Faça o seu fundo de emergência (reserva)

Faça o seu fundo de emergência (reserva)

Você sabia que mais da metade dos brasileiros não tem uma reserva de emergência? Os dados são da Anbima, Associação Brasileira dos Mercados Financeiro e de Capitais.  

O estabelecimento dessa reserva de emergência é uma das diferenças entre investidores experientes e novatos, e isso não é acidental. No entanto, é preciso enfatizar que uma reserva de emergência ou fundo de reserva é fundamental para todos, pois não podemos prever o futuro.  

Em 2020 e 2021, com o coronavírus, o cenário futuro é de incertezas e preocupações absolutas, atinge os bolsos em todo o mundo e afeta o consumo de forma inédita.

Nesse caso, as pessoas com reservas financeiras podem superar a fase negativa com mais facilidade do que as pessoas que não costumam economizar. Sem falar que a economia que o brasileiro conhece está longe de ser um bom investimento.

Diante da necessidade de ganhar dinheiro e agir da maneira certa, preparamos um guia completo para você aprender a criar um fundo financeiro de emergência.

O que é o fundo de emergência?  

O fundo de emergência é uma quantia reservada para emergências e eventos imprevistos (como problemas de saúde, demissões e renda abaixo do esperado).  

Esse fundo também é chamado de reserva de emergência ou reserva financeira e pode ser interpretado como a quantia de dinheiro necessária para ajudá-lo em momentos difíceis ou inesperados. Afinal, como diz o ditado popular, é melhor prevenir do que remediar, não é?

Por que precisamos de reservas de emergência?  

Na maioria das vezes, a cultura brasileira é de consumo instantâneo e não se preocupa muito em estabelecer reservas de emergência.  

Conforme mencionamos no início do texto, a Anbima constatou que 52% das pessoas não tinham valor separado para imprevistos. O fato é que muitas pessoas preferem priorizar o presente e comprar o que desejam, em vez de se preocupar com o futuro.  

Essa tendência de despreparo para o que pode acontecer é mais pronunciada entre os jovens e as mulheres. Portanto, para não fazer parte dessa estatística, você precisa entender porque possuir uma reserva de emergência. O primeiro é evitar dívidas e empréstimos.

Pode parecer difícil montar este fundo de emergência no início, mas aos poucos você vai conseguir chegar ao valor desejado e se sentir mais à vontade em caso de surpresas.  

Nunca sabemos o que vai acontecer no futuro, certo? Portanto, uma preservação para imprevistos é essencial. Ao adotar uma abordagem mais preventiva para isso, podemos evitar muitos problemas que podem levar anos para serem resolvidos se forem ignorados.  

Outro detalhe é que essas economias precisam ter metas fixas, pois essas metas podem nos ajudar a manter o foco. Portanto, podemos evitar melhor a tentação da vida, em vez de destruir nossos planos financeiros, especialmente em termos de fundo de emergência.

Tipos de fundo de emergência

O fundo de emergência é muito mais do que simplesmente cobrir acidentes ou as chamadas “ocorrências de emergência”. Cada reserva cobre 4 fatores-chave de financiamento pessoal, veja abaixo:

Emergências

Ninguém está imune de ter que enfrentar imprevistos em algum momento de suas vidas. Qualquer emergência envolve custos, mais ou menos, você deve ter dinheiro na hora, para não depender dos outros.

Proteção de dívida

Se você tiver uma emergência ou necessidade, pode usar suas reservas em algum momento. Desta forma, você pode evitar dívidas todo o mês e evitar juros de cartão de crédito e cheque especial.

Desenvolva seu patrimônio

Os fundos de emergência lhe dão a oportunidade de investir. É possível obter renda do valor do investimento em 1 mês.

Estabilidade e calma emocional

Mais importante do que os outros fatores acima é não se preocupar com a paz de espírito que o dinheiro traz.

Quanto devo guardar em um fundo de emergência?

De modo geral, recomenda-se que o fundo de emergência seja equivalente ao orçamento utilizado para custear as despesas mensais de sua família por no mínimo 6 meses, até 12, dependendo da estabilidade do seu emprego.  

Quanto mais estável for sua situação, menos meses será feita para o fundo. Para fazer esse cálculo, você precisa saber seu custo de vida mensal, ou seja, quanto você e sua família precisam para viver no padrão de vida atual. Em seguida, basta multiplicar pelo número de meses que você deseja cobrir em uma situação de emergência ou desemprego.

Portanto, quanto mais seguro for o seu trabalho, menos você precisa se preocupar. Por outro lado, se você é um contratante sem garantia de renda, deve reservar mais, pois o risco também é maior.

Onde investir no meu fundo de emergência?

Um fator extremamente importante é que a liquidez do seu investimento deve ser instantânea, ou seja, você deve poder sacar os fundos com necessidade quando necessário, às vezes “imprevisível”.  

Portanto, vamos mostrar algumas boas opções para economizar fundos de emergência.

Tesouro Selic

Os títulos diretos do Tesouro são um dos investimentos mais seguros do mercado porque são garantidos pelo próprio Tesouro. Esta é uma das razões pelas quais são um dos investimentos financeiros mais adequados para novos investidores.  

O Ministério das Finanças emite diretamente vários tipos de obrigações com o objetivo de angariar fundos e pagar os juros do empréstimo a credores (investidores que compram títulos).  

Além do baixo risco, a liquidez quase instantânea, como a do Tesouro Selic, atrai muitos investidores em busca de melhor retorno do que poupança, mas, ao mesmo tempo, podem precisar alterar o valor no curto prazo.

CDB de liquidez diária

Os Certificados de Depósito Bancário fazem parte da renda fixa de baixo risco aos investidores. Portanto, é uma opção para quem deseja formar uma reserva de emergência.

São títulos privados emitidos por instituições financeiras. Basicamente, esse tipo existe para permitir que os bancos levantem fundos. Portanto, quando você investe em CDB, está emprestando dinheiro às instituições.  

Em troca, você receberá os juros acordados quando você comprou o título. Esse investimento faz parte da chamada renda fixa. Portanto, é uma aplicação mais conservadora. No entanto, ainda se aplica a todos os perfis de investidor porque pode ser usado para vários fins. Essa função pode ser adquirida por pessoas físicas e jurídicas e é protegida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Como fazer uma reserva de emergência?

Criar uma reserva é relativamente simples. Você pode fazer isso com cautela. Mas você deve prestar atenção a alguns detalhes para acumular um valor significativo, o que é muito útil. Veja como fazer um fundo de emergência e definir o valor certo para o seu orçamento.

Orçamento organizacional

É difícil mensurar o valor dos gastos imprevistos, certo? No entanto, seu orçamento precisa ser o mais organizado e previsível possível.  

A partir da organização de suas fontes de receitas e despesas, você pode estimar o fundo de emergência e planejar sua integração.  

Em outras palavras, você precisa colocar todos os recibos no final do lápis: extras, retiradas, melhor, benefícios, etc. Em seguida, liste todas as despesas diárias, como alimentação, moradia, transporte, educação e saúde.  

Agora que você definiu um orçamento e conhece o impacto de cada conta em sua situação financeira. Somente usando esses valores você pode estimar quanto você pode economizar a cada mês para formar suas reservas financeiras.

Fundo de emergência estimado

Nesta etapa, você definirá o valor que se espera reter. Essa é uma conta que pode levar em consideração fatores, como valor total, cobertura e prazo de constituição do fundo.  

Em outras palavras, estabeleça uma meta para as reservas financeiras e por quanto tempo deseja construir. Por exemplo: uma pessoa deseja um fundo emergencial equivalente a R$6.000. Seu papel será garantir a capacidade de atender às despesas inesperadas de famílias, casas e carros. A meta é formar reservas em 12 meses.

Economia mensal

Para pagar despesas imprevistas, você não precisa sacrificar seu orçamento atual.  

É por isso que o planejamento é muito importante para o estabelecimento de reservas de emergência.  

De acordo com seu orçamento e estimativa de fundos, dívida o valor total em parcelas mensais que cabem no seu bolso. Seguindo o mesmo exemplo de antes, o produtor da reserva deve economizar 500 reais por mês em 1 ano para chegar ao fundo de 6.000 reais.

Disciplina

Estabelecer reservas de emergência é uma tarefa que leva o tempo, e o mais importante é uma disciplina. Se você não está comprometido com tudo isso, é inútil ter um plano perfeito, um orçamento completo e metas claras.  

Portanto, a disciplina deve ser observada todos os dias. Lembre-se de que mudar ou criar hábitos não é imediato, você precisa ser consistente.  

Diante do primeiro obstáculo ou sacrifício que você deve fazer, tente não desistir. Concentre-se nos seus objetivos e saiba que as reservas podem ajudá-lo de várias maneiras. No futuro, as disciplinas desenvolvidas ajudarão a construir uma boa carteira de investimentos.

Quanto maior sua reserva, mais tranquilidade você terá na hora de enfrentar os imprevistos. Menos custos e, claro, menos dívidas.

Você também pode investir seu fundo de emergência em um consórcio, a fim de adquirir propriedades e outros bens e serviços e aumentar o seu patrimônio, gerando mais capital financeiro para o futuro. Consulte a Embracon, administradora de consórcios e saiba tudo.

Simulação
chat Eva