O que é cidadania financeira? Saiba mais sobre seus direitos

O que é cidadania financeira? Saiba mais sobre seus direitos

Educação financeira é um termo que tem gerado cada vez mais interesse para os brasileiros. Em busca de entender melhor como controlar suas finanças pessoais, aprender a investir, enfim, fazer melhor uso do dinheiro, o brasileiro tem mudado aos poucos sua relação com as contas do dia a dia.

Aqui na Embracon temos uma gama de conteúdo de finanças pessoais, porque acreditamos que é preciso empoderar as pessoas com conhecimento para que elas aprendam a se planejar e usar o dinheiro de uma forma mais inteligente.

Porém, nem todos têm acesso a conteúdos de educação financeira, já que não se trata de uma disciplina que vem do currículo escolar.

Sabendo do desafio que se tem pela frente, o Banco Central determinou uma série de medidas que ajudou a popularizar o termo cidadania financeira, criando ações e pesquisas significativas em prol de fortalecer o debate sobre as finanças pessoais dos brasileiros.

Mas, qual é seu verdadeiro significado? O que temos a aprender, quais são os desafios? Vamos explicar a seguir.

Cidadania financeira: direitos e deveres

Cidadania financeira é o pleno exercício de direitos e deveres que ajudam as pessoas a gerenciar da melhor forma seus recursos financeiros.

A educação financeira, já citada, é apenas um dos muitos pilares que compõem a cidadania financeira. Veja quais são todos eles.

Educação financeira

Trata-se da oportunidade de ter acesso a diversos tipos de conteúdo que melhorem a compreensão sobre produtos financeiros, conceitos, riscos, entre outros aspectos.

É a educação financeira que ajuda a entender, por exemplo, como funciona os retornos dos tipos de investimento, as diferenças entre renda fixa e variável, entre diversos outros assuntos.

Atualmente, o brasileiro tem consumido bastante esse tipo de conteúdo. Vídeos em canais de YouTube, influenciadores das redes sociais que compartilham seu conhecimento sobre o assunto, a existência de plataformas que acompanham a jornada de novos investidores: tudo isso ajuda a ampliar o ecossistema de educação financeira, que empodera as pessoas com informação para que elas tomem a melhor decisão quanto à gestão do seu dinheiro e/ou do seu patrimônio.

Inclusão financeira

Para que a sociedade consiga tomar boas decisões com o dinheiro, inclusão financeira é um assunto extremamente importante.

É a partir dela que as pessoas percebem as opções que possuem para comprar, ter acesso a crédito e a diferentes produtos financeiros, como poupança, ações na Bolsa, cartões etc.

Atualmente, inclusão tem sido cada vez mais vinculada ao universo digital. Com diferentes meios de pagamento surgindo - como o Pix e as transações em comércio eletrônico - é comum que este assunto acompanhe o acesso à tecnologia de dispositivos móveis e acesso à internet. Sem falar, claro, na questão de acesso a boas condições de pagamento, a um mínimo de crédito e a um atendimento de qualidade quando se trata de gerenciar o seu dinheiro.

Proteção ao consumidor

Dinheiro tem a ver com segurança. Em um mundo cada vez mais digitalizado, aumentou exponencialmente o risco das pessoas a realizarem uma transação fraudulenta, seja por pessoas mal intencionadas que encaminham mensagens em nome de uma instituição ou vendedores que se aproveitam principalmente das pessoas mais vulneráveis, com menor renda e acesso limitado ao conhecimento sobre educação financeira.

É para evitar que as pessoas caiam em golpes financeiros que as instituições responsáveis devem fornecer informações de qualidade a respeito de seus produtos, ser transparentes com a forma como operam e estabelecer contato com o consumidor, para manter seu patrimônio sempre protegido em sua instituição.

Participação

Para que o ecossistema de cidadania financeira funcione bem, é preciso que as pessoas se interessem em conhecer mais sobre o assunto (pela educação financeira), saibam da necessidade de incluir a todos - principalmente os mais vulneráveis - e se sintam protegidos em relação às suas finanças.

Este engajamento tem aumentado bastante nos últimos anos. Pesquisa recente da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) mostrou que pelo menos 64% dos brasileiros têm desejo de aplicar o seu dinheiro, por mais que não consiga.

É a partir desse interesse que tem surgido mais conteúdo de qualidade pela internet - seja pelo blog da Embracon, por canais especializados em finanças ou acompanhando o compromisso do Banco Central, que criou a Estratégia Nacional de Educação Financeira (ENEF) com o objetivo de promover a educação financeira, securitária, previdenciária e fiscal no País.

Por que é importante promover a cidadania financeira

O compromisso do Banco Central em promover o debate é essencial para que a sociedade evolua em conjunto sobre melhores práticas para gerir seu dinheiro.

Quando mais pessoas utilizam o dinheiro de forma inteligente, a economia vai melhor. Com menos dinheiro sendo desperdiçado com juros de banco, quitação de empréstimo, entre outros fatores, a sociedade passa a consumir de forma mais responsável, comprando produtos que realmente vão impactar em seu dia a dia de forma positiva. O índice de endividamento cai e, com isso, mais pessoas podem se sentir realizadas para investir naquilo que realmente desejam.

Além disso, uma cidadania financeira madura pode contribuir para debates sobre o futuro das finanças. Em um mundo cada vez mais globalizado, diversos empreendedores têm investido em soluções inovadoras para facilitar o acesso a diferentes produtos e serviços.

Pegue o Uber, por exemplo: se as pessoas não tivessem segurança para pagar por celular ou inserir as informações de seu cartão de crédito em uma plataforma, muito provavelmente não teríamos essa revolução no transporte em grandes cidades. Foi assim com a chegada do cartão de débito, com o uso dos caixas eletrônicos, entre muitos outros produtos, que, com o tempo, melhoraram significativamente a vida das pessoas.

Portanto, busque entender o melhor uso do seu dinheiro, fique atento às inovações, que podem ser muito úteis para as suas finanças pessoais, e participe cada vez mais do debate sobre cidadania financeira. Com conhecimento, é possível melhorar não só a sua renda, mas a educação de todo o país, contribuindo para que o ecossistema inteiro dê uma direção positiva para a nossa economia.

Para isso, conte com o blog da Embracon, para conhecer cada vez mais sobre educação financeira. Além disso, conheça mais sobre consórcios e suas vantagens. Faça uma simulação e entenda.
Simulação Consórcio
chat Eva