Saia do vermelho no final do mês

Saia do vermelho no final do mês

Já aconteceu de você se programar ao longo de todo o seu mês os seus gastos para, no fim, ver que não sobrou praticamente nada para conseguir guardar?

Infelizmente, essa é uma situação mais recorrente do que deveria na vida do brasileiro. Segundo pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), cerca de 73% da população brasileira é vista como altamente endividada. Para se ter uma ideia, um em cada quatro brasileiros tem dificuldade de pagar as suas dívidas no prazo.

O alto endividamento é um vilão natural da saúde financeira das pessoas. Mas, será que é possível reverter a situação e, finalmente, sair do vermelho?

A seguir, vamos mostrar um passo a passo para que você saia do vermelho e consiga fazer um bom proveito do seu dinheiro.

Monte o seu planejamento financeiro

O primeiro passo para conseguir sair do vermelho é entender todos os seus gastos.

Você pode fazer isso com a ajuda de uma planilha ou de um aplicativo específico para organização das finanças pessoais.

Independente da forma que selecionar, o importante é ter uma listagem de todos os seus gastos e saber o quanto se ganha por mês.

Quanto mais detalhada for a sua planilha ou app, melhor. Dessa forma, você consegue saber quanto cada categoria de gasto realmente consome dos seus rendimentos mensais e pode estabelecer um plano de ação para diminuir os seus gastos.

Saiba identificar os gastos que podem ser cortados

A partir do momento que você consegue entender quais são os seus verdadeiros gastos, o próximo passo é entender o que pode ser cortado ou reduzido ao máximo.

Por exemplo, se você utiliza TV a cabo ou paga por algum plano pós-pago de celular, pode começar a reduzir por aí. Se for necessário, reveja até mesmo seus hábitos diários. Se você costuma sair para tomar um café ou almoçar fora todos os dias, por que não introduzir o hábito de comer em casa ou até mesmo levar marmita para o seu trabalho? Isso pode gerar uma economia considerável no seu dia a dia.

Veja se as compras de casa realmente atendam às suas necessidades e, se for o caso, diminua o que conseguir. Para isso, envolva toda a família, para que todos compartilhem a responsabilidade de enxugar os gastos e, assim, conseguir sair do vermelho.

Tem dívidas? Priorize o pagamento delas

Como já ficou claro, o brasileiro tem muitos problemas com dívidas. Se este for o seu caso, vale a pena negociar o pagamento de todas elas, para que finalmente consiga juntar dinheiro.

Os especialistas em finanças pessoais recomendam priorizar as dívidas porque o atraso de cada uma delas gera um alto valor de juros.

É possível negociar em feirões específicos, que podem gerar um bom desconto para os devedores. Quando negociar uma dívida, se esforce para realizar o pagamento todo mês, afinal, uma nova renegociação pode gerar mais juros.

O ideal mesmo é se organizar para fazer o pagamento à vista da dívida que possui. Para isso, claro, você precisa guardar dinheiro por um tempo para fazer a quitação. Além de conseguir um bom desconto em relação aos juros, você quita de uma vez e consegue eliminar de vez essa dívida em seu planejamento mensal.

Considere ter uma renda extra

Se, mesmo com o corte de despesas, ainda não conseguir juntar um dinheiro no fim do mês, vale a pena considerar fazer uma renda extra.

É possível identificar novas oportunidades por meio da economia colaborativa. Por exemplo, se você tiver uma moto, pode considerar usar parte do seu tempo para trabalhar com entregas. Se tiver um carro popular, considere o uso para atuar como motorista de aplicativo.  

Caso trabalhe como designer ou como jornalista, pode considerar a colaboração em diversos sites e produtos digitais, que apresentam boas oportunidades. Vale o mesmo para as áreas de engenharia de software (programação), vendas pela internet (e-commerce) ou até mesmo com a realização de um serviço manual: existem apps que facilitam essa proximidade entre prestadores de serviços e interessados, como o GetNinjas.

Acompanhe suas finanças

Depois de rever todos os seus gastos ou até mesmo adquirir um trabalho extra, você deve acompanhar o andamento de suas finanças.

Se finalmente você tiver um resultado positivo, é um bom sinal. Só que, mais importante do que ver o dinheiro sobrando no final do mês é construir o hábito de guardar mais dinheiro nos meses seguintes.

Para isso, você pode direcionar parte do seu salário para uma conta diferente da sua conta corrente. Alguns bancos permitem automatizar esse processo, direcionando o seu dinheiro para um tipo de investimento que esteja de acordo com o seu perfil.  

Mas, se quiser manter o controle de todas as suas finanças, você mesmo pode direcionar o seu dinheiro para uma conta com rendimento acima de 100% do CDI ou algum tipo de produto de renda fixa que seja de fácil resgate.

Quando finalmente instituir uma rotina de guardar dinheiro no final do mês, já pode pensar em um plano de ação para poupar cada vez mais e, assim, aumentar seu patrimônio.

Faça bom uso do dinheiro guardado

As pessoas guardam dinheiro por diferentes motivos: para conseguir comprar a casa própria, trocar de carro ou ter uma boa segurança para a família em tempos difíceis.

Felizmente, é possível fazer tudo isso. Só que, como prioridade, o recomendado é ter uma reserva de emergência, que geralmente consiste em ter guardado em uma conta de fácil resgate o equivalente a seis vezes ou mais os seus rendimentos mensais.  

Só faça uso deste valor em momentos bem específicos, como perda de renda, desemprego ou caso tenha que lidar com uma doença grave na família. E, quando puder, reponha, para que consiga restabelecer a segurança financeira em momentos posteriores.

Com essas dicas, além de conseguir sair do vermelho, você pode finalmente dar um passo além e começar a investir. Quer saber por onde começar? Confira nossas dicas neste post e dê uma reviravolta positiva em suas finanças.

Simulação
chat Eva