Dicas para economizar nas compras de final de ano

Dicas para economizar nas compras de final de ano

Após quase dois anos de pandemia, finalmente o setor varejista vê uma perspectiva de atrair mais consumidores para as compras de final de ano. Embora os economistas tenham feito algumas projeções que, aparentemente, sejam fracas se comparadas aos anos anteriores, ainda existe muita expectativa para o comércio se reerguer e, assim, dar uma boa impulsão para a economia ainda no fim de 2021.

De acordo com a Confederação Nacional do Comércio (CNC), a expectativa é que o mercado varejista brasileiro consiga crescer em até 5% ao longo de todo o ano de 2021 - e parte significativa desse crescimento está e torno das festas de fim de ano, momento em que muitas pessoas e empresas investem pesado nas compras de presentes, alimentos, frutas, entre outros itens.

E não é somente o comércio que tem expectativas em relação ao fim de ano. Muito provavelmente seus amigos e familiares esperam algum tipo de presente de Natal ou algo que possa surpreender a todos nas festas de fim de ano. É um momento em que as pessoas gostam de presentear umas às outras, ainda mais quando se tem em vista que grande parte delas recebe o 13º salário.

E, falando em 13º, é bom ter cuidado. Por mais que seja um dinheiro a mais que você receba, que ajuda bastante a lidar com os gastos de fim de ano, não se esqueça que em janeiro algumas contas começam a surgir, como IPTU e IPVA, por exemplo. Claro que o seu 13º não deve ser usado apenas para pagar contas e fazer compras: é possível aproveitar muitas oportunidades, como iniciar o investimento em um bem de alto valor com o consórcio, aplicar em algum produto financeiro rentável ou até mesmo iniciar a sua reserva de emergência, para que tenha uma boa segurança financeira diante de qualquer tipo de adversidade.

Estamos em um momento em que a pandemia de Covid-19 dá sinais de controle. Porém, não podemos deixar de colocar em prática alguns ensinamentos, como criar o hábito de poupar para lidar com situações difíceis e se organizar o quanto antes para dar mais segurança à família.  

Além disso, é preciso se reservar para evitar qualquer tipo de aglomeração. Por mais que o esquema vacinal da população adulta tenha avançado bastante no Brasil, existem casos de novas cepas pelo mundo, que podem fazer com que o surto pandêmico se fortaleça novamente em qualquer região.

Portanto, continue seguindo as recomendações de isolamento social, se possível, e utilize máscara, sabão e álcool em gel nas mãos.

E, voltando ao assunto principal, se quiser colocar em prática algumas dicas de economia doméstica para não ver o seu dinheiro diluir no final de ano, continue lendo este artigo.

Tenha um controle das suas finanças

A primeira dica para quem quer economizar é ter um controle de todos os seus gastos. Isso envolve ter que listar tudo o que entra e sai dos seus rendimentos mensais.

Felizmente, existem diversas opções que podem ajudá-lo com isso. Você pode utilizar alguns aplicativos especializados em finanças pessoais, por exemplo. Ou, se quiser, montar uma planilha de gastos para controlar os seus rendimentos.

Ao optar por uma planilha, é importante criar o hábito de anotar realmente tudo o que se gasta. Para algumas pessoas, isso pode ser bastante difícil. Afinal, ter que ver o quanto se gasta, e a quantidade de dívidas que se acumula, pode ser bem desgastante e frustrante. Por isso mesmo, é importante ter um objetivo claro em mente quando o assunto é organizar as finanças: para que desejo melhorar minha situação financeira?

Converse com a sua família para identificar o que é mais importante adquirir nos próximos meses ou anos. Até mesmo a reserva de emergência, que iremos explicar ainda neste artigo, pode ser uma boa motivação para deixar de gastar dinheiro.

Com a sua planilha, você consegue ter visibilidade dos seus gastos e em quais categorias precisa economizar mais, para fazer o seu dinheiro render.

Estabeleça o valor para gastar no fim de ano

Estamos falando de ter controle das finanças, mas a verdade é que todo mundo gosta de ter um planejamento específico para o fim de ano. Está tudo bem presentear pessoas que você gosta e admira nesse período. Porém, só não deixe que isso afete profundamente as suas finanças, afinal, você tem uma responsabilidade com a sua família e sonhos para realizar.

A melhor forma de lidar com isso é estabelecer quem são as pessoas que deseja presentear. Ao sair para comprar, evite o uso do cartão de crédito. O mais recomendado é ter o valor certinho do que deseja comprar, para não cair na tentação de gastar mais do que gostaria.  

Se tiver o costume de comprar pela internet, melhor ainda. Você pode pesquisar com profundidade os melhores preços em diferentes sites e não precisa sair de casa, o que gera um risco adicional de gastos. Uma boa dica é criar cadastro em sites comparadores de preço, para acompanhar quando os presentes que deseja comprar ficarem mais baratos.

Muitas pessoas aproveitam para se reunir no fim de ano para as festas. O ideal é conversar com antecedência com amigos e familiares e já ir se organizando para lidar com esses gastos. Quanto antes você conseguir se preparar para as compras de final de ano - seja presentes, compras para a ceia de Natal, viagens, entre outros - melhor. Não deixe que esse período afete suas finanças, para que consiga se organizar para o ano seguinte.

Sempre planeje tudo com antecedência

O segredo de gastar menos é ter paciência e planejar tudo com antecedência. Se você ainda não sabe o que vai fazer, é importante tomar essa decisão o quanto antes. Isso porque, quando se deixa as coisas para cima da hora, pode acontecer de suas opções de compra se limitarem e, com isso, você gastar mais em cima da hora.

Tome a iniciativa de mobilizar amigos e família para decidir o que será feito em festas de fim de ano. A colaboração é essencial nesse tipo de organização, mas não deixe de discutir sobre valores: quem irá contribuir com o quê e como todos podem se unir para comprar com antecedência os itens necessários para as festas de fim de ano.

No caso de presentes, é ainda mais simples se planejar com antecedência. Conte com a ajuda de sites comparadores de preços ou, se preferir, crie uma planilha somente com o controle dos valores que deseja gastar para o fim de ano. Insira os preços dos presentes e identifique os locais mais baratos para a compra - e não se esqueça de calcular o frete também, afinal, ele também entra em conta no valor final da compra pela internet.

Vai viajar? Planejamento é tudo!

Se ainda pretende viajar para passar o Natal com algum familiar que mora em outra cidade ou mesmo a virada de ano na praia, por exemplo, se organize para comprar o que precisa com antecedência.

Se for pegar a estrada, não deixe de fazer a revisão no seu carro e comprar o que for necessário com antecedência. Afinal, quanto mais você deixar para a última hora, maiores são as chances de pagar mais caro.

No caso de viagem de avião, as passagens tendem a ser mais caras. Portanto, fique atento às promoções e utilize serviços como Google Flights e Skyscanner, por exemplo, para acompanhar o preço das passagens do itinerário que desejar.  

Divida as responsabilidades dos gastos

Se você estiver planejando uma festa com amigos e familiares, vale a pena organizar como será a divisão de valores. Quem for contribuir, precisa saber de antemão quanto terá que dar, para não ter nenhum tipo de imprevisto.  

Saiba o quanto antes quanto terá que gastar com comida e com presentes, além de enfeites de festa, para ter maior previsibilidade de gastos. E divida essa responsabilidade com quem for participar da comemoração, afinal, quanto maior a divisão de gastos, menores são as chances de ter algum tipo de frustração. As pessoas economizam e se divertem mais dessa forma.

Saia somente com o dinheiro necessário para compra

Se você decidir ir ao shopping, por exemplo, para comprar presentes, vale a pena seguir uma dica muito propagada pelos especialistas em finanças pessoais: saia somente com o dinheiro necessário para a compra.

Antes disso, faça uma pesquisa do que deseja comprar e tenha uma estimativa de gastos. Ou, você pode adotar uma estratégia diferente: estipular um valor máximo para gastar em uma dessas saídas, e sacar o dinheiro exato antes de ir ao shopping.  

Dessa forma, você conseguirá se manter focado em gastar apenas com o que desejaria, evitando qualquer tipo de gasto desnecessário.

Evite a impulsão de gastos

A impulsão de gastos é uma das coisas mais danosas para a educação financeira. Significa que, por conta da situação, você acaba se deixando levar e gasta mais do que o necessário.

Na maioria dos casos, isso gera um arrependimento posterior. Muitas pessoas, por conta desse tipo de impulsão, acabam comprando coisas que não precisam e, às vezes sem perceber, contraem dívidas que se estendem por anos.  

Existem diversos gatilhos que podem facilitar a impulsão de gastos: um deles é o cartão de crédito, que dá a falsa sensação de se ter um alto valor disponível. Com a possibilidade de parcelar as suas compras, é fácil montar uma avalanche de dívidas e, quando se vê, o valor da sua fatura já ultrapassou o valor que você poderia gastar mensalmente.

Se você possui um alto limite de cartão de crédito, vale a pena diminuir este valor ou até mesmo guardar o cartão somente para situações muito específicas - quando quiser parcelar algo de alto valor que realmente necessita, por exemplo. Vale lembrar que, quando se paga o valor mínimo da fatura ou se opta pelo parcelamento, você pode pagar por um juros de mais de 300% ao ano.

Outro gatilho para a impulsão é o cheque especial, que é o valor adicional que os bancos disponibilizam na conta corrente de quem já utilizou todo o dinheiro que possuía. O cheque especial acaba pegando muita gente desprevenida e deve ser utilizado somente para situações emergenciais, ou seja, quando não se tem à disposição o valor necessário para uma compra extremamente necessária.

Quanto mais tempo você demora para repor o dinheiro do seu cheque especial, maior é o índice de juros a ser pago para o banco. Assim como o cartão de crédito, os juros anuais de uso do cheque especial também podem ultrapassar o índice de 300% ao ano. Portanto, evite o uso desses instrumentos para as compras de fim de ano. Mas, se não tiver jeito, o melhor a se fazer é se organizar para pagar a sua fatura corretamente nos meses seguintes e repor o valor do cheque especial assim que receber o seu salário.

Evite os juros do parcelamento

Como já dissemos, o cartão de crédito acaba sendo um gatilho para a sua impulsão. Em busca de comprar o que realmente deseja, as pessoas acabam cedendo a condições desfavoráveis de compra.

Não caia na armadilha de achar que, só por ter a possibilidade de parcelar, você estará fazendo um bom negócio. Se tiver que parcelar alguma compra, só divida o necessário para não ter que pagar juros.  

Outro elemento a se evitar são os cartões disponibilizados pelas lojas.  

Por mais que muitas delas ofereçam um desconto na primeira conta, é preciso ficar atento às letras miúdas: muitos desses cartões cobram anuidade, gerando uma dívida adicional para os meses seguintes que, no momento da compra, pode passar despercebido.

Para evitar tudo isso, o recomendado é sempre ter o dinheiro para pagar à vista. Se não tiver condições, só parcele se achar realmente necessário. Faça as contas para não ver se terá que pagar juros na transação, afinal, toda economia é válida quando se fala em compras de fim de ano.

Guarde dinheiro para o começo do ano

Quando se tem uma planilha para controle dos gastos mensais, fica mais fácil se organizar para os meses seguintes.

Tudo bem que as festas de fim de ano geram uma empolgação adicional - ainda mais em um momento em que temos uma boa cobertura vacinal diante da pandemia de Covid-19, em que as pessoas buscarão ficar mais próximas umas das outras.

Porém, não deixe que isso afete seu planejamento financeiro. Estabeleça o valor necessário para os gastos de fim de ano, mesmo que isso signifique usar parte do seu 13º salário.  

O ideal é deixar pelo menos parte do valor a mais que se ganha nesse período para lidar com as contas de começo de ano.  

Seja criativo na hora de dar presentes

Se estamos falando em economia de gastos, então é importante rever quais presentes você deseja dar para as pessoas.

Embora seja tentador dar algo mais caro e que você acredita que agrade, leve em consideração as suas finanças pessoais. Afinal, não precisa prejudicar seu orçamento para demonstrar que gosta das pessoas. É possível buscar formas alternativas de presentear alguém, sem ter que comprar coisas caras.

Nesse caso, conheça bem o que agrada a pessoa que deseja presentear: você pode considerar sebo para a compra de um livro, por exemplo, ou até mesmo rever algo que não utiliza há um bom tempo. É possível até mesmo fazer o seu presente manualmente. Procure boas referências e explore a criatividade na hora de presentear alguém.

Não compre roupas caras para passar as festas

Nas festas de fim de ano, as pessoas costumam comprar roupas novas. Natal e Ano Novo são períodos em que as pessoas falam muito de renovação e acabam usando parte de suas finanças para suprir essa falsa necessidade.

Antes disso, verifique bem o seu guarda-roupa: realmente vale a pena comprar mais peças de roupa somente para passar uma noite de festa com familiares e amigos?  

Se achar necessário, tudo bem, só não se empolgue a ponto de comprar mais roupas do que realmente necessita. Considere a ida em brechós ou até mesmo reutilizar alguma roupa mais antiga. Você pode testar novas combinações com as peças que possui.  

E, caso tenha que comprar, pesquise com antecedência os locais com os melhores preços. Evite ir atrás de roupas de última hora porque, além de encontrar lojas cheias, você vai se deparar com menos opções e com preços lá no alto.

Deixe as crianças em casa na hora das compras

Este é um conselho que certamente você já deve ter ouvido alguma vez na vida. Isso porque ele é verdadeiro. Levar as crianças para as compras de fim de ano pode ser uma experiência bem ruim.  

Primeiro, porque elas vão pedir alguma coisa, e você terá que dizer ‘não’ mais de uma vez. E, segundo, muito provavelmente ela pode ficar sentida de não ganhar o que pediu, enquanto você pensa em presentear uma ou mais pessoas. Sem falar que o próprio ato de levar uma criança já gera um custo a mais, principalmente se quiser almoçar, por exemplo.

Portanto, o mais sábio a se fazer é manter as crianças em casa. E, se possível, fazê-las entender o real valor do dinheiro e o motivo para você buscar economizar nesse período do ano. Quanto mais elas entenderem, mais compreensivas serão.

Defina as prioridades de gastos

São tantas ofertas e oportunidades que se apresentam quando chega a hora de fazer as compras de fim de ano, que você pode ficar na tentação de ceder em alguns momentos.

Para não cair nessa armadilha, o melhor a se fazer é definir uma lista de prioridades com antecedência do que você realmente precisa comprar. E, uma vez definida essa lista, concentre-se totalmente nela. Pode acontecer, claro, de você querer mudar um ou outro presente, ou até mesmo se deparar com uma promoção boa demais para deixar escapar.

Para não ser surpreendido com esses momentos, o ideal é deixar sempre uma margem nesses gastos. Por exemplo, ao definir o que é preciso comprar, calcule o valor que seria gasto em tudo isso. Você pode colocar uma margem de, digamos, 10% em cima desse valor, o que daria a liberdade de comprar alguma coisa a mais ou se precaver caso o presente que você tinha pensado em comprar fique mais caro.

Não esqueça de se divertir

Pode parecer um conselho muito óbvio, mas o final de ano é um momento bem especial, em que as pessoas gostam de estar juntas umas das outras, seja para presentear, fazer uma retrospectiva do ano ou simplesmente jogar conversa fora.

Se você gosta do Natal, não deixe de montar a sua árvore - seguindo as nossas dicas para economizar até na hora da montagem, é claro. Deixe-se contaminar pelo clima de fim de ano, contanto que não atrapalhe em nada o seu planejamento financeiro.

Aproveite para rever as suas contas de fim de ano e estabeleça alguns planos para o ano seguinte. Quem sabe não é um bom momento para dar início na compra de um bem de alto valor, como um carro ou uma casa? Quanto a isso, o consórcio pode ser a melhor opção, Basta fazer uma simulação para conferir as vantagens dessa modalidade.

Com bastante organização, você pode ter um final de ano igualmente incrível, sem cair nas tentações, que podem fazer com que você gaste além do necessário. Para mais dicas de finanças pessoais, assine a newsletter do blog da Embracon.  

Simulação
chat Eva