Quais os carros mais econômicos do mercado?

Quais os carros mais econômicos do mercado?

Com a alta dos combustíveis no país, tem aumentado cada vez mais a procura por modelos de carros econômicos.

Quando se fala em economia, neste caso, estamos nos referindo a preservar mais o álcool ou a gasolina enquanto se locomove com o veículo.

Vale lembrar que, para que um modelo possa realmente ser considerado econômico, é preciso levar em consideração alguns fatores. Para a economia de combustível, muito provavelmente o veículo terá uma potência menor.

Muitos deles, inclusive, são modelos de entrada - o que significa que, caso procure por mais  conforto, por exemplo, é preciso considerar a compra de adicionais (para modelos zero km, é claro).

Quem costuma utilizar o veículo para trabalhar geralmente considera a compra de um modelo mais econômico, para não gastar tanto com combustível em seus deslocamentos. É comum ver motoristas de aplicativo, por exemplo, dando preferência a modelos econômicos, para que possam ter boa rentabilidade no fim do dia, sem ter que gastar demais com álcool ou gasolina.

Mas, o que identifica um carro econômico? Na verdade é uma medida muito simples: basta observar a quantidade de quilômetros que um litro de combustível rende do seu veículo. Ou, simplificando: basta observar o km/l da categoria.

Para elencar os carros mais econômicos, vamos ilustrar justamente o consumo por km/l. Vale lembrar que os modelos acabam consumindo mais nas grandes cidades, principalmente quando se depara com trajetos mais curtos ou com congestionamentos. E, na comparação, o etanol acaba ‘queimando’ mais rápido do que a gasolina, por isso o consumo por etanol é proporcionalmente menor na quantidade por litro quando comparado à gasolina.  

10 carros mais econômicos

Confira, a seguir, os modelos feitos para quem quer economizar com etanol ou gasolina. O ranking foi elaborado pelo Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro, na edição de 2021.

1. Chevrolet Onix Plus 1.0 manual

Para quem não conhece, o Onix Plus é a versão sedã do carro mais vendido do país. Desde que a Chevrolet apostou no redesign do modelo - que antes era representado pelo Prisma - O Onix Plus se adaptou para ajudar o brasileiro a enfrentar as avenidas e estradas sem ter que se preocupar com gastar demais com o combustível.

O modelo mais econômico do Onix Plus tem motor 1.0 aspirado com 80 cv de potência. Porém, é preciso se contentar com a versão manual, em que é necessário utilizar o câmbio para troca de marchas (5 no total).

De acordo com o Inmetro, o Onix Plus 1.0 manual tem uma boa performance quando o assunto é consumo: ele faz 14,3 km/l com gasolina nas cidades (e até 17,7 km/l no ciclo rodoviário). Para quem quiser abastecer com etanol, a média fica entre 10,1 km/l (cidade) e 12,5 km/l (rodoviário).

2. Renault Kwid

O hatch compacto da Renault veio com o objetivo de conquistar as ruas, tornando-se uma boa opção para pessoas que querem dirigir um carro com um design bacana e ótima economia.

Comparado ao Onix Plus, o Kwid é menos potente - mas, também, é preciso considerar que se trata de um modelo mais leve. Com motor 1.0 de 70 cv e câmbio manual de 5 marchas, este modelo da Renault consegue fazer entre 14,9 km/l e 15,6 km/l com gasolina nas cidades e na estrada.  

Mas, se quiser abastecer com etanol, sem problemas: a economia também é garantida. Com uma média entre 10,3 km/l na cidade e 10,8 km/l na estrada, o Kwid faz com que você visite o posto de gasolina com uma frequência menor que os seus concorrentes.

3. Chevrolet Onix 1.0 manual

Por incrível que pareça, o Onix hatch fica atrás de seu irmão sedã quando o assunto é economia de combustível. Mas isso não quer dizer que ele não apresenta uma boa performance.

O Onix manual, um dos modelos favoritos dos brasileiros, também possui potência de 80 cv e pode fazer até 16,7 km/l na estrada com gasolina (sendo 13,9 km/l nas cidades). Ao optar pelo uso do etanol, o Onix apresenta um consumo de 11,7 km/l na estrada (ante 9,9 km/l).

4. Chevrolet Onix Plus 1.0 turbo manual

Mais um modelo do carro mais vendido da Chevrolet entra na lista dos mais econômicos do mercado. A versão turbo 1.0 do Onix Plus, na verdade, foi proposta como modelo de entrada. Esse modelo é mais potente e chega a até 116 cv, com transmissão manual de 6 marchas.  

Com esses números, trata-se de uma excelente opção para quem quer equilibrar boa performance nas ruas com economia de combustível. Nesse quesito, por sinal, a versão turbo do Onix Plus 1.0 faz 13,7 km/l na cidade e 17 km/l na estrada com o uso de gasolina. Ao optar pelo etanol, o consumo é de 9,6 km/l (cidade) e 12,2 km/l (estrada).

5. Hyundai HB20S 1.0 turbo manual

Um dos principais competidores do Onix é a nova versão do HB20, uma aposta da Hyundai para conquistar cada vez mais os brasileiros que querem um carro novo como modelo de entrada.

E, assim como a Chevrolet, o mais econômico é a versão sedã do compacto da marca sul-coreana. Esta versão do HB20S possui motor 1.0 de 120 cv (ou seja, mais potente que o Onix Plus) e também performa muito bem tanto com uso de álcool, como gasolina.

Com etanol, o HB20S atinge a marca de 9,8 km/l em ciclo urbano e 11,6 km/l nas rodovias. Mas, se quiser economizar mesmo, opte pela gasolina para conseguir rodar até 13,6 km/l na cidade e 16 km/l na estrada.

6. Hyundai HB20S 1.0 manual

Já em seguida ao modelo turbo vem o modelo 1.0 manual da versão sedã do HB20. Esta versão é menos potente: possui 80 cv de potência, servindo como modelo de entrada para quem quer um sedã para andar no dia a dia.

Seu câmbio manual é de 5 marchas e serve para atender às necessidades de quem pretende rodar bastante com o carro. O consumo com etanol chega a 9,6 km/l e 11,1 km/l na cidade e na estrada, respectivamente. Se quiser utilizar gasolina, a economia é ainda maior: 13,7 km/l na cidade e 15,7 km/l na estrada.

7. Fiat Argo 1.0 manual

Ao lançar o Argo, a Fiat conseguiu competir de igual para igual com modelos hatch de entrada - tanto que é bem comum você se deparar com um modelo desses ao pedir os aplicativos de carona, por exemplo.

Em pouco tempo, o Argo mostrou força o suficiente para superar rivais como Ford e Volkswagen na categoria hatch de entrada. E sua versão manual apresenta os requisitos suficientes para entrar na lista dos carros mais econômicos do mercado.

O modelo 1.0 manual de 5 marchas tem 3 cilindros e 77 cv de potência. Seu consumo com etanol chega a 9,8 km/l nas cidades e 10,7 km/l nas estradas. Com o uso de gasolina, pode chegar a 13,9 km/l na cidade e 15,1 km/l na estrada.

8. Fiat Mobi

O principal concorrente do Renault Kwid acaba perdendo quando a briga é média de consumo. Embora o Mobi seja o modelo mais vendido da categoria - sendo, na verdade, um dos modelos zero km mais baratos de todo o mercado automotivo - ele fica atrás do concorrente na economia de combustível.

Ainda assim, o Mobi se apresenta como um carro bem econômico. O motor 1.0 Fire de quatro cilindros tem potência de 75 cv e câmbio manual de 5 marchas.  

Nas cidades, ele faz 9,7 km/l com etanol e 13,7 km/l com gasolina. Mas, na hora de andar pelas estradas, os números melhoram bem: o Mobi consegue fazer até 10,7 km/l com etanol e 15,3 km/l com gasolina nas rodovias.

9. Chevrolet Onix 1.0 turbo manual

Não bastasse o status de ser o carro mais vendido do Brasil, a Chevrolet conseguiu dominar com quatro posições o ranking de modelo mais econômico com o Onix, que se consolida mais uma vez como uma verdadeira paixão do brasileiro.

Só que, quando se compara com o sedã, o modelo hatch acaba ficando um pouco atrás. Nesse modelo, o Onix possui motor 1.0 de 116 cv e câmbio manual de 6 marchas, apresentando-se como um dos mais potentes entre os mais econômicos do mercado.  

Com o uso de etanol, o favorito da Chevrolet chega a 9,4 km/l nas cidades e 11,2 km/l nas rodovias. Já com gasolina, o consumo é de 13,5 km/l na cidade e 16 km/l na estrada.

10. Hyundai HB20 1.0 manual

Na 10ª posição do ranking entra o modelo manual do HB20. E a lógica se repete: o modelo hatch não é tão econômico quanto a versão sedã.  

Com a mesma configuração de motor 1.0 aspirado de 80 cv de potência, em um câmbio manual de 5 marchas, o consumo com etanol chega a 9,5 km/l na cidade e 10,5 km/l na rodovia. Ao utilizar gasolina, claro, a economia ainda é maior, chegando a 13,3 km/l na cidade e 14,9 km/l na estrada.

Carros elétricos

Muito provavelmente você já deve ter ouvido falar da chegada de uma nova produção de carros que deve revolucionar o mercado automotivo. São os modelos elétricos, que têm uma lógica de consumo bem diferente dos modelos tradicionais.

Ao analisar um modelo dessa categoria é preciso verificar a capacidade de bateria e o consumo de energia por 100 km, que é o padrão internacional de medição dentro da categoria.

Portanto, é utilizada a nomenclatura kWh/100 km ou Wh/km (que seria litros por 100 km) quando se analisa cada um dos modelos. Quando um modelo faz 10 kWh, pode-se dizer que a bateria em 100% aguenta o consumo de dez vezes 100km - ou seja, até 1.000 km. Essa medida, no caso, avalia a bateria.

Para avaliar o consumo dentro do total de 100 km, deve-se entender quanto é necessário de uso da bateria para chegar a essa média. Para isso, a tabela do Inmetro poderia utilizar a métrica da seguinte maneira: 20 kWh/100 km, que significa que teria que utilizar essa capacidade da bateria para percorrer 100 km com o modelo elétrico.

Por isso é sempre bom ter como comparativo a capacidade total da bateria e o seu consumo, para entender o quão econômico um modelo elétrico pode ser.

A seguir, vamos apresentar os 10 modelos elétricos mais econômicos do mercado:

1. JAC e-JS1

Produzido na China em parceria com a Volkswagen, o modelo elétrico mais barato do Brasil não é assim tão… barato. Ele custa a partir de R$ 160 mil, mas possui toda a precisão digna da marca alemã, entregando uma ótima força de arranque. E, claro, o modelo desfruta do maior benefício de se ter um elétrico, que é a emissão zero de poluentes.

Seu consumo é de 9,6 kWh por 100 km, tornando-se o elétrico mais econômico do mercado. Sua bateria pode ser totalmente carregada com 32 kWh, o que dá uma autonomia de até 302 km sem ter que recarregar.  

2. Caoa Chery Arrizo 5e

O sedã médio da Caoa possui uma versão 100% elétrica que se destaca como uma das mais econômicas do mercado automotivo. Não se trata de um modelo popular, como a maioria dos que compõem esta lista. Este carro possui teto solar, uma grande força de arranque na dianteira e uma potência de 122 cv, com aviso sonoro para passagem de pedestre.

Com até 8 anos de garantia, o Arrizo 5e possui câmbio automático e até freio de estacionamento. Sua bateria dura até 53,5 kWh. Com o consumo de 12,5 kWh/100 km, a autonomia deste modelo do Arrizo chega a 322 km com a bateria totalmente carregada.

3. JAC e-JS4

Quem diria que teríamos um SUV, que é um modelo de carro mais robusto e que consome mais, entre os mais econômicos do mercado? Pois é, a marca chinesa JAC conseguiu produzir um modelo elétrico bem atrativo - embora o preço não seja tanto assim, já que o e-JS4 pode custar a partir de R$ 250 mil.  

De acordo com cálculos da JAC, o modelo e-JS4 faz com que o cliente gaste, em média, apenas R$ 9 para cada 100 km rodados - lembrando que estamos em um momento em que a gasolina oscila entre R$ 5 e R$ 7, sendo que boa parte dos modelos mais econômicos roda pouco mais de 13 km por litro.

Sim, é uma economia bem significativa, que se traduz com os seguintes números: com o consumo de 13,0 kWh por 100 km, sua bateria pode chegar a até 55 kWh, com alcance de 420 km com a bateria totalmente carregada.  

4. BMW i3

Sim, temos uma BMW em nossa lista - o que significa que, bem, o fator preço pode ser colocado lá no alto. De fato, a versão i3 não é tão acessível assim: com valor médio de R$ 309 mil, é a aposta da marca alemã para ganhar terreno entre os modelos compactos e elétricos de luxo.

Com tempo de carregamento médio de 1h42, o i3 tem uma bateria que pode chegar a 42,2 kWh, dando uma autonomia de até 335 km. Seu consumo é de 13,1 kWh por 100 km.

5. Fiat 500e

Não se engane com o tamanho pequeno do famoso 500, um clássico italiano que tem agradado cada vez mais os motoristas brasileiros dispostos a ter um modelo inteligente, confortável e, ao mesmo tempo, compacto.

Projetado para ter até 80% de sua bateria totalmente carregada em 35 minutos, o Fiat 500e é a aposta para começar bem no mercado de automóveis elétricos no Brasil.  

Sua bateria pode carregar até 42 kWh, que dá um alcance de 320 km. Seu consumo é de 14 kWh por 100 km.

6. Nissan Leaf

Considerado por muitas publicações nacionais um dos melhores modelos elétricos à disposição dos brasileiros, o Nissan Leaf veio para brigar pesado com concorrentes como a Toyota nesse mercado. E o modelo Leaf entrega performance muito bem: seu torque imediato permite chegar a 100 km/h em 7,9 segundos graças ao seu motor turbo.

Com até 4 opções de recarga, o Leaf tem bateria com capacidade total de 40 kWh, em um consumo de 17,2 kWh/100 km. Com esses números, este potente modelo elétrico tem alcance de 273 km com a bateria totalmente carregada.

7. Chevrolet Bolt

Com o mercado de veículos elétricos ficando cada vez mais aquecido, a tradicional Chevrolet não deixaria de apostar no segmento. Seu primeiro modelo apresentado por aqui é o Chevrolet Bolt, que teve todas as unidades em sua pré-venda esgotadas quando foi anunciado, ainda em 2021.

Seu valor parte de R$ 317 mil - mais uma prova de que modelos elétricos são para poucos. Caso o modelo tenha boa vendagem, a marca norte-americana já anunciou que irá trazer para o Brasil a sua versão em SUV.

Mas, tratando-se do Bolt, vale destacar a capacidade de sua bateria, que pode chegar a até 66 kWh, dando uma autonomia de até 416 km - bem mais elevada do que a de seus principais concorrentes.

8. Peugeot e-208 GT

A primeira opção elétrica da marca francesa veio com um preço um tanto salgado - R$ 245 mil é para poucos, é verdade, mas seu visual bem próximo ao esportivo, com diversos opcionais atrativos (dos bancos de couro ao painel totalmente remodelado), deve ser uma grande aposta da Peugeot em vendas para os próximos anos.

Ele veio com o motor elétrico de 136 cv de potência e 26,5 de kgfm de torque para a tração dianteira, o que permite boa arrancada, chegando a 100 km/h em apenas 8,3 segundos.

Com bateria que pode chegar a 50 kWh, o e-208 tem consumo de 17,6 kWh/100 km, gerando um alcance de 340 km.

9. Renault Zoe

A Renault também não poderia ficar de fora na disputa dos modelos elétricos de entrada. Na verdade, o Zoe acaba sendo um dos ‘mais baratos’ da categoria, com preços que se iniciam em R$ 205 mil.  

Sua proposta de sustentabilidade vai além do motor - tanto que seus bancos são revestidos em tecidos reciclados, que podem ser personalizados de acordo com o que você realmente busca.

Sua bateria chega a 52 kWh, com alcance de até 385 km. O consumo do Zoe é de 20 kWh a cada 100 km.

10. Mercedes-Benz EQC

Já que a lista tem uma BMW, por que não teria uma Mercedes-Benz, não é verdade?  

A grande diferença é que a marca alemã não apresenta um compacto para competir no mercado elétrico - mas, sim, uma SUV com nada menos que 408 cv de potência, que pode chegar de 0 a 100 km/h em apenas 5,1 segundos - mesmo que sua velocidade máxima seja de 180 km/h, uma característica comum dos modelos elétricos, é importante frisar.

O valor do modelo EQC ultrapassa os R$ 600 mil, colocando-o no topo da lista do elétrico mais caro fabricado no Brasil.  

Sua bateria chega a 80 kWh, com alcance de 374 km. Com isso, o consumo é de 20,8 kWh a cada 100 km rodados.

Compre seu próximo carro com o consórcio

Agora que você já conhece os modelos mais econômicos do mercado - sejam de combustíveis padrão ou modelos elétricos - que tal investir em seu próximo carro com o consórcio?

Você não precisa pagar valor de entrada ou juros nas parcelas. Além disso, tem a liberdade de escolher o valor da sua carta de crédito ou até mesmo investir em mais de uma cota - caso considere um modelo elétrico, por exemplo.  

Faça agora mesmo uma simulação de consórcio de veículos e invista o quanto antes no sonho de ter um carro econômico.

Simulação
chat Eva