Conheça os 20 principais carros do Brasil

Conheça os 20 principais carros do Brasil

Desde que os primeiros modelos de Fusca passaram a ser fabricados no país, o brasileiro revelou-se um verdadeiro apaixonado por automóveis.

E essa paixão tornou-se cada vez mais crescente. A própria história do consórcio tem um papel bem importante nessa relação: afinal, com a invenção do modelo, há mais de 50 anos, milhões de pessoas puderam ter a oportunidade de realizar a compra do seu primeiro automóvel.

Com o passar dos anos, diversos modelos foram criados, e as próprias montadoras passaram a oferecer o consórcio como uma possibilidade de compra. Atualmente, o consórcio ainda é uma das principais formas de adquirir um novo veículo.

Mas, diante de tantas opções, como fazer a escolha do modelo que realmente preciso?

Para que você tenha um conhecimento mais detalhado dos principais carros do Brasil, fizemos uma seleção separada por suas categorias.

Antes de passar por cada modelo, vamos explicar um pouco de cada categoria, para que você tenha mais informações antes de escolher o próximo carro que deseja comprar - quanto a isso, conte com o consórcio de automóveis.

Carros hatch

Os modelos hatch por muito tempo foram considerados ‘modelos de entrada’ para a compra de um novo carro. Eles geralmente são mais compactos e se destacam pela economia, tanto de combustível, como de manutenção.

Eles geralmente figuram nas listas dos mais vendidos de todo o país justamente porque se adequam a diferentes realidades: se você precisa de um carro para trabalhar, mas também considera viagens e diferentes passeios de fins de semana, um carro hatch pode oferecer justamente o que você precisa.

A seguir, vamos mostrar os principais modelos hatch para se comprar no Brasil.

Chevrolet Onix

Desde que foi lançado no mercado brasileiro, o Onix tomou a dianteira como o carro mais vendido do país. Por conta disso, a Chevrolet apostou firme no modelo e, em 2020, deu uma repaginada total em seu design, tornando-o mais esportivo e trazendo mais conforto para o consumidor.

Por conta disso, o modelo passou a ficar um pouco mais caro - mas, pelo menos até agora, nada que tenha abalado a liderança na categoria dos mais vendidos.  

Como diferenciais, o Onix apresenta painel mais digitalizado, conexão 4G e display que permite conexão bluetooth com até dois celulares simultaneamente. Em todas as versões, o Onix possui motor 1.0, com valores que vão de R$ 56.290 (com câmbio manual) a R$ 81.890 (Premier II, com câmbio automático).

Hyundai HB20

Assim como o ‘rival’ Onix, o HB20 também passou por uma reformulação recente. Porém, ele surge com um valor mais competitivo para quem busca modelos de entrada zero km - em outras palavras, bem mais acessível que o modelo da Chevrolet.

Embora não tenha a mesma potência, a marca sul-coreana investiu em um design mais arrojado para seu modelo de entrada.  

A versão mais barata e básica é a Sense 1.0, com valor de R$ 47.990. Mas, quem procura por um modelo com mais conforto e mais potência, pode investir no Evolution, também com motor 1.0, que custa a partir de R$ 54.990.

Volkswagen Gol

Por muitos anos a Volkswagen manteve com folga o Gol na liderança do carro popular mais vendido do país. Com a chegada de Onix e HB20, o clássico alemão acabou ficando pra trás, principalmente porque não reformulou o suficiente para que se tornasse mais atrativo para as gerações seguintes.

Seja como for, o modelo ainda tem sua relevância e costuma ser considerado como um hatch de entrada. Para os modelos de 2021, a Volkswagen fez questão de adaptar seu modelo de painel, com um ótimo display com conexão bluetooth e bom sistema de som. Os valores vão de R$ 50.250 (versão 1.0 mecânica) a R$ 61.390 (1.6 automático).

Ford Ka  

Com a repaginada da Ford em seu modelo de entrada, o Ka passou a competir diretamente com os modelos hatch mais vendidos. Em 2018, o modelo se destacou como uma das melhores opções do segmento, principalmente por conta de sua potência.

Em 2021, porém, a Ford anunciou sua saída do Brasil, o que também deve comprometer o desempenho de vendas do Ka - que deve parar de ser fabricado a partir de 2022. Mas, se ainda procura um modelo de entrada potente e com conforto o suficiente para trafegar nas estradas e na cidade, você pode investir em um zero km a partir de R$ 49.890 na versão 1.0 mecânica. Se procura por um Ka mais potente, vá atrás da versão Freestyle 1.5 automática, que pode custar R$ 68.490.

Renault Kwid

Com a saída do mercado do famoso Clio, a Renault testou diferentes formas de colocar um hatch no mercado que pudesse competir com os concorrentes. Embora o Sandero tenha boa saída e vantagem, foi com o Kwid, que é mais compacto e vem em versões mais em conta, que a montadora francesa conseguiu conquistar mais brasileiros.

Conhecido como um subcompacto, o Kwid é comercializado nas versões Life, Zen, Intense e Outsider. Os preços vão de R$ 46.390 a R$ 57.490.

Carros sedã

Os carros sedãs têm porta-malas maiores e contam com um espaçamento interno mais confortável. Por conta disso, essa categoria acaba sendo considerada como um degrau acima dos hatches, embora existam opções para todos os gostos.

Na última década, o Brasil viu a categoria crescer bastante, principalmente com a chegada dos sedãs compactos, que nada mais são do que versões um pouco maiores dos hatches. Além deles, existem os sedãs médios, que custam um pouco mais e são maiores, sem esquecer dos cobiçados sedãs grandes.

Como o objetivo é apresentar os modelos principais do mercado brasileiro, todos os carros citados são da categoria sedã compacto.

Onix Plus

Assim como o Onix domina o mercado de hatch, seu equivalente, Onix Plus, se destaca como o sedã mais vendido do Brasil. A Chevrolet aproveitou a alta popularidade de seu modelo e, de certa forma, foi preparando o terreno para o lançamento da versão sedã do Onix, antes ocupada pelo Prisma e pelo Joy.

A versão mais básica, LT com motor 1.0, custa em torno de R$ 66.190. Mas, se quiser o modelo mais potente, o Premier Turbo II automático, também com motor 1.0, precisa desembolsar em torno de R$ 89.390.

Volkswagen Voyage

Antes mesmo do termo sedã compacto se tornar popular aos interessados em comprar carro, o Voyage já se apresentava como um dos queridinhos da Volkswagen. Depois de sua reformulação para se encaixar na categoria, passou a ser procurado como um modelo de entrada para quem procura um pouco mais de espaço e conforto.

A versão 1.0, com 12V e câmbio manual, custa a partir de R$ 63.090, enquanto o top da linha, o 1.6 16V MSI automático, tem valor a partir de R$ 73.190.

Honda City

A popularidade do sedã compacto fez com que a Honda criasse um modelo que funcionasse como meio-termo para o Civic (que se encaixa como sedã médio). Assim surgiu o City, um modelo mais econômico que traz todos os benefícios já conhecidos da marca japonesa: baixo índice de manutenção, bom desempenho e espaçamento interno confortável.

A versão de entrada do City possui motor 1.5 DX, de 16V, e custa R$ 78.100, com câmbio manual. Já a top de linha é o 1.5 EXL, também com 16V, só que com motor mais potente e câmbio automático, custando a partir de R$ 106.000.

Fiat Grand Siena

Quando foi lançado pela Fiat pela primeira vez, nos anos 1990, o Siena veio como o ‘irmão sedã’ do Palio - hoje um modelo não mais fabricado pela marca italiana. Com isso, o Siena passou por uma reformulação total para brigar no segmento de compactos.

A versão básica, EVO Flex Attractive, possui câmbio manual e preços a partir de R$ 55.300. Quem busca mais potência para o sedã compacto da Fiat pode considerar o Grand Siena com motor 1.4 8V, com preços a partir de R$ 69.700.

Renault Logan

O ‘irmão’ sedã do Sandero tem aumentado sua popularidade cada vez mais - inclusive, é conhecido como o ‘queridinho’ dos motoristas de aplicativo, justamente por seu bom custo-benefício e opcionais agradáveis, com airbag, trava e vidro elétrico, ajuste de altura do volante, entre outros.

O Logan é comercializado em até seis versões, iniciando com o 1.0 12V SCE Flex com câmbio manual, com valor a partir de R$ 62.590. Quem procura uma versão mais potente pode contar com o top de linha SCE 1.6 16V Iconic X-Tronic, com valor a partir de R$ 83.790.

SUVs

Nos últimos anos, os brasileiros têm se interessado bastante por modelos SUV, que nada mais são que carros maiores, conhecidos como utilitários esportivos. Nos últimos anos, a categoria cresceu tanto, que não demorou para surgirem as subdivisões, como mini SUVs, SUVs esportivas, entre outras.

De acordo com a Fenabrave (Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores), os SUVs já representam 36,4% dos emplacamentos de novos veículos no primeiro trimestre de 2021, um aumento de mais de 9 pontos percentuais comparado ao ano anterior.

Nos últimos anos, as montadoras investiram bastante nesse segmento: a Volkswagen, por exemplo, veio com três modelos somente nos últimos dois anos: o Nivus, T-Cross (que explicaremos em detalhes a seguir) e o novo Taos, que vem gerando burburinhos positivos. Marcas como Renault e Jeep também têm se destacado nesta categoria. A seguir, confira os principais SUVs do mercado brasileiro.

Jeep Renegade

O modelo mais compacto da Jeep agradou bastante o brasileiro desde que chegou ao mercado pela primeira vez, em 2015. Isso porque possui ótimos diferenciais, como motorização turbodiesel e sistema de tração nas quatro rodas, que facilitam o ótimo desempenho nas ruas.  

A versão de 2022 do Renegade vem com porta-malas ampliado, chegando a 320 litros, além do sistema Adventure Intelligence, que permite acessar vários detalhes e informações sobre o veículo por meio de aplicativo e operacionalizar algumas funções de forma automática - inclusive, você pode conectar o sistema do Renegade à Alexa, sistema de voz da Amazon.

É possível iniciar a compra de um Renegade com R$ 89.990, com o modelo STD 1.8 Flex. Já a versão top de linha, a Trailhawk 2.0 Diesel 4x4, custa quase o dobro de sua versão de entrada: R$ 172.990.

Volkswagen T-Cross

Por muitos anos a Volkswagen se manteve tímida no lançamento de SUVs. Quando o T-Cross veio para o mercado nacional, em 2019, já se deparava com vários concorrentes.  

Mas, em pouco tempo, o modelo veio para brigar pesado com os seus concorrentes, com a economia dos motores TSI, a tecnologia Active Info Display, com um computador de bordo inteligente e ajuste personalizado de temperatura interna com o Climatronic. O conjunto de tudo isso fez com que o T-Cross fosse selecionado como melhor modelo de compra de até R$ 130 mil pela revista Quatro Rodas.

O valor de um T-Cross inicia em R$ 104.190 (modelo 200 TSI com câmbio manual) e pode chegar a até R$ 136.890 com a versão Highline 250 TSI automática.

Nissan Kicks

O primeiro Nissan Kicks veio ao Brasil em 2016, tornando-se um dos primeiros SUVs compactos do mercado. Nesse tempo, o modelo se destacou como o mais vendido da marca e tem apresentado ótimos motivos para ser um dos preferidos da categoria, a começar com o sistema de câmeras de 360º, que permitem ter uma visão panorâmica enquanto dirige ou estaciona, além de alerta de colisão com assistente de frenagem inteligente.

O modelo de entrada é o Kicks Sense 1.6 com câmbio manual, com preço a partir de R$ 90.390. O modelo top de linha é o Exclusive, também com motor 1.6 CVT, que custa em torno de R$ 119.890.

Chevrolet Tracker

Embora já existente no mercado há alguns anos, com a total remodelagem o Chevrolet Tracker veio para competir principalmente com a Volkswagen com o seu SUV compacto, oferecendo itens de série interessantes, como assistente de partida em rampa, vidros elétricos com sistema antiesmagamento e central multimídia que permite conexão com Android Auto e Apple CarPlay.

Todas as versões do Chevrolet Tracker possuem motor turbo, iniciando com valor de R$ 94.800 (1.0 manual) e podendo chegar a R$ 129.490 (1.2 Turbo Flex Premier com câmbio automático).

Renault Captur

A Renault foi uma das primeiras montadoras brasileiras a perceber o potencial do mercado SUV. O que começou com o Duster acabou se aprimorando com a chegada do Captur, em 2017, que se destaca por seu bom espaçamento interno (com bancos dianteiros confortáveis e largos) e invejável desempenho nas ruas.

Quando foi lançado, o Captur era oferecido nas versões 1.6 e 2.0. Porém, a Renault fez uma remodelagem e adaptou o Captur para um motor 1.3 turbo em todas as três versões (Zen, Intense e Iconic), que gera bom desempenho e ainda economiza combustível.  

O valor de entrada do Captur é de R$ 125.690 (Zen) e pode chegar a até R$ 139.790 (Iconic).

Picapes e caminhonetes

Embora seja uma categoria bem menos competitiva que hatch, sedã e SUV, as caminhonetes há décadas conquistam um nicho importante de consumidores brasileiros. A seguir, vamos apresentar os principais modelos.

Toyota Hilux

Para os fãs de caminhonetes, a Hilux é considerada um sonho de consumo por conta de toda a garantia da marca Toyota e seu ótimo desempenho nas estradas. Já na versão de entrada, o modelo possui controle de velocidade de cruzeiro, assistente de reboque e subida, imobilizador por código eletrônico, além de todos os itens já considerados ‘necessários’, como ar-condicionado, painel multimídia, computador de bordo, entre outros.

A versão de entrada do modelo cabine-dupla é a SR 2.7, que custa a partir de R$ 159.990. Mas, quem quiser um modelo mais potente, pode investir na versão SRX 2.8 TDI a diesel, com valor a partir de R$ 280.390.

Fiat Toro

A Fiat se mantém bem posicionada no segmento de picapes: com a Strada, por exemplo, ela atrai muitas pessoas que querem investir em sua primeira picape. Mas, quem busca um modelo mais robusto, certamente deve ir atrás do Fiat Toro, que possui controle de estabilidade e tração, central multimídia, assistente de subidas e volante multifuncional.  

A versão Endurance, com motor 1.8, custa a partir de R$ 128.990. Sua versão mais esportiva e top de linha é a Ultra 2.0 TDI, que é 4x4 com câmbio automático, chegando a custar a partir de R$ 192.990.

Volkswagen Saveiro

Este clássico da Volkswagen volta com versão repaginada. Embora fique um pouco atrás dos concorrentes que listamos por aqui, apresenta uma ótima relação custo-benefício com bons itens de série, como freio a disco nas quatro rodas, alerta de frenagem de emergência e distribuição eletrônica de frenagem.

O modelo de entrada da Saveiro é o Robust 1.6 MSI, que custa a partir de R$ 63.950. Já o modelo top de linha, o Cross 1.6 16V MSI, pode ser encontrado a partir de R$ 101.390.

Chevrolet S10

A S10 é outro clássico das ruas nacionais: pelo menos desde o início dos anos 2000 o modelo da Chevrolet tem conquistado os apaixonados por picapes grandes. A versão 2022 vem com sensor traseiro e dianteiro de estacionamento, ganchos móveis para levar carga e um interior bem arrojado, com central multimídia e partida remota com chave canivete.

O modelo de entrada é a S10 Advantage 2.5 Flex 4x2, com preços a partir de R$ 156.890. Já a top de linha, a High Country 2.8 Diesel 4x4, com câmbio automático, pode custar de R$ 244.930 pra cima.

Ford Ranger

Outro competidor das ‘antigas’ na lista das picapes e caminhonetes é a Ford Ranger, que ajudou a popularizar no Brasil a paixão pela categoria já admirada nos Estados Unidos.

É possível comprar modelos de Ranger com cabine única e cabine dupla. Os preços de Ranger cabine dupla iniciam em R$ 174.590 (com a versão XLS 2.2 Turbo) e podem chegar a até R$ 262.990 (Limited 3.2 Turbodiesel, com 20V 4x4).

Consórcio de automóveis: a melhor forma de comprar seu novo carro

Caso queira investir em um novo modelo de carro, não importa se seja hatch, sedã, SUV ou picape, a melhor opção é o consórcio.

Você não precisa pagar valor de entrada ou juros nas parcelas. Trata-se da melhor forma de parcelar o bem, porque você paga por um valor mais justo a prazo.

Fazer um consórcio para a compra de um automóvel é muito fácil. Basta escolher uma administradora que possua autorização do Banco Central do Brasil (Bacen), como a Embracon, e selecionar o consórcio de automóveis.  

Para fazer a simulação, escolha um valor de referência para a compra do carro que deseja. Depois disso, é só selecionar a quantidade de parcelas e verificar qual o melhor valor para o seu consórcio.

Leve em consideração os seus rendimentos mensais e escolha um valor de parcela que não pese no seu orçamento. Depois disso, você entra em um grupo e pode ser contemplado de duas formas: por meio dos sorteios ou com a oferta de um lance, que é um valor mais elevado que os consorciados podem tentar, com o objetivo de ter acesso à carta de crédito com antecedência.

A vantagem é que a carta de crédito dá poder de compra à vista, o que permite uma boa margem de negociação com as concessionárias ou proprietários.  

Portanto, invista desde já no seu sonho. Faça uma simulação de consórcio de automóveis e confira na prática as vantagens de uma modalidade que ajuda milhões de brasileiros a adquirirem o que desejam.

Simulação
chat Eva