Dúvidas mais frequentes sobre o reajuste de consórcio

Dúvidas mais frequentes sobre o reajuste de consórcio

O consórcio é uma ótima opção de crédito para quem quer comprar ativos de maior valor, mas não tem recursos para pagar à vista ou não quer perder capital. Este é um modelo proeminente e um ótimo exemplo de economia colaborativa

Pode-se dizer que uma economia colaborativa é baseada no planejamento e no acesso coletivo ou compartilhado aos bens. Muitos brasileiros estão aderindo ao modelo de cooperação do consórcio porque é uma aposta segura que se manteve durante a recessão dos últimos anos. 

Para investir bem seu dinheiro em consórcio e aproveitar ao máximo os benefícios desse modelo, é importante ter um conhecimento detalhado de todas as funcionalidades que o sistema oferece. 

Entre eles, o reajuste de consórcio é um aspecto que gera dúvidas. Então continue lendo e saiba mais. 

Como funciona o consórcio? 

Um consórcio começa com um princípio muito simples de compra coletiva, que começa com a reunião de um grupo de pessoas interessadas em comprar o mesmo tipo de mercadoria. A partir daí, cada consorciado contribui mensalmente para a formação de um fundo comum que é utilizado para realizar o desejo de cada consorciado de adquirir um veículo ou imóvel. 

Para participar de um consórcio, os interessados ​​devem procurar uma administradora, empresas responsáveis ​​por reunir pessoas em grupos específicos com base em tipos de bens. Podem ser carros, motos, barcos, casas, apartamentos, terrenos, reformas e muito mais. 

As contribuições individuais são pagas em parcelas mensais, acrescidas de todas as demais parcelas que comporão o saldo de caixa de cada período. Esse saldo será utilizado para permitir a contemplação dos consorciados, que serão concedidos por sorteio ou lance. 

Os futuros membros do consórcio recebem uma carta de crédito equivalente ao pagamento em dinheiro. Dessa forma, ele tem maior poder de barganha na obtenção dos benefícios que lhe interessam. O programa só será encerrado quando os consorciados pagarem as parcelas e todos os integrantes do grupo estiverem cobertos e tiverem acesso à carta de crédito. 

Vale lembrar que o consórcio é uma opção de investimento para pessoas físicas e jurídicas. Empresas também podem participar desse modelo colaborativo para adquirirem bens móveis e imóveis para suas infraestruturas. 

Como funciona o reajuste de parcelas do consórcio? 

O termo "reajuste" refere-se a uma nova decisão que segue os custos que foram alterados. Nesse sentido, um reajuste de consórcio é uma atualização do valor mensal pago em parcelas. 

Isso ocorre porque o custo das mercadorias é medido em relação às mudanças de mercado. Portanto, é necessário um reajuste para equilibrar o sistema e oferecer as mesmas condições para os membros do consórcio. 

Ou seja, trata-se de uma correção do valor da carta de crédito para que não ocorra a depreciação do valor final acumulado ao longo do tempo. Além disso, para não deixar os clientes perderem o poder de compra, ele é ajustado de acordo com o valor da mercadoria. 

Ainda, é importante lembrar que para o reajuste de parcelas do consórcio ser realizado, é necessário que haja a definição do índice em que a alteração será baseada. Isso deve ser acordado antes do contrato de adesão do consórcio ser assinado. 

Quais são os índices de reajuste de consórcio? 

O cálculo é realizado com a porcentagem do índice acumulado nos últimos 12 meses x valor do crédito contratado.  Para consórcios de automóvel, motocicleta e serviços, o índice utilizado é o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). Contratos de Imóvel são reajustados peço INCC (Índice Nacional de Custo da Construção)

O que achou deste artigo? Caso tenha dúvidas, entre em contato conosco. A Embracon tem mais de 30 anos de experiência no mercado para te ajudar nesse processo. 

Acesse nosso site

chat Eva