Como utilizar os modelos de tapetes na decoração de casa

Como utilizar os modelos de tapetes na decoração de casa

5 segredos para arrasar na decoração usando os tapetes certos 

Atualmente, os profissionais que trabalham com decoração de interiores podem contar com diversas peças diferentes para a composição de ambientes. 

Alguns deles podem ajudar a enfatizar estilos de cenários, bem como a melhorar as condições térmicas e acústicas de cômodos trabalhados. Um exemplo são os tapetes. Existem vários modelos à venda; e, neste texto, vamos entender quais as melhores qualidades de cada um. Confira!

Foto: Tikkanen arquitetura

1. Tapetes redondos e quadrados

Estes dois modelos de tapetes são os mais básicos, mais fáceis de serem encontrados à venda nas lojas de artigos para casa. 

Eles podem vir lisos ou estampados, em cores neutras ou cores bem vivas. Mas, por hora, queremos destacar, neste tópico, como cada formato pode contribuir para as decorações de interiores.

Pois bem, em algum momento você poderá ler e ouvir que existe um tipo de tapete certo para cada ambiente de residência. 

Em parte, isto está certo; e, em parte, está errado. É que, na verdade, não existem regras fixas quanto a isso, mas há as orientações dos especialistas em harmonização de ambientes.

Esses profissionais afirmam que os tapetes mais quadrados funcionam melhor para demarcar zonas de mesas de escritórios, mesas de jantar, conjuntos de sofás e camas. 

Já os tapetes cumpridos, tipo passadeira, para circulações, incluindo em áreas de serviços. E os redondos, cujo núcleo “aponta” para todas as direções, poderiam acompanhar mesas de jantar ou de recepção redondas, além de poltronas de leitura, ou preencher núcleos de ambientes tipo quarto de bebê.

Embracon
Foto: Elen Saravalli
Imagem consorcio embracon
Foto: Archdesign Studio

2. Tapetes lisos e estampados

Tapetes lisos e de cores neutras são sempre mais fáceis de serem combinados a qualquer tipo de decoração. Mas eles só ganham destaque se contrastados com pisos e móveis em tons opostos.

Se você ainda está com dúvidas sobre qual o tapete comprar para sua casa, pode optar por um tapete de “campo livre”, cuja parte central não possui nenhum desenho, mas o fundo vazio é circundado por uma borda - que pode ser até bem elaborada.

Já os tapetes estampados são mais difíceis de serem combinados com as decorações. Contudo, possuem características expressivas que podem contribuir para tornar os cenários mais interessantes e alegres, além de enfatizar estilos - como o boêmio, por exemplo. 

Estes são os tapetes de 'padronagem global', cujo campo interno é todo preenchido por uma variedade de desenhos ou motivos.

Atualmente, existem algumas estampas que estão em alta para tapetes - que, provavelmente, devem estar acompanhando as últimas tendências de decoração. 

Por exemplo, art paint, animal print, de desenhos geométricos, e simulando degradê, riscos de tintas ou ladrilhos.

auto
Foto: Gislene Lopes
Imagem Consorcio Embracon
Foto: Carla Cuono Arquitetura e Interiores

3. Tapetes étnicos e lúdicos

Estamos chamando de tapetes étnicos aqueles modelos de tapetes que, mesmo fabricados em série, lembram os trabalhos artesanais feitos por diferentes culturas. 

Por exemplo, os famosos tapetes persas ou iranianos;  os tapetes caucasianos,  de origem russa; os tapetes egípcios;  os tapetes franceses; e tantos outros. Lembrando que peças originais destas regiões produtoras costumam ser bastante valiosas

Não podemos nos esquecer também daqueles tapetes que são feitos a partir de couro de animais. Esta não é a opção mais ecológica, mas aparece em algumas propostas de decoração de interiores - sobretudo de características mais rústicas.

Por último, nesta lista, estão os tapetes lúdicos. Estes seriam aqueles tapetes bem coloridos, com desenhos e formatos que estimulam os sentidos das crianças, ajudando na sua educação, desenvolvimento cognitivo e coordenação motora.

Pois estes três modelos de tapetes são bem mais atrativos, mais difíceis de serem combinados com decorações, um grau acima até mesmo dos estampados citados antes 

Sua presença impactante só pode ser amenizada se os elementos ao seu redor forem lisos ou sem texturas marcantes e seguirem a mesma paleta de cores. E, para isso, às vezes, é preciso um planejamento espacial ainda mais rigoroso.

Consorcio Embracon
Foto: Studio MK27
auto
Foto: Revista Viva Decora

4. Tapetes baixos e felpudos

Esta é mais uma diferença de estética que pode haver entre os modelos de tapetes. Alguns têm fibras mais curtas e outros fibras mais longas, chamados de felpudos.

Os tapetes baixos geralmente são peças projetadas para serem utilizadas em zonas de maior tráfego de pessoas ou zonas de serviços. Por exemplo, salas de jantar, corredores, cozinha e lavanderia, banheiros e lavabos, e sacada. 

Já os mais felpudos são indicados para zonas íntimas e áreas de estar, como quartos e salas de estar. E ainda tem os tapetes de fibras naturais, muito bem vindos em quartos e salas também.

Eis os principais materiais utilizados na fabricação de tapetes: algodão, lã, couro, chenille, poliamida, vinil, EVA, borracha, silicone, sisal, juta, polipropileno e nylon.

Foto: Patricia Martinez
Consorcio Embracon Imagem
Foto: Ana Lucia Martins

E se vamos falar sobre a utilização de tapetes dentro de casa, devemos citar a técnica da sobreposição de peças. Esta é uma forma de composição única, que nunca fica igual a qualquer outra. 

Neste caso, a decoração é flexível Basta uma mudança de posição de uma peça ou outra e já se consegue dar “cara nova” para o ambiente. Dois tapetes menores viram um grande e, assim, o conjunto fica adequado às proporções da sala, simples assim.

Foto: Enzo Sobocinski

São muitos tipos de tapetes e, com certeza, alguns vão ficar incríveis em sua casa, experimente!

Essas dicas de decoração com tapetes foram criadas pela equipe Viva Decora.

chat Eva