Os 15 principais carros do Brasil

Os 15 principais carros do Brasil

Que o brasileiro é um apaixonado por automóveis não é segredo para ninguém! Ao longo dos anos, os motoristas já tiveram diversas ‘paixões’ nacionais: do lendário Fusca até chegar ao Chevrolet Onix, hoje o carro mais vendido do país, muitos modelos já passaram por nossas estradas.

Em mais de 60 anos de história, a relação do brasileiro com o carro popular vem sendo moldada. Foi assim que diversos modelos foram surgindo no mercado: o famoso carro hatch, passando pela euforia dos sedãs pequenos até chegar às SUVs, que hoje são as queridinhas no mercado automotivo.

Atualmente, a lista dos principais carros do Brasil é mais variada do que foi no passado. Ainda temos um bom domínio das marcas Volkswagen, Fiat, Chevrolet e a Ford - porém, outras marcas começam a compor o portfólio dos principais modelos, revelando o apreço do brasileiro por diferentes tipos de carro.

A seguir, vamos apresentar os principais carros do Brasil, explicando um pouco cada modelo. Para definir essa lista, foi feita uma consulta dos modelos mais emplacados nos últimos seis meses pela Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores). Confira a seguir e veja qual tem mais a ver com você.

Chevrolet Onix

Já faz um bom tempo que o Onix domina como o modelo mais vendido do Brasil. Em 2020, este modelo passou por uma reformulação completa, adquirindo um ar mais esportivo e até mais agressivo.

No total, são 9 modelos do Onix hatch, com preços que variam de R$ 56.290 a R$ 81.890 (modelos zero km). Todos eles têm motor 1.0, mas não se deixe enganar: as versões Turbo e Premier, por exemplo, possuem um ótimo desempenho quando o assunto é velocidade.

Um de seus maiores atrativos é oferecer a opção de wi-fi para motoristas e passageiros. Dessa forma, você garante conexão com a internet enquanto viaja. É possível deixar até 7 dispositivos conectados simultaneamente via wi-fi, que possui alcance de até 15 metros fora do carro.

Chevrolet Onix Plus

A partir de 2020, a Chevrolet decidiu apostar na força da marca Onix para carregar o seu principal modelo sedã - e, assim, acabou tirando de linha o Prisma.

Os modelos de 2021 do Onix Plus só possuem wi-fi em suas categorias mais caras - o Premier, que pode custar até R$ 85.490. O valor de entrada para um Onix Plus é de R$ 61.070 e todos também são 1.0. Com exceção do modelo LT, todos os demais possuem turbo, garantindo um ótimo desempenho nas cidades e na estrada.

A aposta da Chevrolet no nome do modelo valeu a pena: em 2020, o Onix Plus foi o sedã mais vendido do país, comprovando a supremacia do nome Onix em nosso território.

Hyundai HB20

Desde 2020, a Hyundai aposta em uma repaginada no seu modelo HB20, que tem boa vendagem e adesão em nosso país. Com um design mais moderno, o modelo ganhou algumas adições tecnológicas importantes, como sistema de alerta e frenagem autônomo, que utiliza a câmera no para-brisa para identificar carros e pedestres que possam estar à frente e, assim, gerar um alerta para o motorista a fim de evitar qualquer tipo de colisão.

Essa mesma câmera também facilita bastante na hora de identificar as faixas da frente: caso o motorista saia da trajetória de maneira brusca, essa tecnologia gera um alerta, para que ele retome o veículo rapidamente.

O valor de entrada fica em torno de R$ 48 mil, e pode chegar a até R$ 78 mil com o conjunto de acessórios oferecidos pela marca.  

Além do modelo hatch, a Hyundai também deu uma repaginada no modelo sedã, o HB20S, que adquiriu um ar mais agressivo e ficou mais semelhante ao Elantra, um modelo mais robusto da marca. Os modelos de entrada do HB20S podem começar em torno de R$ 55.390 e chegar a até R$ 81.290.

Ford Ka

O Ford Ka é vendido em até 7 modelos diferentes, que custam entre R$ 51.990 e R$ 69.990.

Em 2021, porém, o modelo acabou saindo de linha após o fechamento das fábricas da Ford no país.  

Quando foi lançado, o Ka veio com a missão de substituir de uma vez o Fiesta, até então o hatch de entrada da marca. Um dos principais modelos é o SE, que possui direção elétrica, indicador de troca de marcha e central multimídia. A partir de 2019, o modelo recebeu integração com Android Auto e Apple CarPlay, que permite acionar comando de voz e integrar seu smartphone à central.

Por mais que o modelo não seja mais produzido, o Ka ainda é bastante procurado por quem procura bom desempenho de motor e uma gama de serviços que o tornam um hatch ainda atrativo.

Fiat Argo

Em pouco tempo, a Fiat conseguiu um ótimo feito: criar um modelo que pudesse brigar diretamente com a marca que lidera no segmento hatch. O Fiat Argo é um dos modelos mais vendidos do Brasil porque entrega um bom design e bons equipamentos para um modelo de entrada.

Existem versões com câmbio automático, motores turboflex e até mesmo conexão com 4G.

O valor de um modelo zero km pode começar em torno de R$ 62.500 e chegar a até R$ 90 mil em sua versão mais esportiva, o HGT, que possui um acabamento mais agressivo e motor mais potente.

Fiat Uno

O Uno já é um velho conhecido do brasileiro. Desde que foi criado, em meados dos anos 1980, o Uno veio com a proposta de ser um modelo simples e parceiro do dia a dia do brasileiro.

Mas, o modelo que um dia já foi o mais vendido do país, hoje já não atrai mais tantos consumidores quanto antigamente. A entrada do Argo pode ser um fator que compromete o desempenho de vendas do Uno. Ainda assim, o modelo se apresenta como uma boa opção de entrada para quem quer um modelo econômico e com bom pacote de opções.

Os valores do Uno versão 2021 começam em torno de R$ 45.890 e podem chegar a até R$ 55.990 na versão 1.3, que apresenta melhor desempenho e proporciona mais conforto para os consumidores.

Fiat Strada

O modelo de picape mais vendida do país ainda atrai muitos brasileiros por conta de seu bom desempenho e design arrojado.

Embora a Fiat tenha lançado um modelo mais robusto e que vem encantando cada vez mais pessoas, o Fiat Toro, a Strada ainda se mantém no pódio quando o assunto é vendas.

O modelo mais recente possui até 4 portas com direção elétrica e um novo conceito de central multimídia, o Uconnect, que deve ser replicado em diversos modelos da marca nos próximos anos. Como diferencial, esta central permite a conexão simultânea de dois smartphones ao mesmo tempo, além de integração com Waze, Google Maps e duas entradas de USB.

O valor de entrada de um Fiat Strada é de R$ 74.790, na versão Endurance Cabine Plus, e pode chegar a até R$ 92.590 na versão Volcano, com cabine dupla e motor 1.3 Firefly.

Volkswagen T-Cross

A Volkswagen entrou bem no segmento de SUV compacto com a chegada do T-Cross, um modelo que já é considerado sucesso desde que entrou no mercado, em 2020.

Um de seus diferenciais está no design, mais arrojado que os competidores diretos, como Jeep Renegade e Chevrolet Tracker. Os itens de série da versão mais básica, o T-Cross Sense, são bem atrativos: ar-condicionado com filtro de poeira e pólen, direção elétrica, travas elétricas, bancos de tecido, vidros elétricos nas quatro portas, faróis de neblina com acompanhamento de curvas, faróis com regulagem de altura, luzes diurnas de LED (DRL) na região dos faróis de neblina e lanternas com iluminação em LED.

Trata-se de um modelo bem voltado para a segurança - tanto que conta com pelos menos 6 airbags, controles de estabilidade e tração, freios a disco nas quatro rodas, assistente de frenagem de emergência e até mesmo assistente de partida em rampa.

O modelo de entrada custa a partir de R$ 69.990 zero km, enquanto a versão top do T-Cross, a 1.4 TSI Highline, pode chegar a R$ 138.950, já incluindo todos os opcionais.  

Volkswagen Gol

O Gol já é um velho conhecido de todos os brasileiros. Por muitas décadas, o modelo figurou no topo das listas dos mais vendidos do país - hoje um posto dominado pelo Onix, da Chevrolet. Quando foi criado, em 1980, o Gol veio com o objetivo de substituir o Fusca como o principal modelo hatch da marca.

Muitas pessoas já devem até mesmo ter perdido as contas da quantidade de gerações de Gol que foram lançadas no mercado. O fato é que, com mais de 40 anos de idade, a VW prepara uma repaginação do Gol, adequando seu design à mesma proposta dos modelos de sucesso, como T-Cross e Polo, por exemplo.

Na versão de 2021, o Gol tem mais itens que prezam pela segurança, visual mais robusto e deve vir em três versões: 1.0 manual, 1.6 manual e 1.6 automático, com preços que começam em R$ 50.250 e chegam a até R$ 61.390.

Jeep Renegade

Quando o Renegade surgiu, agradou de cara pessoas que têm interesse em circular pela cidade com um SUV sem ter que pagar por um alto preço. Com isso, a Jeep conseguiu figurar na lista das montadoras mais vendidas do país, ajudando a impulsionar a categoria de SUV compacto, hoje a grande queridinha do brasileiro.

Trata-se de um veículo com bastante foco em segurança e conforto para a categoria: a versão 1.3 turbo-flex, por exemplo, sai de fábrica com seis airbags, controles eletrônicos de tração e estabilidade, faróis full-LED, ar-condicionado digital com duas zonas de resfriamento, freio de estacionamento por botão e um sistema de som de boa qualidade.

Mas, se você procura por espaço no porta-malas, bom, o modelo deixa a desejar: são somente 320 litros de capacidade, pequeno demais para o tamanho e robustez que o modelo ‘promete’. Além disso, a versão e.TorQ 1.8 flex não entrega a potência que se esperaria do motor e gera alto consumo, com médias de 6,4 km/l na cidade e 8 km/l na estrada.

Embora seja considerado um SUV compacto, o Jeep Renegade tem um valor superior a concorrentes como T-Cross, por exemplo. O valor de um modelo zero km começa em R$ 92.990 e pode chegar a até R$ 172.990 na versão Trailhawk, com motor 2.0 TDI, automático e 4x4.

Renault Kwid

Conhecido como o ‘SUV dos compactos’, o Renault Kwid chegou com boa aceitação no mercado brasileiro porque entrega um modelo ligeiramente mais robusto do que um hatch tradicional, mas sem custar o valor de um carro com o tamanho próximo de um SUV.

Todas as versões do Kwid chegam com motor 1.0, que é oferecido em quatro versões: Life, Zen, Intense e Outsider. Sua versão de entrada oferece quatro airbags, abertura interna de porta-malas, alerta visual e sonoro de não utilização de cinto de segurança do motorista e banco traseiro rebatível, com a possibilidade de adquirir mais opcionais no ato da compra.

Os preços do Kwid começam em R$ 45.390 e podem chegar a até R$ 56.490, tornando-se um competidor direto de modelos como Volkswagen Up!, Fiat Mobi e Toyota Etios.

Renault Sandero

Com quase 15 anos de idade no mercado brasileiro, o Sandero ajudou a popularizar a marca Renault no Brasil, tornando-se o principal substituto do famoso Clio.

Com o Sandero, a Renault fez algumas reformulações para competir diretamente com os vendáveis Chevrolet Onix e Hyundai HB20, entrando na lista dos 10 mais vendidos do país. Na verdade, o modelo foi fruto da criação de uma subsidiária da Renault especializada nos mercados latino-americanos e do leste europeu.

A versão de 2021 surge em três versões, iniciando com motor 1.0 com o modelo Zen, de entrada, que custa a partir de R$ 64.690. As versões GT Line iniciam a partir de R$ 67.690, com motor 1.0 e 12V.  

Mas, quem busca mais potência em um hatch, pode encontrar o GT Line com motores de 1.6 16V (que custa R$ 80.890) ou a versão RS, com motor 2.0 e 16V, com valores a partir de R$ 91.660.

Renault Logan

A versão sedã do Sandero tem preços bastante semelhantes, mas entrega uma versão básica com mais itens: quatro airbags, ar-condicionado manual, luz de condução diurna, banco traseiro rebatível, travas elétricas, vidros elétricos, porta-malas de 510 litros e alerta de não afivelamento do cinto de segurança.

Porém, o Logan possui menos opções de compra que o ‘irmão’ hatch: são apenas três versões, começando com a Life 1.0, de 12V, até a versão Zen 1.6, de 16V. Os preços para a compra de um Logan começam em R$ 69.990 e podem chegar a até R$ 80.390.

Nissan March

O modelo de entrada da Nissan trouxe mais competitividade aos modelos hatch, mas não ganhou tantas atualizações e repaginação como os concorrentes mais queridinhos, como Onix, HB20 e Sandero, por exemplo.

Por conta disso, o March fica mais próximo da lanterna quando o assunto é disputa de vendas na categoria. Embora o design fique atrás comparado aos competidores, é no design interno que ele ganha mais pontos, com uma tela sensível de toque de 6,75 polegadas que permite acesso a Waze, rádio online, streaming de áudio e até mesmo download de jogos.

Todas as versões do March 2021 são com motor 1.6, o que o torna ligeiramente mais potente que alguns dos concorrentes. Os preços de um March zero km vão de R$ 64.290 a R$ 72.490.

Toyota Etios

Embora o Corolla ainda seja a principal vitrine da Toyota, nos últimos anos a montadora japonesa passou a investir em modelos de entrada, para ter maior penetração no mercado brasileiro. Por isso, em 2013, ela veio com o Etios, que tem recebido diversas melhorias com o passar dos anos.

Uma das grandes vantagens do modelo diante dos concorrentes é a forma com que explora o espaço interno. Seu painel interno é centralizado com duas telas TFT de 4,2 polegadas, que substituíram os mostradores analógicos em meia lua, e o microscópico display multifuncional das versões anteriores.

Na versão 2021, o Etios vem com uma nova central multimídia com tecnologia Toyota Play+, que apresenta mais opções em seu display. Atualmente, a Toyota comercializa apenas uma versão do Etios: a  Plus 1.5, com câmbio manual (que custa R$ 63.590) e câmbio automático (R$ 69.290).

Conte com o consórcio de automóveis para a compra do próximo carro

Em mais de 50 anos de história, o consórcio tem ajudado milhões de brasileiros a realizarem o sonho de comprar um novo carro.

Com o consórcio, você tem a liberdade de escolher o modelo que quer investir. E, o melhor de tudo: nem precisa saber qual o carro quer saber de primeira!

Isso porque, diferente de outras modalidades de compra, com o consórcio de automóveis você investe no valor de uma carta de crédito, que será utilizada para a compra do carro na hora da contemplação com poder de compra à vista.

Para conseguir fazer um consórcio, você não precisa dar valor de entrada ou ter que pagar juros pelas parcelas, como acontece com o financiamento.  

Você não sai com o bem na hora porque se trata de um modelo de autofinanciamento: é você que seleciona o valor da carta de crédito e define o valor das mensalidades.

Tudo isso pode ser feito no processo de simulação de consórcio. Depois disso, a administradora entra em contato, explicando mais detalhes de como a categoria funciona para, então, entregar o contrato de adesão.  

Ao se tornar um consorciado, você passa a integrar um grupo, que reúne outros consorciados com interesses semelhantes ao seu. Todos os meses são realizadas as assembleias com os integrantes, com o objetivo de sortear as cartas de crédito. Caso não queira aguardar pelos sorteios, é possível oferecer um valor a mais para ser contemplado com antecedência, com a proposta de lance. Porém, somente um lance sai como o vencedor por assembleia - geralmente, o valor que quita o maior número de mensalidades.

Por conta de tudo isso, a administradora não pode garantir quando o interessado será contemplado, seja por sorteio ou por lance. Mas, fique tranquilo: até o término do pagamento da carta, você será contemplado com o seu bem.

Com o consórcio de automóveis, além da possibilidade de comprar um modelo zero km, também é possível fazer a troca do seu por um novo com o lance Troca de Chaves ou até mesmo investir em um seminovo - contanto que não tenha mais de cinco anos e apresente boas condições de uso.

Ao ser contemplado com a carta de crédito, você pode escolher a concessionária ou o proprietário com quem quer comprar. Basta indicá-lo à administradora, para que ela faça a transferência integral da carta de crédito, possibilitando a compra do veículo.  

Se o valor da carta de crédito for maior que o preço do carro, é possível utilizar até 10% do total da carta para despesas como transferência de propriedade e idas ao cartório. Mas, se o valor for insuficiente, a administradora libera o valor mesmo assim; basta negociar diretamente com o proprietário a forma com que irá pagar o valor restante.

Com paciência e bastante planejamento, o consórcio se apresenta como a melhor opção para quem quer comprar um carro, sem ter que gastar um alto valor com juros, como acontece no financiamento.  

Portanto, comece desde já a realizar o sonho de um modelo novo na garagem. Faça uma simulação de consórcio de automóveis; logo, um dos principais carros do Brasil pode ser seu!

Simulação
chat Eva