13 maneiras de aumentar a minha renda

13 maneiras de aumentar a minha renda

Muito provavelmente você já conversou com alguém que, em algum momento, mencionou a necessidade de ter mais dinheiro para diversas finalidades: seja para pagar as contas, comprar um bem que tanto deseja ou simplesmente conseguir montar a sua reserva de emergência

Na verdade, isso tem se tornado cada vez mais comum para os brasileiros. Após a pandemia de Covid-19, que deixou milhões de pessoas vulneráveis por conta da queda da atividade econômica, mais pessoas têm buscado novas opções para ganhar dinheiro. Para se ter uma ideia, atualmente mais de 64 milhões de famílias são consideradas inadimplentes - o que mostra um alto indício de procura de gerar mais renda. 

Infelizmente, o Brasil ainda possui muitos desafios em relação à conquista de renda. De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a renda mensal média do brasileiro é de R$1.380, um valor que se torna cada vez mais insuficiente para os gastos do dia a dia, como compras no mercado, despesas de casa, entre outros gastos correntes. 

E, como lidar com essa realidade? Para muitas pessoas, a procura por uma renda extra é uma forma de contornar a crise e conseguir lidar com as contas do dia a dia. 

Independente de seu objetivo com o dinheiro, saiba que existem muitas formas de gerar uma grana extra e, assim, conseguir o que realmente deseja. 

Caso esteja considerando essa possibilidade, recomendamos, primeiramente, traçar um objetivo com essa renda extra: se a ideia é ser temporário, determine isso com antecedência, para não ter o desgaste de acumular duas funções, acostumar-se com esse tipo de rendimento e, depois, se frustrar por conta do excesso de trabalho ou por uma possível perda da renda extra por algum motivo incontrolável. 

Para muitas pessoas, a forma de ganhar renda extra se traduz em mais trabalho ou empenho de um tempo a mais em sua rotina. Isso exige muito planejamento e até cautela: afinal, não vale a pena se comprometer com algum tipo de fornecedor ou trabalho, por exemplo, para correr o risco de não cumprir. Além de trabalhar mais e se frustrar, você não vai atingir os seus objetivos. 

A seguir, vamos trazer algumas opções para quem busca aumentar a renda. 

Como ganhar renda extra 

Por renda extra, estamos falando de uma atividade que pode ser complementar à sua jornada fixa no trabalho, seja como CLT ou autônomo.  

De qualquer forma, existem tantas possibilidades de renda extra, que muitas delas acabam se tornando a principal atividade profissional de muitas pessoas - principalmente quando o valor extraído compensa mais do que a carga horária convencional do seu emprego. 

Como já reforçamos, a ideia de renda extra precisa estar acompanhada de um objetivo. Pode ser que ele mude ao longo do tempo, principalmente se estiver sendo mais frutífero do que a sua atividade principal. Por isso, comece aos poucos e vá percebendo o momento em que você deve dedicar mais tempo e trabalho a determinadas atividades. 

A seguir, vamos mostrar uma lista do que você pode fazer para aumentar a sua renda por meio do trabalho. 

1) Seja free-lancer na sua área de atuação 

Cada área possui uma especificidade, que pode servir para funções diferentes de um trabalho convencional. Quem é jornalista, por exemplo, pode muito bem produzir conteúdo como free-lancer para outro veículo ou uma empresa de marketing digital. Pessoas que trabalham com tecnologia, como desenvolvedores de software, também podem escrever código como free-lancers para outras empresas. 

Em algumas profissões, encontrar uma oportunidade como free-lancer pode ser mais complicado - principalmente quando se trata de uma atividade que dificilmente pode ser ‘fragmentada’. Os exemplos de escrever artigos e escrever código ilustram bem o que é fragmentar uma atividade: você não precisa participar de todas as etapas de um trabalho para contribuir de forma significativa. Vale o mesmo para outras funções, como fotografia, ilustração, edição de vídeo, monitoramento de redes sociais, entre outros. 

Se você já atua em determinada área, entenda as possibilidades de atuar como free-lancer, contribuindo de forma menos presente - mas, ainda assim, significativa - para outros mercados. Além de se desenvolver profissionalmente, você pode ganhar um dinheiro a mais e expandir sua rede de contatos em sua área de atuação.  

2) Venda produtos em uma loja virtual 

Muitas empresas especializadas em comércio eletrônico contam com vendedores virtuais para compor seu programa de marketplace. A ideia é a seguinte: você só precisa ter os itens que precisam ser vendidos e pode utilizar a plataforma para anunciá-los.  

Como a plataforma tem um ganho sobre a transação, você não precisa pagar para utilizar sua infraestrutura e ainda conta com uma grande exposição na internet. Sites como Americanas, Magazine Luiza, Mercado Livre, Amazon, entre outros, possuem programas desse tipo.  

Para anunciar os produtos, você precisa ser fornecedor e realmente possuir os itens em estoque. Cada plataforma possui suas regras de publicação e monetização.  

É possível começar com pouco, até ter uma oferta cada vez maior de produtos e, assim, obter uma renda extra. Converse com amigos, conhecidos e familiares, para entender o que pode ser vendido dentro de seu perfil como vendedor. 

3) Trabalhe com artesanato 

Se você tem a habilidade e paciência de trabalhar com manufatura, pode conseguir uma renda extra fazendo algum tipo de artesanato. Mesmo que não domine nenhuma técnica, você pode contar com vídeos nas redes sociais e até mesmo plataformas gratuitas de ensino, para desenvolver essa habilidade e, quem sabe, obter uma renda extra. 

É preciso ter um pouco de paciência, caso essa seja a sua escolha. Isso porque, até dominar uma arte, pode levar mais tempo do que se imagina. E, além do mais, a forma de vender tem um peso importante: ao optar por vender em um ponto localizado, por exemplo, você pode ter mais oportunidades de exposição e, ainda assim, não ganhar o quanto gostaria.  

Outra opção é divulgar o seu trabalho pela internet, utilizando as redes sociais para impulsionar seu trabalho ou contando com plataformas de e-commerce, para atingir uma quantidade ainda maior de pessoas (mas com o ônus de ter que dividir parte de seu lucro com a plataforma). 

4) Motorista de aplicativo 

Nos últimos anos, o trabalho como motorista de aplicativo cresceu de forma exponencial. Nas grandes cidades, em que a estrutura do transporte público costuma ser precária - e o uso de táxi se tornou algo luxuoso demais - os aplicativos de carona ganharam um espaço tremendo, preenchendo a gigante lacuna que existia entre valor justo por uma corrida e o acesso a algum tipo de transporte. 

Esse movimento atraiu muitas pessoas que buscavam autonomia em sua jornada profissional. Dessa forma, quem tinha um carro e um certo apreço por dirigir poderia muito bem dividir seu tempo ou até dedicá-lo integralmente para se tornar motorista de aplicativos, como Uber e 99, por exemplo, que são os apps mais conhecidos dessa categoria. 

É preciso ter um carro para trabalhar como motorista de aplicativo. Mas, com a demanda cada vez maior nos últimos anos - impulsionada pela crise econômica e pela pandemia - surgiram outras formas de facilitar o acesso a veículos para quem tem interesse em trabalhar com essa modalidade, seja com aluguel mensal, aluguel diário ou até mesmo pegar o carro emprestado com alguma pessoa física. 

Como motorista de app, você tem a autonomia de trabalhar o período que desejar, afinal, você ganha por corrida. Claro que precisa ficar atento aos custos do carro, incluindo combustível, manutenção periódica, entre outros cuidados.  

Cada plataforma possui suas regras específicas e valores de monetização. Você pode se cadastrar em mais de uma plataforma para realizar suas viagens e, assim, maximizar seus lucros com renda extra. 

5) Trabalhe com entrega 

Assim como a profissão de motorista de app aumentou, pode-se dizer o mesmo em relação a serviços de entrega. Com o isolamento social, mais pessoas se mantiveram em casa e acessaram algum tipo de delivery, seja de comida ou para entrega de diferentes tipos de compra, desde itens de supermercado a eletrodomésticos, por exemplo. 

Esse movimento fortaleceu a demanda de pessoas interessadas em trabalhar com entregas. É possível estipular a sua própria jornada - claro que, quanto mais você entregar, mais poderá ganhar. 

Sua vantagem em relação ao trabalho como motorista de aplicativos é que você só precisa ter uma moto - um bem mais barato e de menor custo variável que o carro, por exemplo. Os destinos costumam ser mais previsíveis e você não precisa lidar com outras pessoas compartilhando o mesmo veículo que você. 

Pesquise com antecedência os valores, como funcionam os aplicativos de entrega e de que forma você pode ganhar um bom rendimento com essa atividade. 

6) Cuide de animais de estimação 

Se você gosta de cuidar de animais domésticos, pode muito bem utilizar essa habilidade para ganhar um dinheiro extra. 

Você pode conversar com pessoas que têm algum pet e precisam de ajuda com algumas atividades, como dar banho ou levar para passear. Existem até mesmo sites e aplicativos que conectam cuidadores de animais a pessoas que precisam deixar seu pet com alguém por um determinado período, por conta de algum tipo de viagem, por exemplo

Caso decida ganhar dinheiro cuidando de pet, fique atento: trata-se de uma enorme responsabilidade. Converse com o dono para entender hábitos do animalzinho e, assim, proporcionar uma experiência positiva para todos os envolvidos: você, o dono e, principalmente, o pet! 

7) Alugue ou venda itens pessoais 

Outra forma de obter renda extra é alugando ou vendendo alguns de seus itens pessoais

Se você possui um notebook, por exemplo, que está inutilizado, pode alugá-lo para alguém que precisa do item por um tempo determinado. Até mesmo um carro pode ser alugado dessa forma, para quem deseja sair em algum dia da semana ou trabalhar como motorista de aplicativo. 

Ao optar por esse tipo de aluguel, saiba que corre o risco de ter maior manutenção dos itens. Além do mais, muitas vezes esse tipo de serviço é feito na base da confiança, o que pode gerar algum tipo de frustração por mau uso ou até mesmo má fé de quem alugou. Portanto, avalie com cuidado essa opção. 

Vender um item acaba sendo uma opção mais desejável. Afinal, você não terá mais acesso ao que for vender, deixando a responsabilidade para o novo dono. É possível utilizar as redes sociais ou até mesmo plataformas de e-commerce para essa finalidade.  

Sites de revenda, como Mercado Livre e Enjoei, costumam ser boas opções para passar pra frente aquilo que não tem mais utilidade pessoal. 

8) Crie um site pessoal 

Se você tem algum tipo de vocação ou gosta de compartilhar conteúdo sobre um assunto em específico, também tem a opção de criar um site próprio. Existem plataformas que facilitam essa criação, como WordPress, que permite criar um blog próprio.  

Caso a ideia seja apenas compartilhar conteúdo, existem outros tipos de plataforma, como Substack e Medium, que permitem algum tipo de monetização.  

Para ganhar dinheiro com isso, é preciso produzir conteúdo com frequência, criar engajamento nas redes sociais, participar de programas de afiliados (em caso de sites próprios) e, principalmente, criar uma audiência fiel. Ganhar dinheiro com isso pode levar um pouco mais de tempo: estude marketing digital, entenda como seu conteúdo pode atrair mais público e dedique parte de seu tempo para atualizá-lo com frequência.  

Você pode faturar com os programas de afiliados (que dão dinheiro por quantidade de visualização dos anúncios) ou por assinatura de uma newsletter (no caso do Substack, por exemplo).  

9) Dê aulas em sua área de expertise 

Se você domina algum idioma ou até mesmo uma arte marcial, pode muito bem transferir seu conhecimento para outras pessoas por meio de aulas.  

Com a pandemia, mais pessoas buscaram diferentes tipos de conhecimento. Se antes as pessoas tinham a impressão de que deviam estar fisicamente presentes, hoje em dia está mais fácil realizar algum tipo de aula online, com o suporte de diversos aplicativos. É possível utilizar o Zoom, por exemplo, para se conectar com os alunos por videoconferência e realizar algum tipo de aula ao vivo. Mas, se preferir gravar as aulas com antecedência e criar uma ementa complementar, você pode se apoiar em plataformas como a Hotmart, que facilita todo o processo de cobrança e monetização.  

Até mesmo as redes sociais podem ser tidas como alavanca para o seu negócio: existem pessoas que utilizam canais gratuitos para divulgar parte de seu conteúdo e, assim, atrair mais pessoas para suas aulas pagas.  

Veja qual a sua área de expertise e dedique um bom tempo para a preparação das aulas. Além de disseminar conhecimento, você pode conquistar uma audiência fiel, que vai ajudar a espalhar e influenciar outras pessoas que têm interesse no seu assunto de domínio. 

10) Faça prestação de serviços de consultoria 

Outra opção para quem domina algum tipo de assunto é realizar consultoria para outros profissionais. Você pode começar como pessoa física, divulgando seu trabalho em redes sociais e corporativas. Entenda qual o seu público e não deixe de investir em sua formação, para apoiar com mais assertividade quem tem muito a se beneficiar com o seu conhecimento e a sua experiência. 

Aumente sua renda a partir do seu patrimônio 

Embora o trabalho seja uma forma de complementar sua renda, você também pode usar o seu patrimônio a seu favor para ganhar um dinheirinho a mais no fim do mês. 

A seguir, vamos mostrar algumas dessas opções. 

11) Alugue seu imóvel para um inquilino 

Se você tem uma casa ou um apartamento inutilizado, pode colocá-lo para locação. É possível contar com o apoio de uma imobiliária, fazer esse processo de forma independente ou até mesmo contar com uma plataforma como facilitadora, como QuintoAndar e Imóvelweb, por exemplo. 

Ao optar por alugar seu imóvel, você tem a garantia de ter um dinheiro a mais em sua conta. Porém, precisa lidar com a responsabilidade de realizar as manutenções necessárias, estar de prontidão para algum problema que possa vir a acontecer no imóvel, entre outros deveres. 

De qualquer forma, alugar o seu imóvel é a melhor solução para quem tem uma propriedade ‘parada’. Entenda se existe a necessidade de reforma do seu imóvel, para torná-lo mais atrativo para os inquilinos, e utilize as plataformas digitais para divulgação. Assim, aumentam as chances de você ter um locatário e, claro, uma renda mensal garantida (com contrato de formalização, claro). 

12) Faça aluguel de seu imóvel por temporada 

Nos últimos anos, tem crescido um modelo de negócio interessante para quem possui imóveis: a possibilidade de alugar por temporada. Plataformas como Airbnb facilitam todo esse processo, beneficiado pela vontade cada vez maior das pessoas explorarem novos locais, viver novas experiências e, com a expansão do trabalho remoto, ter a possibilidade de morar em qualquer lugar. 

Se você tem uma casa na praia, no campo, um sítio ou até mesmo um apartamento bem localizado na cidade, pode alugá-lo por temporada por meio dessa plataforma. Por mais que você não tenha a recorrência de mensalidade de um inquilino, existe a chance de ganhar ainda mais com o aluguel por curtas temporadas.  

A vantagem é que você não precisa criar nenhum tipo de vínculo com o interessado e pode ajustar seu imóvel no seu tempo. Como a plataforma realiza toda a intermediação, você tem mais segurança para receber o seu dinheiro e prover uma experiência incrível para o interessado. 

13) Invista o seu dinheiro 

O trabalho e o patrimônio são duas das formas mais conhecidas de aumentar a sua renda. Mas sabia que, no processo de acumular seu patrimônio, você também ganha mais dinheiro? 

Isso é possível por conta do juros compostos. Quando você deixa o seu dinheiro em um banco, está ‘emprestando’, para que ele possa facilitar outras transações para outros clientes, como realizar empréstimos, financiar a compra de um bem etc.  

Portanto, ao guardar o nosso dinheiro, deveríamos ser recompensados de alguma forma.  

Por muitos anos, os bancos forçaram as pessoas a deixar o dinheiro somente na poupança, que geraria essa ‘compensação’. Com a educação financeira, as pessoas aprenderam que existem outras formas de ter os juros compostos a seu favor: por meio de investimento. 

Não se assuste quando se deparar com o termo ‘investimento’: todos nós podemos investir o nosso dinheiro, por menor que ele seja. O importante é saber diferenciá-los, para montar uma estratégia e, assim, obter maior rentabilidade com o valor aplicado.  

Vale ressaltar que todos podem criar uma carteira diversificada, composta por diferentes tipos de investimento - dos seguros aos mais arriscados. 

A seguir, vamos mostrar quais são os tipos de investimento que podem ser feitos: 

  • Investimento em renda fixa: são produtos que dão maior previsibilidade de ganhos, como Tesouro Direto, CDBs, CDIs, letras de crédito e até mesmo a poupança. 

  • Investimento em renda variável: são opções um pouco mais arriscadas, o que significa que pode trazer boas oportunidades de lucro, da mesma forma que podem fazer com que o investidor perca dinheiro. Para investir em renda variável, é importante dedicar um bom tempo para a sua educação financeira e garantir a sua reserva de emergência. Exemplos de renda variável são o mercado de ações (negociado na bolsa de valores), dólar futuro, índices futuros, compra de opções e até fundos imobiliários (que, na verdade, são menos arriscados que os demais). 

  • Investimento em um patrimônio: como já mostramos anteriormente, o patrimônio é uma forma de investimento, porque você pode ter um rendimento mensal com a locação ou até mesmo vendê-lo por um valor superior. Uma forma de investir em patrimônio é por meio do consórcio, que não faz cobrança de entrada, nem juros, facilitando uma compra a prazo dentro do seu planejamento mensal. 

E então, já pensou em como aumentar a sua renda?  

chat Eva