A hora ideal para trocar carro

A hora ideal para trocar carro

Algumas pessoas pensam que não sabem exatamente quando trocar carro, mas preferem fazê-lo todos os anos para evitar desvalorizar o valor do veículo. O raciocínio é válido porque, em tese, os carros usados ​​têm boa aceitação no mercado. 

Além disso, um carro novo em boas condições requer menos idas à oficina. Mas esses fatores são suficientes para determinar o momento exato para fazer essa mudança? 

Não demora muito para você descobrir que, de fato, há muitos aspectos em jogo. Continue lendo para saber o que considerar antes de trocar de carro! 

Momento ideal para trocar carro 

Observe os quilômetros rodados 

Se você usa seu carro como ferramenta de trabalho, percorrendo centenas de quilômetros por dia, deve ficar atento à quilometragem anual indicada pelo fabricante. Caso a quilometragem total ultrapasse os 100.000 km, é recomendável que você tome conhecimento da necessidade de substituição. 

Fique atento a quantidade de manutenções 

Modos de condução muito agressivos geralmente aceleram o processo de desgaste dos componentes internos do carro. Portanto, a maneira como você dirige seu carro é basicamente o fator decisivo na manutenção excessiva. A condução regular e cuidadosa pode manter o veículo funcionando por meses ou anos sem a necessidade de reparos mecânicos constantes. 

No entanto, outros cuidados são igualmente importantes, como trocar o óleo do motor ideal dentro do prazo recomendado pela montadora. Além disso, há a qualidade do combustível, que é igualmente importante para a durabilidade do motor. 

Existem muitas outras razões pelas quais seu carro precisa ser cuidadosamente mantido. Isso é normal porque você tem um sistema operacional complexo em suas mãos. Muitas vezes, o desgaste de um componente causa o mesmo desgaste em outro item, o que pode criar um efeito dominó. 

Seja qual for o motivo, o fato é que o deslocamento excessivo do carro para a oficina é um sinal importante de que ele precisa ser substituído mais cedo ou mais tarde. Em alguns casos, uma revisão pode prolongar a vida útil do carro. Dessa forma, você pode pelo menos preparar seu plano de comunicação com mais calma. 

Custos altos com conserto 

Às vezes, você nem precisa ser um frequentador assíduo da oficina para começar a sentir que tem um buraco no bolso. Tenha em mente que alguns carros – basicamente importados ou mais luxuosos – são mais caros para manter do que carros comuns. 

A manutenção anual simples pode chegar a 10% do valor da carga, dependendo da marca do carro, modelo, ano do veículo e diagnóstico. Você se identifica com esse tipo de proprietário? Portanto, leve isso em consideração ao trocar de carro novamente. 

Desvalorização do veículo 

A taxa de depreciação dos carros também pode se tornar um grande problema. Após o primeiro ano de uso, alguns modelos depreciam entre 10% e 15%, enquanto outros apresentam margens de lucro superiores a 20%.  

Assim, na hora de trocar de carro, você terá que considerar o valor que precisa pagar pela depreciação. Tomemos, por exemplo, um carro novo no valor de R$70 mil. Um ano depois, sua avaliação caiu para entre R$ 55 mil e R$60 mil. Neste caso, se você comprar o mesmo modelo mas 0km, precisa entregar o modelo usado e adicionar R$ 10 mil ou R$15 mil. 

As mudanças nas contribuições financeiras provavelmente serão maiores, pois os preços dos novos modelos são afetados pelas condições de mercado. Lembre-se de incluir outros custos no preço final, como taxas de transferência e acessórios. 

Término da garantia 

A maioria dos carros fabricados e vendidos no Brasil vem com 3 anos de garantia, mas alguns fabricantes oferecem 5 anos de garantia. Por isso, muitas pessoas preferem trocar de carro após esse intervalo, mesmo que o recorde de quilometragem seja baixo. 

Quanto à garantia, ao contrário do que alguns pensam, é muito específica do veículo. Em outras palavras, os itens de desgaste normal não são cobertos pela garantia anunciada pela concessionária. O seguro automóvel novo inclui: 

  • suspensão; 

  • substituição de todo o conjunto de acessórios; 

  • elementos que componham o sistema mecânico. 

Por outro lado, a cobertura não abrange: 

  • estofamento interno; 

  • pneu; 

  • amortecedores; 

  • correias; 

  • fluidos; 

  • filtros. 

Não existem dúvidas ao dizer que a garantia cobre as peças que tendem a ser as mais caras para o proprietário. Portanto, é preciso ficar atento ao término do período, pois a primeira manutenção fora do período de garantia pode resultar em cobranças às quais você não está acostumado. 

Trocar carro por conta de aumento da renda 

Uma das razões pelas quais alguém gostaria de trocar carro é por um aumento salarial ou, quem sabe, um retorno satisfatório do investimento. Na verdade, o dinheiro extra é bom para esse tipo de transação, mas é preciso ter cautela. 

Tenha em mente que o custo médio de um carro varia de acordo com a marca e o modelo do carro. Portanto, se for o caso, verifique o valor de determinados impostos atrelados ao modelo desejado, bem como o valor das peças de reposição e, claro, do seguro total. Todos esses itens são proporcionais ao valor do veículo

Um consórcio é uma forma de aquisição planejada, ou seja, você paga mensalmente com a finalidade de trocar de carro quando é contemplado. 

Perceba que onde quer que seu dinheiro vá, você o usará de maneira mais inteligente. Por isso, ao trocar carro, considere economizar o dinheiro necessário para viver uma vida mais tranquila. 

Esse artigo te ajudou? Continue nos acompanhando para mais conteúdos como este. 

Não deixe de fazer sua simulação conosco

chat Eva