O que é considerado nas parcelas do consórcio

O que é considerado nas parcelas do consórcio

O consórcio é uma excelente oportunidade de negócio para quem pretende adquirir um bem de alto valor. Porém, esta modalidade ainda desperta muitas dúvidas em quem está pensando em aderi-la. Um dos assuntos mais questionados é sobre a parcela de consórcio.

Agora daremos mais detalhes sobre os fatores considerados no consórcio.

Fundo Comum

O fundo comum é o valor em que as mensalidades dos consorciados são destinados. Para que tenha foco e garanta que todos os consorciados sejam devidamente contemplados, as administradoras fazem a separação por grupos.

Taxa de Administração

A taxa de administração nada mais é que a forma de remunerar a empresa de consórcio pelo serviço que ela realiza.

As administradoras cobram este serviço porque se responsabilizam por diversas etapas que envolvem o consórcio

Fundo de Reserva

O Fundo de Reserva é um valor que garante o funcionamento do grupo de consorciados em determinadas situações já previstas em contrato, como insuficiência de receita nas assembleias de contemplação ou permitir o sorteio de, no mínimo, um crédito por assembleia.

Este valor é diluído nas parcelas do consórcio e se mantém em níveis adequados ao longo dos meses. É uma garantia para viabilizar todas as contemplações, levando em consideração imprevistos e flutuações de valores dos bens.

Caso o valor não seja utilizado, é dividido entre todos os participantes após o encerramento contábil do grupo.

Seguro

Geralmente as administradoras preveem em contrato quando as mensalidades incluem seguro. Em outros casos, porém, a administradora oferece como um serviço à parte, cuja contratação fica a critério do consorciado.

Se você está receoso em investir em uma carta de crédito por conta de alguma adversidade no futuro, vale a pena conferir as opções de seguro. Um dos mais contratados é o seguro prestamista, que realiza o pagamento total ou parcial das mensalidades restantes.

Porém, é importante ficar atento: o seguro de consórcio é diferente de um seguro de carro ou de imóvel. Ele não protege o bem que você escolheu investir; protege as suas condições de pagamento

Vantagens do consórcio

Custo baixo

Os consórcios não exigem valores de entrada. Muitas pessoas, aliás, não procuram poupar e investir por acreditarem que é necessário ter uma verba inicial bem alta. No caso dos consórcios, a parcela inicial já é diretamente poupada para a aquisição do bem desejado.

Não existe cobrança de juros, apenas uma taxa de administração. E apesar disso, o resultado final no custo efetivo da compra do bem pelo consórcio é muito inferior a outras formas de crédito.

Melhora o planejamento financeiro

Muitas pessoas têm bastante dificuldade para cortar gastos extras e fazer um planejamento financeiro adequado. Como o consórcio é um compromisso, é praticamente certeza que você vai conseguir estruturar melhor seu orçamento, ficando em dia com as prestações e tendo a chance de receber a contemplação.

Parcelamento integral

Tão fundamental quanto os prazos e a ausência de juros é a vantagem do parcelamento integral. Saiba que, ao escolher um consórcio, o valor do bem vai ser dividido integralmente na quantidade de parcelas que você se comprometeu a pagar.

Isso significa que, para iniciar um consórcio, você não vai ter que descapitalizar com as tão indesejadas entradas, e é justamente esse aporte inicial que muitas vezes dificulta a vida de quem deseja adquirir um bem.

Maior poder de negociação

Quando um integrante recebe sua carta de crédito, ele tem a quantia integral do plano adquirido. Normalmente, compradores que têm a possibilidade de fazer o pagamento à vista conseguem muito mais possibilidades quanto à negociação e ao poder de compra.

Não perde o poder de compra

As administradoras de consórcio, para assegurar que a sua carta de crédito tenha o poder de compra atualizado, promovem alguns ajustes nas prestações mensais durante o tempo de vigência do plano de consórcio. É importante mencionar que essas alterações são totalmente previstas em contrato, variando de acordo com a administradora.

Isso ocorre por conta das constantes variações econômicas, como inflação e afins. Ou seja, os ajustes são imprescindíveis para que o valor total tenha o mesmo valor real de quando o grupo se iniciou.

Agora que já sabe tudo o que entra no cálculo da parcela de consórcio, acesse o site da Embracon e faça sua simulação!

chat Eva