O que significa o consórcio ser um autofinanciamento

O que significa o consórcio ser um autofinanciamento

Uma forma de compra que permite ao consumidor planejar sua aquisição do começo ao fim. Assim é o consórcio, modalidade que há mais de 50 anos ajuda milhares de brasileiros a realizarem os seus sonhos.

Com o consórcio, você não sai com o bem na hora. Porém, pode escolher a forma de pagamento e ter a certeza de que irá economizar a longo prazo. Isso porque a modalidade não faz cobrança de valor de entrada ou de juros - como acontece no financiamento.

Após a assinatura do contrato, você fica ciente do valor das mensalidades e precisa se comprometer com o pagamento, para que possa participar das assembleias. Todos os meses, as assembleias definem os contemplados por meio de duas formas:

  • Sorteios: a Embracon conta com a Loteria Federal para a realização deste procedimento.

  • Oferta de lances: caso queira antecipar a aquisição da sua casa, você pode fazer a oferta de um lance. Para isso, é preciso registrar a proposta até 24h antes da realização da assembleia. Pelo lance livre, que é a principal modalidade, o maior valor determina o vencedor. Caso outro consorciado faça uma oferta maior que a sua, o seu valor não chega a ser debitado pela administradora, e você pode fazer a oferta nos meses seguintes.

Ao ser contemplado, é necessário passar pela análise de crédito, momento em que a administradora verifica os dados pessoais do consorciado, se está com o nome limpo, entre outros detalhes. Neste momento, pode ser solicitada a indicação de um devedor solidário, que irá compartilhar a responsabilidade da dívida.

Fique atento às regras da administradora, para que possa ter acesso à carta de crédito e, assim, consiga comprar o bem com poder de compra à vista. Dessa forma, você irá economizar bastante na sua transação.

O consórcio ajuda muitas pessoas através de seu modelo porque funciona como um autofinanciamento. Mas, o que isso quer dizer na prática? Iremos explicar a seguir.

Como o autofinanciamento funciona

É sabido que o consórcio possibilita a compra de um bem. Mas, diferente de outras modalidades, você não precisa escolher com antecedência o bem final que deseja comprar.

Para isso, o consórcio tem como referência a carta de crédito. Funciona da seguinte forma: você escolhe com antecedência o que deseja comprar e, em vez de ter o bem final, investe no valor da carta de crédito, que vai possibilitar a compra do bem ao ser contemplado.

Com o consórcio, você pode investir em:

Cada categoria possui um valor específico de carta de crédito, que vai possibilitar a compra do bem. Para serviços, por exemplo, o valor de uma cota é de até R$ 30 mil, enquanto o consorciado que investe em um imóvel pode escolher uma carta de até R$ 500 mil.

O valor da carta de crédito deve ser utilizado após a contemplação para a compra do bem escolhido. Isso significa que, se você iniciou um consórcio de automóveis, terá que comprar um carro ao ser contemplado.

Ter a carta de crédito como referência ajuda bastante em todo o processo de planejamento. Até que seja contemplado, você pode planejar o que deseja comprar - e sabemos como você pode mudar de ideia com o passar dos meses (ou anos).

Ao permitir a escolha do valor de compra, o consórcio facilita todo o processo de autofinanciamento. Para que o sistema funcione do começo ao fim, as administradoras fazem a separação dos consorciados por grupos. Vamos explicar a seguir como funciona.

Importância dos grupos de consórcio

A partir do momento que você define o valor das mensalidades e fecha o contrato de consórcio, a administradora faz a sua inclusão em um grupo de consórcio.

O grupo é composto por dezenas ou até centenas de pessoas com interesses em comum: por exemplo, se você estiver fazendo um consórcio de imóveis, estará em um grupo com pessoas também interessadas na compra de uma casa ou apartamento.

O autofinanciamento é essencial para o sistema de grupos. Isso porque as mensalidades são destinadas ao fundo comum dos grupos, que vai possibilitar a entrega das cartas de crédito nas assembleias.

Para evitar que os inadimplentes deixem os demais integrantes do grupo vulneráveis, as administradoras realizam a cobrança de fundo de reserva nas mensalidades. Assim, quando um ou mais consorciados deixarem de pagar pela parcela, o valor servirá como cobertura, para que o fundo comum tenha os recursos suficientes para realizar as contemplações.

Caso o grupo tenha poucos casos de inadimplência - ou nenhum - com o encerramento do grupo o valor do fundo de reserva é devolvido a todos os integrantes.

Além de dar mais autonomia ao consorciado, o autofinanciamento se destaca como a principal via de funcionamento do consórcio.

Agora que você já sabe como funciona, que tal conhecer mais sobre a modalidade e fazer uma simulação de consórcio? Com planejamento, você pode investir na realização do seu sonho, sem ter que comprometer seus rendimentos mensais.

chat Eva