Vantagens de morar sozinho e por onde começar

Vantagens de morar sozinho e por onde começar

À medida que mais e mais pessoas ao redor do mundo optam por morar sozinhas, saber se planejar para morar sozinha se tornou um requisito essencial.

Se você está procurando respostas sobre como planejar morar sozinho e se tornar independente o mais rápido possível, temos boas notícias: você veio ao lugar certo!

Para facilitar essa jornada, preparamos um guia com dicas valiosas sobre planejamento financeiro, controle de gastos e preparação para sua mudança.

Quer saber mais? Então leia até o final e descubra que conquistar sua independência é possível!

Mas antes, entenda as vantagens de morar sozinho

É muito bom escolher um cantinho só seu. Você poderá aproveitar a vida cotidiana de diferentes maneiras e desfrutar de múltiplas vantagens em sua vida diária.

Quem muda, garante: foi uma decisão benéfica. Portanto, concentre-se nos principais pontos positivos!

Maior privacidade e liberdade

Morar sozinho significa mais liberdade para fazer o que quiser, como e quando quiser. Quer guardar a sua louça para lavar mais tarde? Tudo bem! Quer ouvir uma música (respeitando seus vizinhos)? Vá fundo! Você vai para casa mais tarde? Você não precisa dar satisfações.

É uma forma de tirar o máximo proveito do seu dia a dia sem muitas explicações - faz parte do crescimento.

Melhor nível de autoconhecimento

Quando você está sozinho em sua casa (ou apartamento), seu principal empreendimento é você mesmo. No processo, você pode descobrir algo sobre si mesmo. Afinal, você pode colocar sua personalidade em prática, experimentar, errar e fazer certo.

Isso é bom para desenvolver a autoconsciência e até novas habilidades, como o equilíbrio emocional. Quem sabe isso ainda te ajude a encontrar um emprego!

Desenvolvimento da independência

Além disso, morar sozinho traz mais independência. Afinal, as coisas só podem ser feitas com responsabilidade, certo?

Você aprenderá a gostar da sua companhia, criará uma rotina que se adeque às suas necessidades e aprenderá a obter os melhores resultados.

Depois de algumas semanas, você pode ter certeza de que será mais independente — e isso é bom.

Dicas financeiras para morar sozinho

1. Quite as dívidas e forme uma reserva de emergência

Comece a planejar morar sozinho somente depois de pagar suas dívidas e construir um fundo de emergência. Afinal, você não quer usar parte de sua renda para pagar todas as suas contas, sem falar no risco de assumir mais dívidas devido a circunstâncias imprevistas.

As reservas financeiras devem ser suficientes para cobrir as despesas fixas por 6 a 12 meses para que você possa se virar com tranquilidade. Se você ainda não tem esse dinheiro, é melhor investir alguns meses a mais para economizar do que incorrer em despesas altas sem garantias.

2. Planeje seu orçamento de acordo com sua renda

Depois de listar suas despesas fixas, você já tem a base para planejar um orçamento com base em sua renda mensal.

Você pode usar diferentes métodos de composição de orçamento, como:

  • 50-30-20: 50% para gastos essenciais, 30% para momentos de lazer e desejos pessoais e 20% para prioridades financeiras (como financiamentos e investimentos)

  • 60-20-10-10: 60% para gastos essenciais, 20% para prioridades financeiras, 10% para investir e 10% para lazer e outros gastos supérfluos

Além disso, os especialistas financeiros costumam recomendar que você não gaste mais de 50% de sua renda em despesas fixas ou 30% em aluguel. Mas todas essas porcentagens são apenas para referência, pois somente você pode determinar qual é o saldo ideal da sua conta e quais são suas prioridades.

Para fazer isso, considere o valor líquido de seu salário ou renda líquida (excluindo impostos, taxas e outros descontos) e calcule qual porcentagem de sua renda será usada para despesas básicas.

Com esse resultado, você pode decidir como alocar o orçamento restante entre gastos variáveis, investimento, cultura, educação e lazer.

Lembre-se, sim, você pode morar sozinho com muito pouco dinheiro, desde que aceite uma vida mais simples, tenha uma renda estável e consiga aplicar essas regras financeiras.

3. Não tenha pressa para decorar seu lar

Depois de organizar suas finanças, planejar seu orçamento e escolher um novo endereço, você está pronto para começar. Neste momento, é importante conter a empolgação e não sair para comprar todos os móveis e decorações dos seus sonhos de uma só vez. Se isso acontecer, você já começou uma nova vida com dívidas de cartão de crédito.

No início, é importante ter itens essenciais como geladeira, mesa, cama, fogão, máquina de lavar e micro-ondas. Os itens mais caros como sofás, poltronas, estantes, tapetes, luminárias e decorações podem ser comprados aos poucos, sempre dentro do seu orçamento planejado.

Para economizar no começo, você pode abrir uma casa com amigos para ganhar alguns itens básicos, pesquisar brechós, participar de chats e destacamentos do Facebook.

Outra dica é decorar a casa com móveis de brechó, artesanato e muitas ideias, faça você mesmo e por pouquíssimo dinheiro!

4. Prepare-se para um novo estilo de vida ao morar sozinho

Agora você sabe como planejar morar sozinho no sentido prático, mas também precisa se preparar mentalmente. Afinal, ter seu próprio espaço e pagar suas contas é um grande passo, e se encaixar pode ser difícil nos primeiros meses.

Claro que os benefícios de morar sozinho são muitos: privacidade, autonomia para fazer o que quiser, liberdade para administrar suas escolhas e seu dinheiro, e outros benefícios que só a independência pode trazer.

Mas, enquanto isso, você terá que largar alguns hábitos para economizar dinheiro, tornar-se mais responsável e consertar tudo no dia a dia – de torneiras quebradas a reclamações dos vizinhos – faz parte do crescimento.

E se você tem interesse em investir em algo seu, como seu próprio apartamento. Pode começar investindo em um consórcio de imóveis, que assim você já sai da casa dos pais com o próprio patrimônio.

Simulação
chat Eva