Bebê chegando: prepare o orçamento familiar!

Bebê chegando: prepare o orçamento familiar!

Poucas coisas na vida são tão empolgantes quanto preparar a chegada do bebê!

Ter filhos é o sonho de muitos casais. Afinal, ele é o primeiro indício da formação de uma nova família.

Alguns casais podem ficar assustados no começo, principalmente quando se faz um levantamento inicial de gastos que serão acrescentados ao orçamento familiar.  

Porém, a chegada do bebê é um momento único, que precisa ser apreciado – e, principalmente, acompanhado em detalhes do começo ao fim.

Quanto será que se gasta com a chegada de um bebê? Dificilmente o casal consegue mensurar gasto por gasto. Mas é possível preparar o orçamento familiar para que a gravidez seja tranquila e os pais não se desesperem em uma etapa tão importante de suas vidas.

Confira algumas dicas para se preparar para ter o bebê.

Antes e durante a gravidez

Quanto antes você souber da gravidez, melhor para preparar os gastos.

Em casos em que o bebê é planejado, recomenda-se ao casal fazer um cálculo prévio de objetos e cômodos relacionados ao bebê, como:

● Quanto custaria para montar o quarto?

● Valor do carrinho de bebê

● Acessórios de higiene: fraldas e pomadas, por exemplo

● Roupinhas

● Berço

● Seria o momento de reformar a casa?

Após fazer todo esse levantamento, faça uma divisão de quanto ficaria dividido por meses até o momento em que o bebê nascer.

Esse cálculo é importante, porque fornece uma média de gastos, para que o casal possa se planejar da melhor forma.

Vale lembrar que existem outros custos, como idas ao médico, cuidados com a alimentação, entre outros. Por isso, é importante estar ciente que esse prévio levantamento é apenas uma estimativa.

Pesquisa de preços

É natural que o casal fique empolgado com os itens de bebê. Eles são tão graciosos… E, também, são muito caros!

Por isso, mantenha o hábito de pesquisar preços pela internet. O índice costuma variar muito dependendo do local.

O ideal, nesse caso, é conversar com pessoas que têm mais experiência no assunto e comprar em locais que realmente apresentam valores atrativos. Se o casal deixar-se levar demais pela empolgação, pode acabar comprometendo boa parte do orçamento familiar com pequenos detalhes.

Considere comprar em brechós

Existem brechós especializados em bebês que podem garantir uma boa economia na hora de comprar itens importantes.

Algumas pessoas têm receio de comprar itens usados, principalmente por conta da higiene. Entretanto, fóruns e comunidades virtuais possuem opções de lugares confiáveis, com produtos que foram utilizados pouquíssimas vezes.

Faça um chá de fraldas

É importante, sim, reunir os amigos, familiares e colegas do trabalho e organizar aquele chá de fraldas. Para ter uma ideia, bebês chegam a consumir quase 4 mil unidades – isso só nos dois primeiros anos de vida!

Ao organizar, separe quem vai levar o quê por categorias. Por exemplo, separe um grupo para levar fraldas pequenas, outro grupo para fraldas médias e até mesmo um grupo para fraldas maiores.

Provavelmente o casal não vai conseguir um volume de fraldas por todo o período que o bebê utilizar, mas, acredite: vai economizar uma boa grana com a ajuda das pessoas mais próximas.

Ah, uma dica: se for preparar um chá de fraldas, tome cuidado com gastos com a organização. Afinal, não adianta nada investir bastante em uma celebração e não compensar com o recebimento de fraldas.

Lembre-se que, muito mais que uma celebração, um chá de fraldas tem o claro objetivo de arrecadar… fraldas!

Mantenha o foco

Os gastos mensais com o bebê não podem ultrapassar 30% do orçamento familiar.

Por mais que o bebê cause uma ‘reviravolta’ nas finanças, lembre-se que é necessário manter as contas pagas e, se possível, guardar um percentual para possíveis emergências posteriores – um ‘risco’ que aumenta quando se tem um bebê chegando.

Gastos após o bebê ter nascido

Se você seguiu os passos antes do nascimento do bebê, consegue se organizar melhor financeiramente para os primeiros meses da criança.

Antes de tudo, procure um plano de saúde para a criança. Se você recebe benefício da empresa em que trabalha e tem a possibilidade de inclui-lo, melhor ainda.

Afinal, procurar um plano independente sai muito mais caro – e nem sempre atende às reais necessidades do filho e do casal.

De qualquer forma, é melhor ter um plano de saúde do que não ter nenhum. São muitas idas ao pediatra para ter que pagar tudo à parte.

Roupinhas e acessórios

Depois que a criança nasce, parece que brota uma necessidade de comprar roupinhas novas a todo tempo, não é mesmo? É bom segurar essa vontade. Por que pagar um alto valor em uma roupa que será usada, no máximo, 3 ou 4 vezes?

Mais uma vez, recomendamos os brechós especializados em bebê. Procure conhecer quem é cliente há mais tempo, para saber se realmente vale a pena.

Atenção para as festanças

Muitos pais comemoram todos os meses o nascimento da criança. Até que ela complete um ano, isso é normal. Mas, cuidado com os gastos.

Além dos aniversários, existem outros eventos relacionados à criança, como festividades religiosas (batizado, por exemplo).

Para se antecipar, coloque tudo na ponta do lápis e alinhe bem o quanto vai gastar, para que a celebração de um evento não se torne um pesadelo financeiro.

Guarde dinheiro ou invista em um bem para o seu filho

Cada vez mais pais e mães têm se organizado para guardar um pequeno percentual mensalmente e se preparar para gastos futuros com o filho, como uma boa escola, faculdade ou mesmo a compra de um carro após os 18 anos.

A vantagem de se organizar o quanto antes é imensa: não é preciso separar um alto valor por mês, por exemplo.

Existem possibilidades, como investir no Tesouro Direto ou realizar investimentos mais rentáveis que a poupança, por exemplo, mas se quiser antecipar a compra de um carro ou o pagamento dos estudos do seu filho, você também pode considerar o consórcio como investimento.

Pelo consórcio, você seleciona o valor final da carta de crédito de acordo com o bem que vai escolher. E também pode ajustar o total de mensalidades e valor de parcela, tendo o orçamento familiar como base.

Como não há pressa de ser contemplado, os pais podem investir em bens como automóveis e imóveis por um longo período e se organizar para a contemplação quando o filho estiver mais velho.

Faça uma simulação no site da Embracon e veja a melhor forma de garantir um bom futuro para o seu filho.

Para mais conteúdos sobre finanças pessoais, assine a nossa newsletter.

Leia também:
Como se preparar para a chegada do bebê
Chá de bebê: aprenda como organizar de forma eficiente

Imagem Consorcio Embracon CTA

Gostou do nosso post? E que tal saber mais sobre as nossas novidades em tempo real? Siga-nos nas redes sociais e veja tudo na sua timeline. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn, além de um canal incrível no YouTube.

chat Eva