Conheça os principais tipos de imóveis

Conheça os principais tipos de imóveis

A compra de um imóvel é um dos maiores desejos do brasileiro. Para se ter uma ideia, 4 em cada 10 brasileiros pretende realizar algum tipo de compra de casa ou apartamento nos próximos dois anos, de acordo com levantamento realizado pela EmCasa, empresa de intermediação de compra de imóveis. 

Há muitas décadas ter a casa própria se mantém como o maior sonho do brasileiro médio. Afinal, ninguém quer continuar pagando aluguel por muito tempo - ou, dependendo do caso, morar com os pais ou construir um tipo de ‘puxadinho’ no mesmo terreno de algum familiar. 

Por conta da pandemia, a relação do brasileiro com a moradia mudou bastante. Agora, a preocupação é ter um ambiente mais propício para trabalhar em casa e conseguir passar a maior parte do tempo com a família ou até mesmo com os amigos. Isso fez com que mais pessoas investissem em reformas de seus imóveis, tornando-os mais agradáveis, ou até mesmo comprassem casa ou apartamento fora do circuito das metrópoles, para aproveitar mais a calmaria e a tranquilidade ao lado da família. 

Com o passar dos anos, os imóveis têm se modernizado cada vez mais. Quem mora nas grandes cidades muito provavelmente tem se deparado com uma oferta cada vez maior de apartamentos, de todos os tamanhos imagináveis. Já quem mora no campo, tem percebido uma preocupação maior em casas mais bem acabadas, que possam dar todo o aconchego necessário para a família. 

Porém, o perfil dos adultos tem mudado muito nos últimos anos. Em vez do clássico roteiro familiar da filha ou filho que sai de casa, namora, junta dinheiro e compra o seu imóvel, temos uma infinidade de perfis diferentes, que buscam tipos de moradia diferentes. Dos solteiros que querem um ambiente mais compacto para morar ao lado do trabalho a familiares que decidem se reunir para morar em um local mais distante, em um imóvel semelhante a um sítio, por exemplo, existem diferentes ambientes para todos os tipos de pessoas

A boa notícia é que existem múltiplas opções para todos os gostos. E você, sabe qual o melhor tipo de imóvel para você? 

A seguir, vamos explicar todos os tipos de imóveis, para que você tome uma decisão mais assertiva na hora de escolher o seu. 

Tipos de imóveis 

A seguir, vamos mostrar todos os tipos de imóveis existentes, com seus detalhes e principais características. 

Casa geminada 

Sabe aqueles bairros em que você visualiza casas iguaizinhas umas às outras? Pois bem, estas são as conhecidas casas geminadas. 

Como o próprio nome dá a entender, as casas desse tipo são gêmeas umas das outras, com estruturas semelhantes. Geralmente elas dividem de forma proporcional o mesmo lote do terreno e possuem construções simétricas, dividindo a mesma parede e materiais semelhantes para edificação, alvenaria e até mesmo o telhado. 

Muitos proprietários investem em um grande terreno para a construção de uma boa quantidade de casas geminadas. Além de ser mais barato para construir, existe uma boa diminuição de custos de projeto e construção. Por sinal, boa parte dessas construções são feitas com o objetivo de alugar para outras pessoas - e, assim, ter um rendimento extra - ou para vender mesmo.  

Por conta dessas características, as casas geminadas se apresentam como boa opção para quem deseja comprar a casa própria - ainda mais se for solteiro ou um casal sem filhos, por exemplo, visto que é comum esse tipo de imóvel ter menos espaço do que um sobrado. 

Entre as vantagens das casas geminadas estão os custos, que são mais em conta do que os demais imóveis, além de economia na construção - caso você queira comprar um terreno, por exemplo. Assim, pode construir mais de um imóvel e ter uma boa rentabilidade. Por conta disso, a manutenção de sua estrutura sai mais em conta, resultando em uma grande economia tanto para quem pretende construir e vender, quanto para quem deseja comprar. 

Mas, nem tudo são mil maravilhas. É comum que casas geminadas sejam prejudicadas pela falta de iluminação solar, principalmente se estiverem muito grudadas umas às outras. Se não tiver cuidado, pode haver o risco de infiltrações em alguns locais. Por isso, ao considerar a compra ou aluguel de uma casa desse tipo, fique atento a todos os detalhes. 

Outro problema é a falta de isolamento acústico. Se você costuma ouvir música ou TV em alto volume, por exemplo, facilmente pode incomodar o seu vizinho. No caso de manutenção, pode acontecer de se tratar de uma questão compartilhada com o seu vizinho - o que, dependendo da situação, pode gerar um mal-estar. 

Sobrado 

Um dos tipos mais comuns e desejados de casa é o famoso sobrado. Mas, sabe o que diferencia um sobrado de uma casa comum? Simplesmente o fato de ter mais de um andar. 

Por conta disso, o sobrado ganha mais espaço, dando mais opções ao morador para decorar da forma que deseja. É comum ver casais com filhos ou grandes famílias morando em imóveis desse tipo, para conseguir ajustar bem cada um dos cômodos e personalizá-los da forma que deseja. 

Claro que é possível erguer um sobrado em um terreno pequeno - para se ter uma ideia, existem exemplos de casas geminadas que são pequenos sobrados. 

Uma das maiores vantagens do sobrado é proporcionar mais espaço e liberdade de construção para o proprietário. Claro que, em todos os casos, o trabalho de um arquiteto ou engenheiro se mostra essencial, visto que uma construção envolve colunas, que são parte estruturante, e podem gerar riscos, caso não sejam construídas da forma correta. 

Com maior aproveitamento do terreno, você pode fazer com que o sobrado tenha espaço para garagem, jardim e, dependendo dos casos, até mesmo uma piscina nos fundos. Caso opte por comprar um imóvel desse tipo que já esteja construído, você tem a opção de conduzir uma reforma, que vai repaginar totalmente o ambiente a seu favor. 

Bangalô 

Os bangalôs são construções de apenas um andar e que possuem uma pequena varanda. Comuns em pequenas cidades, os bangalôs costumam fazer parte de um ambiente mais campestre, facilitando o contato com a natureza e se tornando ótimas opções para descanso e refúgio das grandes cidades. 

Como característica, os bangalôs costumam ser erguidos com materiais naturais (como madeira, tijolos e pedras), explorando bastante a área externa. Muitas construções desse tipo aproveitam seu entorno, fazendo com que a casa seja uma extensão de seu ambiente externo.   

Seu aspecto não costuma ser simétrico, mas é equilibrado com colunas quadradas ou, às vezes, até cônicas.  

Apesar de compactos, os bangalôs podem ser compostos com todos os principais cômodos: quartos, cozinha, banheiro e sala de jantar, em torno de uma área central. Por mais que esse tipo de imóvel remeta ao campo, é possível investir em bangalôs mais robustos, que podem explorar tamanhos maiores de terreno. 

Apartamento 

Quem mora nas grandes cidades certamente sabe como funciona a composição de um apartamento. Afinal, o mercado imobiliário tem apostado cada vez mais nesse tipo de construção, seja para abrigar mais pessoas nas regiões mais nobres da cidade ou ter a possibilidade de criar uma quantidade maior de moradias em um pequeno espaço de terreno. 

A procura por moradia tem aumentado tanto, que muitas cidades já estão cada vez mais acostumadas com a invasão dos apartamentos. E, com o passar dos anos, eles foram se modernizando, de acordo com as necessidades dos moradores. 

Geralmente o apartamento é parte de um condomínio, que reúne dois ou mais prédios dentro de um mesmo complexo. Os condomínios oferecem uma série de serviços para as pessoas que moram nos apartamentos, como área de lazer, estacionamento, parque, churrasqueira e até piscina em alguns casos. Claro que tudo depende do tamanho e da composição do condomínio

Para que todos possam desfrutar de maneira justa dos serviços de um condomínio, é cobrada uma taxa de todos os moradores. Essa taxa é utilizada para manutenção dos serviços, pagamento dos funcionários que trabalham nos prédios (como zeladores, faxineiros, porteiros etc) e demais assuntos relacionados ao convívio comum de todos que moram no condomínio. 

Quem faz a gestão de tudo relacionado ao condomínio é o síndico, que fica como responsável pela tesouraria, reuniões entre os moradores e gestão de todos os assuntos relacionados ao condomínio. 

Tudo isso mostra que, ao avaliar a compra de um apartamento, você precisa prestar atenção em detalhes que vão além do espaço ou da localidade. É preciso estar ciente dos valores praticados no condomínio (que são obrigatórios, mesmo que você não more mais lá), entender quais são os serviços prestados e observar o impacto de tudo isso em seu orçamento mensal.  

Em relação ao espaçamento interno dos apartamentos, você pode contar com inúmeras opções: desde apês mais compactos, com apenas uma suíte, a espaços mais luxuosos, que podem ter mais de um andar (duplex) e mais opções de conforto, como varanda ou até piscina privativa.  

Existem prédios que dão a opção de morar na cobertura, que proporciona um espaço ainda maior, comparado aos demais moradores do prédio. Claro que as coberturas têm preço mais elevado, mas oferecem mais espaço, privacidade, além de uma vista invejável da cidade em que mora. 

Kitnet 

As kitnets são apartamentos pequenos, geralmente caracterizados por um pequeno cômodo que abriga quarto e cozinha, além de ter um banheiro à parte.  

Algumas kitnets também possuem varanda também, para dar mais conforto ao morador. 

Muitos modelos de kitnets são de prédios antigos, geralmente construídos entre os anos 1950 e 1980. Eles costumam atender a necessidades de pessoas solteiras, que moram sozinhas ou, no máximo, com mais uma pessoa. Algumas pessoas escolhem kitnets para passar curtos períodos de moradia, enquanto investem em imóveis mais espaçosos para morar no futuro

Por conta disso, as kitnets costumam ter um valor mais em conta que o apartamento convencional. Dependendo do prédio em que for morar, você pode contar com uma área de serviços e estacionamento, para melhor comodidade. 

Flat 

Quem procura por um tipo de apartamento que ofereça todos os serviços básicos, como limpeza, alimentação e demais formas de comodidade, pode se dar bem com um flat, que é um tipo de apartamento com características de hotelaria

Muito procurado por pessoas que querem morar perto do trabalho e, ainda assim, desfrutar de tudo o que a cidade tem a oferecer à noite, os flats costumam estar localizados nas regiões centrais da cidade. Assim como as kitnets, os flats são mais procurados por pessoas que moram sozinhas ou que estão de passagem. 

Um dos maiores atrativos do flat, além dos serviços que oferece, é seu valor - que costuma ser inferior aos serviços de hotelaria, por exemplo. 

Loft 

Sabe aqueles apartamentos com pé alto, com aparência industrial e que lembram bastante a atmosfera de Nova York dos anos 1970? Pois bem, é disso que se trata um loft. 

Em um loft, não há uma unidade divisória entre os cômodos: com um grande espaço, é você que decide como arrumar sua cozinha, sala de jantar e até mesmo quarto - que, em muitos exemplos, podem ter uma escada que o separa dos demais, uma vez que o imóvel é alto o suficiente para ter um cômodo no segundo andar. 

Studio 

O apartamento tipo studio tem uma estrutura parecida com os lofts. Porém, são mais compactos, com quarto, sala, cozinha e um banheiro.  

Geralmente os studios são localizados nos centros das grandes cidades, com o objetivo de facilitar a vida de quem quer estender sua moradia como parte de seu trabalho. Não à toa, é uma unidade muito procurada por quem possui galerias e quer manter seu portfólio como parte do apartamento, por exemplo.  

Por conta disso, os studios têm um valor mais em conta do que um loft ou um apartamento convencional. 

O que é preciso levar em consideração na compra de um imóvel 

Agora que você já conhece todos os tipos de imóvel que podem ser comprados, vamos elencar quais são os principais pontos de avaliação na sua escolha. Confira a seguir. 

Localização e vizinhança 

Nesse ponto, é preciso analisar diversos quesitos: primeiramente, se o local de escolha fica próximo de supermercados, hospitais ou até estações de metrô ou trem, para facilitar sua locomoção com transporte público. 

Claro que cada um tem suas necessidades. Se você costuma se locomover com um automóvel, pode considerar um bairro mais tranquilo, por mais que esteja afastado de linhas ferroviárias. Quanto a isso, precisa observar a vizinhança, entender se é um bairro perigoso ou não e verificar qual o custo médio de se morar na casa ou apartamento que procura. Vale a pena conversar com alguns vizinhos e identificar a distância de locais que costuma visitar com frequência, como shoppings, parques, mercados etc. 

Quanto menos impeditivos tiver para lidar com sua rotina, melhor será a sua experiência com o imóvel. 

Valor do imóvel 

O preço é, sim, um fator de extrema importância para a compra. E o primeiro passo para ter uma ideia de negociação é pesquisar o valor médio por metro quadrado no bairro em que deseja morar

Caso não consiga encontrar um índice assertivo em sua cidade, converse com alguns corretores ou imobiliárias, para identificar o preço de outros imóveis com a característica que você busca. Isso pode exigir um pouco mais de tempo, mas vai ajudá-lo a entender se está ou não fazendo um bom negócio com o proprietário na hora de escolher o seu imóvel. 

Além do preço por metro quadrado, você deve ficar atento à conservação do imóvel - principalmente no caso de um usado. Observe vazamento, qualidade da pintura e até pequenas obras que precisam ser feitas no caso de uma possível aquisição. Se puder, leve um arquiteto ou um mestre de obras contigo na hora da avaliação: eles podem observar detalhes com o olhar de um especialista que você pode não enxergar em um primeiro momento. 

No caso da compra de um apartamento, veja se o valor do condomínio está dentro do seu planejamento. Pesquise sobre os serviços e, se possível, converse com os moradores do local, para entender se o imóvel e a interação com síndico e demais moradores atendem às suas expectativas. 

Estado de conservação 

Você pode encontrar imóvel por um bom preço, mas com tantas obras a serem feitas que, no final, a transação pode não compensar.  

Avalie muito bem a estrutura do local, com a ajuda de um especialista. Aproveite para fazer perguntas sobre a estrutura hidráulica, elétrica e até mesmo detalhes de alvenaria (de uma casa). 

Escolha a melhor forma de compra 

Você pode comprar um imóvel de três formas: 

Pagamento à vista 

Se você dispõe de um alto valor, pode fazer a compra do seu imóvel à vista.  

Dessa forma, você não estende a dívida e pode morar sossegado no local. Lembre-se que, em caso de um apartamento, você precisa se comprometer mensalmente com o valor do condomínio, por mais que decida fazer a mudança posteriormente.  

Por mais que seja uma boa forma de comprar, avalie se o pagamento à vista não irá comprometer sua reserva financeira. O ideal é ter pelo menos seis vezes o seu salário em uma conta apartada da sua conta corrente para lidar com emergências.  

Por conta disso, não é recomendado utilizar todas as economias de uma só vez na compra de um imóvel, para não deixá-lo vulnerável diante de alguma adversidade.  

Financiamento 

Com o financiamento, você conta com a intermediação de uma instituição financeira para a compra do seu imóvel. Geralmente, é cobrado pelo menos 20% do total do imóvel como entrada para, então, seguir com o parcelamento do valor restante.  

É possível parcelar a compra para até mais de 20 anos, dependendo do seu score e da sua situação financeira. Para viabilizar o parcelamento, a instituição financeira pede uma série de comprovações e faz a cobrança de juros nas mensalidades.  

Dessa forma, o investimento na sua casa ou apartamento pode custar duas vezes ou mais o valor original do imóvel por meio do financiamento.  

Embora seja uma forma facilitadora para a compra, você sai no prejuízo a longo prazo, tendo que pagar um valor maior do que o imóvel realmente vale. 

Consórcio 

Se você deseja planejar a compra do seu imóvel, o consórcio é a melhor forma de investimento. Você pode parcelar a sua compra da forma que deseja, sem ter que pagar valor de entrada ou juros nas mensalidades. 

Na verdade, o consórcio une o que há de melhor do financiamento e do pagamento à vista: você parcela a sua compra da forma que deseja e, ao ser contemplado, tem à disposição a carta de crédito, que possui poder de compra à vista, garantindo uma boa margem de negociação com o proprietário ou empresa responsável pelo imóvel. 

Para ser contemplado, é preciso estar com o pagamento da sua cota em dia e participar das assembleias, que acontecem mensalmente. Ao fechar o contrato de um consórcio de imóveis, você entra em um grupo, que reúne consorciados com interesses semelhantes - no caso, a compra de um imóvel.  

Nas assembleias, você pode ser contemplado por meio de sorteio ou com a oferta de um lance, que é um valor a mais que todos podem tentar com o objetivo de ser contemplado com antecedência. Também é possível utilizar os seus recursos do FGTS para dar o lance em um consórcio de imóveis.  

Ao ser contemplado, você passa pela análise de crédito e, se for aprovado, tem acesso ao valor integral da carta de crédito, que pode ser utilizada para a compra do seu imóvel. Com o consórcio, você pode utilizar a carta para a compra de um terreno, de uma casa reformada, apartamento na planta, apartamento decorado ou até mesmo um empreendimento comercial. 

E você pode investir o quanto antes no seu imóvel, sem a necessidade de entrada ou juros. Faça uma simulação agora mesmo de consórcio de imóveis e confira as vantagens de uma modalidade que ajuda milhares de brasileiros a realizarem seus sonhos. 

chat Eva