Vale a pena fazer um seguro residencial?

Vale a pena fazer um seguro residencial?

Quando decidimos morar em uma casa ou apartamento, ficamos sujeitos a alguns perigos. Pode acontecer algum tipo de incêndio, roubo, furto ou uma situação desagradável que pode bagunçar nosso planejamento financeiro

Seja morando em casa própria ou de aluguel, o fato é que as pessoas têm cada vez mais procurado opções para se manter seguro. Por mais que isso não signifique total blindagem de alguns imprevistos, a busca por seguro residencial tem se mostrado como opção viável para muitas pessoas. 

A pandemia de Covid-19, inclusive, acabou contribuindo para que mais pessoas contratassem produtos desse tipo. Uma pesquisa realizada pela corretora de seguros online Minuto Seguros detectou que, nos primeiros meses da pandemia, houve um crescimento de 38% em apólices de seguro residencial. 

Os motivos são variados. Com a ampla adoção do home office, o seguro passou a ser uma espécie de apoio, cobrindo serviços emergenciais e até a contratação de profissionais para lidar com problemas corriqueiros da sua casa ou apartamento. 

A verdade é que existem diversos tipos de seguro, que podem cobrir as situações mais inusitadas. Mas, será que vale a pena contratar esse tipo de serviço? Confira a seguir. 

Como funciona o seguro residencial 

Ao fechar com uma seguradora, você tem diversos tipos de cobertura. Os planos mais básicos incluem proteção contra incêndio, vendaval, queda de raio, danos elétricos e até mesmo casos de roubo e furto. 

Para isso, é preciso fechar o contrato com uma empresa de confiança e ficar muito atento à apólice, que determina quais são as coberturas previstas

Algumas catástrofes naturais, como desmoronamentos por conta de alguma causa natural, também podem ser cobertos. 

Caso queira contar com apoio de profissionais especializados para lidar com problemas domésticos, muitas apólices preveem assistência emergencial para serviços como encanador, desentupimento, chaveiro, eletricista e até conserto de eletrodomésticos (como geladeiras, micro-ondas etc)

Geralmente a cobertura é classificada de duas formas: 

  • Cobertura básica: que inclui casos de incêndio, explosão e fumaça que possam acontecer na sua residência. Esse tipo de cobertura é obrigação de qualquer seguro residencial e tem o objetivo de cobrir o seu imóvel diante de danos graves. Acidentes com fogo na cozinha ou até mesmo a explosão do botijão de gás entram nesse tipo de cobertura - que indeniza até mesmo se houver uma queda de avião na residência. 

  • Cobertura complementar: são os adicionais de um contrato de seguro, que podem incluir impacto de veículos na estrutura, responsabilidade civil e familiar, entre outros. Cada seguradora tem um tipo específico de cobertura complementar, que pode representar um valor a mais na sua apólice. 

Uma pesquisa realizada pela Proteste detectou que o brasileiro pode gastar, em média, R$ 456 por ano com o seguro residencial.  

Por que contratar seguro residencial 

A seguir, veja algumas razões para contratar o seguro residencial. 

Bom custo x benefício 

Por mais que as pessoas evitem falar sobre tragédias quando o assunto é segurança da sua casa, o fato é que esse tipo de serviço representa uma grande economia caso tenha que lidar com situações emergenciais. 

Com um seguro residencial, a seguradora determina um valor a ser pago caso haja alguma das situações mencionadas. O valor cobrado para a apólice varia entre 0,2% e 0,6% do imóvel - um valor mais baixo até do que o seguro de um veículo, que em média custa entre 3% a 6% do valor do bem. 

Utilizando outro método de comparação: imagine que você tenha perdido a chave para entrar na sua casa e decida chamar o chaveiro. Só para que ele realize esse serviço, o valor pode chegar a R$ 200 - o total de pagamento de uma apólice anual de seguro, dependendo do tipo de cobertura. 

Dependendo dos casos, o prejuízo pode ultrapassar o valor de R$ 10 mil. Já pensou ter que tirar do próprio bolso para lidar com esse tipo de despesa? Por conta disso, o seguro residencial serve como proteção para lidar com esse problema, sem ter que mexer em suas economias

Personalize a cobertura da forma que quiser 

Embora a cobertura básica sirva para a maioria dos casos, você pode incluir o que gostaria para ter mais segurança. 

Claro que, quanto maior for a cobertura, mais a seguradora irá cobrar. Portanto, avalie os riscos e veja qual valor faz mais sentido para proteger você e sua família. 

Desfrutar de serviços de terceiros 

Muitas pessoas não sabem, mas o seguro residencial facilita a realização de alguns serviços do dia a dia. Dependendo da seguradora, você pode contar com mão de obra gratuita de profissionais especializados para lidar com limpeza da caixa d’água, check-up gratuito para o seu automóvel ou até mesmo participar de um sistema de pontuação da seguradora, para obter desconto em algumas compras. 

Na hora de escolher qual seria a melhor seguradora para você, avalie também esses pontos, para que possa ter uma experiência mais completa. 

Tranquilidade familiar 

Outra vantagem de pagar por um seguro residencial é garantir a segurança de toda a sua família diante das adversidades. Embora o seguro em si não proteja dos perigos que podem acontecer na sua casa ou apartamento, você pode contar com um valor que irá cobrir boa parte das despesas, sem prejudicar seu orçamento familiar. 

Além disso, a assistência 24 horas para alguns dos principais serviços domésticos podem ajudar no seu dia a dia, gerando economia de tempo e qualidade na execução do que precisa ser feito. 

Para mais dicas sobre finanças pessoais, assine a newsletter do blog da Embracon.  

chat Eva