ou furto do seu veículo. 

Por mais que seja extremamente recomendado ter um seguro para o seu veículo, uma pesquisa recente detectou que cerca de 80% da frota brasileira de automóveis circula sem nenhum tipo de seguro.  

Por conta disso, muitas seguradoras têm procurado formas de flexibilizar o valor de seus contratos. Afinal, um carro é um bem que custa caro e, quando um produto importante como o seguro passa a ser um gasto a mais, muitas pessoas ficam receosas, porque já precisam lidar com várias despesas, incluindo mecânica, combustível, gastos com lavagem do carro, entre outros. 

As pessoas têm utilizado o carro para resolver diferentes tipos de coisas. Ir ao trabalho, passear e até mesmo complementar as finanças da família com algum tipo de renda extra, seja levando passageiros por aplicativos de carona (como Uber e 99) ou realizando diferentes tipos de entrega (como iFood, Loggi, Rappi, entre outros). 

De qualquer forma, o seguro é imprescindível para a compra de um veículo. Se você ainda tem algum tipo de dúvida, podemos antecipar: o seguro compensa para qualquer tipo de condutor, independente da situação. 

A seguir, vamos mostrar por que você precisa investir nesse tipo de segurança, além de dicas de como avaliar o contrato de apólice para o seguro do seu veículo, seja novo ou zero km. 

Por que fazer seguro de um carro? 

As seguradoras possuem diferentes argumentos de venda quando o assunto é informar sobre suas apólices de seguro. Porém, antes mesmo de conversar com uma seguradora, é preciso analisar os fatos e pesar na balança a importância de ter um seguro para o seu carro. 

A seguir, vamos elencar alguns dos principais motivos para você fazer um seguro. 

Índice de roubos no Brasil é alto - e só aumenta 

Muitas pessoas associam a violência às grandes cidades, mas o fato é que, independente da região em que você more, existe um percentual relevante de roubos e furtos. Isso faz com que os carros se tornem alvos fáceis dos criminosos. 

Para se ter uma ideia, dados do governo federal mostraram que houve mais de 1 milhão de roubos de veículos entre os anos de 2015 e 2019. E o índice tem se mantido estável mesmo após a pandemia, por conta do isolamento social. 

Vale lembrar que o carro se tornou um objeto de desejo ainda maior após os efeitos da pandemia: as pessoas o veem como uma forma segura de se locomover de um lugar para o outro, sem ter que compartilhar o mesmo espaço com pessoas diferentes. 

Portanto, fica a pensata: vale o risco de expor tanto assim o seu veículo, diante dos altos dados de criminalidade no país? 

Quando você deixa seu carro segurado, a empresa responsável pela apólice realiza o pagamento da dívida em aberto - no caso de um carro financiado ou por meio do consórcio, por exemplo.  

E, mesmo se o seu veículo for usado, você pode contar com a facilidade do seguro para protegê-lo diante de qualquer tipo de sinistro. 

Atenção aos acidentes 

Por mais que você se considere um bom motorista, o fato é que todos estamos vulneráveis  a algum tipo de acidente de trânsito. Para se ter uma ideia, a cada ano cerca de 400 mil pessoas são feridas em acidentes, sendo que 40 mil delas não sobrevivem para contar história, de acordo com levantamento da Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). 

Você pode ativar o seu seguro para lidar com alguns acidentes, cobrindo parte dos gastos do seu veículo e do outro veículo ou até gastos médicos com possíveis lesados. Para isso, sua apólice precisa ter cobertura para terceiros, assim, não terá que pagar o valor da franquia. 

Os acidentes acontecem por diversos motivos: alguém pode esquecer de dar a seta do carro, você pode se deparar com um buraco imprevisto ou até mesmo se distrair mexendo em outra parte do carro enquanto dirige.  

Assistência a todo o momento 

É verdade que as pessoas podem sair com o carro a qualquer hora do dia. E isso pode deixá-lo cada vez mais exposto aos riscos de algum sinistro. 

Quando você fecha um contrato de seguro, porém, pode contar com a assistência 24 horas para lidar com qualquer tipo de eventualidade. 

Vale lembrar que o seguro lida com outras adversidades. Por exemplo, se você esquecer a chave do seu carro ou até mesmo furar o pneu, pode contar com a seguradora para chamar um chaveiro ou enviar um técnico e resolver a sua situação na hora. 

Problemas mecânicos também podem ser salvos pela sua seguradora. Digamos que você tenha saído à noite e, de repente, o carro pára de funcionar. Basta entrar em contato com a seguradora, para que ela envie um guincho e consiga resolver a situação para você. 

Mão na roda para qualquer tipo de emergência 

Assim como o exemplo do carro que pode parar de funcionar à noite, a seguradora ajuda você a lidar com qualquer outro tipo de adversidade. 

No caso de uma pane elétrica ou mecânica, a seguradora pode indicar a melhor assistência e, claro, transportar seu carro até o local de manutenção. Sua segurança fica garantida nesse momento, porque o funcionário da seguradora te deixará em casa, são e salvo. 

Ajuda a lidar com fenômenos da natureza 

Quem mora nas grandes cidades sabe muito bem dos riscos de ter que lidar com algum tipo de alagamento nas principais avenidas. Mesmo as pessoas que moram em pequenas cidades passam pelo risco de lidar com uma chuva mais forte que o previsto.  

Enchentes, alagamentos, queda de árvores, raios, grandes correntezas: tudo isso pode gerar danos irreversíveis ao seu veículo

Para esses casos, o seguro também se apresenta como uma ótima opção. Veja se a apólice cobre contra fenômenos da natureza. Dessa forma, você pode pagar o valor da franquia e aguardar a seguradora resolver qualquer tipo de problema que possa acontecer com o seu veículo. 

Seguro pode ajudar a economizar dinheiro 

Seja para lidar com perda total, pequenas batidas com outros condutores ou até mesmo fenômenos de causas naturais, o fato é que o seguro fará com que você tenha uma economia ao lidar com qualquer tipo de avaria relacionada ao seu veículo. 

Já imaginou ter que tirar do seu bolso qualquer tipo de custo relacionado ao seu carro?  

Se você quiser fazer as contas, vai comprovar isso na prática. Em média, o valor de um seguro para veículos chega a R$ 2 mil por ano. Por mais que seja quase impossível calcular as probabilidades de um sinistro com o seu veículo, lembre-se que, em casos de roubo e furto, um veículo não segurado tem poucas chances de ser encontrado (e zero chances de ser ressarcido).  

Afinal, o que seria R$ 2 mil comparado a uma perda de mais de R$ 20 mil, por exemplo, considerando um carro usado? 

Com o seguro, você protege seu patrimônio e pode contar com o ressarcimento de parte substancial do seu bem diante de qualquer imprevisto. 

Como posso fazer o seguro do meu carro 

Agora que esclarecemos a importância de você considerar o seguro para o seu veículo, vamos mostrar o passo a passo para a contratação do seu seguro veicular. 

Saiba de antemão as necessidades de seu carro 

Muitas seguradoras avaliam os veículos pela probabilidade de sinistro. Se você ainda não comprou o carro, avalie se ele é bastante visado, ou seja, alvo constante de roubos e furtos. Isso influencia na precificação do seguro. 

É possível verificar as estatísticas dos modelos mais visados ou até mesmo fazer diferentes tipos de cotação, para ter uma ideia do valor anual de seguro. 

Confira as coberturas 

Quando se trata de cobertura de seguro veicular, existem quatro tipos de cobertura. Confira: 

  • Seguro de furto e roubo: é a forma mais comum de contratar seguro veicular. Foi feito para protegê-lo diante dos sinistros mais conhecidos. 

  • Seguro para terceiros: é o tipo de seguro que oferece cobertura para danos causados a outras pessoas. Por exemplo, se você bater e machucar alguém de outro veículo, ou acabar atropelando um pedestre, pode contar com a seguradora para ajudar com os custos. 

  • Seguro para passageiros: no caso de algum sinistro, esse tipo de seguro cobre danos morais, pessoais ou físicos sofridos pelos passageiros do carro. 

  • Seguro compreensivo: é um tipo de seguro que engloba furto, roubo, passageiros e terceiros. Por conta disso, tem um custo mais elevado. Porém, é extremamente indicado para pessoas que circulam diariamente com o seu carro, afinal, elas estão mais expostas a qualquer tipo de sinistro. 

Cada tipo de seguro pode oferecer coberturas extras, incluindo guincho, serviços domésticos (como limpeza de caixa d’água, por exemplo) e troca de pneus. Cada seguradora cria um combo, de acordo com o que você realmente precisa. 

Calcule o prêmio e a franquia 

Quando se fala em seguro, é preciso distinguir o que significa prêmio e franquia. O prêmio nada mais é do que o valor total que o segurado irá pagar por seu seguro. Franquia, porém, é um valor previamente estipulado para cobrir parte do conserto de seu carro, em casos de perda parcial ou significativa. 

A franquia funciona da seguinte forma: digamos que você tenha estipulado em contrato um valor de R$ 1 mil para a franquia. Eis que acontece algum tipo de acidente, e você precisa levar seu carro à mecânica. Após avaliação, ficou estipulado que o conserto do carro custaria R$ 3 mil. Ao acionar a franquia do seguro para resolver essa situação, significa que você pagará R$ 1 mil para a oficina, enquanto a seguradora paga os R$ 2 mil restantes.  

Ainda está complicado de entender? Para esclarecer, vamos nos aprofundar mais sobre as franquias. Existem três tipos: 

  • Normal: que é estipulado pela seguradora; 

  • Reduzida: possui um valor mais baixo, tornando o valor da apólice mais alto. Caso aconteça algum tipo de sinistro nesse caso, o consumidor pagará menos pelo conserto do carro (só que o seguro vai ficar mais caro); 

  • Ampliada: com maior valor de franquia e, consequentemente, menor valor de apólice. Dessa forma, você paga um valor menor de seguro. 

Os valores de franquia e prêmio estão relacionados: quanto maior o valor da sua franquia, ou seja, o dinheiro à disposição para lidar com avarias do seu veículo, menor será o prêmio do seu seguro. 

Se você ainda está começando a dirigir, o mais recomendado é escolher um valor menor de franquia e pagar mais pelo prêmio do seguro. Mas, caso seja experiente e possua pouquíssimo histórico de acidentes, pode considerar uma franquia maior e, assim, pagar menos no prêmio. 

Escolha muito bem a franquia do seu veículo, porque pode determinar parte importante da experiência com a sua seguradora. Quanto mais baixa a franquia, mais caro fica o seguro. Porém, se você é novato na direção, essa opção pode valer a pena, porque franquias mais baratas possibilitam o cliente acionar o seguro mais vezes - algo que seria previsto para quem ainda está aprendendo a dirigir

Vale lembrar que a franquia não é cobrada em casos de perda total ou na solicitação de serviços já previstos na assistência 24 horas da sua seguradora. Ah, e se você passar um ano inteiro sem acionar o seguro, ganha desconto na hora de renovar o contrato com a seguradora! 

Conheça os principais termos do seguro 

Quem lida com seguro precisa ler contratos e se familiarizar um pouco mais com alguns de seus principais termos. A seguir, vamos explicar os principais: 

  • Apólice: é o documento que firma o contrato do seguro do seu automóvel; 

  • Cobertura: é o tipo de proteção que o seu seguro oferece: contra roubo, incêndio, fenômenos naturais etc; 

  • Franquia: valor previamente estipulado para cobrir parte do conserto de seu carro, em casos de perda parcial ou significativa; 

  • Perda parcial: uma seguradora identifica como perda parcial veículos que, após avaliação, tiveram danos de até 75% do valor do carro. Dessa forma, o segurado recebe uma indenização parcial por parte da seguradora - enquanto a outra parte pode ser paga por meio do uso da franquia; 

  • Perda total: é classificado dessa forma quando o dano do veículo ultrapassa 75% do valor do carro; 

  • Perfil de risco: na avaliação feita pela seguradora, ela considera o perfil de risco do interessado. Fatores como idade, local de moradia e tempo de CNH são levados em consideração. Quando uma pessoa tem um perfil de risco considerado alto, a seguradora entende que existe maior risco de sinistro. Por isso, o valor do seguro pode ficar mais caro. 

Outras coisas que você precisa saber sobre o seguro 

A seguradora leva diversas variáveis em consideração para cotar o valor do seguro do seu veículo.  

Por isso mesmo, vale a pena considerar um corretor de seguros para intermediar esse tipo de transação. Além de ter mais conhecimento sobre o assunto, o corretor costuma fazer cotações em diversas empresas ao mesmo tempo. Por possuir uma cartela de clientes mais elevada, é possível até mesmo obter bons descontos com corretores de confiança

Vale lembrar que a seguradora determina o valor do seguro de acordo com perfil de risco, modelo de veículo, entre outras variáveis. 

Por isso mesmo, vale a pena avaliar diversas empresas ao mesmo tempo, em busca de um tipo de cobertura que faça sentido para a sua realidade e, claro, que não pese em seu bolso. 

Escolha uma corretora de confiança 

Se você tiver um corretor de seguros, muito provavelmente ele dará as melhores recomendações de seguradoras - entendendo que seja um profissional de confiança, é claro! 

Antes de fazer a escolha da seguradora, pesquise seu nome na Superintendência dos Seguros Privados (Susep), que é o órgão responsável por regulamentar este setor. Somente as seguradoras registradas pela Susep estão autorizadas a realizar o serviço de seguro automotivo. 

Você também pode consultar sites como Reclame Aqui, para verificar o índice de reclamações dos clientes, e até mesmo conversar com outros proprietários de veículos, a fim de entender a experiência de cada um deles com as seguradoras. 

Vale lembrar que a própria seguradora tem um prazo para dar a resposta para a cotação solicitada. Por conta da pandemia, muitas empresas de seguro têm feito vistorias a partir do histórico do carro, eliminando a necessidade de avaliações presenciais. Além disso, elas têm até 15 dias para aceitar a sua proposta, decidindo se assume ou não os riscos do seu veículo

Pode acreditar, mas existem motivos para uma seguradora recusar a apólice. Modelos de carros importados ou antigos demais, por exemplo, podem representar riscos adicionais, por conta da dificuldade de reposição de peças. Carros que tiveram algum tipo de adulteração, como rebaixamento, também podem ser negados. Porém, isso vai de empresa para empresa: enquanto uma seguradora pode recusar determinado veículo, outra pode aceitar. 

Como comprar um carro já com seguro? 

Como dissemos no início do artigo, é possível efetuar a compra do seu carro já com o seguro garantido

Antes mesmo de efetuar a compra do seu veículo, vale a pena fazer diferentes cotações. Entenda qual o carro que deseja comprar e, mesmo sem a ajuda de um corretor, procure as seguradoras, para ter uma base de preços.  

Carros muito visados ou até com preço mais elevado tendem a ter um seguro mais caro.  

Com uma base de valores, você pode efetuar a compra do seu veículo da forma que desejar. Somente após concluir a transação, você pode contratar o seguro para o seu carro. 

Você pode contar com o serviço de um corretor especializado em seguros, que terá mais facilidade de cotar valores junto às empresas. E pode, também, fazer sua pesquisa em paralelo, para ver o que compensa mais para a sua realidade. 

Leve em consideração o tipo de seguro, as empresas envolvidas, além dos valores de prêmio e franquia. É possível manter o carro na concessionária ou junto ao proprietário enquanto você resolve todas as pendências com a seguradora. 

Trata-se de um processo que não demora mais de uma semana. Se você já tiver feito uma pesquisa prévia, certamente economizará mais tempo pensando em que tipo de seguro fechar para o seu veículo. 

Nesse processo, a seguradora faz a avaliação do seu perfil de risco e do veículo para, então, oferecer uma proposta de valor. Avalie tudo isso e, se fizer sentido, você pode assinar o contrato e, pouco tempo depois, ter acesso ao seu veículo. 

O seguro de um carro é extremamente importante para lidar com os diferentes tipos de sinistro. Além de dar mais segurança ao condutor e aos passageiros, você pode contar com serviços que podem agilizar a sua vida, como guincho, troca de pneus e até mesmo serviços domésticos. 

Agora que você já sabe como funciona o seguro, que tal dar início ao sonho de comprar um carro novo - ou até mesmo trocar o seu por um seminovo mais luxuoso ou um zero km

Faça uma simulação de consórcio de automóveis e invista desde já em seu novo modelo. 

chat Eva