Iluminação: 7 modelos de luminárias em projetos de decoração

Iluminação: 7 modelos de luminárias em projetos de decoração

Os TOP 7 modelos de luminárias mais utilizados em projetos de decoração

Quando entramos em uma loja de artigos para casa, logo ficamos encantados. Podemos ver dezenas ou centenas de opções de luminárias de uma vez. E é normal bater aquela dúvida sobre qual a principal diferença entre os aparelhos. 

Percebemos que o seu design não é igual e entendemos que esse é um indicativo de que devem ser instalados em locais diferentes e para várias finalidades dentro de casa. Mas qual seria? Veja a seguir.

1. Luzes embutidas

Quando você compra um imóvel novo de uma construtora, é provável que receba em cada ambiente apenas um ponto de luz no teto de cada ambiente. Só que depois, quando começar a decorar a casa e desenvolver a suas tarefas diárias, sentirá provavelmente a necessidade de mais pontos complementares. E uma forma de acrescentar esses pontos é realizando um rebaixo de forro e embutindo nele as novas luminárias.

O resultado dessa alteração de arquitetura pode ser uma maior valorização dos interiores, gerando ambientes mais minimalistas, de visual clean e moderno. 

Nesse caso, as peças de luminárias - spots e plafons de embutir - ficam menos evidentes, focando sua luz e destacando os objetos de decoração abaixo. É a solução mais utilizada pelos projetistas em ambientações de banheiros, salas e quartos.

Luzes Embutidas
Foto: Ricardo Lopez

2. Spots

Citamos antes os spots, mas o que tem eles de diferente? Estes aparelhos produzem pequenos focos de luz direcionada, focando em um ponto específico da decoração - como uma área de parede revestida, um painel, ou outro elemento de importância focal. 

Portanto, são apenas luminárias auxiliares, funcionando em pontos complementares do sistema de iluminação do ambiente. E, detalhe, podem formar linhas no teto em desenho interessante.

Spots
Foto: Viva Decora e Maria Helena Torres

3. Plafons

Também citamos no primeiro item as luminárias plafons, sendo outros tipos de luminárias específicas para teto. Contudo, é preciso destacar que, delas, existem modelos de embutir e também de sobrepor. 

Como característica em comum, todos eles apresentam uma película de superfície que deixa a luz difusa, se espalhando de forma homogênea em todo o ambiente. É uma boa solução para salas, quartos, cozinhas, banheiros e garagens.

Plafons
Foto: MIS ARQUITETURA E INTERIORES e Rogério Galli

4. Lustres e pendentes

Lustres e pendentes são luminárias de sobrepor, próprias para serem instaladas no teto. Mas existe diferença entre elas, que vai muito além do seu design, tendo relação com a forma como as luzes das lâmpadas são direcionadas. 

Explicando melhor, os lustres geralmente possuem vários “braços” voltados para cima, fazendo a luz rebater no teto, sendo depois jogada para o ambiente - luz tipo indireta. 

Já o pendente tem o foco de luz voltada direto para baixo, iluminando uma área mais específica da sala - luz tipo direta. Aliás, esse é um tipo de luminária bastante utilizada sobre mesas de jantar, a uma altura de 75 a 90 cm acima do nível do tampo do móvel.

Os lustres são bastante chamativos; portanto, podemos utilizá-lo muito mais para a valorização de decoração - os modelos em cristais parecem ser os mais bonitos. 

Já os pendentes não chamam a atenção necessariamente para si, mas para um lugar específico - como um tampo de bancada de refeições, um vaso decorativo e uma mesa de cabeceira. O resultado da luz dos pendentes é, certamente, mais confortável e intimista.

Lustres e pendentes
Foto: Antônio Ferreira Junior e Mário Celso Bernardes

5. Arandelas

As arandelas já podem oferecer, dependendo do seu modelo, luzes diretas e indiretas ou difusas. Esses aparelhos são projetados para serem instalados em paredes - tanto de áreas internas quanto externas -, fazendo os cenários parecerem mais românticos. 

Iremos ver muito mais a sua utilização para pontuar a linha de um muro, no jardim; porém, também podem destacar as laterais de um painel de TV ou cabeceira de cama, dentro de casa.

Arandelas
Foto: MODI Arquitetura e Interiores e Tetriz Arquitetura e Interiores

6. Abajures

Existem dois tipos diferentes de abajur. Os modelos menores são projetados para serem apoiados sobre aparadores e diferentes mesas, como mesa de cabeceira, mesa lateral de sofá e mesa de computador ou escrivaninha. 

Já os modelos maiores servem para serem colocados direto sobre o chão. E, no geral, ambos iluminam diretamente apenas por baixo, emitindo luz difusa em outras direções, ideal para criar um clima mais intimista no local.

Os abajures de piso comum podem ser posicionados ao lado de sofás, poltronas e mais, auxiliando principalmente em atividades de leitura. Mas existe outro modelo menos comum, mas de visual extremamente moderno, os abajures curvos, com base de pedra. 

A ideia é levar luz focal de uma área mais distante até o meio do ambiente, reforçando a iluminação central do mesmo - sobretudo quando a quantidade de pontos no local é pouca.

Abajures
Foto: Rico Mendonça
Abajures
Foto: A.M Studio Arquitetura

7. Refletores

Sobre mesas, bancadas e piso podemos também colocar outro tipo de luminária, os refletores. E, detalhe: os mesmos também ficam lindos em decoração de áreas de jardins. 

E têm uma potência bem maior do que tudo utilizado no resto da casa - e pode envolver até a geração de luzes multicoloridas. A ideia é, com as tais luminárias refletores, criar um efeito de luz e sombra quase que teatral, preenchendo grandes áreas de parede.

Refletores
Foto: Deborah Basso

Gostou dessas luminárias? Já escolheu quais vão ficar em cada cômodo de sua casa? Vamos lá, iniciar esse projeto!

Essas dicas de decoração foram criadas pela equipe Viva Decora.

Simulação
chat Eva