Conheça todos os tipos de moto

Conheça todos os tipos de moto

Por muito tempo a compra de uma moto ficou associada ao estilo aventureiro. Porém, com o passar dos anos, essa realidade mudou bastante.  

Com a configuração das metrópoles, por exemplo, elas passaram a ser utilizadas massivamente para o trabalho. Até mesmo a chegada recente da pandemia alterou para sempre a forma com que vemos as motos: aplicativos de entrega ou de passageiros têm nas motocicletas um de seus principais veículos, que acabam gerando empregos e atraindo milhares de pessoas interessadas em ter um novo modelo na garagem.

Independente do tipo de moto que deseja adquirir, é sempre importante ressaltar o cuidado em dirigir um modelo de duas rodas. Além da necessidade de se ter capacete e habilitação da categoria A, vale lembrar que as motos deixam os condutores mais vulneráveis do que outros tipos de automóveis. Por conta disso, todo cuidado é pouco ao pilotar um modelo de duas rodas.  

Ciente disso, vale a pena se aventurar com os diferentes modelos que têm surgido no mercado. E as pessoas têm percebido isso: segundo dados da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), mais de 500 mil modelos foram vendidos no Brasil somente no primeiro semestre de 2021, um aumento de 48% comparado ao mesmo período do ano anterior. Esse número só não foi maior porque faltam modelos de motocicleta nas concessionárias, de acordo com a Fenabrave.

O que justifica esse aquecimento do mercado é o crescimento exponencial do mercado de entregas: por conta da pandemia, as pessoas têm feito mais pedidos sem sair de casa, devido ao isolamento social. Essa tendência deve marcar as próximas gerações daqui em diante: afinal, o comércio eletrônico precisa de profissionais preparados para essas entregas, muitas delas realizadas de motocicleta.

Mas nem só o trabalho justifica o interesse por motocicletas. Com as pessoas voltando à vida social de forma presencial aos poucos (por conta do avanço do ritmo de vacinação), espera-se que mais consumidores comprem novos modelos, com objetivos distintos: viajar, passear, se aventurar, enfim, aproveitar o que a vida tem de melhor.  

Para cada tipo de objetivo, existe um tipo de moto adequado. A seguir, vamos apresentar quais são os tipos de moto e orientar a melhor forma para que você compre o seu próximo modelo de duas rodas.

Quais são os tipos de moto que existem?

A seguir, confira todos os tipos de moto que você pode considerar para a compra.

Big trail

Sabe aqueles modelos de moto que estão associados a estradas de terra e muita poeira? Pois bem, estes são os modelos big trail, grandes o suficiente para encarar os obstáculos físicos.  

O que também impressiona os modelos big trail é a tecnologia envolvida: elas são feitas para lidar com todo tipo de buraqueira e são versáteis o suficiente para atender diversos tipos de pilotos.

Alguns modelos de big trail parecem mais adaptados para o asfalto mesmo, mas ainda assim encaram sem dificuldades locais mais afastados. O modelo mais barato no mercado brasileiro é a Kawasaki Versys 650, que custa a partir de R$ 42.990. Embora seja um custo elevado para uma moto, as big trails atraem bastante as pessoas que costumam participar de algum tipo de competição ou dedicam parte de seu tempo para pegar algumas estradas de terra.

Trail

Funcionam como as big trial só que, como a própria nomenclatura dá a entender, costumam ser menores, com motores monocilíndricos e que acabam se apresentando como opção mais econômica para quem gosta de se aventurar.

As motos trail têm crescido bastante no Brasil - tanto que muitas delas costumam ser utilizadas até mesmo para trabalho com entregas, por exemplo. Por serem modelos mais econômicos, elas têm o equilíbrio suficiente para lidar com trajetos de asfalto e de terra.  

Suas principais características são o guidão largo e o curso da suspensão, que absorvem melhor os impactos durante o trajeto. Entre os modelos mais procurados, destaque para a Yamaha XTZ 150 Crosser e a Honda NXR 160 BROS.

Custom

Os modelos custom também agradam bastante quem curte fazer uma boa viagem sob um modelo de duas rodas. Porém, elas são mais voltadas para o asfalto mesmo.  

Como característica, costumam ter um espaço maior dedicado ao piloto e ao passageiro e proporcionam um grande conforto em todo o trajeto. Com pedaleiras saltadas para frente, os modelos custom possuem um tipo de banco baixo e a posição de pilotagem levemente inclinada para trás. Por conta de tudo isso, costuma ser o modelo favorito de diferentes motoclubes, que reúnem diversos pilotos que gostam de pegar a estrada em conjunto.  

E não é somente o piloto que se beneficia dos modelos custom. Muitos deles têm um encosto para a garupa, favorecendo o conforto em todos os momentos. A marca Harley-Davidson acaba sendo o modelo de comparação das motos custom, principalmente as mais robustas. Porém, no Brasil, um modelo que tem se popularizado bastante é a Vulcan S, da Kawasaki, que se tornou a mais vendida ao longo do ano 2020 em nosso mercado.

Esportivas

Assim como acontece com os automóveis, os modelos mais potentes de moto, e com design extremamente arrojado, são os esportivos. Seu modelo é totalmente aerodinâmico, o que favorece bastante atingir grandes velocidades. Muitos modelos esportivos, inclusive, são utilizados nos campeonatos.

Com o guidão adiantado, as motos desse tipo dão um aspecto mais agressivo, em que o piloto muitas vezes parece estar deitado no tanque de combustível. Isso é proposital, porque favorece a aerodinâmica.

As motos esportivas são ótimas para quem gosta daquele barulho de escapamento turbinado e de atingir grandes velocidades em um curto espaço de tempo. O modelo esportivo mais procurado pelos brasileiros é a Yamaha YZF-R3, que possui um preço considerado acessível dentro da categoria (a partir de R$ 27.690). Mas, se quiser uma moto esportiva com visual mais agressivo e com maior potência, pode apostar na famosa Kawasaki Ninja ZX ou até mesmo em uma BMW S1000 RR, com valor a partir de R$ 76.900.

Naked

São basicamente os modelos que não apresentam carenagem, ou seja, o conjunto de partes que reduzem o efeito do ar sobre o veículo.  

Os modelos naked foram bastante popularizados nos anos 1970 com o objetivo de proporcionar mais segurança aos pilotos diante de possíveis tombos.  

Por conta disso, as motos naked acabaram ficando mais estilizadas e foram percebidas como uma ótima forma de encarar o trajeto urbano. Com isso, muitas marcas aproveitaram para testar novas posições para faróis, espelhos e piscas, que podem até ser feitos de forma artesanal em determinados modelos. Alguns modelos de moto naked também têm os guidões mais altos, proporcionando melhor ergonomia na direção.

Scooters

Nas últimas décadas, as scooters ficaram bastante populares no Brasil, principalmente por conta de sua economia de combustível e por ter um design mais compacto.  

Elas foram feitas para o dia a dia, com o objetivo de facilitar pequenos trajetos urbanos. Por conta disso, não têm muita potência, sendo na maioria das vezes modelos com baixa cilindrada e com valor mais em conta. Outra vantagem das scooters é seu baixo valor de manutenção. Quem procura custo-benefício em uma moto, para trafegar em pequenos trajetos, pode investir em uma scooter: você não vai se arrepender!

Entre as mais vendidas, destaque para a Honda PCX, com motor de 150 cilindradas e que pode custar até R$ 11 mil, e a concorrente Yamaha NMax 160 ABS, com valor médio de até R$ 12 mil.

Street

Os modelos street são os mais utilizados no dia a dia. Basicamente, são os modelos encontrados para trafegar nos perímetros urbanos - tanto que se destacam como o tipo de moto que mais vende, principalmente após a pandemia, momento em o trabalho com entrega passou por um crescimento exponencial.

Leve e, ao mesmo tempo, resistente, as motos de modelo street são equilibradas o suficiente para lidar com altas quilometragens. Alguns modelos costumam ser mais robustos e potentes, como a Dafra Next 250 ou a clássica Honda CBR 300. Mas, se a ideia é ter uma economia de combustível e, ainda assim, boa performance, modelos de 150 cilindradas, como a Honda CG, ainda costumam ser bastante procurados por motoqueiros.

Touring

Quando se fala em motos para viajar, é preciso detalhar muito bem qual o objetivo da sua viagem. Se a ideia é pegar estradas esburacadas, as modelos trail e big trail são as mais recomendadas. Mas, se prefere dar um bom passeio pelas estradas, aproveitando as arrancadas em alta velocidade, bom, as motos esportivas cumprem muito bem esse papel, com design arrojado e uma potência acima da média quando comparada a outros modelos.

Mas, se a ideia é viajar com conforto, com boa autonomia de quilometragem, consumo relativamente baixo e que ande bem tanto nas estradas de terra quanto as de asfalto… Enfim, um modelo de moto muito equilibrado para enfrentar qualquer tipo de tempo e até mesmo carregar bagagens pesadas, então as motos touring são para você.

As motos touring são mais largas e pesadas que os outros modelos. Por conta disso, não se destacam por sua velocidade mas, sim, pelo conforto que proporciona ao piloto e ao passageiro, do início ao fim. Muitas delas possuem um pára-brisa mais elevado e o assento em uma posição bem mais confortável que os demais modelos.

Se a ideia é ter um modelo mais potente, você pode ir atrás das Sport Touring, que oferecem ainda mais conforto para os viajantes.  

Quem procura uma moto com bom tamanho de bagageiro pode conferir a Honda Gold Wing, que acomoda até 150 litros de bagagem - um tamanho bem expressivo para uma moto, diga-se de passagem.  

E, se tiver um valor a mais para investir em um modelo touring, vale a pena pesquisar sobre a Harley-Davidson Electra Glide, excelente opção para quem vai levar carona. Além de ter um encosto em couro, que deixa o passageiro em posição privilegiada, esta moto tem uma boa capacidade de carga, servindo como uma parceira para visitar diferentes locais, com um sistema de áudio de quatro falantes e plataforma que integra os pés e os intercomunicadores.

Off-road

Esse tipo de moto foi criado exclusivamente para a prática esportiva. Sua característica é a extrema robustez para lidar com barrancos e estradas de terra com diferentes tipos de obstáculos. Por conta disso, as suspensões são mais elevadas e as rodas são maiores e mais resistentes, justamente para lidar com a alta carga de impactos.

vale a pena investir em uma moto off-road se você realmente costuma participar de competições amadoras ou profissionais e tem tempo para se dedicar ao esporte. Por conta de toda essa estrutura, uma moto off-road pode custar bem mais que uma moto convencional. Aventureiros, porém, dirão que qualquer tipo de investimento em modelos desse tipo vale a pena, por conta de sua excelente performance.

Quais são as formas de se investir em uma nova moto?

Agora que você conhece os diferentes tipos de moto, muito provavelmente deve estar pensando: como fazer para comprar a minha próxima motocicleta?

Confira a seguir as formas de pagamento por uma moto:

  • À vista: você pode efetuar o pagamento à vista da sua moto. Para isso, é preciso ter o valor inteiro da motocicleta que deseja comprar. A grande vantagem é que você não estende a dívida e pode até mesmo obter um desconto na hora da compra. Porém, nem todo mundo consegue juntar um alto valor para a compra de uma motocicleta e, na ansiedade de ter um modelo na garagem o quanto antes, as pessoas que optam por comprar à vista podem priorizar modelos mais em conta, quando poderiam investir em uma moto que realmente atenda às suas necessidades.
  • Financiamento: uma forma bastante comum de comprar uma moto é por meio do financiamento. Para isso, é preciso a intermediação de uma instituição financeira, que exige um valor de entrada para efetuar esse tipo de transação - geralmente, 20% no mínimo para a entrada. A vantagem do financiamento é que você pode sair com o bem na hora. Porém, isso tem um preço caro: o alto valor de juros que é cobrado no valor a prazo. Por conta disso, você pode pagar um valor até duas vezes maior a prazo na compra de uma moto financiada, gerando um grande prejuízo em sua saúde financeira.
  • Consórcio: se você quer unir as maiores vantagens da compra à vista e o financiamento, então o consórcio é para você. Resumidamente, com o consórcio de moto você não precisa dar entrada, não paga juros e, quando é contemplado com o seu bem, tem poder de compra à vista, o que dá uma boa margem de negociação (afinal, com a compra à vista, é possível ter um desconto no momento da compra). Embora você não saia com o bem na hora que assina um contrato com a administradora, com o consórcio o valor a prazo sai bem mais em conta - diferentemente do que acontece com o financiamento.

Como fazer um consórcio de moto

Como já introduzimos, o consórcio é a melhor forma de investir em um bem de alto valor porque não exige valor de entrada e nem faz cobrança de juros. Ou seja, você não precisa ter o dinheiro na hora de assinar um contrato de consórcio.

Mas, como se beneficiar desse tipo de compra e dar início à aquisição da moto que realmente deseja?

Bom, trata-se de um procedimento bem simples. Com o passo a passo que traremos, você pode finalmente realizar o sonho de ter a moto que sempre quis.

A primeira coisa a se fazer é entender que tipo de moto deseja comprar e o valor médio para sua compra. Você não precisa saber o valor exato da moto, nem mesmo o modelo. Só de ter uma projeção, já é possível seguir com o processo de simulação.

Para isso, é preciso escolher uma administradora de consórcio que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para operar. É possível verificar a lista das administradoras autorizadas. Somente elas têm a garantia de que as cartas de crédito serão devidamente entregues, respeitando todo o processo para que você possa comprar o seu bem. A Embracon, por exemplo, tem mais de 30 anos de história trabalhando com consórcio e se apresenta como uma das melhores opções para a aquisição do seu próximo bem.

Depois disso, basta selecionar o consórcio de moto e seguir com o processo de simulação. A primeira informação solicitada é o valor de carta de crédito, que corresponde ao valor a prazo da sua moto. Em seguida, basta selecionar a quantidade de parcelas que deseja dividir este valor.

O simulador é um meio dinâmico de entender o valor da sua mensalidade. Além de efetuar a divisão da carta de crédito pela quantidade de mensalidades, já entrega o valor das parcelas com o acréscimo das taxas de consórcio, como taxa de administração, que remunera a empresa de consórcio por todos os serviços realizados, e o fundo de reserva, que se apresenta como garantia ante possível inadimplência dos consorciados.

Durante o processo de simulação, basta inserir as informações pessoais, para que um especialista de consórcio entre em contato, tire todas as suas dúvidas e entregue o contrato de adesão. Caso tenha interesse em um valor maior de carta de crédito, é possível adquirir mais de uma cota de consórcio. Porém, a soma dos valores de todas as cotas (ou de uma única cota) não podem ultrapassar 30% dos seus rendimentos mensais. Essa medida é adotada por todas as administradoras, para evitar qualquer risco de inadimplência.

Como funciona a contemplação

Depois disso, a administradora insere o consorciado em um grupo, que reúne outras pessoas interessadas em um bem parecido com o seu.  

Nos grupos são realizadas as assembleias, onde acontecem as contemplações.

É possível ser contemplado com a carta de crédito para moto de duas formas:

  • Sorteios: é a forma mais comum de ser contemplado. Por esse sistema, a administradora utiliza o padrão da Loteria Federal.
  • Oferta de lances: se você deseja ter acesso à sua carta de crédito de forma antecipada, a melhor forma é se preparar com a oferta de um lance, que é um valor a mais que cada um pode tentar nas assembleias. Para ofertar o lance, é preciso registrar o valor na Área de Clientes. Se o seu valor for o maior da assembleia, você é contemplado e pode prosseguir para a análise de crédito.

Independente da forma de contemplação, é preciso passar pela análise de crédito, momento em que a administradora verifica suas informações pessoais e solicita comprovação de renda.  

Caso seja reprovado, é preciso passar pelo processo de contemplação novamente (seja sorteio ou lance).  

Após ser aprovado na análise, o próximo passo é indicar a concessionária ou proprietário da moto que deseja comprar. Assim, a administradora pode efetuar a transferência do valor da carta de crédito para a compra da moto - lembrando que, dessa forma, você tem poder de compra à vista, o que permite uma excelente margem de negociação.  

E aí, já sabe qual moto vai comprar com o consórcio? Faça agora mesmo uma simulação e invista em um tipo de moto que atenda às suas necessidades, pagando por um valor a prazo mais justo e sem prejudicar seu orçamento mensal.

Simulação
chat Eva