Entenda o que é uma cota cancelada

Entenda o que é uma cota cancelada

Até mesmo a pessoa mais organizada pode passar por problemas financeiros — não existe quem esteja livre dessa situação. E quando passamos por um momento de crise, devemos cortar qualquer tipo de gasto para evitarmos ter a cota cancelada.

É bem provável que você já tenha ouvido falar de consórcio, não é verdade? Essa modalidade de compra tem ficado cada vez mais popular, na contramão da crise enfrentada pelo país. Por isso, você sabe como fazer o cancelamento dessa modalidade ou que consequências isso acarreta?

Se tem dúvidas com relação a esse assunto, está no lugar certo! Neste artigo, vamos falar mais sobre a cota do consórcio, seu cancelamento e até mesmo o modo de reativá-la. Não sabe como funciona esse processo? Continue com a leitura para saber ainda mais.

Cota de consórcio: o que é e como funciona

Antes de começar a  falar sobre o cancelamento, é preciso ter uma explicação básica sobre as cotas e o seu funcionamento. Ainda que você já conheça um pouco mais sobre o assunto, aprender nunca é demais, não é verdade? Bom, vamos começar.

Conforme a definição da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio, essa é uma modalidade de compra baseada na união de pessoas — físicas ou jurídicas — em grupos, com a mesma  finalidade de formar poupanças para comprar bens móveis, imóveis ou serviços. A formação dos grupos é organizada por uma administradora que sempre precisa estar autorizada e fiscalizada pelo Banco Central do Brasil.

Podemos ver um exemplo para elucidar o conceito de como funciona: pense em uma pessoa que está desejando um automóvel que custa em torno de R$50 mil. Agora, imagine que a administradora vai dividir o valor total em 60 meses; se for colocar no papel, isso resultaria em uma parcela de R$834 por mês, correto? Como você só conseguiria realizar a compra do carro novo em cinco anos, a administradora responsável encontra um grupo de pessoas com o mesmo interesse que o seu.

No momento do cálculo geral das prestações de todos os participantes, o montante fica em R$50 mil, exatamente o preço do automóvel. E aí, o que a empresa precisa fazer? Um sorteio para definir quem receberá esse valor primeiro. Isso não quer dizer que quem foi sorteado deixará de pagar o consórcio, e sim que receberá o dinheiro antes.

Com esse exemplo, fica mais fácil compreender que a cota, seja de um consórcio de automóvel ou outro tipo, é parte do preço total do investimento. Ela vai corresponder a um número que pertence ao grupo de consorciados, dando a todos o direito de participar dos sorteios.

Como fazer a aquisição de uma cota

O jeito mais seguro e simples de conseguir uma cota de consórcio é buscar uma boa administradora. Você vai realizar toda a transação diretamente com essa empresa, depois que o grupo estiver formado.

Há também a possibilidade de comprar cotas por meio de transferência. Elas pertencem aos consorciados que entraram no grupo, mas não querem ou não podem mais participar. Mas nessas situações, é necessário tomar algumas medidas para não cair em golpes.

A sugestão para uma boa escolha é verificar se o consórcio realmente existe. Aproveite a busca para ver também se a cota em questão está sendo vendida com os pagamentos regularizados.

Motivos que levam ao cancelamento da cota

Agora que já entende o funcionamento do consórcio e como adquiri-lo, vamos então começar a nos aprofundar no assunto principal deste texto: a cota cancelada. Você sabe quais os motivos que levam a essa ação? Nós sabemos exatamente o que acontece e vamos explicá-los agora.

Como já mencionado anteriormente, os imprevistos ocorrem até mesmo com a pessoa mais organizada do mundo. E quando esse tipo de situação acontece na parte financeira, tudo fica mais difícil. Então, é hora de cortar os gastos para conseguir se reerguer. Automaticamente, o consórcio é a modalidade ideal entrar na lista.

É válido destacar que, antes de fazer isso, é importante procurar a administradora responsável, para tentar entrar em um acordo e prosseguir com o investimento. Se mesmo assim não tiver como, existem duas situações que levam à cota cancelada:

  • quando as cotas estão em dia, mas você quer se desligar do consórcio: você deve entrar em contato com a prestadora e fazer o pedido;
  • quando a motivação é por falta de pagamento: neste caso a administradora faz suspensão do serviço imediatamente, tudo conforme o descrito no contrato.

Existe a possibilidade de resgatar o dinheiro?

Essa é uma questão muito recorrente quando falamos sobre cota cancelada. Caso isso aconteça, é possível resgatar o dinheiro investido? A resposta é sim.

Os consorciados com cotas canceladas terão direito de receber a restituição dos valores pagos em dois casos: na contemplação por sorteio da cota excluída ou então, após o encerramento do grupo.

Dessa forma, a partir do cancelamento da cota, ela passa a integrar o rol de cotas excluídas, concorrendo normalmente nas assembleias mensais de contemplação para fins de restituição dos valores pagos, sempre na modalidade de sorteio.

Quando a cota for selecionada para contemplação ou após o grupo encerrado, será devolvido o valor pago para aquisição do bem sem as taxas administrativas. Nesse resgate é aplicada multa, uma vez que o cancelamento caracteriza infração contratual e prejudica os objetivos dos grupos de consórcio.

Depois da contemplação, o consorciado receberá uma comunicação informando os trâmites para solicitação dos valores disponíveis, por esse motivo, é extremamente importante manter sempre seu cadastro atualizado. As comunicações serão, preferencialmente, realizadas através do e-mail de cadastro.

Desvantagens da cota cancelada

O cancelamento da cota é um direito previsto no contrato, contudo, no consórcio, isso pode trazer consequências. Há algumas desvantagens nas situações citadas acima, e vamos mostrar quais são elas. O atraso no pagamento, por exemplo, vai gerar variadas penalidades, que vão desde o pagamento de multas até a exclusão do consorciado.

Sendo assim, o mais indicado é não deixar a dívida rolando e se transformando em uma verdadeira bola de neve. A melhor solução a tomar é ter a iniciativa para a resolução da situação o mais breve possível.

Essas penalidades ocorrem, porque, quando você adquire uma cota, passa a fazer parte de um grupo. Nele, as pessoas estão comprometidas com a realização de seus sonhos. Por esse motivo, quando deixa de acertar sua parte e não informa à administradora, você está quebrando a sua palavra. É importante lembrar que uma parte depende da outra para alcançar os seus objetivos.

Essas consequências não são estabelecidas pela administradora, mas pelo Banco Central do Brasil. Como já mencionado no início do artigo, esse é o órgão que gerencia todo o sistema de consórcios no nosso país, de acordo com a Lei  nº 11.796, de 2008. Outras consequências do atraso são:

  • ficar impedido de dar lances;
  • arcar com juros e multas sobre as parcelas que estão atrasadas;
  • não poder participar dos sorteios;
  • perder o que foi conquistado, se já tiver conseguido receber o valor;
  • sofrer cancelamento do crédito, mesmo tendo sido contemplado;
  • não conseguir votar nas assembleias gerais extraordinárias.

Como pode ser solucionado?

Se está fazendo o pagamento de um consórcio e acabou perdendo o interesse em dar continuidade, ou não está conseguindo pagar as parcelas, você não necessariamente precisa cancelar a cota. Pode optar por transferir para outra pessoa — isso, claro, desde que seja autorizado pela administradora.

Nessa situação, a pessoa que está concordando em assumir as parcelas deve ficar responsável por pagar todos os vencimentos futuros para a empresa. Em relação às parcelas que já foram quitadas: o ressarcimento vai ser feito diretamente para a pessoa que vendeu, em uma negociação particular, sem qualquer intervenção da empresa.

Caso a cota já tenha sido contemplada, é necessário que seja feito o registro do valor que está disponível, sempre levando em conta o número de parcelas restantes e o saldo devedor ao fazer a venda ou a transferência. É válido destacar que a transação só pode ocorrer se a carta de crédito não tiver sido usada.

Outra sugestão para evitar a cota cancelada e continuar investindo no seu sonho é reduzir o preço total. Quando for contemplado, o consorciado também vai receber uma carta de crédito com valor inferior, proporcional à redução feita. Esse é um processo que deve ser realizado diretamente pela administradora do consórcio. Mas, para isso, é preciso que exista, no próprio grupo, a disponibilidade de cotas mais baixas.

Cuidados na hora de fazer a transferência?

Agora que já apresentamos para você outras opções, além de cancelar a sua cota, vamos dar algumas sugestões para seguir previamente a transferência. É necessário ter atenção aos detalhes, como contrato, avaliação de valores e até mesmo boas ofertas para atrair compradores.

Descubra o valor a ser pago

Caso o contrato permita a transferência, você precisará calcular o valor que já foi pago, o saldo devedor e as parcelas que estão para vencer. A própria administradora de consórcio pode fornecer ao titular um documento com todos os pagamentos. Se a cota já foi contemplada, a carta vai ser requisitada imediatamente. Vão ser essas informações que formarão a base para a definição do que vai ser pago.

Estabeleça um contrato

Mesmo a negociação sendo conduzida pela administradora, existem algumas questões que precisam ser tratadas de forma particular, ou seja, diretamente entre comprador e vendedor. Por esse motivo, é muito importante registrar tudo em um contrato que seja montado com ambas as partes em acordo. Embora não seja obrigatório, trata-se de uma garantia adicional na segurança da operação.

Leia o contrato

Primeiramente, é necessário avaliar se o contrato permite que seja feita essa transferência. Normalmente, a operação é praticada nas cotas contempladas ou nas que ainda não foram. Mas é o que está escrito no documento assinado por você que vai definir os próximos passos.

Faça ofertas

Se ao invés de ter a cota cancelada, você quiser vendê-la, é possível fazer ofertas diretamente no mercado. Só é necessário ter cuidado para não acabar divulgando dados pessoais, tudo bem? Quando começar a negociação, aí sim, será necessário dar informações sobre o consórcio, como os valores que já foram pagos e o saldo devedor. Após a realização do negócio, a administradora vai passar mais detalhamentos ao novo titular.

Saiba negociar

Ao fazer a transferência da cota, a pessoa que comprou passa a ser o titular, podendo assim participar das assembleias mensais e dos sorteios que vão ser feitos. Se a cota já tiver sido contemplada, ele vai passar a ser o dono da carta de crédito. Você poderá usar as informações como uma base para fazer a negociação, pois essas vantagens são muito atrativas. Contudo, é bom ser razoável. Afinal, como a pessoa que comprou entrará em um consórcio já em andamento, vai ser necessário ter um valor maior do que se tivesse entrado no negócio desde o início.

Como é realizada a venda?

É importante mostrar como são feitas essas transações, para que não haja nenhuma dúvida futuramente. O negócio de compra e venda acontecerá apenas entre as partes, ou seja, a administradora só se responsabilizará pela transferência de titularidade. É preciso destacar que, antes da aprovação de qualquer transferência, a empresa vai realizar algumas análises.

Se a cota em questão não tiver sido contemplada, será realizada a avaliação da capacidade de pagamento do comprador. E caso tenha sido, mas sem a compra do bem, além da busca sobre o pagamento, será analisada também a situação cadastral do interessado na aquisição. 

É possível que a empresa faça solicitações extras, como um avalista. Isso vai depender do resultado das análises feitas. O procedimento também envolve o pedido de documentos do comprador, incluindo cópias autenticadas ou originais de:

  • comprovante de renda;
  • documento de identidade;
  • comprovante de moradia;
  • documentos do bem, no caso de este já ter sido adquirido;
  • cadastro de Pessoa Física;
  • certidão negativa de débitos que são relativos aos tributos federais e à dívida ativa junto à União — retiradas no site da Receita Federal.

Fora isso, a administradora disponibiliza modelos de transferência que também devem ser preenchidos. Eles geralmente incluem:

  • pagamento de algumas taxas;
  • contrato de transferência da cota;
  • documento de alienação em nome do comprador, no caso do bem já ter sido adquirido.

Com a documentação em mãos e as taxas devidamente pagas, a administradora vai fazer as análises necessárias e prosseguir com a transferência da cota. A partir disso, o futuro saldo devedor, composto pelas parcelas vinculadas, será de total responsabilidade de quem comprou a cota. É importante esclarecer que a empresa não faz o serviço caso haja parcelas atrasadas.

Como reativar uma cota cancelada

Vamos pensar que sua questão financeira tenha melhorado, e aí você já conseguiu se restabelecer. É lógico que vai querer dar continuidade ao seu sonho, não é verdade? Mas será que é possível reativar a cota cancelada? É possível dizer que sim, existe a possibilidade. Mas você deve seguir alguns passos. Quais são eles? Calma! Vamos te passar uma lista a seguir. Acompanhe e aprenda!

Faça uma análise dos valores

No caso de ser viável reativar a cota cancelada, é necessário realizar uma avaliação da quantia exigida. Além disso, pode acontecer um acúmulo de parcelas. Quem deixou a cota desativada por mais de três meses, por exemplo, é bem provável que tenha que pagar os valores atrasados, as multas, os juros e também as prestações que foram quitadas pelos outros participantes.

É fundamental fazer uma análise desse montante para ter uma ideia do que está por vir, mas é essencial também não ficar esperando muito, pois pode ser que haja mais coisas para acertar.

Coloque a quantia no seu orçamento

Antes de reativar essa cota cancelada, é necessário começar a fazer um planejamento financeiro. Afinal, você não quer ter que desistir novamente do seu investimento, não é mesmo? Então, faça uma identificação do impacto que os pagamentos desses valores citados acima farão no orçamento e avalie o que é de fato confortável.

Como a quantia vem das parcelas do consórcio, é necessário pensar também na diminuição do valor da carta de crédito. Isso pode evitar novos atrasos e garantir a você um melhor equilíbrio nas contas. Ter essa atitude de organização é fundamental para a prevenção de novas situações de cancelamento.

Entre em contato com a administradora

Passado por todos os itens acima, vai chegar a hora de fazer contato com a administradora. Normalmente, as administradoras têm um setor exclusivo que é dedicado à reativação de cota cancelada, facilitando assim tratar sobre o assunto.

A primeira ação a ser tomada é verificar se ainda existem vagas disponíveis para participar do grupo. Se a resposta for positiva, será feito o repasse dos valores devidos. Normalmente, a empresa oferece para você as melhores condições, porém, em caso contrário, pode ser melhor fazer uma negociação.

Quando conseguirem chegar a um acordo, vão ser especificadas as condições e os prazos de pagamento. Uma vez confirmada a primeira quitação, a sua participação no grupo já estará garantida. Sendo assim, os seus direitos, como o de ser contemplado e ou de oferecer lances, vão ser restabelecidos.

É melhor vender ou cancelar a cota?

Essa escolha depende da situação em que você se encontra, portanto, é necessário fazer uma análise muito cautelosa! Está precisando urgentemente do dinheiro que já gastou com o consórcio, principalmente se já está com um número avançado de parcelas? Então, talvez seja melhor vender a sua cota. Assim, vai conseguir ganhar um fôlego a mais com a quantia vinda da transação.

Porém, se o atraso está acontecendo ainda na fase inicial dos pagamentos ou se você não precisa tanto assim do valor que já foi pago, pode ser uma boa opção fazer o cancelamento da cota. Nessa situação, quando tudo for ajustado, haverá possibilidade de retomar seus planos, como mostramos anteriormente.

Contudo, para decidir por cancelar ou vender cotas de consórcio, é necessário realizar uma avaliação rigorosa da situação. Pode ser que, na diminuição dos valores pagos mensalmente, o seu orçamento consiga ser reorganizado!

Vamos dar um exemplo para facilitar a compreensão: fez um consórcio destinado à compra de um carro? Procure considerar um modelo que esteja mais em conta. Na maioria das vezes, não há a necessidade de levar para casa aquele automóvel que foi a sua escolha quando comprou sua cota. As prioridades podem mudar nessa situação. Se isso acontecer, vai conseguir a redução do valor das mensalidades! Às vezes, é melhor levar esse aspecto em consideração do que ter a cota cancelada. Pense nisso!

É preciso compreender que sempre existe uma maneira de conseguir organizar as coisas, portanto, não perca a calma! No caso de consórcios imobiliários, você pode usar seu Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) de várias maneiras, como:

  • pagamento das mensalidades;
  • quitação do saldo em aberto;
  • oferta de lance para reduzir o valor restante.

É importante destacar que o FGTS não vai poder ser utilizado para pagar parcelas que estão em atraso. Por esse motivo, fique atento à sua situação para não perder o prazo para o pagamento. Quando perceber que está com dificuldades para o fechamento das contas, já comece a fazer a avaliação das alternativas disponíveis!

Formas de evitar problemas no pagamento

Já foi esclarecido o que é e como funciona o consórcio, falamos sobre cota cancelada, como ativá-la, se é possível vendê-la e até mesmo demos dicas sobre todos os processos. Mas um assunto muito tocado neste texto foi o problema financeiro. Por esse motivo, não teria sentido não falar sobre como evitar esse tipo de situação. Até porque, o consórcio é um investimento em um sonho de consumo, e ninguém quer desistir dele, não é mesmo?

Conseguir manter as finanças equilibradas só acontece quando você possui um planejamento detalhado dos seus gastos. Por isso, antes mesmo de pensar em contratar essa modalidade de compra, é fundamental fazer uma avaliação geral das suas despesas, rendas e até mesmo das perspectivas para o futuro. Destacamos bem que até a mais organizada das pessoas deve estar precavida, pois nunca se sabe quando os imprevistos vão aparecer.

Faça uma análise financeira para analisar como será o pagamento das parcelas mensais. Fora isso, é sempre importante separar um valor por mês para formar uma poupança. Dessa forma, se passar por situações como um desemprego repentino ou algum tipo de emergência médica que exija altos gastos com medicamentos ou internações, vai estar com um dinheiro separado e totalmente prevenido.

Sem contar que o valor guardado também ajudará quando finalmente conseguir a contemplação. Afinal de contas, a documentação de um veículo ou de um imóvel, por exemplo, sempre vai envolver alguns gastos extras. E você também vai ter que pensar em itens como combustíveis, manutenção, pinturas, mudanças e muitos outros detalhes nessa nova fase.

Esperamos que este texto tenha respondido as suas dúvidas em relação a cota cancelada, vendas, transferências ou documentação do consórcio. Seja o contrato para investir em móveis, imóveis, automóveis ou até mesmo em serviços. Qualquer um pode passar por uma crise financeira, mas é importante saber como lidar com a situação. Sendo assim, se for preciso, releia atentamente cada tópico apresentado para não ter que abrir mão do investimento de seu sonho. Estruture um planejamento e conquiste o que deseja!

Simulação Consórcio


chat Eva