Saiba a hora certa de fazer a troca do seu carro

Saiba a hora certa de fazer a troca do seu carro

Depois de muitos passeios e viagens, a alta quilometragem do veículo costuma vir acompanhada de alguns problemas. Por mais que você cuide bem do seu carro, quanto mais velho ele fica, aumentam as chances de visitas indesejáveis ao mecânico.

Antes que isso possa acontecer, vale a pena trocar de carro. Entretanto, não se trata de uma decisão fácil. A compra de um novo veículo exige planejamento: é preciso entender o quanto você pode pagar a mais por um novo carro – seja um seminovo ou zero km – e, principalmente, de que forma investir.

Felizmente, o consórcio pode ser um aliado importante para que você possa trocar seu carro. Confira a seguir.

Qual a melhor época do ano para comprar um carro novo?

São semanas e até meses de namoro pelas lojas e concessionárias até que o cliente tome a sua decisão sobre qual a marca e o modelo que mais agrada para fechar a compra.

Por outro lado, as condições econômicas do país não permitem que o consumidor possa se dar ao luxo de não pensar em descontos, promoções e preços mais baixos.

É preciso usar de estratégia para alcançar o objetivo de levar o carro para casa — e pelo menor preço. Por isso, as montadoras sempre mostram o seu jogo e deixam claro que o segundo semestre apresenta mais vantagens para a compra de veículos.

O principal fator para isso é que esse período compreende a época em que as lojas recebem os novos veículos do ano seguinte e, para não estocar os carros do ano, dão início às promoções com preços mais atrativos por esses modelos. Isso motivado, principalmente, pela desvalorização que o carro vai sofrer com a virada de ano.

Quando trocar de carro?

Existem alguns motivos que levam à decisão para trocar de carro e vamos dar alguns por aqui.

Visitas frequentes à oficina

Assim que o carro começa a apresentar muitos problemas, sendo preciso levá-lo de maneira frequente à oficina, é natural pensar que ele deve ser trocado por outro.

Entretanto, é fundamental que se busque uma avaliação de um mecânico de confiança, pois ele fará uma análise e indicará se os motivos dos problemas são em decorrência da falta de revisão ou do desgaste do automóvel.

Carros usados ou novos vão sempre precisar de eventuais gastos e de cuidados. Portanto, antes de correr para fazer a troca, tenha certeza de que a solução não é uma simples troca de peças.

Alta quilometragem

Este é um excelente indicador para ter certeza de que é a hora ideal para trocar ou não de carro, visto que a quilometragem vai apontar o quanto o seu automóvel já foi usado.

Dessa forma, vale lembrar que por volta de 60 mil quilômetros o carro já vai confirmar um desgaste natural em componentes, como a embreagem e a suspensão. Por esse motivo, ele vai passar a exigir manutenção frequentemente.

Contudo, é possível manter um automóvel funcionando de maneira normal, apesar da quilometragem avançada. Isso acontece porque a rotina de cuidados tomados e de uso deve ser levada em conta na problemática.

Então, caso você esteja evitando percursos acidentados, trocando filtros e óleo, e fazendo revisões periódicas no veículo, ele pode estar em bom estado de conservação.

Condições das peças

Os componentes do carro que são feitos de borracha e de plástico têm vida útil de aproximadamente cinco anos.

Depois desse período, eles vão apresentando desgastes que influenciarão em outras peças do automóvel. Mangueiras tendem a ressecar conforme o tempo, por exemplo, o que compromete o funcionamento do motor.

Estado do motor

Se você for um motorista que não cuida das trocas periódicas de água, aditivo e óleo, pode ter certeza de que, com o tempo, o motor do seu carro vai sentir o impacto de possíveis superaquecimentos.

Essa peça, que é o coração do seu automóvel, pode até não fundir. No entanto, terá o seu funcionamento comprometido, levando-o a gastar, se desejar ter o seu carro novamente.

Ou seja, se o seu carro usado tem apresentado vários problemas de superaquecimento, água vazando do radiador e mangueiras arrebentando, não espere o pior acontecer para decidir trocá-lo.

Desvalorização do veículo

Outro bom motivo para fazer a troca do seu carro é a sua desvalorização.

O motorista precisa ficar atento e analisar o que está acontecendo no mercado automotivo. A saída de linha ou uma mudança radical no modelo de um veículo podem ser grandes razões para que haja uma desvalorização.

Por isso, se você perceber uma queda no valor do seu automóvel, não hesite em colocá-lo à venda. Quanto mais tempo você deixar passar, mais valor de mercado ele vai perder.

Alguns carros são notórios por terem desvalorização rápida. Então, é necessário levar isso em conta quando for vender e também quando for comprar o novo.

Consórcio para trocar de carro

Você sabia que é possível usar o seu carro usado como lance para a aquisição de um novo automóvel – seja ele um seminovo (de até 3 anos) ou um zero km? Para isso, é preciso selecionar uma carta de crédito de automóvel no momento da simulação. O valor total da carta equivale ao preço do carro que você deseja obter.

Após passar pela etapa de comprovações, você entra em um grupo com outros consorciados. Todos os meses são realizadas assembleias, que fazem o sorteio do bem.

Esperamos que, depois de algumas dicas, você tenha um ótimo embasamento para decidir sobre o momento certo para trocar de carro. Analise os prós e contras com muita calma e faça uma boa escolha!

Então, para ajudar ainda mais na sua escolha, confira um guia para identificar e eliminar os gastos desnecessários, para não errar!

Simulação Consórcio
chat Eva