Conheça os principais investimentos pessoais

Conheça os principais investimentos pessoais

Quem deseja aplicar parte de sua receita tem o desafio de investir recursos nas diversas opções de investimento disponíveis no mercado brasileiro. De maneira geral, as modalidades de aplicações financeiras estão relacionadas à realização de sonhos e objetivos, como pagar a educação dos filhos, adquirir imóveis e obter renda complementar na aposentadoria.  

No entanto, muitos investidores não têm as habilidades e o conhecimento para administrar os principais investimentos e, às vezes, delegam essa atividade a seus gerentes de banco ou consultores de investimento sem entender os conflitos de interesse envolvidos.

Neste artigo, trouxemos os principais investimentos pessoais que você pode fazer para aumentar seu patrimônio, acompanhe.

Por que investir?

O que dinheiro significa na sua vida? Saber que ele é o facilitador de seus objetivos é o primeiro passo nessa jornada do conhecimento. Não importa qual seja o seu plano, ele pode fazer você realizar seus sonhos.  

Além disso, o dinheiro também pode trazer uma qualidade de vida atual. Com ele, você pode ter a vida que você e sua família procuram. Mas para ele assumir esse papel, é preciso saber investir bem.  

Uma poupança é um dos principais hábitos relacionados ao comportamento do investidor. Economizar parte de sua renda é vital para seu futuro.

Você sabia que pode começar mesmo que seja pequeno (você pode comprar títulos diretos do tesouro por 30 reais)? Economizar agora pode ajudá-lo a se livrar dos problemas de dívidas. Observação importante: deixar dinheiro embaixo do colchão ou na conta não é economia.  

Veja os principais investimentos para iniciantes

Em geral, você compra a dívida do banco (como é o caso do CDB) ou mesmo do governo (como é o caso do Tesouro Direto) e depois recebe o valor corrigido no final do período.  

Em ambos os casos, o governo e o banco usam os fundos dos investidores para financiar as atividades. Em troca, eles dão retornos que podem ser fixos ou variáveis. No caso da renda fixa, você sabe quanta receita seus fundos vão gerar no momento da compra. As taxas de juros pós-fixadas estão associadas a indicadores financeiros, como CDI ou taxa de juros Selic. Portanto, uma taxa de retorno da aplicação sempre faz parte do indicador.

Os principais investimentos de renda fixa

CDB - Certificado de Depósito Bancário

O Certificado de Depósito Bancário  é uma opção muito adequada para investidores com imagem conservadora, pois é geralmente menos arriscada e tem a mesma segurança da poupança, mas pode proporcionar retornos mais atraentes.  

É um título de renda fixa registrada (ou seja, em nome de pessoa física) emitido por bancos (os bancos emitem títulos), cuja função é captar e prover recursos para suas atividades. Em troca do empréstimo de fundos do banco, ele devolverá ao investidor o valor solicitado mais os juros acordados durante o investimento. As corretoras com Selo Cetip, certifica a forma de garantias aos investidores pessoa física cadastrados em todas as operações realizadas por meio de intermediários, pelo CPF ou CNPJ.

Uma das vantagens de investir no CDB é que o retorno desses títulos é superior ao da poupança, que pode ser de até três vezes. Portanto, além do prazo e do índice, também pode ser uma boa opção para diversificação da carteira, sendo também adequado para investidores com características moderadas e agressivas.

Tesouro Direto  

Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional desenvolvido em cooperação com o B3 para títulos do Governo Federal a pessoas físicas, 100% online. O plano foi lançado em 2002 para democratizar a aquisição de títulos públicos, permitindo os investimentos a partir de R$30,00.

O Tesouro Direto está entre os principais investimentos, pois os títulos oferecem diferentes tipos de rentabilidade (prefixo, relacionado à variação ou variação da taxa básica de juros da economia - Selic), diferentes prazos e diferentes fluxos de retorno.  

Com tantas opções, é fácil encontrar o título certo para seu objetivo. Além de fácil acesso e com múltiplas opções de investimento, o Tesouro Direto também oferece boa rentabilidade e liquidez diária, embora seja o investimento de menor risco do mercado.

LCI - Letra de Crédito Imobiliário

A  Letra de Crédito Imobiliário é um título de renda fixa lastreado por uma hipoteca. Esse ativo é usado como ferramenta de captação de recursos por instituições financeiras, que são responsáveis ​​por resgatar esses ativos aos investidores.

Os ativos devem ser registrados no sistema de registro de ativos e liquidação financeira autorizado pelo Banco Central do Brasil. A principal vantagem do registro formal é que ele pode controlar o número de títulos emitidos e facilitar as transações eletrônicas.

LCA - Letras de Crédito do Agronegócio

As Letras de Crédito do Agronegócio são títulos de renda fixa emitidos por instituições públicas e privadas. O princípio é muito semelhante ao de uma Letra de Crédito Imobiliário (LCI). A diferença está no paradeiro dos fundos arrecadados.  

Em LCI, uma emissão de notas é usada para financiar atividades imobiliárias. Na LCA, o foco é a atuação do agronegócio. Os recursos arrecadados destinam-se principalmente à concessão de crédito aos produtores rurais que precisam de recursos para a compra de máquinas e insumos. Portanto, embora os investidores obtenham retornos consideráveis, indiretamente ajudam a promover um importante setor do país.

LC - Letra de Câmbio

Para quem quer diversificar a carteira de investimentos e buscar um investimento tão simples quanto economizar, mas com rentabilidade mais atraente, o LC (Letra de Câmbio) é o principal investimento.  

É uma espécie de título de renda fixa definido por instituições financeiras, é muito semelhante a um certificado de depósito bancário (CDB).  

Debêntures

Debêntures são títulos de dívida de médio e longo prazo (a partir de dois anos) que podem ser emitidos por empresas públicas ou privadas, ou seja, empresas privadas, com exceção de bancos (que emitem títulos semelhantes, mas são chamados de CDBs).  

São utilizados pela empresa emissora para financiar projetos, aumentar o capital ou capacidade de produção e reestruturar dívidas. À medida que os investidores ganham mais acesso ao valor do investimento inicial, esses ativos têm cada vez mais espaço na carteira.

Na prática, é fácil entender o modelo com vínculos proposto. O investidor emprestou dinheiro a uma empresa. Em troca, você receberá esse valor e a receita relacionada corrigida ao resgatar o aplicativo, de acordo com os termos atribuídos no momento da compra. Para as empresas, os títulos costumam ser uma opção mais favorável para levantar capital do empréstimo bancário de curto prazo. Isso ocorre porque seus custos de financiamento são menores. Para os investidores, além de maior previsibilidade, essa classe de ativos costuma proporcionar bons retornos.  

Fundos de renda fixa

Os fundos de renda fixa são como uma carteira de investimentos segura, com base em previsíveis e baixa volatilidade, como o CDB, títulos do governo, etc. É administrado por gerentes profissionais. Portanto, ao investir em tais fundos de investimento, você receberá cotas do fundo e seus fundos serão administrados pelo gestor.  

Vantagens e desvantagens de investir em renda fixa

O risco de crédito refere-se ao risco de o investidor não receber seu capital e ter rentabilidade no vencimento ou liquidação antecipada do investimento. Para os títulos do governo, é improvável que isso não aconteça. Para produtos não governamentais, como o CDB, o FGC oferece segurança.  

Outro risco importante, também baixo de renda fixa, é a liquidez, ou seja, uma possibilidade de um ativo ou investimento ser convertido em caixa pelo proprietário. Por exemplo, no mercado de ações, uma desaceleração pode afetar muito a liquidez, assim como o investimento em imóveis.

Por outro lado, na renda fixa, os lucros aumentam com base em quanto tempo o investimento é mantido. O resgate antes do vencimento pode significar perda de lucratividade.  

Principais investimentos de renda variável

Esse tipo de investimento envolve alguns riscos específicos de mercado, sendo possível obter ganhos potenciais do que a renda fixa. Mas, neste caso, de que tipo de instrumento estamos falando? Se você já pensou em transferir parte de seu patrimônio para ações, mas não sabe como ou se sente inseguro, este guia o ajudará.

De um modo geral, os investimentos em rendas variáveis definem-se a investimentos com retornos imprevisíveis durante o investimento. O valor varia de acordo com as condições de mercado - portanto, as recompensas proporcionadas pelos investimentos seguem os mesmos princípios.  

São diversos os produtos que podem ser utilizados para investir em renda variável, dos mais simples aos mais complexos. Cada um deles tem suas características próprias de risco e liquidez. A escolha do método mais adequado para cada investidor depende de uma avaliação prévia cuidadosa. Descubra os tipos mais comuns de investimentos em renda variável no mercado.

Ações

Negociadas na bolsa de valores, as ações são a menor parte do capital de uma empresa. Quem compra ações passa a ser sócio da empresa, partilhando assim os lucros auferidos pela empresa. Eles são o método de investimento de renda mais variável famoso.

Existem duas maneiras de lucrar com o investimento em ações. O primeiro é a distribuição de dividendos, que faz parte do lucro da empresa distribuído aos acionistas. Pelo menos 25% do bônus deve ser usado para pagar uma renda.

A segunda maneira é por meio de avaliações de ações nas bolsas de valores. Conforme o mercado muda e o desempenho da empresa, o preço das ações pode subir ou cair. Aqueles que compram ações a preços baixos e depois as vendem a preços mais altos podem ter lucro.

ETFs

Exchange Traded Funds é o nome completo do ETF, também conhecido como "fundo de índice". São fundos compostos por índices financeiros replicantes - como o Ibovespa ou o IBrX - e suas ações são negociadas em bolsa, assim como as ações. O objetivo é alcançar aos investidores uma carteira de investimentos alternativa quase igual à principal referência de mercado.

Uma de suas principais vantagens é a praticidade. Isso ocorre porque os ETFs permitem que os investidores apostem em várias ações ao mesmo tempo, sem ter que comprar papel por papel. O segundo é o custo. As taxas de administração de fundos de índice são geralmente muito mais baixas do que as taxas de administração de fundos de ações gerais, mesmo para passivos. Para ETFs negociados durante o pregão do B3, as taxas de juros variam de 0,05% a 0,69%.

Câmbio

O investimento em moeda estrangeira envolve aplicações de câmbio. Esse tipo de produto geralmente é considerado uma opção para diversificar a carteira de investimentos, e o mais importante é proteger os ativos das oscilações da economia brasileira.  

Existem muitas maneiras de fazer isso. Por exemplo, o Exchange Fund investe pelo menos 80% de seu patrimônio em ativos relacionados a moedas. O principal fator de risco são flutuações nos preços das moedas estrangeiras ou mudanças nas letras de câmbio.

Fundos de Investimento

Vários tipos de fundos permitem que você invista em renda variável. Ação é o exemplo mais comum. Por definição, essas carteiras de investimento investem pelo menos dois terços do patrimônio em ações negociadas em mercados organizados, como bolsas de valores, ou outros ativos relacionados ao segmento de mercado (como recibos de subscrição, ações de outros fundos de ações ou BDRs, que são recebimentos de ações estrangeiras negociadas no Brasil).

Criptomoedas

O tipo mais recente de ativo financeiro, a criptomoeda, é uma moeda virtual que não é integrada ou controlada pelo Banco Central. Na verdade, são códigos que podem ser convertidos em valores. Sua criação é realizada por meio de uma rede descentralizada de pessoas que registram como transações com essas moedas em seus servidores. Eles são protegidos por criptografia e tecnologia blockchain.

Vantagens e desvantagens de investir em renda variável

A principal vantagem de investir em renda variável é a possibilidade de obter retornos maiores do que a renda fixa. Isso acontece quando o sentimento do mercado é bom e as empresas que emitem ações e outros instrumentos crescem e progridem em seus segmentos de mercado. A contraparte é o risco mais alto. Na renda variável, não há garantia de que a melhor situação ocorrerá, enquanto na renda fixa as condições salariais estão definidas desde o início.

O mercado de ações também é muito volátil. Pense na bolsa: um dia o Ibovespa sobe, no outro cai sempre o mesmo. Portanto, é necessário estar sempre preparado para lidar com o nervosismo da instabilidade do mercado.

Por outro lado, existem muitos tipos de ativos no mercado de ações. Com isso, é possível investir em produtos e segmentos de mercado que atendem especificamente aos objetivos de cada investidor. Se as pessoas pensarem que as empresas de varejo devem ter um bom desempenho em um período de tempo, elas comprarão ações de empresas regionais com facilidade relativa. Por outro lado, se você gosta do setor de energia, mas não quer trabalhar muito na tese, você pode encontrar fundos de ações que se concentram neste campo.

Lembrando que você também pode investir em bens ou serviços a médio e longo prazo. Para isso, conheça as opções de consórcio oferecidas pela Embracon, administradora do consórcio.

Simulação
chat Eva