Como escolher o seu próximo imóvel

Como escolher o seu próximo imóvel

Existem muitas decisões complicadas em nossas vidas. Sem dúvida, uma das que mais toma tempo é a escolha de uma casa ou apartamento próprio. Além de se planejar financeiramente e juntar dinheiro para comprar o imóvel ideal, você precisa definir uma série de outros critérios.

A qualidade dos parâmetros utilizados durante a seleção de um imóvel é fundamental para não se arrepender depois. Por isso, nós reunimos alguns aspectos que não podem ficar de fora da sua tomada de decisão.

Continue a leitura e aprenda a escolher o imóvel ideal de uma maneira simples e precisa!

Como escolher o imóvel ideal para você?

Considere seus objetivos pessoais

Inicialmente, você precisa se lembrar que vai morar na residência escolhida ao longo de, no mínimo, alguns anos. A constatação parece óbvia, mas costuma passar despercebida.

Antes de qualquer outra característica, é necessário que o imóvel em questão atenda às suas necessidades no decorrer de todo o período de permanência nele. Não se trata, entretanto, de tentar prever o futuro, e sim de destacar seus objetivos pessoais.

Com esse cuidado básico, você já evita a troca de endereço devido a uma moradia inadequada.

Essas e outras perguntas ajudam na hora de avaliar todas as condições que determinado imóvel tem a oferecer. Comece por verificar tudo aquilo que já existe na sua atual moradia e estabeleça um comparativo com o que encontrará na nova.

O imóvel ideal deve proporcionar atrativos equivalentes ou superiores.

Quantidade de quartos

O próximo passo é verificar quantos dormitórios tem de haver no imóvel: a suíte de casal terá closet? Cada criança terá um quarto ou também serão suítes? É necessário um espaço para home office? Considere também se é costume da família receber visitas, pois nesse caso é necessário contabilizar juntamente com a quantidade de quartos desejada para o futuro imóvel.

Esse item é muito importante para garantir o conforto de todos os moradores do imóvel, então planeje-se para não ter retrabalho com o projeto do seu lar futuramente, e assim, consequentemente economizar dinheiro no futuro.

Considere seus planos de aumentar a família

Adquirir uma casa é, via de regra, um projeto de longo prazo. A maioria dos casais sem filhos que decide comprar um imóvel tem entre as necessidades um quarto confortável, uma boa cozinha e espaço para receber amigos.

Só é preciso considerar quais os planos no que se refere ao crescimento da família. Se o projeto é ter filhos no futuro próximo, talvez seja adequado já investir em uma casa ou apartamento com mais espaço, com outro quarto e estrutura para o herdeiro.

Avalie o tamanho da família

Complementando a dica anterior, o tamanho da família é um ponto básico. O perfil do imóvel vai depender primeiramente disso. É preciso pesar quantos são os adultos, quantos são as crianças e como será quando elas crescerem.

Por exemplo, irmãos podem viver bem dividindo o quarto, mas também pode chegar o momento em que eles desejarão mais privacidade. E a própria estrutura da casa deve estar adequada para o crescimento deles.

Lembre-se dos pets

Se a sua família tem animais de estimação, é preciso considerar a necessidades deles também. Isso significa pensar em um imóvel com mais espaço no imóvel e alguma infraestrutura que garante também o bem-estar do seu pet. Cachorros grandes dificilmente ficarão bem em uma casa ou apartamento pequeno.

Convém considerar também como será a convivência com os vizinhos. Embora seja permitido na maioria dos condomínios a presença de pets, um animal que faz muito barulho ou sujeira pode ser fonte de atritos.

Agitação ou tranquilidade?

Você gosta de ter barzinhos por perto para sair à noite com os amigos ou prefere a tranquilidade de estar distante de todos para relaxar quando o sol se põe? Aqueles que gostam de ter uma vida noturna mais agitada por perto devem estar cientes que isso, em alguma medida, pode significar um pouco de barulho durante a noite.

Há quem não conviva bem com sons de buzina ou mesmo de conversas e prefira um isolamento acústico. Sendo assim, esses fatores devem ser analisados no local do imóvel. Se possível, visite-o em diferentes momentos do dia e converse com moradores locais para sentir um pouco como é o clima.

Defina a localização ideal

Outro fator preponderante na hora de decidir é o endereço em si. Caso você o desconheça, vale a pena pesquisar a fundo a reputação da região no que diz respeito ao quesito segurança. Se a preferência for por uma casa, em vez de um apartamento, o cuidado aumenta.

As características da vizinhança também merecem ser avaliadas. Algumas pessoas encontram o imóvel que seria perfeito, não fossem os vizinhos. Um equívoco é buscar tranquilidade em uma área amplamente ocupada por repúblicas universitárias, por exemplo.

O terceiro item obrigatório na análise da vizinhança é a quantidade e variedade de estabelecimentos comerciais. Como a proximidade deles também é importante, verifique a que distância ficam farmácia, supermercado e padaria mais próximos.

Pense no tipo de imóvel que atrai você

Com relação aos tipos de imóveis, o ponto básico se refere à dúvida constante: casa ou apartamento? Como você já deve saber, ambos propiciam suas vantagens e desvantagens. Não há necessariamente um melhor do que o outro, e sim aquele que está mais relacionado ao seu estilo de vida.

Também é verdade que o fato de você ter morado a vida toda em uma casa ou apartamento não anula a possibilidade de fazer uma mudança. Em alguns casos, há quem se impressione tanto com dado apartamento que, no fim, opte por ele em detrimento de uma nova casa. O contrário também acontece. Muita gente prefere morar em prédios verticais por conta da segurança, mas os condomínios horizontais resolvem o problema.

Independentemente de casa ou apartamento, você ainda pode observar outros aspectos. Aproveite a busca e a visita aos imóveis para refinar a escolha. Avalie, por exemplo, a arquitetura interna e se ela dialoga com os diferentes estilos de decoração que combinam com você.

Novamente, faz-se necessário um exercício de imaginação, pois você precisa se ver morando naquele imóvel no futuro. Talvez você queira, inclusive, comprar uma casa mobiliada. A depender da oferta e de todas as demais condições comentadas, esse pode ser um ótimo negócio.

Casa Geminada

Casas geminadas são propriedades ligadas estruturalmente umas às outras, onde o espaço total do terreno é dividido de forma igual.

Possuem a mesma estrutura visual e dividem o mesmo telhado. Esse tipo de construção é mais comum em condomínios de casas.

Sobrado

O termo sobrado classifica toda e qualquer casa caracterizada por dois ou mais andares, sejam elas residenciais ou comerciais.

Bangalô

Os bangalôs são casas térreas, de apenas um piso e que podem ter uma pequena varanda. Esse tipo de construção é bastante comum na América do Norte.

Edícula

Edículas são casas pequenas localizadas no fundo de um terreno. Geralmente possuem apenas um dormitório, sala, banheiro e cozinha. Podem também contar com uma garagem e área externa de serviço.

Apartamento

Os apartamentos são unidades onde vivem indivíduos ou famílias em residências separadas em estrutura vertical.

Podem conter 1, 2, 3 ou mais dormitórios com ou sem suíte, banheiro, cozinha e, não obrigatoriamente, vagas de garagem.

Kitnet

As kitnets são imóveis de metragem pequena. Normalmente são caracterizadas por um cômodo, que abriga quarto e cozinha, além de um banheiro à parte.

São imóveis localizados em prédios mais antigos, erguidos principalmente no período entre os anos de 1950 e 1970.

Alguns imóveis desse tipo podem contar com espaços extras, como uma pequena área de serviço, por exemplo.

Flat

Flats são apartamentos residenciais que dispõem de serviços de comodidade, muitas vezes similares a um hotel – como, por exemplo, lavanderia e limpeza diária.

Os valores desses serviços costumam ser mais baixos que na hotelaria convencional.

Loft

Lofts são unidades sem divisórias (verticais ou horizontais) entre os cômodos e têm inspiração nos galpões e armazéns americanos dos anos 70.

Studio

Os studios possuem apenas dois cômodos, um quarto-sala-cozinha e mais um banheiro. Mais baratos, menores e geralmente localizados em regiões centrais, eles se tornaram tendência nas grandes cidades.

Sugestão de imóvel ideal para solteiros

As pessoas não são todas iguais, claro, mas de uma forma geral cada grupo reúne algumas características que podem fazer bastante diferença na sua satisfação pela casa ou apartamento que escolheu para chamar de seu.

Os solteiros, geralmente, têm menos móveis, têm preferência por apartamento pequeno e valorizam a praticidade, certo? Bem, na maioria das vezes, sim.

Por isso muita gente ainda pensa em um studio ou quarto e sala em um condomínio: mais segurança para os dias em que o imóvel estiver fechado e sozinho, benefícios como lavanderia, arrumadeira e faxineira, e zero preocupação com jardins e fachadas.

Só que o perfil da sociedade está mudando, principalmente por causa da internet – e com ela é cada vez maior a quantidade de pessoas que trabalham de casa. Então, veja bem se este não é o seu caso ou se você não pretende, futuramente, transformar o seu negócio em uma atividade remota.

Se for este o caso, lembre-se de escolher um imóvel que tenha a possibilidade de transformação de algum cômodo ou espaço em home office ou que fique perto dos chamados co-working.

Outra dica para quem busca um apartamento pequeno para solteiro, como flats, studios ou quarto e sala, é dar uma espiada na área de lazer. Locais com salão de festas, bares, cozinhas gourmet ou espaço de churrasqueira são uma ótima opção para receber os amigos.

Sugestão de imóvel ideal para casal

Começando a vida juntos? Nada mais gostoso do que montar o ninho, mas na hora da escolha também é preciso atenção. Casais recém-casados costumam optar por apartamentos pequenos, geralmente um pouco maiores do que os de solteiro para receber os amigos. No entanto, leve em consideração se há planos de aumentar a família no futuro próximo, comprando apartamento com um dormitório a mais.

Assim você evita o desgaste de ver a cegonha chegar sem um lugar adequado para o pequeno nem de ter que colocar o imóvel à venda rapidamente para tentar comprar outro maior.

Por outro lado, preste atenção na planta do imóvel, que deve ser bem planejada de forma a propiciar reformas futuras, como a eliminação de paredes para a integração de ambientes. Também não vale a pena comprar uma casa com um quarto enorme, mas uma cozinha minúscula: apesar de poder ser até bom no começo, também pode ser sinal de problema a longo prazo. Os cômodos devem ter uma boa distribuição.

Procure apartamento perto de comércio, próximo ao que o bairro tiver de melhor a oferecer. Vocês gostam de ir ao cinema, frequentam bares e restaurantes ou preferem uma bela noite no teatro? Pense sobre seus hábitos na hora de escolher o imóvel ideal para casal.

Sugestão de imóvel ideal para casal com filhos

Já os casais que têm filhos pequenos costumam pensar na infraestrutura para os pimpolhos, o que é absolutamente normal, afinal, quanto melhor a área de lazer, mais diversão para as crianças com tranquilidade para os pais.

Por isso, é claro que um condomínio com piscina, playground, quadra poliesportiva e parquinho é uma ótima escolha, mas está longe de ser a única preocupação. Pense também no entorno do apartamento: há boas escolas, clínicas ou hospitais? A oferta de transporte público é farta? Como é a vizinhança?

Não gosta de dirigir? Ótimo, então você pode economizar comprando um imóvel sem vaga – mas fique de olho na oferta de transportes. Dê preferência aos bairros com estações do metrô e linhas de ônibus.

Gastos que você terá ao comprar um imóvel

Existem alguns gastos neste processo que nem todo mundo conta para você. Além do dinheiro da entrada e das parcelas, existem despesas com impostos, documentação, mudanças e reformas que você precisa levar em consideração na compra do seu imóvel.

Confira agora quais são os gastos na compra de um um imóvel antes de se mudar para a casa nova!

Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI)

Esta taxa é cobrada pela prefeitura sempre que alguém compra um imóvel. Ela custa entre 2% e 5% do valor da casa, mas pode sair um pouco mais barata para imóveis que custam menos do que R$ 73.256. Para entender como é feito o cálculo do imposto, você precisa saber que existem dois valores para um mesmo imóvel: o valor venal (preço de mercado, ou seja, que poderia ser cobrado) e o valor de transação (o preço que foi pago).

Veja um exemplo de cobrança do ITBI:

Alguém pode anunciar a venda de um imóvel por R$ 155 mil (valor venal), mas vendê-lo por R$ 150 mil (valor de transação). Geralmente, o ITBI é cobrado pelo valor de transação, mas isso varia em cada cidade, pois o imposto é uma lei municipal. Nesse caso, o custo do ITBI será de R$ 3 mil a R$ 7.500 (entre 2% e 5% do valor da casa).

Registro do imóvel

O registro do imóvel, emitido pelo cartório, comprova por lei quem é o proprietário da casa ou do apartamento. O valor do registro é a soma de várias taxas que variam entre os estados brasileiros, além de levarem em conta o preço do imóvel.

Veja um exemplo do custo do registro de imóvel:

No caso de um imóvel vendido por cerca de R$ 150 mil, o valor do registro ficará em R$ 1.681, se comprado no estado de São Paulo.

Mudança do imóvel

Para levar os seus eletrodomésticos e todos os seus pertences à casa nova, você pode contratar um caminhão de mudanças. Além do transporte, também tem a opção da desmontagem e montagem de móveis e do empacotamento. Mas, quanto mais serviços você solicitar, mais você paga! Por isso, pegue caixas em supermercados e embrulhe por conta própria os seus pertences.

Se possível, desmonte e monte os móveis, e não se esqueça de reservar com antecedência a vaga mais próxima ao imóvel para estacionar o caminhão. Esse cuidado agiliza o trabalho e diminui o preço do serviço, uma vez que serão necessários menos ajudantes.

O preço da mudança varia de acordo com a distância, a quantidade de bagagem e a própria transportadora. Então, antes de fechar negócio, peça um orçamento de acordo com o seu pedido. Também preste atenção no contrato e no seguro, que é opcional e protege os seus pertences.

Pequenas reformas e reparos no imóvel

Não tem jeito: a casa pode ser nova ou antiga, sempre serão necessários reparos. Os valores variam de acordo com a mão de obra, o material necessário, o tempo e o tamanho da reforma. Por isso, é importante guardar um dinheiro extra para imprevistos, como encanamento entupido, torneiras espanadas, pintura descascada, entre outras situações.

Sempre que você decidir fazer uma reforma, peça orçamentos para mais de um profissional, afinal, é importante comparar os preços para economizar. Não se esqueça de pedir indicações de quem já utilizou o serviço que você precisa, garantindo que vai contratar um trabalho de qualidade. Se possível, guarde cerca de três vezes mais do que o custo final da obra, por exemplo, para um orçamento de R$ 300, prepare-se para gastar R$ 900.

Entenda como funciona o consórcio de imóvel

O Consórcio Imobiliário, basicamente, é um grupo de pessoas formado para arrecadar determinada quantia durante certo período. Todos os meses, os participantes contribuem com um valor definido, criando uma poupança conjunta.

O primeiro passo é procurar uma administradora de consórcios que seja cadastrada com o Banco Central, pois essa empresa terá que organizar e administrar os grupos de consórcios. O consorciado assume, perante o grupo e a administradora, o compromisso de contribuir com valores previamente estabelecidos em contrato.

O consórcio de imóveis é representado pelas seguintes aquisições:

  • casas e apartamentos de todos os tipos e padrões;

  • salas, lojas e galpões comerciais ou industriais;

  • lotes e terrenos;

  • casa de férias, na praia ou no campo.

Nesse escopo, é oportuno salientar que o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) pode ser utilizado para dar lances, de acordo com as regras estabelecidas pela Caixa Econômica Federal (CEF), órgão que cuida das normas relativas ao FGTS. Trata-se de uma excelente alternativa para deixar a aquisição acessível, você não acha?

Como acontece a contemplação?

De acordo com as normas definidas, a cada período as administradoras fazem a entrega de um determinado número de cartas de crédito com valor correspondente ao bem ou serviço que os consorciados pretendem adquirir.

A entrega de uma carta de crédito é chamada de contemplação, e pode ocorrer de diferentes maneiras. Vamos conhecê-las.

Sorteios mensais

É a forma tradicional de se conseguir a contemplação. Caso o membro do grupo não tenha pressa em ter acesso ao crédito, ele pode esperar os sorteios mensais até ser contemplado.

Oferta de lances

Como vimos, os lances funcionam como um tipo de leilão, a diferença é que você não consegue visualizar a proposta de outro consorciado, apenas a sua. Nessa oportunidade, diferentes participantes podem oferecer valores, os quais correspondem à antecipação das parcelas do consórcio.

Dicas para ter uma boa experiência com o consórcio

Mantenha os pagamentos em dia

O primeiro ponto é manter os pagamentos do consórcio em dia. Apesar de ela não ajudar diretamente na antecipação, a prática evita que você seja excluído dos sorteios ou, até mesmo, o cancelamento da cota — geralmente, isso acontece após 2 parcelas em atraso.

Portanto, ao ingressar em um consórcio, tenha atenção ao orçamento e planeje-se para que todas as prestações sejam quitadas em dia. Também é importante manter sua vida e reserva financeira em ordem, sem restrições de crédito e com uma renda adequada para se comprometer com os pagamentos.

Assim, além de participar de todos os sorteios, você garante que não terá imprevistos na liberação da carta de crédito após ser contemplado.

Planeje-se para fazer lances

O sorteio é a forma mais conhecida de contemplação, mas isso ainda pode acontecer via lances. Nele, os cotistas fazem uma oferta de antecipação de parcelas para ter acesso à carta de crédito — aqui, também será necessário estar com o pagamento das parcelas em dia.

Para tanto, é preciso ter um controle financeiro e orçamento disponível para ofertar valores que permitam a contemplação. Afinal, você precisará superar os demais cotistas para ter acesso à carta de crédito antecipadamente.

Quer finalmente comprar seu imóvel? A Embracon está no mercado há mais de 30 anos e já se tornou referência no ramo. Faça sua simulação!

chat Eva