Conheça o “Plano Mais por Menos” da Embracon

Conheça o “Plano Mais por Menos” da Embracon

Com mais de 30 anos de atuação, a Embracon já realizou milhares de contemplações de automóveis e imóveis ao longo dos anos.

Ao longo desse período, o Brasil passou por diferentes momentos econômicos. Da desestabilização do Plano Cruzado à criação do real, passando pela estabilização inflacionária, abertura de crédito e aumento do poder de compra da população, muitas variáveis influenciaram para que cada vez mais os brasileiros pudessem comprar um novo bem, seja uma casa ou um carro.

Em todos esses momentos, o consórcio mostrou-se uma opção viável para quem deseja fazer investimento a médio e longo prazo.

Sem a cobrança de juros ou de entrada, muitas pessoas ficaram atraídas pela possibilidade de parcelar um carro ou uma casa sem ter que pagar quase o dobro de seu valor original.

A fim de oferecer condições favoráveis para que mais pessoas pudessem investir no sonho de ter o próprio bem ou aumentar o patrimônio, o consórcio Embracon introduziu diferentes planos para abranger mais clientes.

Um deles é o “Plano Mais por Menos”, que explicaremos em detalhes a seguir.

Como funciona o consórcio

Antes de tudo, é preciso explicar como funciona o consórcio em seu formato tradicional.

Primeiramente, quem deseja adquirir um bem pelo consórcio faz uma simulação, para ver quanto pagaria por mês.

É preciso selecionar o total da carta de crédito – ou seja, o equivalente ao total do bem. Depois disso, você pode optar pela quantidade de parcelas.

Consórcio de automóveis, por exemplo, pode ser dividido em até 100 vezes. Já o consórcio de imóveis, por ser um bem de valor mais alto, facilita a divisão em até 240 parcelas.

Passada por essas etapas, o simulador exibe os valores da carta de crédito e de mensalidades próximos ao que você selecionou.

Após pressionar o botão “Comprar”, o usuário é direcionado a um formulário, que deve ser preenchido para que um especialista já esteja preparado para fechar o contrato e tirar todas as suas dúvidas munido das informações que você passou.

Ao fechar um contrato de consórcio, você entra em um grupo com outros integrantes, que estão investindo em um bem semelhante ao seu. Esse grupo financia um fundo comum, que possibilita a compra dos bens.

Ao contribuir com as mensalidades para este fundo, todos se ajudam mutuamente. Quem paga corretamente o valor das parcelas participa das assembleias, que realizam o sorteio dos bens.

Se preferir tentar ser contemplado o quanto antes, pode ofertar um lance. Se o seu valor for o maior naquela assembleia, fica apto a receber a carta de crédito.

Taxa de administração

O consórcio faz a cobrança de parcelas a partir do total da carta de crédito. No valor das parcelas é acrescentado o percentual da taxa de administração, valor que remunera a empresa de consórcio pela formação dos grupos, realização dos sorteios e entrega das cartas de crédito.

Este valor representa de 12% a 20% do total do bem – um valor bem mais acessível se comparado aos juros do financiamento, que podem fazer com que o seu carro ou casa custe quase o dobro no total a prazo.

Como funciona o “Plano Mais por Menos”

Enquanto o consórcio tradicional divide o valor da carta de crédito pela quantidade de mensalidades, o “Plano Mais por Menos” oferece uma condição mais flexível para os consorciados.

Ele funciona da seguinte maneira: ao selecionar o valor da carta de crédito e ter ciência do valor da sua mensalidade, o plano faz um cálculo para que, em um primeiro momento, o consumidor pague um valor menor.

Isso significa que, até ser contemplado, o consorciado tem desconto de 25% da mensalidade. Somente após receber o bem é cobrado o valor original da parcela, com o acréscimo do valor que foi inicialmente descontado.

Digamos que você queira investir em uma carta de consórcio imobiliário de R$ 400 mil, em 100 meses. Nesse caso, a administradora cobra, em média, uma mensalidade de R$ 4.740 – já com o acréscimo da taxa de administração e do fundo de reserva, que representa cerca de 2% do total do bem.

Pela contratação do “Plano Mais por Menos”, o valor inicial pode chegar a R$ 3.555, ou seja, 25% inferior ao que seria a parcela ‘original’. Somente após a contemplação o consorciado seria cobrado da porcentagem restante. É importante estar ciente que este valor será cobrado posteriormente, para evitar contratempos lá pra frente.

Por isso, se for optar pelo “Plano Mais por Menos”, certifique-se de que, no futuro, seu planejamento financeiro não será comprometido. Ele só pode ser acionado ao investir em cartas de carros e imóveis pelo consórcio Embracon.

Além disso, é preciso levar em consideração outra variável das mensalidades do consórcio: o reajuste das parcelas.

Como funciona o reajuste das parcelas

Sempre que ocorre o ‘aniversário da cota’, ou seja, ao completar um ano de pagamento das mensalidades, a administradora faz um reajuste das mensalidades – que será revertido, por fim, no valor total da carta de crédito.

Uma cota de automóveis, por exemplo, passa por reajuste do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), responsável por medir o impacto da inflação em produtos comercializados no varejo – incluindo carros.

Já a cota de consórcio de imóveis sofre alterações anualmente por conta do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), que verifica os custos de obras no segmento de habitação.

Essas alterações são praticadas por todas as administradoras autorizadas pelo Banco Central. Afinal, quando se investe em um bem, é preciso acompanhar as variações de preço que acontecem anualmente, para que a transação seja justa para o comprador e para o vendedor.

Quando se opta pelo “Plano Mais por Menos”, os reajustes também são aplicados antes e depois da contemplação.

Por isso, ao calcular quanto ficaria o total da mensalidade nos anos seguintes, verifique a média da inflação e o impacto desses índices nos anos mais recentes. Dessa forma, é possível ter uma projeção de quanto ficará as mensalidades enquanto usufrui do bem que investiu, seja um carro ou um imóvel.

Com planejamento financeiro, você pode se organizar para não ser surpreendido com um valor elevado de parcelas do consórcio. Converse com o especialista na hora da contratação e confira mais dicas de como aumentar o seu patrimônio por meio do consórcio.

Imagem Consorcio Embracon CTA

Gostou do nosso post? E que tal saber mais sobre as nossas novidades em tempo real? Siga-nos nas redes sociais e veja tudo na sua timeline. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, além de um canal incrível no YouTube.

chat Eva