Conheça o consórcio de carro usado

Conheça o consórcio de carro usado

Durante muitos anos, a compra de um carro se tornou uma das maiores realizações de sonho dos brasileiros. E o consórcio tem um papel muito importante nessa conquista: em tempos de difícil concessão ao crédito, o consórcio permitiu que milhares de pessoas conseguissem comprar o modelo dos sonhos com uma modalidade de compra inovadora.

Enquanto as instituições financeiras dificultavam o acesso ao crédito, funcionários do Banco do Brasil se reuniram nos anos 1960 para criar o primeiro consórcio do mundo. Para isso, juntaram pessoas interessadas na compra de um carro e criaram um fundo comum. Para determinar quem teria o carro, mensalmente eles faziam um sorteio, e a contribuição de todos permitia que, a cada mês, um deles fosse contemplado com o dinheiro necessário para a compra do veículo.

O segmento tornou-se tão interessante, que centenas de concessionárias e bancos passaram a trabalhar com a modalidade. Com o passar dos anos, o setor foi regulado e milhares de pessoas puderam realizar o sonho de comprar o tão querido carro popular.

Só que, à medida que o consórcio facilitava a vida das pessoas em busca de ter o primeiro veículo particular, o segmento automotivo passou por diversas mudanças.

De início, o carro zero km era o mais cobiçado. Com a oferta cada vez maior de veículos no mercado, as concessionárias viram como oportunidade colocar à venda carros que já foram utilizados por outras pessoas. E, o que antes era uma forma de permitir com que mais pessoas tivessem acesso ao seu veículo, logo se tornou um segmento à parte.

Isso significa que as pessoas não têm interesse exclusivo na compra de um modelo zero km quando pensam em um carro.

Com o amadurecimento do setor, existe um mercado ainda mais complexo quando se fala de carros usados. Existem os modelos mais antigos, com mais de 30 ou 40 anos de idade, que podem precisar de mais idas ao mecânico para seu funcionamento regular. E existem modelos que estão bem próximos dos zero km, que são os chamados seminovos. Geralmente, eles têm até cinco anos de uso e têm um preço bem mais em conta do que os seus modelos equivalentes zero km.

Para se ter uma ideia, o seminovo tornou-se preferência nacional. Uma pesquisa realizada pela plataforma de compra e venda de veículos Webmotors realizada com consumidores entre 18 e 24 anos revelou que 90% deles preferem comprar um veículo usado do que um zero km. O motivo: preço mais acessível e a possibilidade de comprar um modelo seminovo mais luxuoso com o dinheiro de um carro novo.

De fato, não são apenas os jovens que são interessados em comprar modelos desse tipo. Nos últimos anos, as concessionárias trabalharam mais com a venda de carros usados do que modelos zero km. Claro que existem muitas variáveis nisso: com a crise dos microchips, os modelos zero km ficaram mais caros, com um aumento no preço médio de mais de 25%. Por outro lado, os modelos seminovos, por conta da alta procura, também tiveram elevação de preço.

Soma-se a esse fato passarmos por uma pandemia de magnitude global, como a Covid-19, que fez com que mais pessoas voltassem seus interesses para a compra de um veículo particular, em busca de liberdade de locomoção por conta da necessidade de isolamento social.

Mas, será que vale a pena mesmo investir em um carro usado? A seguir, vamos apresentar as principais vantagens de um seminovo e explicar como o consórcio pode ajudar nessa aquisição.

Principais vantagens de um carro seminovo

Existem vários motivos para que as pessoas considerem um modelo usado na hora de comprar um carro. A seguir, vamos apresentar os principais deles.

Valor mais atrativo

Sim, o preço é um aspecto de extrema importância na hora de comprar um carro. Um carro zero km acaba ficando mais caro por nunca ter sido utilizado.

Aliás, ao colocar na balança, muitas pessoas dão preferência para o carro usado porque têm condições de comprar um modelo mais luxuoso e potente com o dinheiro de comprar um carro popular direto da concessionária, por exemplo.

É importante lembrar que, só de sair da concessionária, um carro zero km costuma perder pelo menos 10% de seu valor total.

Sem ter que lidar com isso, o preço de um carro usado acaba sendo mais atrativo.

Acesso a veículos mais completos

Como já explicamos, o sucesso do mercado automotivo fez com que centenas de modelos diferentes pudessem ser produzidos anualmente. A oferta é tão grande, que o consumidor nem precisa se preocupar em ter um carro zero km na sua garagem.

Por que investir em um carro zero km de, por exemplo, R$ 50 mil, se com este dinheiro você tem condições de comprar um seminovo com mais opções - como banco de couro, ar-condicionado e maior potência?

Por mais que os veículos zero km possam ser customizados na hora da compra (com os famosos ‘opcionais’), a gigantesca oferta de modelos seminovos permite encontrar tudo o que você precisa em um modelo que já teve outro dono.

Melhor capacidade de negociação

Com a grande oferta de carros usados, diversas revendedoras, plataformas e até mesmo proprietários de veículos podem oferecer condições vantajosas para a sua compra.

O próprio consórcio é uma ótima forma de comprar o seu carro usado. Com o dinheiro da carta de crédito, que possui poder de compra à vista, você pode obter um desconto significativo, tendo uma economia ainda maior (iremos explicar adiante como funciona o consórcio de veículos, continue a leitura).

Economia com documentação

Quem já teve a experiência de comprar um veículo zero km sabe muito bem que precisa lidar com alguns custos, como emplacamento e criação dos documentos.

Quando se compra um carro usado, você não precisa se preocupar tanto com isso. Na verdade, você tem uma economia de mais de 80% com documentação com a aquisição de um carro usado ou seminovo.

Mais economia na revenda

Com a compra de um usado, você não precisa ter que lidar com a perda dos 10% do valor total só de tirá-lo da concessionária.

Dessa forma, você consegue não só vender de forma mais rápida o seu veículo, como consegue fazer a transação por um valor mais competitivo. Isso significa que a diferença do valor utilizado para a compra de um seminovo e o valor em que irá vendê-lo é bem menor do que comparado a um carro zero km.

Se a ideia é passar um período curto com o veículo, certamente o seminovo se apresenta como melhor opção.

Retirada rápida

Dependendo do caso, é preciso esperar dias ou até meses para receber o seu veículo zero km - principalmente quando se paga para ter opcionais no carro, que não vêm com o modelo originalmente.

A partir do momento que se tem o dinheiro em mãos, você pode realizar a compra do seu seminovo e sair com ele de imediato.

Opção ideal para motoristas iniciantes

Se você vai investir na compra do seu primeiro carro, especialistas recomendam a compra de um modelo usado. Dessa forma, você não terá altos custos por conta de pequenos deslizes no volante, riscos inevitáveis ou até mesmo algumas batidas que possam acontecer no dia a dia.

O custo de manutenção costuma ser menor do que carros mais novos. E, além disso, você pode ‘treinar’ para, futuramente, comprar um carro mais potente e confortável, que atenda às suas necessidades - sem correr o risco de cometer pequenos erros.

Cuidados para quem vai comprar um carro usado

Por mais que a compra de um carro seminovo tenha muitas vantagens, é preciso tomar algumas precauções antes de realizar esse tipo de compra.

A seguir, vamos elencar as principais.

Conte com um especialista na hora da compra

Pode ser que você se depare com um carro usado e acredite que esteja em excelentes condições. Porém, somente um especialista na parte mecânica e estética do carro pode encontrar alguns problemas imperceptíveis.

Com a ajuda de um mecânico, é possível entender se o modelo está com o ronco do motor nos conformes e se a lataria está em boa qualidade. Ele consegue avaliar de ponta a ponta o modelo desejado, ajudando-o a ter uma experiência de compra positiva.

Consulte a tabela Fipe

A tabela Fipe é uma ótima forma de identificar que modelo você pode comprar.

Com ela, tem-se uma base do valor dos modelos separados por ano de fabricação.

A tabela serve não só como base comparativa, mas até mesmo para identificar se o local em que você considera comprar o carro está utilizando como base um valor justo.

O melhor é que a tabela Fipe traz detalhes de todos os tipos de modelo. Assim, você consegue identificar se o seminovo que você realmente deseja comprar tem ou não um preço compatível com seu orçamento mensal.

Pesquise o local de compra

É importante pesquisar com antecedência o local em que deseja comprar o seu carro usado. Veja as avaliações na internet ou procure por pessoas que já compraram na revendedora, para saber se tem credibilidade, é transparente em todo o processo e oferece as garantias necessárias para o consumidor.

Avaliações e comentários em redes sociais podem ser um bom caminho. Entre também em plataformas como Reclame Aqui, para ver quais são as reclamações associadas ao estabelecimento.

A pesquisa prévia é importante, para que não caia na tentação de seguir uma oferta que se apresenta como boa - mas, no fim, pode trazer um prejuízo por conta da má-fé do local.

Peça o laudo cautelar

A compra de um carro usado é bem cautelosa. Para isso, o laudo cautelar é importante, porque indica a situação de partes estruturais do carro, incluindo mecânica, chassis, motor e até mesmo autenticidade da documentação e da placa do veículo.

Em casos de sinistros, ou seja, batidas mais fortes, o laudo também faz a identificação.

Vale lembrar que o custo da perícia deve ser pago pelo vendedor, e não pelo consumidor.

Faça o test-drive

O test-drive ajuda em muitos sentidos na sua compra. Além de entender se o veículo está nas condições ideais para o seu conforto, permite perceber se a partida do motor ocorre com facilidade e a situação do câmbio. Caso ele seja muito duro, desconfie.

Nos casos de compra de um carro de câmbio manual, é recomendado fazer o famoso teste de rampa, que avalia o comportamento da embreagem em subidas. Veja se a suspensão não apresenta barulhos estranhos ao passar por lombadas ou demais obstáculos.

Para avaliar o alinhamento do carro, pilote em linha reta e solte o volante por alguns segundos, para ver se o veículo não inclina para o lado. Se puder, conte com a ajuda de um mecânico neste momento, para ver se o veículo realmente está com boa qualidade de venda.

Como funciona o consórcio para carro usado

Desde que foi criado, o consórcio ajuda milhões de pessoas a realizarem o sonho de investir no seu carro. Da mesma forma em que é possível comprar um modelo zero km através da modalidade, o consumidor também tem a opção de comprar um modelo seminovo - desde que não tenha mais de cinco anos de utilização.

O consórcio é uma forma de compra parcelada. Só que, diferente do financiamento, não exige valor de entrada e nem cobra juros nas mensalidades.

Por se tratar de um autofinanciamento, o consorciado não sai com o carro na hora que fecha o contrato com a administradora, responsável por todo o procedimento do consórcio. Ele entra em um grupo, que reúne outros consorciados que também têm interesse na compra de um veículo, e precisa participar das assembleias mensais, que definem os contemplados.

Ao ser contemplado com a carta de crédito, você finalmente pode utilizar o valor para a compra do seu carro usado.

Para que você consiga realizar o procedimento do começo ao fim, traremos um passo a passo para você realizar o consórcio e comprar o seu carro usado.

Passo a passo para o consórcio de veículos

Para que possa realizar o consórcio de carros, o primeiro passo é fazer a simulação. Não precisa ter o valor final certinho para isso; basta ter uma projeção do quanto seria necessário para a compra do carro que deseja. Ao ser contemplado, não precisa utilizar o valor inteiro da carta de crédito e, mesmo que o bem tenha um valor maior que o previsto, você pode completar a compra com os seus próprios recursos.

Antes de tudo, selecione uma administradora que tenha autorização do Banco Central do Brasil (Bacen) para seu funcionamento - como a Embracon, administradora independente com mais de 30 anos de credibilidade ajudando milhares de brasileiros a realizarem seus sonhos por meio do consórcio.

Então, selecione o consórcio de automóveis e insira o valor de carta de crédito, que é o equivalente para a compra do carro. Ao definir a quantidade de mensalidades, o simulador já retorna o quanto você teria que pagar mensalmente, com acréscimo das taxas de consórcio.

No consórcio, o consumidor precisa pagar a taxa de administração nas parcelas, que remunera a administradora por todos os serviços realizados, e o valor de fundo de reserva, que serve como garantia para os grupos caso um ou mais integrantes deixem de pagar sua mensalidade.

É possível simular a compra do carro quantas vezes for necessário. Ao fornecer os seus dados pessoais, um consultor de consórcio entra em contato, para tirar todas as suas dúvidas sobre a modalidade e entregar o contrato de adesão

É preciso estar com o pagamento em dia do seu consórcio para participar das assembleias. O valor das mensalidades é destinado ao fundo comum dos grupos, que realizam as contemplações. Por isso mesmo, quando um ou mais consorciados deixam de pagar suas mensalidades, podem colocar os demais integrantes em risco. Para evitar que isso aconteça, as administradoras fazem a cobrança do fundo de reserva, a fim de cobrir tais despesas.

Todos os consorciados que se comprometem com as mensalidades podem ser sorteados nas assembleias. Isso pode acontecer tanto nos primeiros meses de pagamento da sua cota, como nos últimos. Nenhuma administradora pode prometer quando o consorciado será contemplado; trata-se de uma regra estipulada pelo Bacen, que regula o setor.

Mas, fique tranquilo: ao pagar o seu consórcio, é certeza que você será contemplado até o término do pagamento da sua cota.

Por isso mesmo, o consórcio se destaca como uma modalidade voltada para quem quer planejar a sua compra. O consumidor economiza muito mais a longo prazo, porque não precisa pagar os juros e nem mesmo se comprometer com valor de entrada.

Independente da forma de contemplação, todos os consorciados devem passar pela análise de crédito, momento em que a administradora verifica os dados pessoais do contemplado, sua situação nos órgãos de proteção ao crédito (como SPC e Serasa) ou até mesmo a necessidade de indicação de um devedor solidário, que compartilha a responsabilidade da dívida do consórcio.

Vale lembrar que, ao ser contemplado, é preciso continuar o pagamento do consórcio. Afinal, seu valor será destinado ao fundo comum, possibilitando aos demais membros do seu grupo ter acesso à carta de crédito.

Após passar pela análise, você finalmente tem acesso à sua carta de crédito, que dá poder de compra à vista para o seu carro usado - contanto que tenha, no máximo, cinco anos de utilização. Pesquise com calma as melhores ofertas e aproveite para negociar a compra. É possível ter um desconto de até 10% no valor total com o pagamento à vista.

Viu como é fácil investir em um carro usado pelo consórcio? Faça uma simulação de compra do seu automóvel e economize a longo prazo no seu próximo modelo.

chat Eva